Listen to the text.

domingo, 31 de maio de 2015

Em reforma, museu arqueológico de Rio das Ostras, em Rio das Ostras, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, Brasil, está fechado há 4 anos

Instituição: 
O objetivo do museu é apresentar a cultura do homem sambaquiano que habitou a região de Rio das Ostras há cerca de 5500 anos enfocando sua distribuição espacial, suas características biológicas e o método de trabalho adotado pelos arqueólogos na pesquisa de campo.

bentocosta



É um dos poucos museus de arqueologia “in situ” do Brasil, ou seja, o material que está exposto permanece da forma como foi encontrado. O Sítio Arqueológico foi mapeado em 1967 por pesquisadores do Instituto de Arqueologia Brasileira que realizavam o Programa Litoral Fluminense, no âmbito do projeto maior denominado Programa Nacional de Pesquisas Arqueológicas (PRONAPA) patrocinado pelo Smithsonian Institution e realizado com autorização e apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

bentocosta

Posteriormente, foram realizadas escavações no local e encontradas vinte e uma ossadas da quais quatro estão expostas. Estas ossadas eram de indivíduos de grupos sambaquieiros que ocuparam a região do litoral fluminense há mais de 7.000 anos atrás.

O Sambaqui como Unidade Social

A unidade social representada pelos sambaquis pode ser identificada através da caracterização de um “sítio”, espaço diferenciado que, pelo seu volume, destaca-se na paisagem.


No sambaqui, ocorre a associação espacial de três importantes domínios da vida cotidiana: o espaço da moradia, o local dos mortos e o de acumulação de restos faunísticos relacionados com a dieta de seus construtores.

O sambaqui era um lugar particular, resultado da concentração de material orgânico que certamente tinha implicações no desenrolar do dia-a-dia. Estes “sítios” constituem um lugar peculiar, construído principalmente com conchas de moluscos e apresentando condições especiais no que se refere a textura, relevo e odores.

O Museu Sambaqui da Tarioba apresenta instigante material com vestígios da mais remota ocupação populacional que se tem notícia na região. Trata-se de acervo importante para pesquisas sobre a relação do homem com o território fluminense.

O museu divide o espaço com a Casa de Cultura Bento da Costa Júnior também sediada no local.


Local guarda vestígios históricos, mas não pode ser visitado.
Direção do museu deu prazo de 15 dias para a reabertura.


O Museu Arqueológico Sambaqui da Tarioba em Rio das Ostras, Região dos Lagos do Rio, está fechado há quatro anos, desde que iniciou reformas. O local guarda vestígios históricos da região e podia ser visitado por turistas, historiadores e estudantes em excursões. Os grupos pedem a reabertura do patrimônio histórico e artístico na Região dos Lagos do Rio.

A reforma está orçada em pouco mais de R$ 72.500. De acordo com informações da placa referente a essa intervenção, ela deveria durar apenas 120 dias. Nenhum dos arqueólogos que trabalham no sítio quis ser entrevistado e também não souberam explicar o porquê da demora, mas, segundo um deles, a ideia era inaugurar já na próxima semana, mas problemas com um dos fornecedores atrasou mais uma vez essa entrega.

Em nota, a Fundação Rio das Ostras de Cultura informou que as obras do museu arqueológico foram, na prática, concluídas e que o espaço vai ser reinaugurado até o dia 15 de junho. A fundação explicou ainda que teve que estender o prazo de reabertura por conta do processo de revitalização técnica. Segundo eles, resta agora concluir a parte burocrática, a pintura e a organização de peças e materiais.

Sobre o museu
O museu fica, desde 1997, na Casa da Cultura da cidade, ao lado da Concha Acústica da Praça São Pedro. Ele é o único museu arqueológico do país em que as escavações estão abertas pra visitação. Os fragmentos, ossadas e outros fósseis que estão no local contam a história dos homens que habitaram a região há 5 mil anos. A expressão sambaqui se refere ao monte de conchas encontradas no local e tarioba é o tipo de concha que mais foi encontrado. Os primeiros vestígios de sambaqui nesse local foram encontrados em 1967, mas as escavações só aconteceram 30 anos depois com a criação do museu.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://g1.globo.com/rj/regiao-dos-lagos/noticia/2015/05/em-reforma-museu-arqueologico-de-rio-das-ostras-esta-fechado-ha-4-anos.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário