Listen to the text.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Museu Judaico de Belmonte com dez mil visitantes no primeiro semestre do ano



A afluência aumentou 13% em relação ao ano passado. O Museu Judaico de Belmonte abriu em 2005 Paulo Ricca/Arquivo

O Museu Judaico de Belmonte registou no primeiro semestre de 2014 cerca de dez mil visitas, o que corresponde a um aumento de 13% relativamente ao mesmo período de 2013, anunciou esta quinta-feira a autarquia. De acordo com a nota de imprensa, no mesmo período do ano passado o museu recebeu 8.838 visitantes.

A informação aponta ainda Portugal (6526 pessoas) e Israel (1720) como os principais países de proveniência das pessoas que passaram pelo Museu Judaico. "Seguem-se Espanha (241), Estados Unidos (220), Brasil (182), Inglaterra (119), França (104), sendo ainda de sublinhar a afluência de 209 residentes do concelho de Belmonte, 66 entradas oriundas da Austrália, 41 do Canadá, 25 da Rússia, 22 da Suíça, 18 da Holanda, 16 da Polónia, 11 da China e idêntico número da Argentina, dez da Eslováquia e igual número da República Checa", consta da nota.

Itália, México, Peru, Japão, Ucrânia, Noruega, Bulgária, Turquia, Grécia, Bélgica, Irlanda, Singapura, Nova Zelândia, Dinamarca, Cambodja e Nepal são igualmente países referidos na lista das proveniências dos visitantes.

A autarquia assinala ainda "o significativo aumento do público israelita, que, de forma organizada, em grupo ou individualmente, esteve no Museu Judaico" para contactar com "as vivências dos judeus, sobretudo da Comunidade Judaica de Belmonte e da Beira Interior". "Casos houve em que os grupos foram integrados por sobreviventes dos campos de concentração nazi e do Holocausto", sublinha.

O Museu Judaico de Belmonte foi inaugurado em 2005 e dá a conhecer a história da religião judaica, com principal ênfase em Portugal e em particular na Comunidade Judaica de Belmonte.

fonte:  @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.publico.pt/local/noticia/museu-judaico-de-belmonte-com-dez-mil-visitantes-no-primeiro-semestre-do-ano-1664973?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoRSS+%28Publico.pt%29
 

Artista de Uberaba recria e expõe animais pré-históricos em 3D

Paleoartista Rodrigo Nogueira mostra as peças em vários países. Segundo ele, não existe curso de formação específica em paleoarte.

Um artista de Uberaba está virando referência mundial na paleoarte – atividade de transformar fósseis em obras de arte. Rodolfo Nogueira é paleoartista e cria peças em três dimensões de animais e plantas pré-históricas. O trabalho do uberabense já foi exposto em museus da Europa e dos Estados Unidos e o artista contabiliza sete prêmios, inclusive internacionais.

Rodrigo tem um estúdio onde se dedica a criar réplicas de animais e plantas que deixaram de existir há milhões de anos. As peças são construídas com materiais como massa epox, isopor e espuma, e demoram de quatro a seis meses para ficarem prontas. O método utilizado pelo artista é próprio e surgiu quando ele estudava desenho industrial na faculdade.

Segundo Rodolfo Nogueira, todo o processo técnico envolve quatro etapas. Na primeira é feito um briefing, onde ele reúne informações necessárias para reconstruir a peça em questão. Posteriormente, é feita a reconstrução do esqueleto. Já na terceira etapa, o artista busca referências em animais atuais para fazer a pele da estrutura. “Busco referências em animais atuais que vivem em ambiente semelhante e tem tamanho e hábitos de vida semelhantes. Daí tiro um padrão de coloração para a pele”, explica Rodrigo. Por fim, ele reconstrói o ambiente e insere o modelo tridimensional no espaço.
 
artista dinossauro uberaba 2 (Foto: Reprodução/ TV Integração)Artista demora de quatro a seis meses para produzir uma peça (Foto: Reprodução/ TV Integração)



O uberabense conta que foi por meio da televisão que nasceu a paixão pela temática. “Lembro de assistir o primeiro filme do Parque dos Dinossauros, em 1993, aos seis anos. Também me recordo de algumas séries da British Broadcasting Corporation (BBC) que me inspiraram. Era um sentimento muito bom quando eu assistia”, comenta Rodrigo.

Atualmente, não existe no mundo um curso de formação específica em paleoarte. É possível encontrar disciplinas específicas em cursos de pós-graduação em ilustração científica. De acordo com Rodrigo, o trabalho vem de estudo e formação autodidata, tornando o estilo de trabalho mais pessoal. “Você precisa de um conhecimento multidisciplinar de arte, de design, de paleontologia, de biologia, de anatomia e ecologia”, afirma.

Com os trabalhos, o mineiro já ganhou sete prêmios, entre eles alguns internacionais. Réplicas já foram expostas em museus da Europa e Estados Unidos. Para ele, o trabalho é satisfatório. “Todo mundo faz pressão para que você siga uma profissão comum, mas acredito que se você fizer o que gosta, será recompensado. O resultado do meu trabalho é a realização de um sonho e tenho muitos outros em mente”, finaliza Rodolfo. 
 
fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2014/07/artista-de-uberaba-recria-e-expoe-animais-pre-historicos-em-3d.html

O luxuoso One Thousand Museum, está situado nos entremeios da efervescente vida cultural e financeira de Miami, próximo a museus, teatros e parques.

Prédio residencial de luxo será o mais alto do centro de Miami; proprietários brasileiros já são 28%

Dentre outros detalhes, as áreas comuns do empreendimento exalam aromas
exclusivos desenvolvidos por consultores olfativos.

Viver com a cabeça nas nuvens e os pés no chão é a ambição de muita gente. O luxuoso One Thousand Museum, que será o edifício residencial mais alto do centro de Miami, na Flórida (EUA), proporciona isso. Com 62 andares e 215 metros de altura, das 83 unidades a maioria (28%) já está reservada por compradores brasileiros, que se sentem em casa, seduzidos pelo estilo de vida local, cultura e próspero mercado imobiliário dos Estados Unidos.

“Entre os outros compradores, 24% são norte-americanos de Nova York, Los Angeles, Michigan e todo o Estado da Flórida. Do exterior, além do Brasil, 20% são investidores da Venezuela, 8% França, 4% Turquia, 4% Líbano, 4% Noruega e 8% outros países”, diz Mayi De La Vega, fundadora e CEO da empresa ONE Sotheby’s International Realty, responsável pelas vendas.

Com metragens que variam de 427 m² a 920 m², os preços no One Thousand Museum iniciam em US$ 5 milhões e chegam a US$ 15 milhões. Além da cobertura duplex, os apartamentos podem ser um ou dois por andar, com opções de um piso ou duplex e vista para a baía de Biscayne, o oceano Atlântico e o Museum Park. Está situado nos entremeios da efervescente vida cultural e financeira de Miami, próximo a museus, teatros e parques. Dentre outros detalhes, as áreas comuns do empreendimento exalam aromas exclusivos desenvolvidos por consultores olfativos.

O projeto é assinado pelo escritório da renomada arquiteta iraquiana Zaha Hadid, reconhecida pelo design revolucionário de seus prédios, que figuram nas principais metrópoles do mundo como Pequim, Abu Dhabi, Roma e Londres.

O desenho icônico do arranha-céu espera valorizar o mercado dos imóveis no centro e atrair a atenção do público das residências de luxo na região de South Beach (Flórida). “O One Thousand Museum contribuirá para que o mercado local concorra com o de Nova York em termos de atenção mundial, arquitetura e determinação de preço. É a primeira torre residencial em Miami projetada por Zaha Hadid e ainda não tínhamos visto nada com o nível de atrativos e infraestrutura que esse edifício extraordinário oferece”, afirma De La Vega.

Sobre Zaha Hadid

Nos últimos 30 anos, a revolucionária arquiteta iraquiana Zaha Hadid tornou-se internacionalmente reconhecida por seus projetos de estética impressionante, prédios altíssimos que desafiam os limites da inovação e que mesclam arquitetura e arte. Hadid foi Vencedora do Prêmio Pritzker de Arquitetura (2004), do Prêmio Stirling (2010 e 2011) e nomeada Dama da Ordem do Império Britânico por seus serviços à área de Arquitetura (2002). Atualmente, é conceituada como uma das profissionais mais renomadas da história no setor e a primeira mulher a receber esse reconhecimento. Além do mundo da arquitetura, Hadid colaborou com marcas de luxo de renome como Chanel, Donna Karan e B&B Italia. Ainda, foi nomeada uma das "100 mulheres mais poderosas do mundo” pela revista Forbes e uma das "100 pessoas mais influentes do Mundo" pela revista TIME.


SERVIÇO

ONE THOUSAND MUSEUM by Zaha Hadid
Endereço:  1000 Biscayne Boulevard, Miami
Site: 1000museum.com
Preços: de US$ 5 milhões a US$ 15 milhões
Tipos de unidades: além da cobertura duplex, os apartamentos podem ser um ou dois por andar, com
opções de um piso ou duplex
Metragens: unidades variam de 427 m² a 920 m²
Andares: 62
Unidades: 83
Altura: 215 metros

fonte:
http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?id=44437&op=gente

Exposição A Arte Naif Capixaba ficará mais dois meses no Palácio Anchieta

VITÓRIA — Após dois meses em cartaz no Palácio Anchieta, a Exposição A Arte Naif capixaba da artista Angela Gomes vai permanecer na Galeria do Acervo do Palácio até setembro, devido ao sucesso de público. Iniciada no último dia 28 de maio, a mostra reúne 20 obras da artista, que dialogam entre o pitoresco e o meio ambiente ao redor. A entrada para a exposição é gratuita. 



A arte Naif, técnica utilizada pela artista, geralmente é traduzida como inocente, e por isso a compreensão é tida como simplista nos termos da Arte. Para Angela, suas obras refletem a descoberta da chamada “pintura ingênua” chamando a atenção pela fascinação da paisagem e pelo mundo à sua volta. “As pinturas são o resultado de lembranças de coisas vistas, mais ainda, de coisas sentidas, uma vez que tudo é transmutado pela natureza e cultura local”, conta.

Oficinas Gratuitas

Integrando parte da programação de atividades oferecidas pela equipe de mediadores do Espaço Cultural do Palácio, serão ministradas oficinas gratuitas para os visitantes explicando aos alunos os processos de criação das obras da artista e a utilização da técnica de pintura Naif. Além das oficinas, os mediadores farão a apresentação das obras por meio da visita à exposição, discutindo as referências da artista, comuns também ao público, uma vez que a temática predominante na exposição é a Cultura e a Paisagem Capixaba.

A arte se baseia em quebras e inovações de conceitos. E a prática de oficinas tem como principal objetivo aprimorar o olhar crítico, que o público participante tem a partir de vivências relacionadas à arte e reforçar a compreensão das diversas expressões artísticas. 

A oficina visa estimular a sensibilidade artística através das linguagens artísticas, verbais e escritas, ajudando a desenvolver a criatividade e o senso de percepção do público.

Para participar

O público alvo das oficinas são grupos escolares e instituições diversas, podendo se estender ao público frequentador do palácio e moradores locais. Para participar, basta realizar o agendamento por meio do telefone: 27 3636-1032.

Sobre a artista

Autodidata, em 1981 Angela Gomes realizou a sua primeira exposição individual. Nenhum convidado compareceu, apenas ela e o fotógrafo contratado. Mas o que era para ser motivo de desistência transformou-se em incentivo para continuar, lutar e vencer. A falta do apoio familiar, o preconceito social e o descrédito profissional continuaram até se definir por volta de 1987, pela pintura Naïf, após rápida convivência com Raquel Galena, pintora do gênero, no Embu das Artes em São Paulo.

Hoje, a artista é referência na arte Naif no Espírito Santo. Suas telas são de uma limpeza e clareza que chegam a sugerir ao observador que foram lavadas após o término. Sua fascinação pelas paisagens regionais e pelas cenas que expressam a arte e a tradição popular - o povo, seus usos e costumes. Ela busca, junto às comunidades, elementos para abastecer seu universo iconográfico, através de suas pesquisas.

Serviço:
Exposição A Arte Naif Capixaba
Período de visitação: até 08 de setembro de 2014
Local: Palácio Anchieta, Vitória ES
Visitação: de segunda a sexta-feira, de 9 às 17 horas; sábados e domingos, de 9 às 16 horas
Entrada gratuita

fonte: http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=74189 @edisonmariotti #edisonmariotti