Listen to the text.

domingo, 4 de maio de 2014

Investigadora portuguesa premiada na Bélgica - Marta Lourenço é licenciada em Física pela Universidade de Lisboa e obteve um mestrado em Museologia na Universidade Nova de Lisboa

Marta Lourenço recebeu uma medalha da Universidade de Gent

A investigadora Marta Lourenço, do Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, foi galardoada com a Medalha George Sarton da Universidade de Gent, na Bélgica, anunciou hoje o Ministério da Educação.

De acordo com um comunicado do Ministério da Ciência e da Educação, o galardão, relativo ao ano académico 2014/2015, distingue anualmente um cientista da comunidade internacional pela sua carreira nesta área.

Desde 1984, cada Faculdade da Universidade de Gent propõe um investigador da sua área, cabendo depois ao Comité Sarton, com representantes das 11 faculdades, escolher os diversos medalhados, com base nos respetivos currículos.

Marta Lourenço é licenciada em Física pela Universidade de Lisboa e obteve um mestrado em Museologia na Universidade Nova de Lisboa, tendo realizado o doutoramento em Museologia e História da Tecnologia no Conservatório Nacional de Artes e Ofícios (Conservatoire National des Arts et Métiers) de Paris.

Tem como interesses de investigação a história das coleções, dos museus, património universitário e museologia.
Marta Lourenço é investigadora-membro do Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia da Universidade de Lisboa, e investigadora associada do Conservatório Nacional de Artes e Ofícios de Paris.

É, desde 2014, subdiretora dos Museus da Universidade de Lisboa, e pertence também ao Conselho Internacional dos Museus (ICOM) e à Sociedade para a Preservação de Coleções de História Natural.

A cerimónia de entrega desta Medalha Sarton realiza-se a 15 de janeiro de 2015 no Museu de História das Ciências da Universidade de Gent.

No comunicado, o Ministério da Educação felicita a investigadora pela atribuição deste prémio daquela universidade belga.

O investigador belga George Sarton (1884-1956), aluno da Universidade de Gent, foi químico e historiador, sendo considerado um dos fundadores da História da Ciência enquanto disciplina.

fonte:http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/investigadora-marta-lourenco-premio-belgica/1553743-4071.html

Casarão na Avenida Paulista vai abrigar Museu da Diversidade

Anúncio foi feito por Alckmin na abertura da 18ª Parada do Orgulho LGBT.
Novo espaço tem cerca de 600 metros quadrados de área construída.


O governador Geraldo Alckmin anunciou a criação do Museu da Diversidade na abertura da 18ª Parada do Orgulho LGBT, na manhã deste domingo (4), na Avenida Paulista, em São Paulo. A sede será no casarão Franco de Mello, na Paulista. O museu, no entanto, só será instalado quando for concluída ação de desapropriação indireta.

Segundo o governador, a Estação República do Metrô já abriga, desde o ano passado, o Museu da Diversidade, cujo acervo deverá ser transferido para o novo espaço. Em 2013, o museu recebeu cerca de 35 mil visitantes.

O local na Estação Repúplica será mantido, mas a ocupação do casarão possibilitará a ampliaçãode ações culturais relacionadas à preservação, ao estudo e à difusão da memória da população LGBT paulista e brasileira, de acordo com a assessoria de imprensa do governo.

O casarão, localizado no número 1.919 da Paulista, tem aproximadamente 600 metros quadrados de área construída e terreno de 2,7 mil metros quadrados.

Parada Gay
A Parada Gay 2014 começou por volta das 12h deste domingo na Avenida Paulista. Muitos participantes fantasiados e curiosos com câmeras fotográficas se concentraram em frente aoMuseu de Arte de São Paulo (Masp). Segundo a Polícia Militar, não foram registradas ocorrências no início do evento.

Antecipada para este domingo, por conta da Copa do Mundo em junho a 18º Parada do Orgulho LGBT pede a "criminalização da homofobia". O tema escolhido para a 18ª edição do evento é “País Vencedor é País Sem Homolesbotransfobia: Chega de Mortes! Criminalização Já!”. O objetivo é ressaltar a importância da questão e reforçar o pedido por punições mais rígidas a quem praticar crimes de homofobia. Além da parada, as atividades do mês do orgulho LGBT também seguem o mesmo tema.

O participante Ricardo Bianck, de 28 anos, contou que essa é a oitava vez que ele vem à Parada. "Gosto das pessoas, do momento e um pouco do que a parada reivindica", diz. Segundo ele, a bandeira política da Parada, que luta pelos direitos da população LGBT, se perdeu. "As pessoas vêem pra curtir", afirma.

O assistente comercial João Carlos Bandeira, de 22 anos, concorda. "Fugiu do verdadeiro sentido. É mais um encontro anual", afirma. É a segunda vez que João Carlos vem à parada.

Em 2013, a 17ª edição da Parada Gay reuniu aproximadamente 3 milhões de pessoas e teve como atração principal a cantora Daniela Mercury. Este ano, a principal apresentação será da cantora Wanessa Camargo. O evento contará ainda com show de Pedro Lima e do Bigode Grosso, que participou da última edição do The Voice Brasil.

Alguns trechos da Avenida Paulista e de vias da região central de São Paulo foram interditados. O evento termina com um show na Praça da República, que está previsto para ocorrer das 18h30 às 21h30.

A Ciclofaixa de Lazer da Avenida Paulista e um trecho da Ciclofaixa do Centro foram suspensas. Ela não foi ativada na extensão da Avenida Bernardino de Campos, Avenida Paulista, Rua da Consolação, acesso ao Elevado Costa e Silva, Avenida Ipiranga, Praça da República, Avenida Vieira de Carvalho, Largo do Arouche, Viaduto do Chá, Rua Barão de Itapetininga, Rua Marconi, Praça Dom José Gaspar, Avenida São Luis e Rua Xavier de Toledo.

Confira as interdições
- A partir da 6h: Avenida Ipiranga, entre as avenidas São João e São Luiz, para montagem do palco do show de encerramento.
- A partir das 10h: Avenida Paulista, no sentido Consolação, entre as ruas Teixeira da Silva e Augusta; e no sentido Paraíso, entre a Rua Padre João Manuel e a Avenida Brigadeiro Luis Antônio, permanecendo liberada a travessia de veículos pela Avenida Brigadeiro Luis
Antônio e Rua Carlos Sampaio.
- A partir das 11h30: a interdição será estendida, ficando a Avenida Paulista bloqueada, no sentido Consolação, entre as ruas Teixeira da Silva e Consolação; e no sentido Paraíso, entre a Rua da Consolação e a Avenida Brigadeiro Luis Antônio, permanecendo liberada a
transposição de veículos pela Avenida Brigadeiro Luis Antônio e Rua Carlos Sampaio.
- A partir das 12h: interdições na Rua da Consolação, em ambos os sentidos, entre a Alameda Santos e a Avenida Ipiranga; da Rua Rego Freitas, entre as ruas da Consolação e Major Sertório; e na Avenida Ipiranga, entre a Rua da Consolação e a Avenida São Luiz.

Mudanças nas linhas de ônibus
A São Paulo Transporte (SPTrans) informou que 37 linhas que trafegam na região tiveram seu planejamento alterado para atender os participantes, das 6h às 21h30

fonte:http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/05/casarao-na-avenida-paulista-vai-abrigar-museu-da-diversidade.html

Museus ampliam receita com produtos e serviços exclusivos

Contra orçamentos cada vez mais enxutos, nada como a criatividade. Grandes museus do mundo  apostam em novos negócios que vão muito além das tradicionais bilheterias e do escasso dinheiro público. De produtos de designers exclusivos a prestação de serviços forenses no melhor estilo CSI (crime scene investigation, ou investigação da cena do crime), passando por restaurantes, vale tudo para engordar as receitas.

Discrição britânica ou segredo comercial, as instituições evitam falar em cifras – talvez pelo fato de não visarem lucros –, mas não escondem que os empreendimentos alternativos movimentam milhões de libras por ano.

Este ano, o museu Victoria & Albert resolveu apostar no mercado de luxo. A exposição The Glamour of the Italian Fashion, que conta a história da moda italiana de 1945 a 2014, em cartaz até o fim de julho, inspirou a coleção de 22 joias italianas de edição limitada à venda na loja virtual do museu e no site Net-à-porter, o maior do mundo paraprodutos de luxo, com quem firmou parceria inédita. Na retrospectiva do americano Roy Liechtenstein, no ano passado, tinha até garrafa de cerveja com rótulo reproduzindo quadrinhos de um dos fundadores da pop-art mundial.

Pela primeira vez, a Tate Modern fará a transmissão ao vivo de uma exposição pela tevê. Trata-se devisita guiada a recortes e gravuras do impressionista francês Henri Matisse. Henri Matisse: the cut-outs promete ser a terceira maior bilheteria do museu e deu origem a artigos de luxo vendidos na saída. Designers foram chamados para usar a paleta de cores criadas pelo pintor. Os lenços de seda de três cores de Matisse, da Beckford Silk, saem a 50 libras (R$ 190). As almofadas de listras, a 75 libras (em torno de R$ 280), e ousadas abotoaduras coloridas, a 40 libras (R$ 150).



Para aproveitar a mão de obra especializada de suas equipes, alguns museus começaram a prestar consultoria a investigações. Tornaram-se uma das principais armas das polícias de Inglaterra, Escócia e País de Gales para juntar peças de crimes complexos com poucas evidências.

Investigação

Os cerca de 300 cientistas do Museu de História Natural de Londres renderam 611 mil libras (cerca de R$ 2 milhões) a mais em 2012 por conta destes serviços externos. Com isso, já conseguiram aumentar a sua contribuição extra para o orçamento em 73% na comparação com cinco anos atrás. Estudam desde o DNA recolhido em cenas do crime a larvas encontradas nos corpos, a condições de plantas, algas e bactérias nos locais.

Eles se envolvem em casos de vigilância sanitária, veterinários e em questões como importação de carne. Lideram estudos de solos e minerais encomendados por mineradoras e petroleiras, querendo explorar áreas propícias para encontrar petróleo e gás.

A transmissão ao vivo em cinemas e teatros foi uma das alternativas encontradas pelo Royal Theatre House (RTH) para viajar de Covent Garden, no centro de Londres, para o resto do mundo sem maiores custos. Até o ano passado, o Brasil era o quarto maior freguês do teatro.

O RTH diz que, das receitas anuais de 114 milhões de libras (R$ 427 milhões), 22 milhões de libras (R$ 82 milhões) vêm de atividades comerciais como vendas de produtos ligados ao teatro, licença de cinema, DVD, streaming digital, restaurante e aluguel de espaço.

fonte:http://www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?tl=1&id=1466228&tit=Museus-ampliam-receita-com-produtos-e-servicos-exclusivos