Google+ Followers

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Grupo encena peça de Shakespeare no parque do Museu em Juiz de Fora, Minas Gerias, Brasil

'O museu traz o clima mineiro para a peça', diz diretor Marcos Bavuso.

'Sonho de uma noite de verão' em cartaz no parque
do Mariano Procópio (Foto: Carlos Júnior/Divulgação)

A Companhia Academia encena no local pela segunda vez a adaptação de “Sonho de uma noite de verão”, peça de William Shakespeare. 

O objetivo do grupo é proporcionar uma experiência diferente de teatro e no Museu. “Nossa ideia foi dar uma linguagem brasileira e mineira à peça clássica de Shakespeare. A gente escolheu o Museu porque ele traz a ambientação, o clima mineiro de um dos cartões postais da nossa cidade. É de grande beleza, mas ainda é desconhecido por muitas pessoas. Então, o espetáculo oferece esta oportunidade ao espectador de perceber o parque por outra perspectiva”, disse o diretor Marcos Bavuso.

A gente escolheu o Museu porque ele traz a ambientação, o clima mineiro de um dos cartões postais da nossa cidade. Então o espetáculo oferece esta oportunidade ao espectador de perceber o parque por outra perspectiva"
Marcos Bavuso, diretor

O retorno da apresentação é comemorado pelo superintendente do Museu Mariano Procópio, Douglas Fasolato. “O parque é o cenário perfeito para encenar novamente a famosa peça de Shakeaspeare, cuja trama com nobres personagens se desenrola em um bosque habitado por duendes, fadas e outros seres mitológicos”, disse ao G1.

Imortal e contemporâneo
"Sonhos de uma noite de verão" foi escrita em 1.590 e conta as confusas histórias de amor de quatro jovens. Na história, Hermínia e Lisandro são apaixonados, mas o pai da moça quer que ela se case com Demétrio, que é o amor de Helena.

Quando os deuses Oberon e Titânia se desentendem, Oberon pede ajuda ao ser mágico Puck para se vingar da esposa. E, em um ato de bondade, tenta ajudar e acabar com os desencontros dos mortais, só que Puck faz tudo errado. Enquanto isso, um grupo de atores ensaia uma tragédia que, de tão ruim, parece uma comédia para ser apresentada em um casamento nobre.

Grupo apresentou a peça em Presidente Bernardes
no início de junho (Foto: Estela Loth/Divulgação)

O grupo encena a peça desde outubro do ano passado, com a expectativa de ocupar espaços urbanos de outras cidades. No dia 6 de junho, apresentação foi nas ruas de Presidente Bernardes, na Zona da Mata.

“Clássicos são para serem reapropriados. Nosso diretor artístico Ronan Lobo propôs o formato de cortejo, o que nos levou a imaginar várias opções de cenários externos, porque a gente sempre produziu grandes peças no nosso palco. E ainda nesta linguagem, oferece espaço para a participação do público”, disse Marcos Bevuso.

O diretor ressaltou as características que tornam o texto de Shakespeare tão atual e um desafio para os atores. “Shakespeare é imortal. Era erudito e popular ao mesmo tempo, apresentava para a corte e, ao mesmo tempo, o povo estava lá assistindo. Criou peças bem escritas que ultrapassam o tempo, oferecem possibilidades criativas de remontagens e trazem as discussões para a contemporaneidade”, destacou.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti  http://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/2015/06/grupo-encena-peca-de-shakespeare-no-parque-do-museu-em-juiz-de-fora.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário