domingo, 1 de fevereiro de 2015

Gastronomia brasileira - Bolinho de feijão fradinho preparado de maneira artesanal, na qual o feijão é moído em um pilão de pedra ( pedra de acarajé ), temperado e posteriormente frito no azeite de dendê fervente.

A culinária brasileira é rica, saborosa e diversificada. O Ofício das Bainas de Acarajé é uma prática tradicional de produção e venda, em tabuleiro, das chamadas comidas de baiana, feitas com azeite de dendê e ligadas ao culto dos orixás, amplamente disseminadas na cidade de Salvador, Bahia. ( nordeste do Brasil )

Dentre as comidas de baiana destaca-se o acarajé, bolinho de feijão fradinho preparado de maneira artesanal, na qual o feijão é moído em um pilão de pedra (pedra de acarajé), temperado e posteriormente frito no azeite de dendê fervente. Sua receita tem origens no Golfo do Benim, na África Ocidental, tendo sido trazida para o Brasil com a vinda de escravos dessa região.





A atividade de produção e comércio é predominantemente feminina, e encontra-se nos espaços públicos de Salvador, principalmente praças, ruas, feiras da cidade e orla marítima, como também nas festas de largo e outras celebrações que marcam a cultura da cidade. A indumentária das baianas, característica dos ritos do candomblé, constitui também um forte elemento de identificação desse ofício, sendo composta por turbantes, panos e colares de conta que simbolizam a intenção religiosa das baianas. Leia mais

No Banco de Dados dos Bens Culturais Registrados estão disponíveis os documentos contendo todas as informações sobre Ofício das Baianas de Acarajé ( legislação, dossiê, fotografias, vídeos, músicas, pareceres técnicos e jurídicos dos processos desse bem cultural imaterial ).



Brasil
 

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://portal.iphan.gov.br/montarDetalheConteudo.do?id=17750&sigla=Institucional&retorno=detalheInstitucional

Mais Informações Baianas de Acarajé Certidão Parecer Dossiê Baianas de Acarajé

Memorial da Baiana de Acarajé
Rua Belvedere, S/N, Praça da Sé, Centro Histórico
CEP 40020-210 - Salvador/BA
Tel.: (71) 3488.0622

Associação das Baianas de Acarajé, Mingau, Receptivos e Similares do Estado da Bahia (Abam)
Rua J. Castro Rabelo, Nº 8, 1º Andar, Pelourinho
CEP 40285-160 - Salvador/BA
Tel.: (71) 3322.9674 E-mail: abam.org@gmail.com, abam.rj@gmail.com Facebook: www.facebook.com/pages/Abam http://www.baianas.org

VanGoYourself issues a Valentine's Day challenge for lovers with a love of fine art


Lovers wanted for a Valentine's date with VanGoYourself

Lovers of all genders and ages are being invited to pucker up and create an unusual memento of their love for Valentine’s Day 2015.

Popular fine art selfie website VanGoYourself is seeking couples for an online romantic recreation of either an amorous embrace or chaste encounter inspired by works of art.

VanGoYourself, which is the brainchild of Culture24 in the UK and Plurio.net in Luxembourg, allows people to recreate classic artworks from museums and galleries around the world by selecting a famous work of art and then striking a pose.

Since its launch, in 2014, hundreds of people have VanGo'd themselves with the help of artworks from some of the best collections across Europe.

The recreations are then twinned with the original work. The best are added to the VanGo’d gallery and all the efforts - whether good, bad or downright hilarious - are uploaded to VanGoYourself Tumblr.

For Valentine’s Day, lovers are being encouraged to explore their romantic side with the help of several sensual classics such as Brighton Museum’s Idyll by Lawrence Koe (1888-1904) or the Rijksmuseum’s rather more restrained Double Portrait of a Young Couple as Granida and Daifilo by Johannes Mytens (1614-1670).

Alternatively, longstanding couples may want to commemorate their love with a recreation of the Museo Nazionale Etrusco di Villa Giulia's Sarcophogus of the Spouses, a late 6th century BC Etruscan anthropoid sarcophagus depicting a married couple reclining at a banquet together in the afterlife.

Things get wilder with the New York Metropolitan Museum of Art's Oedipus and the Sphinx, by Gustave Moreau, or there's the gently Sapphic overtones of the Villa Vauban's Two Women from Naples by Guillaume Bodinier.

As well as appearing in the top slot of the VanGoYourself website for all the world to see, the best couples will win a pair of mugs with their recreation emblazoned across them. Just the thing for a romantic cup of tea...Or cocoa. The very best will also be receiving a bottle of champagne.

Use the widget above to get creating your online paean to art and love, or visit the VanGoYourself website at vangoyourself.com.

a composite photo of couples embracing next to a similar painting
Couples VanGo themselves with Lawrence Koe's Idyll
What do you think? Leave a comment below.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti  http://www.culture24.org.uk/art/painting-and-drawing/art514829-vangoyourself-issues-a-valentines-day-challenge-for-lovers-with-a-love-of-fine-art

Original “Alice in Wonderland” manuscript to travel to US museums

Lewis Carroll’s original handwritten, illustrated manuscript for “Alice in Wonderland” will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.

The British Library said Thursday it will loan the book — presented by the author to Alice Liddell, who inspired it — to New York’s Morgan Library and Museum and the Rosenbach Museum of the Free Library of Philadelphia next year.

The work, which bears its original title of “Alice’s Adventures Under Ground,” was bought by an American dealer in 1928 and returned to Britain in 1948.

The British Library also will display the book in late 2015 as part of an exhibition marking 150 years since its 1865 publication.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti : http://indianexpress.com/article/lifestyle/books/original-alice-in-wonderland-manuscript-to-travel-to-us-museums/#sthash.bb05Nm7V.dpuf
US Green Card in 1.5 year
Green Card via investment in the   United States. Read the details. www.michelbeaubien.com
Ads by Google
alice-main Lewis Carroll's original handwritten, illustrated manuscript for "Alice in Wonderland" will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
By: Associated Press | London | Posted: November 28, 2014 12:31 pm | Updated: November 28, 2014 12:33 pm
Lewis Carroll’s original handwritten, illustrated manuscript for “Alice in Wonderland” will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
The British Library said Thursday it will loan the book — presented by the author to Alice Liddell, who inspired it — to New York’s Morgan Library and Museum and the Rosenbach Museum of the Free Library of Philadelphia next year.
The work, which bears its original title of “Alice’s Adventures Under Ground,” was bought by an American dealer in 1928 and returned to Britain in 1948.
The British Library also will display the book in late 2015 as part of an exhibition marking 150 years since its 1865 publication.
The library also plans a major exhibition next year marking the 800th anniversary of the Magna Carta.
- See more at: http://indianexpress.com/article/lifestyle/books/original-alice-in-wonderland-manuscript-to-travel-to-us-museums/#sthash.bb05Nm7V.dpuf
US Green Card in 1.5 year
Green Card via investment in the   United States. Read the details. www.michelbeaubien.com
Ads by Google
alice-main Lewis Carroll's original handwritten, illustrated manuscript for "Alice in Wonderland" will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
By: Associated Press | London | Posted: November 28, 2014 12:31 pm | Updated: November 28, 2014 12:33 pm
Lewis Carroll’s original handwritten, illustrated manuscript for “Alice in Wonderland” will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
The British Library said Thursday it will loan the book — presented by the author to Alice Liddell, who inspired it — to New York’s Morgan Library and Museum and the Rosenbach Museum of the Free Library of Philadelphia next year.
The work, which bears its original title of “Alice’s Adventures Under Ground,” was bought by an American dealer in 1928 and returned to Britain in 1948.
The British Library also will display the book in late 2015 as part of an exhibition marking 150 years since its 1865 publication.
The library also plans a major exhibition next year marking the 800th anniversary of the Magna Carta.
- See more at: http://indianexpress.com/article/lifestyle/books/original-alice-in-wonderland-manuscript-to-travel-to-us-museums/#sthash.bb05Nm7V.dpuf
US Green Card in 1.5 year
Green Card via investment in the   United States. Read the details. www.michelbeaubien.com
Ads by Google
alice-main Lewis Carroll's original handwritten, illustrated manuscript for "Alice in Wonderland" will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
By: Associated Press | London | Posted: November 28, 2014 12:31 pm | Updated: November 28, 2014 12:33 pm
Lewis Carroll’s original handwritten, illustrated manuscript for “Alice in Wonderland” will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
The British Library said Thursday it will loan the book — presented by the author to Alice Liddell, who inspired it — to New York’s Morgan Library and Museum and the Rosenbach Museum of the Free Library of Philadelphia next year.
The work, which bears its original title of “Alice’s Adventures Under Ground,” was bought by an American dealer in 1928 and returned to Britain in 1948.
The British Library also will display the book in late 2015 as part of an exhibition marking 150 years since its 1865 publication.
The library also plans a major exhibition next year marking the 800th anniversary of the Magna Carta.
- See more at: http://indianexpress.com/article/lifestyle/books/original-alice-in-wonderland-manuscript-to-travel-to-us-museums/#sthash.bb05Nm7V.dpuf
US Green Card in 1.5 year
Green Card via investment in the   United States. Read the details. www.michelbeaubien.com
Ads by Google
alice-main Lewis Carroll's original handwritten, illustrated manuscript for "Alice in Wonderland" will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
By: Associated Press | London | Posted: November 28, 2014 12:31 pm | Updated: November 28, 2014 12:33 pm
Lewis Carroll’s original handwritten, illustrated manuscript for “Alice in Wonderland” will travel to the U.S. to mark its 150th anniversary.
The British Library said Thursday it will loan the book — presented by the author to Alice Liddell, who inspired it — to New York’s Morgan Library and Museum and the Rosenbach Museum of the Free Library of Philadelphia next year.
The work, which bears its original title of “Alice’s Adventures Under Ground,” was bought by an American dealer in 1928 and returned to Britain in 1948.
The British Library also will display the book in late 2015 as part of an exhibition marking 150 years since its 1865 publication.
The library also plans a major exhibition next year marking the 800th anniversary of the Magna Carta.
- See more at: http://indianexpress.com/article/lifestyle/books/original-alice-in-wonderland-manuscript-to-travel-to-us-museums/#sthash.bb05Nm7V.dpuf

2015, année du renouveau au musée de l’Air du Bourget

Le Bourget, jeudi. Encore recouvertes d’échafaudages, les façades du musée, chef d’œuvre de l’art déco, retrouveront dés la fin du mois de mai, leur lustre des années 1930.



   
 

Oubliés les échafaudages qui cachent la magnifique façade du musée de l'Air et de l'Espace du Bourget (Seine-Saint-Denis). « En 2015, le musée fait peau neuve », se félicite Catherine Maunoury, la directrice. En mai, au terme de plusieurs mois de travaux, l'ancienne aérogare du Bourget, chef-d'œuvre de l'art déco, aura retrouvé son lustre des années 1930.



Bientôt une façade flambant neuve

Les travaux de rénovation de l'aérogare, entamés en 2011, prennent tournure. Après la salle des Huit colonnes, restaurée en 2013, ce sont les façades est, longues de 300 m, qui vont être restaurées. Sauf imprévu, les travaux devraient être terminés en mai 2015. Pour le salon international de l'aviation, en juin, l'entrée se fera donc, comme à la belle époque, par la salle des Huit colonnes, d'où partaient et arrivaient les passagers.

Un hangar dédié aux réserves

« Un musée n'est rien s'il n'a pas de réserves, rappelle Gilles Aubagnac, un des conservateurs du musée. Nous en avons besoin pour conserver nos collections et les faire tourner ». Le musée, qui dispose déjà de milliers de mètres carrés au Bourget et à Dugny, construira cette année un nouveau hangar à Dugny. Il abritera des avions, aujourd'hui stockés en extérieur, ainsi que des avions bois et toiles et des nacelles d'aérostation (de montgolfière). « Ce hangar répondra à des impératifs d'hygrométrie, indispensables pour éviter toute détérioration », précise Gilles Aubagnac. Parallèlement, le musée poursuit l'aménagement de son sous-sol, prévu pour fin 2017.

Trois halls supplémentaires à visiter

Le nouveau hall de la Cocarde, consacré à l'armée de l'air depuis la Seconde Guerre mondiale, sera inauguré en mai. Une nouvelle scénographie sera mise place : « Nous déploierons autour des avions de nombreuses maquettes et tenues actuellement conservées dans nos collections », indique Christian Tilatti, un des conservateurs. L'exposition permanente sur le Normandie Niemen, ce régiment de chasse engagé contre le nazisme sur le front de l'est, ouvrira, elle, en juin, en même temps que le nouveau hall de la Seconde Guerre mondiale.

Salon de l'aviation et des expositions

2015 sera riche en événements. Comme tous les deux ans, les espaces extérieurs du musée accueilleront le salon international de l'aéronautique et de l'espace. Le musée organisera également de nombreuses expositions comme le printemps des planétariums en mars, le Carrefour de l'air en avril, Aéropuces en octobre... A noter : l'exposition « Comètes : aux origines des systèmes planétaires », de juin à décembre 2015.
 
 
fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.leparisien.fr/informations/-31-01-2015-4493877.php

Le cœur de Rodez profite du Musée Soulages

L’installation du Musée Pierre Soulages à Rodez n’a pas seulement donné un coup de projecteur sur la capitale de l’Aveyron. Ce projet a entraîné dans son sillage un toilettage géant de ses environs, et notamment de la place médiévale du Foirail.






Ce large espace urbain, laissé en friche, était destiné, à l’origine, à accueillir les foires à bestiaux régionales. Mais, au fil du temps, la place était devenue un parking gratuit à ciel ouvert, un no man’s land où personne ne s’arrêtait. Pourtant, le Foirail était idéalement situé, à 200 mètres de l’hypercentre historique et du quartier de Bourran, sorti de terre dans les années 1990.

La création du musée en l’honneur de l’enfant du pays a été décidée dans les années 2000. L’occasion pour la municipalité de transformer son cœur de ville. « Le Musée Pierre-Soul...
 
 
fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.lemonde.fr/immobilier/article/2015/01/31/le-c-ur-de-rodez-profite-du-musee-soulages_4567388_1306281.html

De acordo com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), existem no Rio de Janeiro 40 jardins históricos. O BNDES trabalha com a perspectiva de que o projeto de revitalização do Museu Casa de Rui Barbosa abra espaço para iniciativas de manutenção e restauração de outros jardins históricos no país, em atendimento às normas de preservação patrimonial.

Jardim histórico da Casa de Rui Barbosa começa a ser revitalizado em fevereiro


 

Revitalização do jardim da Casa de Rui Barbosa deve ser concluída até o final do ano André Telles/Divulgação

Aos 165 anos, o jardim do Museu Casa de Rui Barbosa, em Botafogo, na zona sul do Rio, vai ser revitalizado. Localizado na Rua São Clemente, o museu é vinculado ao Ministério da Cultura e funciona na casa em que o jurista baiano viveu até 1923.

“Vai ser uma obra de engenharia profunda. Essa parte nós vamos trabalhar em associação com a Fundação Darcy Ribeiro”, disse à Agência Brasil o presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa, professor Manolo Florentino. Segundo o professor, será o primeiro processo de revitalização de jardim histórico no Brasil em grande escala, e é possível que surjam, no decorrer dos trabalhos, problemas inéditos.

Por isso, será preciso criar técnicas, além do próprio processo de revitalização. Cada etapa será filmada e registrada, para ser transformada depois em livro. De acordo com Florentino, a ideia é devolver as informações às faculdades de urbanismo, paisagismo e arquitetura como um conhecimento novo, específico. A obra vai garantir a integridade do jardim, que data de 1850, por, no mínimo, as próximas três gerações, afirmou Florentino.

De acordo com o professor, será também o primeiro projeto no país, em grande escala,nos moldes propostos pela Carta de Florença, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e pela Carta dos Jardins Históricos Brasileiros. As duas convenções consideram tanto os valores culturais quanto os componentes ambientais na conceituação e definição dos princípios gerais de preservação de jardins históricos.

O início das obras está previsto para fevereiro e o término, para dezembro “ou, no máximo, para janeiro de 2016”. O jardim tem área de 6,2 mil metros quadrados. Estão previstas melhorias na pavimentação e acessibilidade para pessoas com necessidades especiais e idosos. Além disso, um novo sistema de iluminação e sinalização possibilitará atividades noturnas no jardim, cujo horário de fechamento será estendido das 18h para as 21h.

A revitalização do jardim do Museu Casa de Rui Barbosa terá apoio financeiro de R$ 3,6 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Esses recursos serão destinados à Fundação Darcy Ribeiro e se somarão a R$ 1,2 milhão oriundos do Fundo Nacional de Cultura, liberados com a mesma finalidade.

“Vai ser um processo sincrônico”, disse Florentino, pois a verba do Fundo Nacional de Cultura irá para o restauro das estátuas, do quiosque e do mobiliário do jardim, “que custa muito caro”. Os R$ 3,6 milhões do BNDES, cuja aprovação foi anunciada hoje (30), serão aplicados na parte específica do jardim e nas obras de engenharia.

De acordo com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), existem no Rio de Janeiro 40 jardins históricos. O BNDES trabalha com a perspectiva de que o projeto de revitalização do Museu Casa de Rui Barbosa abra espaço para iniciativas de manutenção e restauração de outros jardins históricos no país, em atendimento às normas de preservação patrimonial.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://agenciabrasil.ebc.com.br/cultura/noticia/2015-01/bndes-apoia-revitalizacao-do-jardim-historico-da-casa-de-rui-barbosa

Um Van Gogh nunca visto, entre mulheres e álcool

Retrato agora descoberto do pintor holandês, da autoria de Émile Bernard, vai ser mostrado na Alemanha depois de 45 anos num arquivo.
 
 
 


O novo retrato, descoberto no Kunsthalle Bremen e divulgado pelo "Art Newspaper"


Embora Vincent van Gogh tenha pintado mais de 30 auto-retratos, são raras as representações do rosto do pintor holandês feitas por outros artistas e não são conhecidas quaisquer fotografias do autor de Os Girassóis. Mas, a 31 de Março, será exposto em Bremen, na Alemanha, pela primeira vez um esboço até agora desconhecido, da autoria do seu amigo Émile Bernard, que mostra Van Gogh entre mulheres e bebida. O desenho, descrito pelo jornal especializado Art Newspaper como sendo do tamanho de um postal e desenhado a caneta e tinta, foi descoberto entre centenas de outros esboços do artista e escritor francês que estavam acondicionados num livro de registos contabilísticos. E que se encontravam nos arquivos do Kunsthalle Bremen há mais de 45 anos.

Será mostrado ao público no Kunsthalle Bremen, no âmbito da exposição Émile Bernard: On the Pulse of Modernity – que esteve em Paris, no Musée de l'Orangerie, até ao passado dia 5 de Janeiro, mas que não continha o álbum com 858 desenhos, entre os quais a página que mostra Van Gogh, duas mulheres e duas garrafas em primeiro plano.

Embora a exposição em Bremen se inaugure já no próximo dia 7, só a 31 de Março será mostrada a página com o raro desenho, que será visível até 31 de Maio.

Dorothee Hansen, curadora no Kunsthalle Bremen e autora da identificação deste retrato, considera, segundo o Art Newspaper, que terá sido produzido no Inverno de 1886/7, alguns meses depois de os dois artistas se terem conhecido. “Há tão poucos retratos de Van Gogh deste período”, disse, citada pelo diário britânico The Independent, acrescentando que a colecção do museu recebe assim uma nova peça “maravilhosa”. Tudo indica, refere a perita, que tenha sido feito com alguma leveza, mostrando o artista entre “as ‘tentações’ de duas senhoras e duas garrafas”.

Até agora desconhecido, o trabalho encontrava-se num grande livro que foi vendido em 1970 pelo genro de Bernard, Clément Altarriba, ao museu alemão e que ali ficou até ser agora investigado. O tempo passado até identificar o teor do livro deveu-se ao facto de, como descreve Hansen, este ser “um caos” que coligia trabalhos de Bernard produzidos desde os seus 13 anos até aos que fez já quando era sexagenário. “Não havia cronologia, e havia diferentes técnicas e estilos”, acrescenta a curadora.

Émile Bernard (1868-1941) conheceu Van Gogh (1853-1890) quando o pintor holandês, por falta de dinheiro, se mudou de Antuérpia (Bélgica) para Paris, onde vivia o seu irmão Theo. Foi ali, em 1886, que conheceu Henri de Toulouse-Lautrec, Paul Gauguin e Bernard – os dois últimos tornar-se-iam fortes influências na abordagem de Van Gogh à cor. Dois anos em Paris, epicentro das vanguardas artísticas e literárias, tocaram o seu trabalho com cores e texturas que viriam e revelar-se nas obras mais conhecidas do pintor, produzidas depois de sair da capital para a Provença, para o sol de Arles e Saint-Rémy.

Terá sido no âmbito dessa amizade, que os levava a pintar juntos e que fez com que o holandês desse um dos seus auto-retratos a Bernard, que foi produzido o desenho agora descoberto e confirmado como sendo uma imagem de Vincent Van Gogh, provavelmente numa noite de boémia na capital francesa.

Além deste achado no álbum de Bernard, este continha mais retratos de artistas da época: um do neo-impressionista Paul Signac e algumas caricaturas de Toulouse-Lautrec a trabalhar, todos identificados por notas no próprio livro e que, por isso mesmo, tinham já sido detectados e removidos do álbum antes de este ser entregue ao museu alemão. De acordo com o Art Newspaper, encontram-se na posse de coleccionadores privados.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/um-van-gogh-nunca-visto-entre-mulheres-e-alcool-1684616

Belo Horizonte ( MG ) Brasil, terá museu interativo de sexo

Espaço funcionará em um casarão na Rua Guaicurus, no maior complexo de prostituição do país


Ramon Lisboa/EM/DA Press

Inspirado no Museu do Sexo de Amsterdã, Belo Horizonte também terá o seu Red Light District (Distrito da Luz Vermelha), cujo slogan é “sexo é a coisa mais natural do mundo”. O projeto, ainda embrionário, vai criar o Museu Interativo do Sexo de BH em um casarão na Rua Guaicurus, no maior complexo de prostituição do país, onde funcionam 21 hotéis trabalhando em dois turnos com atendimento 24 horas.

Na zona de baixo meretrício da Guaicurus, com prédios em art decor da década de 1920, já trabalharam figuras históricas como a prostituta Hilda Furacão e o travesti Cintura Fina, personagens imortalizados pelo escritor mineiro Roberto Drummond. Outra precursora foi a paulistana Gabriela Leite, criadora da grife de roupas Daspu, de São Paulo, que teve passagem por BH.

“O museu vai ajudar a quebrar o estigma do trabalho das prostitutas na sociedade mineira, que é falsa moralista. Convive com a Guaicurus desde sempre e nunca nos assumiu. Agora, as profissionais do sexo vão sair do armário”, afirma a mentora do projeto Cida Vieira, presidente da Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig), que chegou a implantar o curso de inglês e espanhol para prostitutas de BH na Copa do Mundo de 2014. Ela lembra que, desde 2010, a profissão já está prevista na Classificação Brasileira das Ocupações.

Na segunda-feira, às 13h30, ocorre a primeira reunião oficial do projeto do Museu Virtual do Sexo, na sede da Aprosmig, na Rua Guaicurus. Com os primeiros rascunhos nas mãos, Cida e os outros participantes vão inscrever o projeto na Belotur e na Secretaria Estadual de Cultura. O imóvel já existe. “Fiz uma exposição no Hotel Diamante, no ano passado. Muitos dos convidados nunca tinham entrado antes em um prostíbulo. É importante fazer o museu ali mesmo, na Rua Guaicurus, para que os moradores da cidade descubram a beleza arquitetônica do Centro e das relações sociais”, afirma o antropólogo e artista visual Francilins.

VERSÃO VIRTUAL Enquanto não se consolida o patrocínio ao museu do sexo de BH, a associação das prostitutas e seus parceiros estão reunindo material para lançar a versão virtual, com a projeção de vídeos, fotos e objetos que possam recriar a rotina das mulheres da Rua Guaicurus. “No primeiro momento, temos a plataforma visual. Quando tivermos apoiadores, podemos viabilizar o museu físico. O importante é dar visibilidade a estas pessoas que estão ali trabalhando e que a cidade tenta esconder. Trata-se de uma patrimônio imaterial de enorme importância, que poderá funcionar como atração turística, assim como em Amsterdã”, diz o artista Francilins. 
 
 
fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/01/31/interna_gerais,613434/belo-horizonte-tera-museu-interativo-de-sexo.shtml