Listen to the text.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Experimento de ciências em museu acaba mal e fere crianças nos EUA

Uma demonstração sobre a ciência dos tornados que é feita diariamente no museu “Terry Lee Wells Discovery” na cidade de Reno, em Nevada (Estados Unidos), deu errado nesta quarta-feira (3) e acabou ferindo 13 pessoas com pequenas queimaduras e inalação de fumaça.

Oito crianças e um adulto foram levados a um hospital da cidade com pequenas queimaduras e inalação de fumaça, disse Brown em comunicado.

Outras quatro pessoas receberam tratamento no local, mas suas idades não foram divulgadas. Autoridades no centro médico regional Renown achavam que apenas uma criança deveria continuar hospitalizada para observação e provavelmente seria liberada nesta quinta, segundo o porta-voz da prefeitura da cidade, Matthew Brown.

“Os ferimentos foram o resultado de um acidente de uma demonstração de rotina do museu que simula um tornado”, afirmou o comunicado da prefeitura. “Os investigadores do Departamento de bombeiros de Reno estão trabalhando com a equipe do museu para determinar o que causou a chama química”.

Um vídeo amador postado pela TV KRNV no Facebook mostra uma aparente chama caindo da mesa de experimentos perto de onde o grupo de crianças estava sentado no chão.

Brown, disse à agência Associated Press que uma investigação preliminar indica que o que causou o acidente não foi uma explosão, mas sim uma chama química que é “parecido com se uma pessoa jogasse gasolina em fogo”. Ele não pode comentar mais detalhes sobre o ocorrido.

Mais cedo, o policial Tim Broadway disse que diversas crianças sofreram queimaduras de ácido nas mãos, braços e rostos.

Autoridades disseram que uma mistura de álcool metílico com ácido bórico é usada durante a apresentação feita diariamente para criar o efeito de um tornado.

O morador de Reno Joey Sanchez, que estava no museu no momento do acidente, disse à AP que não presenciou o acidente, mas viu fumaça e sentiu cheiro de químicos queimando. Os ferimentos das crianças eram pequenos círculos vermelhos, segundo disse.

O chefe dos bombeiros de Reno disse que as pessoas foram retiradas do museu e que aparentemente o prédio não teve nenhum dano. Uma equipe de materiais perigosos foi ao local para garantir que a explosão não expeliu gases tóxicos pelo museu. 
 
 fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/09/experimento-de-ciencias-em-museu-acaba-mal-e-fere-criancas-nos-eua.html

Bombeiros foram ao museu em Reno para atender vítimas de acidente após experimento de ciências nesta quarta-feira (3) (Foto: AP Photo/Scott Sonner)

Prémio Piranesi Prix de Rome 2014 atribuído ao Museu Nacional Machado de Castro em Coimbra


O Piranesi / Prix de Rome foi atribuído, em Roma, na passada Sexta-feira, dia 29 de Agosto, ao Museu Nacional Machado de Castro (Coimbra), da autoria do Arquiteto Gonçalo Byrne.

Trata-se de um dos mais relevantes prémios internacionais atribuídos a projetos construídos em conjuntos de importância patrimonial, com particular incidência na relação entre “projeto arquitetónico e herança arqueológica”.

Estavam nomeados para o Piranesi / Prix de Rome, 18 Arquitetos de cinco países distintos (Espanha, Itália, Portugal, Suíça e Japão), que, ao longo do dia 28 de Agosto, apresentaram as 21 obras selecionadas, previamente, pelo Júri, compreendendo duas fases distintas.

No dia seguinte, pelas 18 horas, numa Cerimónia que encheu a “Casa da Arquitetura”, em Roma, foi comunicada a decisão final do Júri, que decidiu atribuir duas Menções Honrosas, às obras dos gabinetes espanhóis Paredes Pedrosa, de Madrid, e LAB PAP, de Valladolid.

O Primeiro Prémio foi atribuído em “ex-aequo” (à semelhança de edições anteriores), ao Museu Nacional Machado de Castro, de Gonçalo Byrne, e à Renovação da Praça da Basílica de Aquileia e respetiva nova ala, de Tortelli e Frassoni (Brescia, Itália).

Na atribuição do Primeiro Prémio ao Museu Nacional Machado de Castro, pesou a dimensão da obra enquanto condensador histórico das sucessivas contemporaneidades sedimentadas ao longo de cerca de 2000 anos, onde é possível compreender a própria evolução histórica da cidade de Coimbra, e a capacidade do novo edifício, em toda a sua complexidade, articular um registo contemporâneo, propiciando a leitura de um vasto e importante conteúdo expositivo, de forma a atuar como um novo catalisador cultural naquele que continua a ser o centro da cidade histórica, reminiscência do que terá sido o original Forum de Aeminium (designação Romana da cidade de Coimbra).

 fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.patrimoniocultural.pt/pt/news/comunicados/premio-piranesi-prix-de-rome-2014-atribuido-ao-museu-nacional-machado-de-castro-coimbra/

Dinossauro gigantesco descoberto na Argentina surpreende cientistas

A palavra grande não faz justiça ao dinossauro robusto e de pescoço longo que sacudiu a terra na Argentina cerca de 77 milhões de anos atrás. Colossal, enorme e estupendo podem chegar perto de uma descrição apropriada deste portento, conhecido entre os cientistas como Dreadnoughtus schrani.

Os pesquisadores anunciaram nesta quinta-feira a descoberta do fóssil incrivelmente completo e bem preservado do dinossauro, que pesava 59.300 quilos e media 26 metros, com um pescoço de 11,3 metros e uma cauda de 8,7 metros, no sul da Patagônia.

O paleontólogo Kenneth Lacovara, da Universidade Drexel, no Estado norte-americano de Filadélfia, que localizou o dinossauro e liderou sua escavação e análise, afirmou que os cientistas calcularam seu peso com base nos ossos da parte superior de seu braço e sua coxa.
 
drexel-dinossauro
 
 fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/2014/09/dinossauro-gigantesco-descoberto-na-argentina-surpreende-cientistas.shtml

Educación Artística Multicultural

Aunque se sale un poco de nuestro eje temático cotidiano, hoy queríamos hacer referencia a algo que nos compromete a todos de una forma u otra. Se trata del desarrollo de la sensibilidad hacia la multiculturalidad; el fomento, difusión y apoyo a la diversidad cultural. Vivimos en un mundo que evoluciona en su diversidad cultural, en una sociedad plural. Cada uno de nosotros es miembro de un grupo social, tiene una herencia étnica y unas condiciones físicas, psicológicas y culturales.




“Necesitamos el Arte para aprender a respirar”. Ray Bradbury

 Las acciones de cada grupo influyen directa o indirectamente de manera interactiva. Nuestra realidad en la convivencia entre culturas diferentes, ha dado lugar a la llamada educación multicultural, que pude definirse como aquella en la que sus valores son plurales sabiendo vivir sin prejuicio alguno en la diversidad.



Archivo EVE

Se proponen modelos de educación artística global y multicultural. Nosotros estamos de acuerdo en que ese tipo de educación entra de lleno en lo que tiene que ver con valores humanos, no solo en hechos. La educación multicultural, en términos generales, no es una solución técnica a un problema, debe plantearse sobre necesidades de orden moral. Hemos cogido teorías y afirmaciones de diferentes autores (Chalmers, Dewey, Mason, Eisner, McFee, etc.), para redactar un listado de cinco valores y principios de los modelos globales para la educación del arte y de la vida:

1. La educación artística tiene que dar valor a aquello que distingue las artes. Las artes visuales hacen visibles aspectos el mundo – como cualidades expresivas -, a través de métodos que de otra manera no son posibles.

2. Los programas de educación en el arte deben tener como objetivo fomentar la maduración de la inteligencia artística. Los profesores debe ayudar a sus alumnos a ser intelectualmente capaces de tener sensibilidad hacia el arte en todas sus expresiones, incluyendo la cultura popular.

3. Los programas de educación artística deben ayudar a los estudiantes a no se indiferentes hacia las artes en todas sus manifestaciones y a que comprendan el papel que juegan en la cultura. La educación artística debe ayudar al alumno a crear y experimentar para que comprenda su relación con la cultura de la que forma parte.

4. El educación artística debe ayudar al alumno a reconocer que es personal, distintivo, y hasta único, sobre ellos mismos y sobre su trabajo. Las artes potencian la visión personal.

5. Los programas de educación artística tiene que hacer un esfuerzo especial para capacitar al alumno en la obtención de experiencia sobre las formas estéticas del mundo.



Foto: Mahes Balasubramanian para National Geographic

La educación e interpretación del arte del docente ayuda a alcanzar estas premisas. Consideramos que el arte une a la humanidad sobre los aspectos comunes y cotidianos de la experiencia y visión de la vida. Los educadores que sepan apoyarse y utilizar el arte como expresión multicultural que une – la literatura, plástica, teatro, cine, música…-, como herramienta educativa, podrán conseguir que las premisas enunciadas anteriormente no sean meras utopías, sino que sean realidades que se puedan cumplir. Es lo que pensamos y queremos compartir con vosotros.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti