Listen to the text.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Sede do clube Saldanha da Gama em Vitória vai virar museu

Prefeitura de Vitória e Sesc negociam o espaço, comprado em 2006. Secretaria de Esporte funcionava no prédio, mas apresentou rachaduras.
 
Sede do clube Saldanha da Gama vai virar museu, espírito santo (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Sede do clube Saldanha da Gama vai virar museuo (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
 


O Clube Saldanha da Gama, localizado entre a Avenida Vitória e Avenida Beira Mar, em Vitória, vai abrigar permanentemente o Museu da Colonização do Solo Espírito-Santense. A prefeitura e o Serviço Social do Comércio (Sesc) negociam o espaço. Em 2010, a sede passou por reformas para abrigar a Secretária Municipal de Esportes (Semesp), mas em virtude dos desmontes de rocha na baía de Vitória, a edificação apresentou rachaduras e por medidas de segurança a Semesp foi transferida para o Tancredão.

De acordo com a secretária de Gestão Estratégica e Desenvolvimento da Cidade, Lenise Loureiro, a Prefeitura de Vitória e o Sesc negociam o espaço, comprado em 2006 pelo município. “Queremos avançar ainda mais nessa negociação, já que o local vai abrigar um museu. A previsão é de concluir a avaliação do imóvel até o final deste mês”, disse a secretária.

O Sesc inaugurou, no último dia 27, o Centro Cultural Sesc Glória, após uma obra de restauração do tradicional teatro e cinema do Centro da cidade. Atualmente, o Glória oferece atividades culturais de terça-feira a domingo, das 9 às 21 horas.
saiba mais


História
O Forte São João foi edificado no período colonial para proteger a cidade dos invasores. A fortaleza teve um papel imprescindível para a defesa da Capitania do Espírito Santo, principalmente a partir de 1592, quando o navegador inglês Candish, temido em todo mundo, ameaçava invadir a ilha.

Com sua importância nas batalhas, se tornou testemunho de resistência do povo capixaba que venceu por duas vezes os holandeses. Em 1767 a edificação ganhou peças de artilharia e enormes paredes de pedra que transformaram o Forte em uma figura imponente de defesa territorial.

O Clube de Regatas Saldanha da Gama, fundado em 1902, com desejo de ter uma sede própria, comprou a antiga edificação do Forte São João, em 1931. Apesar da prática de esportes ser a sua principal atividade, o Saldanha, a partir da década de 20, passou a investir em festas, concursos e eventos que animavam a elite capixaba. Ficou conhecido como o melhor clube do Estado.

Sempre contando com a influência de seus associados, passou por muitos reparos e reformas até 1984 quando se tornou um imóvel tombado pelo município. A partir daí, nenhuma obra que descaracterizasse a arquitetura original foi realizada. A muralha do clube é tombada em nível estadual e considera de interesse de preservação.

A sede do Clube possui 2,5 mil metros quadrados e foi comprada pela Prefeitura em 2006. Mas o Clube continua funcionando em espaço próprio, com 12 mil metros quadrados, ao lado da antiga sede, na área que vai do ginásio até a garagem de remo.

Em 2010, a sede passou por reformas para abrigar a Secretária Municipal de Esportes (Semesp). Em virtude dos desmontes de rocha na baía de Vitória, a edificação apresentou rachaduras. Por medidas de segurança a Semesp foi transferida para o Tancredão.
Sede da Secretaria de Estado do Esporte, em Vitória (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2014/10/sede-do-clube-saldanha-da-gama-em-vitoria-vai-virar-museu.html

Museu do Círio abriga relíquias da fé em Nossa Senhora de Nazaré

Umas das programações culturais imperdíveis para turistas e paraenses voltadas para umas das maiores manifestações religiosas do planeta é a visita ao Museu do Círio. O espaço, localizado no centro histórico da cidade de Belém, conta um pouco de curiosidades e de histórias de devoção à Nossa Senhora de Nazaré. O acervo do museu é composto por 1500 peças, minuciosamente catalogadas e disponibilizadas à visitação do público. “Primeiramente a gente faz uma coleta entre os romeiros do Círio. A partir daí, a gente faz uma seleção, um histórico de cada peça e entrevista o doador e essa peça fica fazendo parte do acervo do Museu do Círio”, explica Augusto César Lago, diretor do museu.


No local é possível contemplar peças organizadas em 10 coleções, que vão desde a arte sacra do século XIX, ex-votos, artes em miriti e outros





O Museu do Círio foi criado no dia 9 de outubro de 1986 em um terreno localizado ao lado da Basílica de Nazaré, mas desde dezembro de 2002 foi transferido para o Complexo Feliz Luzitânia, no bairro da Cidade Velha, para integrar o Sistema Integrado de Museus. O rico acervo documental retrata a história da devoção popular em torno da celebração do Círio, evento que foi intitulado Patrimônio Imaterial Cultural Brasileiro em 2004. No local é possível contemplar peças organizadas em 10 coleções, que vão desde a arte sacra do século XIX, ex-votos (objetos que representam pedidos e agradecimentos de fiéis), arte popular em miriti, representações do lado profano da festa e muito mais.

Entre os destaques encontrados no museu, um cavalo de brinquedo que ficava no arraial em frente à Basílica. A peça de 1930 pertenceu a um antigo carrossel movido à caldeira. Ainda é possível ver de perto um manto e um grande pedaço da corda do Círio de número 200, doados pela diretoria da festa. Outros destaques, são os ex-votos representados por miniaturas de casas e barcos de miriti, partes do corpo humano feitos em cera e, ainda, objetos incomuns, como uma grande réplica de uma carteira de trabalho, um vestido de noiva a até uma geladeira. “Segundo consta o histórico da peça, ela foi carregada da Igreja da Sé à Basílica de Nazaré, na cabeça, por um promesseiro também. Uma forma de pagar a promessa, pelo fato dele ter conseguido adquirir essa geladeira”, conta Augusto César Lago.

Para a turista paraibana Mércia Cardoso, o interesse de visitar o local surgiu da vontade de entender melhor todo o contexto da festa. “Chamou muito minha atenção o museu, de tanto que a gente ouve falar da festa de Nazaré, daquela multidão. Aí deu vontade de saber mais um pouco. Não só a parte religiosa da procissão. Me interessei em saber sobre todos os eventos que acontecem antes e até após. Outra coisa que gostei muito de ver foi esse colorido característico dessa época do ano no Pará, com essa festividade toda”, relata.

Serviço:
O Museu do Círio funciona na Rua Padre Champagnat, no bairro da Cidade Velha, próximo ao Ver-o-Peso, em Belém. O espaço funciona de terça a domingo, de 10h às 18h, ao longo de todo ano. Ingressos: R$ 2, sendo que às terças-feiras a entrada é gratuita. Informações 4009.8819 ou 4009.8842

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti Ana Paula Bezerra Secretaria de Estado de Comunicação

10 Bases para los Museos de Nueva Generación · en JORNADAS PROFESIONALES, MUSEOGRAFÍA, MUSEOLOGÍA, OPINIÓN. ·


“El futuro pertenece a quienes
creen en la belleza de sus sueños”.
Eleanor Roosevelt

 
Imagen: Irina Werning

Hay quien denomina a los museos “Templos de las Musas”, no sabemos la razón. Lo que sí sabemos es desplegar un decálogo de los principios o bases – siempre desde nuestro particular punto de vista -, sobre aquello que deberán tener muy en cuenta los “Templos de las Musas del futuro”, o también llamados “museos de nueva generación”. Y todo ello sobre el mismo enunciado que ya resulta un poco repetitivo pero debemos insistir: renovarse o cerrar.

 
Archivo EVE

Hay van los 10 puntos básicos que creemos deberán tener muy en cuenta los museos del futuro:

1. Musealizar es construir comunicación.

2. La exposición (permanente) debe estructurarse en torno a las ideas y sólo alrededor de los objetos de la colección. Huir de la dispersión de datos.

3. La exposición (permanente) debe otorgar prioridad a la musealización con método (moderno y actualizado) y no sobre “jugar con conceptos”.

4. Las exposiciones deben estar orientadas hacia el uso de los recursos de la mente humana, combinando racionalidad y emotividad.

5. La exposición debe tener muy presente, desde la creación del primer mensaje museológico hasta el último, que los museos deben dirigirse a todos los públicos.

6. Las exposiciones deben fomentar la participación y la interactividad frente al mensaje pasivo, inerte, deslucido, apático, etcétera.

7. El proyecto museográfico debe estar siempre basado en el aprendizaje lúdico, ya que sobre el aburrimiento es imposible crear algo que merezca la pena.

8. No se requieren títulos académicos para la comprensión y el goce absoluto de la exposición.

9. Cuando hablamos de museografía didáctica no hablamos de un proyecto para niños, es universal, para toda capacidad de entendimiento y comprensión de la realidad, sin límite de edad o condición.

10. Los recorridos de las exposiciones serán abiertos, no requerirán un orden concreto delimitado por el museo.

 
WebDesignServices

No es tanto prever lo que va a ser, sino enunciar lo que debe ser. Nuestra realidad, el mundo que nos rodea, evoluciona, la mente humana evoluciona. Las nuevas generaciones miran hacia el progreso observando el desarrollo del bit, y eso debe influir en la manera en la que los museos deben atender esa realidad, sea buena o mala, nos guste o no, esté por llegar o haya llegado. Ya que hay que evolucionar sí o sí, al menos hacerlo con método y así resultará todo mucho más sencillo.

 
Poster: “Things to come” de Laurent Dieureux

AGENDA DEL MES DE OCTUBRE 2014 – JORNADAS PROFESIONALES:

¿La cuadratura del círculo? Investigación, museos, públicos: Un compromiso común para una comunicación eficaz
ICOM CECA & UMAC Annual Conference 2014
La inscripción se cierra el 25 de septiembre
Alejandría

http://www.alexandria-2014.org/?lang=es

NATHIST Conferencia 2014 Comité Int. para los museos y colecciones de ciencias naturales
Conference 11 to 16 October in Zagreb and Krapina, Croatia, is approaching quickly
Zagorje (Croacia)

http://icomnathist.wordpress.com/2014/07/22/dont-forget-icom-nathsit-registrations-and-abstracts/

VIII Encontro Ibero-Americano de Museus Caminhos de futuro para os museus: tendências e desafios na diversidade
Encontros e Congressos 13, 14 e 15 de outubro
Museu Nacional de Etnologia, em Lisboa

http://www.patrimoniocultural.pt/pt/agenda/meetings-and-conferences/viii-encontro-ibero-americano-de-museus-caminhos-de-futuro-para-os-museus-tendencias-e-desafios-na-diversidade/

ICME Conferencia anual Comité Int. para Museos y Colecciones de Etnografía
14-10-2014 al 16-10-2014
Mimara Museum. Zagreb (Croacia)

http://www.icme-conference2014.com

Rethinking Museums & Sustainable Development for the Global Profession
ICOM-ICTOP in Hanoi and Ha Long Bay, Vietnam, Oct. 21-25, 2014.

http://ictop2014.inclusivemuseum.org

X CONGRESO Qué y cómo exponer en museos y espacios patrimoniales
23-10-2014 al 24-10-2014
Donostia-San Sebastián (Gipuzkoa)

http://www.irun.org/oiasso/home.aspx?tabId=1020

III Encuentro Transfronterizo de profesionales de Museos. Museo y Accesibilidad
24-10-2014 al 25-10-2014
Museo de Huelva. Huelva.

http://etpmuseos.com

XII Jornadas Museológicas Chilenas “Colecciones – museos – ciudad”
28-10-2014 al 30-10-2014
Valparaíso (Chile)


fonte:

Gestão é tema de encontros regionais do Programa Pontos de Memória

Teve início ontem (06-10-2014), em Brasília (DF), a série de encontros regionais do Programa Pontos de Memória. O intuito é ampliar o debate sobre a gestão compartilhada e participativa do programa. As reuniões regionais são prévias ao encontro nacional, a Teia da Memória, que terá lugar nos dias 24 e 25 de novembro em Belém (PA), integrando a programação do 6º Fórum Nacional de Museus.

Na sede do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o primeiro encontro reuniu representantes do Distrito Federal (DF), Goiás (GO) e Mato Grosso (MT), integrantes da Comissão Provisória de Gestão Participativa/Compartilhada do Programa Pontos de Memória, da comissão de organização da Teia da Memória, de representantes do Ibram e Ministério da Cultura (MinC).


DF recebeu o primeiro encontro regional dos Pontos de Memória

Na pauta dos encontros destacam-se as discussões sobre as etapas para a institucionalização do conselho de gestão do programa.

A recente aprovação da Lei Cultura Viva, e os decretos da Política Nacional de Participação Social e do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil fez com que tais temas também fossem incluídos na grade de atividades, com o intuito de colocar os Pontos de Memória alinhados com as novas formas de participação social.

Calendário
Nos dias 9 e 10 de outubro, no Museu da Imagem e do Som do Ceará (CE), em Fortaleza, o encontro regional vai reunir Pontos de Memória e iniciativas de museologia social do estado, assim como do Rio Grande do Norte (RN). No dia 11 é a vez de São Paulo (SP) se reunir no Casarão do Pau Preto em Indaiatuba.

Ainda em outubro estão programados, com datas a confirmar, os encontros do Maranhão (MA) e Pará (PA); Pernambuco (PE); Minas Gerais (MG) e Espírito Santo (ES); Bahia (BA), Sergipe (SE) e Alagoas (AL); e Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC) e Paraná (PR).

Em novembro, no dia 7, acontece o encontro do Rio de Janeiro (RJ). Para encerrar, entre os dias 10 e 15, toda a comissão provisória ser reúne em Brasília para fazer o balanço dos encontros regionais e proceder os encaminhamentos para a Teia da Memória. Outras questões sobre as atividades podem ser encaminhadas para o endereço eletrônico pontosdememoria@museus.gov.br.

Edital 2014
O Prêmio Pontos de Memória 2014, que recebe inscrições até 20 de novembro, irá selecionar e premiar 47 ações desenvolvidas por iniciativas de memória e museologia social, visando reconhecer, incentivar e fomentar a continuidade e sustentabilidade na perspectiva do programa. 44 devem ser ações desenvolvidas por grupos, povos e comunidades em âmbito nacional, e três ações desenvolvidas por brasileiros residentes no exterior, que se caracterizem por ações de registro e representação da sua memória. Saiba mais.

Texto e foto: Ascom/Ibram @edisonmariotti #edisonmariotti

‘Sax Inspiration’

Sax Inspiration “Sax Inspiration - Melodias gráficas de caricaturistas e ilustradores da Valónia-Bruxelas” é uma exposição comemorativa do bicentenário do nascimento de Adolphe Sax, construtor de instrumentos belga, conhecido por ter inventado o saxofone.

Resultando de uma parceria entre o Museu da Música, a Embaixada da Bélgica e a agência Wallonie-Bruxelles International, a exposição integra ilustrações e caricaturas da autoria de vários autores belgas.

Antonio Cossu, Serge Dehaes, Philippe Geluck, Claude Laverdure, Hémeno, Fred Jannin, Bruno Di Sano, Dubus, Franx, Barly Baruti, Batem, Benoi Lacroix ou Cécile Bertrand são alguns dos autores que aceitaram o repto de representar Adolphe Sax ou o saxofone, revisitando com humor e poesia este construtor de instrumentos musicais belga e as suas revolucionárias invenções.

Adolphe Sax nasceu em Dinant (Valónia, Bélgica) a 6 de Novembro de 1814. Quando ainda era criança, o seu pai ensinou-o a construir instrumentos de sopro. Desde muito cedo, mostrou ter uma mente muito criativa e uma habilidade musical excepcional. Ao longo da sua vida, Adolphe Sax mostrou energia, dinamismo, determinação, imaginação e génio numa carreira que o transformaria num construtor de instrumentos, especialista em acústica, solista, compositor, maestro, professor e editor.

Sax assimilou perfeitamente o espírito do século XIX, de conquista e confiança no futuro. Além dos seus contributos para o desenvolvimento de vários instrumentos (incluindo o clarinete, fagote, timbales e flautas de pã), inventou várias famílias de instrumentos: saxhorns, saxotrombas, saxtubas e, claro, saxofones. As reformas que introduziu nas bandas militares levaram-no a ser considerado o pai das atuais bandas filarmónicas e militares. Sax supervisionou também o primeiro curso de saxofone no Conservatório de Paris.

A invenção do saxofone gerou alguma controvérsia, mas também contribuiu para que Sax, que se mudara para Paris, se tornasse famoso. O instrumento, com o seu timbre particular, convenceu muitos compositores e, mais tarde, tornou-se no favorito de muitos músicos de jazz. Adolphe Sax revolucionou, sem qualquer dúvida, a música, mas morreu pobre a 7 de Fevereiro de 1894 em Paris, onde foi sepultado no cemitério de Montmartre. O seu filho, Adolphe-Edouard administrou os negócios da família até 1929, quando as oficinas de Adolphe Sax, situadas na Rue Myrha em Paris, passaram para as mãos da firma H. Selmer & Cie. Hoje em dia, com uma experiência de 125 anos, a Casa Selmer em Paris, sócia especial da Associação Adolphe Sax, mantém o controlo exclusivo da propriedade da família do fundador. A sua sede situa-se no centro de Paris e a sua fábrica em Mantes-la-Ville.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.museudamusica.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=807&Itemid=98

Museu do Cimol será inaugurado hoje à tarde

A inauguração do Museu do Cimol será aberta ao público, a partir das 15h.

A solenidade ocorrerá junto ao Museu, na Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato, em Taquara. O Museu de História da Tecnologia Harald Aberto Bauer recebeu investimento de cerca de R$ 300 mil, em recursos obtidos pela Associação dos Amigos do Museu. As peças do acervo foram obtidas ao longo de 30 anos pelo professor Harald Bauer, que foi o primeiro diretor do Cimol. A inauguração do Museu do Cimol será aberta ao público, a partir das 15h.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.jornalpanorama.com.br/site/ler.php?idnoticia=10286&url=museu_do_cimol_ser_inaugurado_hoje__tarde

Fracassa plano de transferir Museu do Espião, em Washington

Autoridades abandonaram o projeto de reformar a Biblioteca Carnegie para transformá-la na nova sede do museu



Funcionário do Museu Internacional do Espião durante um desfile para celebrar a queda do muro de Berlim

Washington - Os planos para transferir o Museu Internacional do Espião, uma das maiores atrações turísticas de Washington, para uma biblioteca fracassaram, disseram os responsáveis pelo local.


A Events DC, autoridade responsável pelas centros de convenções do distrito de Columbia, onde a capital norte-americana está localizada, e o museu informaram em comunicados que abandonaram o projeto de reformar a Biblioteca Carnegie, conhecida por seu estilo Belas Artes, para transformá-la na nova sede do museu.

A decisão ocorreu depois que o Comitê de Análise de Preservação Histórica da cidade rejeitou os planos de modificação para o edifício, construído em 1903.

Em setembro de 2013, a empresa proprietária do museu, a Malrite, de Cleveland, declarou que iria modernizar a Biblioteca Carnegie para obter mais espaço na parte do centro de Washington onde ela se encontra, que está crescendo rapidamente. O aluguel do imóvel vence em 2017.

O museu afirma ter as maiores coleções de artefatos de espionagem em exibição na atualidade, incluindo uma pistola em forma de batom e uma máquina de código Enigma da Segunda Guerra Mundial, e recebe entre 600 mil e 650 mil visitantes por ano.

Jason Werden, porta-voz do museu, disse estar procurando um novo espaço e estudando planos para tornar o museu uma entidade sem fins lucrativos.

fonte:  @edisonmariotti #edisonmariotti http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/fracassa-plano-para-transferir-museu-do-espiao-em-washington?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+ExameMundo+%28EXAME+Mundo%29