sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Brazilian Soccer Team Gets a Museum in Rio

The CBF (Brazilian Football Confederation) will open to the public on Friday (1st) the Brazilian soccer team museum in Rio. Filled with technology and interactivity, the space, with about 1,000 m², tells the story of Brazil's soccer team.

The public can even follow the national team backstage during a match using virtual reality lenses. The visitor will have the opportunity to watch the athletes' warm-up, enter the team's locker room or during the pep talk and see part of the game at the stadium.

The equipment is one of the main attractions of the museum, located at the new headquarters of the organization, in Rio.

The images were captured in the friendly match against South Africa, in March, in Johannesburg.

Rafael Ribeiro/CBF


Filled with technology and interactivity, the space, with about 1,000 m², tells the story of Brazil's soccer team


Besides having the various technological interactions, like watching rare old games moves from the national team on a large screen or listening to historical goals narrated from that time, fans will be able to see over a hundred trophies won by the Brazilian team.

The museum also reveals curiosities, like the red jersey worn by the national team in the 1917 South American Championship.

Replicas of the five trophies won by the national team in the World Cups are also displayed in a special room. At the end, fans still have an opportunity to take a picture as if it they were part of the team, now led by Dunga. The souvenir will cost an additional R$ 25.

The price of admission is R$ 22, four times more expensive than the Football Museum at Pacaembu (Sao Paulo). Seniors and students pay half.

Media Pro designed the place. They were also responsible for the Barcelona and Real Madrid museums.

The space is located at Avenida Luis Carlos Prestes, 130, Barra da Tijuca, West Zone in Rio. CBF spent more than R$ 100 million in this new headquarter, inaugurated near the opening of the World Cup this year.


fonte: SERGIO RANGEL FROM RIOhttp://www1.folha.uol.com.br/internacional/en/sports/2014/08/1494250-brazilian-soccer-team-gets-a-museum-in-rio.shtml

Agenda Cultural: exposição ‘Memória da Aéropostale ‘ no Museu de Arqueologia e Etnologia da UFSC

O Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal de Santa Catarina (MArquE/UFSC) promove a exposição “Memória da Aéropostale”, em homenagem ao mais célebre piloto da Aéropostale: Antoine de Saint-Exupéry, que desapareceu sobre o Mediterrâneo durante uma missão de guerra, em 31 de julho de 1944. Da mostra constam 10 exemplares de O Pequeno Príncipe, sua obra-prima, em línguas exóticas. O evento é aberto ao público e gratuito, de terça a sexta-feira, das 10h às 17 horas.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://noticias.ufsc.br/2014/08/agenda-cultural-exposicao-memoria-da-aeropostale-no-museu-de-arqueologia-e-etnologia-da-ufsc/

Museu capixaba inclui documentos históricos em exposição

Cartas de alforria e recibos referentes ao aluguel de escravos podem ser conferidos no Museu Solar Monjardim

Cartas de alforria e recibos referentes ao aluguel de escravos são documentos que agora fazem parte da exposição do Museu Solar Monjardim, situado em Vitória (ES). O visitante também pode conferir uma reprodução da Lei Áurea, assinada pela Princesa Isabel, que extinguiu oficialmente a escravidão no Brasil em 1888.

As peças que já pertenciam ao acervo – que tratam sobre como se dava a escravidão na Fazenda Jucutuquara, propriedade que deu origem ao Solar Monjardim – foram incluídas na exposição atual por ser essa uma das questões que mais intrigam os visitantes do museu.

A instituição encontra-se em um processo de ‘oxigenação’ da sua atual exposição de longa duração, buscando incluir objetos e informações que até então não estavam disponíveis ao grande público.

Acervo diverso

O Museu Capixaba foi criado em junho de 1939, no Quartel da Polícia Militar, com acervo multidisciplinar e eclético. Em 1952, foi transferido para a residência dos herdeiros do Barão de Monjardim e, em 1966, recebeu acervo do Museu de Arte Religiosa. Na década de 1980, a instituição foi requalificada e renomeada pela então Fundação Pró-Memória e passou a se chamar Museu Solar Monjardim.

No total, o acervo do Museu Solar Monjardim é composto por 2.718 itens das mais variadas tipologias (mobiliário, armaria, fotografia, numismática, utensílios domésticos, arte sacra, dentre outras).

A mostra permanente pode ser vista de terça-feira a sexta-feira, das 9h30 às 16h30, ou aos sábados, domingos e feriados das 13h às 17h, sempre com entrada gratuita. O agendamento prévio se faz necessário apenas para grupos com mais de 10 visitantes e pode ser feito pelo telefone (27) 3223-6609. O Museu Solar Monjardim fica na Avenida Paulino Müller, s/nº, bairro Jucutuquara, em Vitória.


  Réplica da Lei Áurea pode ser vista no museu capixaba
Réplica da Lei Áurea pode ser vista no museu capixaba


Fonte:
Instituto Brasileiro de Museus 

EUA inauguram museu que celebra popularização da música country

Um museu que comemora os 10 dias de 1927 que ajudaram a apresentar a música das montanhas dos Apalaches ao grande público norte-americano abriu na Virginia nesta sexta-feira.

O museu The Birthplace of Country Music (O Berço da Música Country) conta a história do produtor musical Ralph Peer, que ofereceu 50 dólares a um grupo de músicos “caipirões” dispostos a entrar em um estúdio improvisado em Bristol, no Tennessee, e tocar para seu moderno microfone.

O resultado, que lançou a carreira de astros como Jimmie Rodgers and the Carter Family, foi apelidado pelo historiador da música Nolan Porterfield como "o Big Bang da música country" e saudado por Johnny Cash como o momento mais importante do gênero.

A sessão teve 19 grupos gravando 76 canções pela primeira vez, incluindo "Sleep Baby Sleep", de Rogers, e "Single Girl, Married Girl", dos Carter.

A exibição do museu rastreia as origens do estilo nos campos, trilhos e igrejas das montanhas dos Apalaches.

A maior parte da história é contada com letras de canções, embora entrevistas com alguns dos artistas originais também ajudem a descrever a pobreza e o ambiente natural que moldaram o gênero.

“Nosso objetivo é contar a história direito, e com profundidade, captando a experiência pessoal”, disse Jessica Turner, diretora e principal curadora do museu.

(Por Verna Gates)

fonte: http://musica.terra.com.br/eua-inauguram-museu-que-celebra-popularizacao-da-musica-country,3c47522d43397410VgnCLD200000b2bf46d0RCRD.html

Museu Brasileiro do Transporte busca aprovação do projeto junto ao PROAC

Com orçamento da ordem de R$ 120 milhões, o Museu Brasileiro do Transporte avança, a cada momento, na consolidação do empreendimento. Nesta semana, a Fundação Memória do Transporte (FuMTran), gestora do projeto, teve seu cadastramento efetivado junto à Secretaria do Estado da Cultura (São Paulo). Com isso, o próximo passo será registrar a proposta do projeto nos recursos de incentivos do PROAC ICMS. Quando aprovada, o Museu poderá captar recursos de empresas patrocinadoras com disponibilidade de ICMS, via renúncia fiscal.

Único em sua concepção, o Museu Brasileiro do Transporte reunirá todos os modais: rodoviário, aeroviário, ferroviário e aquaviário, retratando a importância do transporte no cenário nacional. No ano passado, o projeto obteve a aprovação junto ao Ministério da Cultura para captação de recursos nos moldes da Lei Rouanet, lei federal de incentivo à cultura, sob a gestão do MinC. A aprovação é um certificado da qualidade do projeto e um aval aos patrocinadores interessados em alinhar sua marca a um grande e relevante Museu, utilizando parte de seu imposto de renda. Dessa forma, pessoas jurídicas podem destinar até 4% de seu IR devido à cultura; e pessoas físicas, 6%.

\"Já contamos com o apoio de grandes empresas, como Scania Latin America, Patrus Transportes Urgentes, Randon S.A. Implementos e Participações, Jost Brasil Sistemas Automotivos, Multieixo Implementos Rodoviários e PPW Brasil\", explica Elza Lúcia Panzan, presidente da FuMTran e gestora do projeto do Museu Brasileiro do Transporte.

O Museu será erguido em terreno próprio, com quase 19 mil metros quadrados, às margens da rodovia Dom Pedro I – km 143, na cidade de Campinas (SP), próximo a importantes rodovias da malha viária do Estado de São Paulo.

mbt.org.br - no site do Museu Brasileiro do Transporte é possível visualizar mais detalhes do projeto, informações sobre o conceito museológico e arquitetônico e todas as informações sobre as diferentes cotas de patrocínio.


Mais informações para a imprensa:
Di Fatto Central de Comunicação - (11) 5052-3004 –
Ana Paula Ignacio – paula@difattocom.com.br
Flavia Gonçalves – apoio@difattocom.com.br
www.difattocom.com.br


Prêmio de Arte Contemporânea do Distrito Federal

Estão abertas até 2 de setembro as inscrições para o Situações Brasília – Prêmio de Arte Contemporânea do Distrito Federal 2014. Nesta edição, o evento – cuja principal característica é a premiação e aquisição de obras que passarão a fazer parte do acervo do Museu Nacional em Brasília – inaugura uma nova e inédita modalidade: a premiação e publicação de textos teóricos sobre artes visuais.





Artistas plásticos e autores de textos sobre as artes visuais residentes no país podem concorrer a uma série de prêmios aquisitivos e à publicação de textos no catálogo da exposição, que acontecerá no Museu Nacional do Conjunto Cultural da República, de 12 de novembro de 2014 a 11 de janeiro de 2015.

Vinte artistas selecionados receberão R$ 3 mil a título de ajuda de custo para participar da iniciativa. Dentre eles, cinco serão escolhidos e receberão prêmio aquisitivo no valor de R$ 15 mil. Cinco artistas convidados serão premiados com prêmio aquisitivo no valor de R$ 20 mil cada um. Para dois textos escolhidos, prêmio de R$ 5 mil e para o autor convidado R$ 10 mil.



Podem participar artistas e autores brasileiros ou estrangeiros legalmente residentes no Brasil. Todos os trabalhos deverão ser, obrigatoriamente, inéditos, inclusive para a internet. No caso de artistas visuais, cada um pode inscrever cinco obras em qualquer linguagem – exceção para instalação (só será aceita uma proposta por artista) e conjunto de obras. Os artistas podem participar com trabalhos individuais e em grupo.

Para os textos teóricos, cada autor pode inscrever apenas um texto, inédito também na web, sobre qualquer tema ligado às artes visuais. Os escritos devem ter entre 20 e 25 laudas ou entre 10 mil e 12.500 palavras.

Edital e ficha de inscrição devem ser solicitados pelo e-mail premiobrasilia@gmail.com. Mais informações na página do Prêmio no Facebook.

*Com informações do Correio Braziliense @edisonmarioti #edisonmariotti