Listen to the text.

domingo, 19 de abril de 2015

Національний музей медицини України є одним з найбільших медичних музеїв не тільки в Україні, але і у Європі.



Національний музей медицини України було створено ум.Києві у 1973 р.


Будівля музею вночі


Будівля музею на листівціВін розташований у будинку колишнього анатомічного театру Київського Університету, який було збудовано по проекту відомого архітектора О.Беретті у 1853 р. Він є пам’яткою архітектури XIX ст.

Засновником музею був заслужений діяч науки України, доктор медичних наук, професор О. А. ГРАНДО


О.А. Грандо

Зараз музей очолює заслужений лікар України, доктор медичних наук, професор Шипулін Вадим Петрович.


В.П. Шипулін

В музеї представлено розвиток медицини в Україні з стародавніх часів до наших днів. В основу організації музею була покладена новітня концепція музеєзнавства, яка дозволила використати науково-методичні і документальні матеріали та експонати у комплексі з архітектурними, художньо-технічними і аудіовізуальними засобами. Крім стендової експозиції в музеї створені оригінальні інтер’єри, з портретними фігурами відомих вчених і лікарів, та діорами, присвячені найбільш визначним подіям в українській медицині. В експозиції музею широко представлені і твори українського образотворчого мистецтва, що пов’язане з медичною тематикою.

Національний музей медицини України є одним з найбільших медичних музеїв не тільки в Україні, але і у Європі.

Робота по створенню цього музею була у 1983 р. відзначена Державню премією України у галузі науки і техніки. Указом Президента України від 15 лютого 1999 р. надано статус Національного.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://histomed.kiev.ua/%D0%BF%D1%80%D0%BE-%D0%BC%D1%83%D0%B7%D0%B5%D0%B9/




--traduzido via google
Museu Nacional de Medicina da Ucrânia foi criada em Kiev em 1973
O edifício do museu em lystivtsiVin localizado no edifício do antigo teatro anatómico Universidade de Kiev, que foi construído pelo famoso arquiteto O.Beretti em 1853 Trata-se de um monumento arquitectónico do século XIX.
O fundador do museu foi homenageado cientista da Ucrânia, MD, Professor OA Grando
OA Grando
OA Grando
Agora, o museu é dirigido por Homenageado Doutor da Ucrânia, MD, Professor Vadim Petrovich Shipulina.
DSC_0136
VP Shipulina
O museu apresenta o desenvolvimento da medicina na Ucrânia desde a antiguidade até os dias atuais. Foi dada a base do museu o mais recente conceito de museologia, o que nos permitiu usar métodos científicos e materiais documentais e exposições em conjunto com meios arquitetônicos, artísticos e técnicos e audiovisuais. Na exposição de cartazes no Museu criado interiores originais com figuras de retratos de famosos cientistas e médicos, e dioramas dedicados aos eventos mais importantes na medicina ucraniano. No museu estão bem representados e as obras de arte ucraniano, devido a problemas médicos.

Museu Nacional de Medicina da Ucrânia é um dos maiores museus de medicina, não só na Ucrânia, mas também na Europa.


Trabalho sobre a criação do museu foi em 1983 recebeu o Prêmio de Estado da Ucrânia em Ciência e Tecnologia. Decreto do Presidente da Ucrânia em 15 de fevereiro de 1999 concedido o estatuto de Nacional.

The Mané-Katz Museum, located on Panorama Road overlooking the magnificent view across Haifa Bay, was opened in 1977 in the home of the artist, where he lived and created during the last years of his life.

Mané-Katz was an important member of the School of Paris (Ecolé de Paris) - a group of young artists, many of them Jews, who arrived in Paris from Eastern and Central Europe at the beginning of the 20th century. They changed the face of art in France between the two world wars, and quickly participated actively in the avant-garde, taking a prominent role in establishing Paris as the capital of the art world, filled with new and extraordinary creative power. 


The Mané-Katz Museum, located on Panorama Road overlooking the magnificent view across Haifa Bay, was opened in 1977 in the home of the artist, where he lived and created during the last years of his life. In August 2010 the Museum was integrated in the Haifa Museums complex. In November of the same year, Haifa Municipality donated some IS 250,000 for repairs and refurbishment of the building, and work commenced immediately. It is now virtually completed, and the Museum re-opens to the public on April 9th, 2011. Refurbishments include basic repairs to the exhibition spaces and infrastructure. New offices have been constructed, as well as a museum shop and a café that looks out over the magical view. These efforts have resulted in excellent exhibition spaces that permit displays of Mané-Katz's works and his collections.



The newly-appointed Museum staff, with Svetlana Reingold as Museum Curator, has prepared an extensive exhibition program. The first exhibition, "Mané-Katz: a Jewish Heritage", is curated by guest curator Dr. Irit Miller, who had already begun preparing it at the end of 2010. This exhibition, from the Mané-Katz collection, presents his outstanding Jewish-Impressionist paintings from Paris. It displays aspects of his works that embody abundance and diversity - portraits and figures, scenery and still-life - but essentially focuses on his Jewish heritage. There are scenes from the shtetl and everyday life there, as well as works dealing with the Holocaust, and with survival and renewal in Israel. A permanent exhibition of his works will also be established.



The intention of the Museum is to introduce the public to a culture that extends beyond the boundaries of the time and place by which it has been nourished and influenced, and on which Mane-Katz left his own impress. Although emphasis is on subjects deriving from the settlements and ghettos of Eastern Europe, Mané-Katz was a universal artist. He saw himself as a citizen of the world, and was constantly travelling, so that there was almost no country that he did not visit in order to paint and/or exhibit there.



Temporary exhibitions at the Museum will deal with aspects of art history, with the focus on modern art, in order to paint a general picture of the world of culture and expression, and of various events as related to the works of Mané-Katz. They will also integrate inter-disciplinary subjects such as art, literature, music, philosophy, ethnology and history. The framework of the displays will be to compare of Mané-Katz's works with those of other contemporary artists in Israel and elsewhere, and thus to create an inter-period dialogue and consensus.



The Museum is thus a cultural centre that offers the public a range of lectures, events and encounters with noted specialists in cultural research and production.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.mkm.org.il/Museum/Templates/showpage.asp?DBID=1&LNGID=1&TMID=84&FID=1647&PID=4194

O Instituto Butantan ( São Paulo - Brasil ) - Mantém coleções científicas zoológicas e desenvolve atividades educacionais e culturais por meio de quatro museus – Museu Biológico, Museu Histórico, Museu de Microbiologia e o Museu de Saúde Pública Emílio Ribas.



O Instituto Butantan é o principal produtor de imunobiológicos do Brasil, responsável por grande porcentagem da produção nacional de soros hiperimunes e grande volume da produção nacional de antígenos vacinais, que compõem as vacinas utilizadas no Programa Nacional de Imunizações – PNI, do Ministério da Saúde. As atividades de desenvolvimento tecnológico na produção de insumos para a saúde estão associadas basicamente à produção de vacinas, soros e biofármacos para uso humano. Sua principal missão institucional é, portanto, atender às demandas primordialmente voltadas para a saúde pública, contribuindo com o Estado no contínuo esforço de prover o bem-estar da população.

Prédio Vital Brazil


O Instituto desenvolve estudos e pesquisa básica nas áreas de Biologia e de Biomedicina relacionadas, direta ou indiretamente, com a saúde pública. Realiza missões científicas no país e no exterior através das Organizações Mundial e Panamericana da Saúde, Unicef e ONU. Colabora para a melhoria da saúde global com outros órgãos da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e do Ministério da Saúde, no Brasil. Atua em parceria com diversas universidades e entidades, tais como National Institutes of Health (NIH) e Bill & Melinda Gates Foundation, na consecução de seus objetivos institucionais.

Desenvolve projetos de pesquisas básica e aplicada, tais como estudos sobre animais peçonhentos, agentes patogênicos, inovação e modernização dos processos de produção e controle de imunobiológicos e estudos clínicos, terapêuticos e epidemiológicos relacionados aos acidentes humanos causados por animais peçonhentos.

Mantém coleções científicas zoológicas e desenvolve atividades educacionais e culturais por meio de quatro museus – Museu Biológico, Museu Histórico, Museu de Microbiologia e o Museu de Saúde Pública Emílio Ribas.

Capacita alunos através de estágios em nível de iniciação científica (PIBIC/CNPq), aperfeiçoamento profissional (PAP/Fundap) e pós-graduação (mestrado e doutorado). É responsável pelo Programa de Pós-Graduação stricto sensuem Toxinologia e, mais recentemente, pelo MBA Gestão da Inovação em Saúde, que apresenta todas as etapas e processos existentes entre pesquisa, inovação, patenteamento, produção e comercialização de produtos.

Oferece também cursos de extensão, visando à formação de profissionais que possam ser multiplicadores de informações em saúde pública, e cursos de aperfeiçoamento, de curta duração, abordando temas como animais peçonhentos, insetos de importância médica, soros e vacinas, destinados à comunidade em geral, estudantes, professores, militares, bombeiros, agropecuaristas, entre outros​​

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.butantan.gov.br/butantan/Paginas/default.aspx

Karl Lagerfeld zählt zu den weltweit renommiertesten Modedesignern und gilt als Ikone des Zeitgeists. O museu Bundeskunsthalle, em Bonn, mostra peças e coleções elaboradas pelo guru da moda ao longo de 60 anos, incluindo grandes marcas como Fendi, Chloé e Chanel.

KARL LAGERFELD. MODEMETHODE

Mit der Ausstellung Karl Lagerfeld. Modemethode beleuchtet die Bundeskunsthalle erstmals und umfassend den Modekosmos des Ausnahmedesigners und erzählt auf diese Weise ein Kapitel der Modegeschichte des 20. und 21. Jahrhunderts. Karl Lagerfeld ist dafür bekannt, klassische Formen zeitgemäß zu erneuern und der Mode neue Impulse zu geben. Über eine Zeitspanne von nunmehr 60 Jahren zeugen seine Kreationen von einem außergewöhnlichen Gespür für das Lebensgefühl und die Strömungen der jeweiligen Zeit – ob in Haute couture und Prêt-à-porter für die Luxusmodehäuser Balmain, Patou, Fendi, Chloé, Karl Lagerfeld und Chanel oder der erschwinglichen Kollektion der Marke H&M.
Als Genie der Mode gilt Karl Lagerfeld nicht nur, weil er Klassiker wie das Chanel-Kostüm durch unkonventionelles Design stetig erneuert und sich seit Jahrzehnten als Modeschöpfer fortwährend neu erfindet. Sein Prinzip, die „Modemethode“, ist eine Gesamtkonzeption: Von den ersten Entwurfsskizzen bis zum fertigen Kleidungsstück, von den Accessoires über die Architekturkulisse und Musik der Modenschau bis zu den Fotos und dem Grafik-Design für Presse, Katalog, Werbung und Schaufensterdekoration entstammt jedes Detail dem Kopf und der Hand des Designers selbst.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti
http://www.bundeskunsthalle.de/ausstellungen/index.html
http://www.dw.de/karl-lagerfeld-o-estilista/g-18386166


O inovador
Lagerfeld já trabalha há 50 anos para a marca italiana Fendi. Quando ele começou a colaboração, em 1965, embaralhou o mundo das peles. Em vez dos pesadíssimos casacos de pele da época, criou modelos lúdicos e loucos que passaram a não mais envolver a sua portadora como um tanque de guerra, mas de forma leve e solta. Além disso, desenhou para Fendi roupas e acessórios atemporais.




Acessórios

Sapatos e bolsas – o que desperta o desejo nos olhos de muitas mulheres é motivo de desespero para muitos homens. Não para Karl Lagerfeld. Para cada coleção, ele também cria os acessórios adequados. A exposição mostra uma seleção abrangente de 120 peças (na foto: Fendi). Para a Casa Chanel, além de sapatos, ele desenhou bolas, cintos e também 177 botões





Espelho do tempo

Para Chloé, Lagerfeld mostra que sabe o que as mulheres esperam da moda. Lúdicos, leves e românticos: assim são os vestidos da década de 1970. Ele adornou outros modelos com motivos gráficos. O material preferido é a seda. O manequim usa um vestido de seda pintado à mão de 1973.


Tudo começou com um casaco

A exposição intitulada "Karl Lagerfeld. Modemethode" (até 13 de setembro) quer, segundo o diretor da Bundeskunsthalle, Rein Wolfs, "colocar em primeiro plano a energia criativa, o trabalho de um grande designer que pensa de forma feminina no papel e nos materiais." A mostra se inicia com a entrada de Lagerfeld no mundo da moda: a réplica de um casaco com o qual ganhou um concurso em 1954.





Apaixonado por papel

"Eu preciso sempre sentir o papel sob meus dedos para poder me expressar", afirmou Lagerfeld sobre sua paixão por seu material de trabalho predileto. Papel determina a vida de Lagerfeld: nos seus desenhos de moda, suas fotografias, notas, cartas e livros. Até mesmo seus desfiles são planejados num bloco de rascunhos. A escrivaninha é testemunha da importância do papel para o estilista.





Dos acervos

Somente no acervo da Fendi encontram-se 40 mil desenhos de Lagerfeld. Alguns deles estão à mostra agora em Bonn, assim como esboços para Chloé e Chanel. Também podem ser vistos pôsteres de campanhas publicitárias de Lagerfeld decorando, em grupos, as paredes em concreto aparente do espaço de exposições. Um pano de fundo sutil para as criações de Lagerfeld.












Hora da música

A época das lendárias festas no clube nova-iorquino Studio 54 deu a inspiração para motivos engraçados. Neste vestido de cetim, de 1983, ele compara o corpo feminino a um violino. Assim como os outros 120 modelitos na exposição em Bonn, esse vestido provém dos acervos das casas de moda. Alguns modelos foram até mesmo emprestados por museus.





Renovação na Chanel

Ao ir para a Chanel, em 1983, Lagerfeld trouxe novos ventos à etiqueta de moda, então um pouco empoeirada. Ele atribuiu nova vida a modelos clássicos, modificando os cortes e dando novas cores aos terninhos. Com saias mais curtas, jaquetas mais longas e novos materiais, a marca passou a ser usada novamente por mulheres mais jovens. Este terninho é de 1991.

Primeiro museu de música eletrônica abrirá em Frankfurt em 2017

Novo espaço será diferente dos museus tradicionais, dizem organizadores.
Andreas Tomalla, o Talla 2XLC, é o responsável pelo projeto.

Protótipo da entrada do MOMEM, o Museu de Música Eletrônica Moderna (Foto: Divulgação)

O Museu de Música Eletrônica Moderna (o MOMEM, na sigla em inglês) está programado para abrir em 2017 em Frankfurt, na Alemanha, segundo o site da Deutsche Welle.

De acordo com o site, o MOMEM vai livrar-se do modo de exposição dos museus tradicionais e oferecerá um espaço que convidaá os visitantes para o mundo sensorial da música eletrônica, explorando diversos aspectos da forma musical, contando sua história e relevância cultural.

Andreas Tomalla, conhecido como Talla 2XLC, é o responsávelo pelo projeto do museu. Amplamente creditado por inventar a palavra "techno", Tomalla foi o pioneiro do gênero com os seus eventos na década de 1980, chamados de "Techno Party". Ele permanece ativo como DJ e produtor de trance, e é o primeiro presidente honorário dos Amigos do MOMEN.

Segundo os organizadores, o museu vai incluir exposições assim como elementos interativos para os visitantes. Além disso, oficinas de DJ serão realizadas regularmente e haverá eventos ao vivo. A cidade de Frankfurt alugou o espaço para o MOMEM gratuitamente - nas instalações do Museu da Criança -, no entanto, o museu vai ser auto-financiado, sem o apoio financeiro da cidade.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2015/04/primeiro-museu-de-musica-eletronica-abrira-em-frankfurt-em-2017.html

Museu do Futuro no Dubai desafia a gravidade e a arquitetura (em imagens)

A mensagem é simples: «vamos criar o futuro em vez de o prever».Com um investimento de 123 milhões de euros, o Museu do Futuro quer ser casa das maiores inovações tecnológicas mundiais. O edifício terá dimensões e um design que desafiam a gravidade e a arquitetura tradicional


O Museu do Futuro pretende ser um espaço de incentivo a cientistas, investigadores, empresários e designers para que desenvolvam novas tecnologias.

O espaço será dividido em várias áreas, entre as quais uma para divulgação de novas tecnologias, outra onde empresários podem mostrar as mais recentes invenções. Este novo museu vai incluir uma "incubadora" para o desenvolvimento científico, financiada pelos Emirados Árabes Unidos.

O museu vai ser construído perto da avenida Sheikh Zayed Road e parte da estrutura será erguida usando impressoras 3D em vez da construção tradicional.

A data de inauguração está prevista para 2017.

Nesta galeria de imagens mostramos como vai ser o Museu do Futuro, com fotografias cedidas pelo governo do Dubai durante a apresentação deste novo espaço.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.tsf.pt/multimedia/galeria/Default.aspx?content_id=4449516
















Museu em Londres lança um desafio ao trocar telas originais por cópias



Visitantes têm que adivinhar qual é a obra original e qual é a cópia.
Novidade despertou o interesse no museu Dulwich Picture Gallery.








O Jornal Hoje fez um passeio pelo museu Dulwich Picture Gallery, onde foi lançado um desafio. Entre as obras de arte tem uma falsificada. A cópia foi feita na China e está misturada às outras telas originais. Será que é possível descobrir qual é a de mentira?

Foi um artista que teve a ideia de criar esse mistério que acabou atraindo um monte de gente e os visitantes estão se divertindo. A repórter Cecília Malan foi até lá para contar essa história e tem um palpite:

Quando entramos em um museu, partimos de um princípio básico: que é um espaço da verdade. Confiamos que estamos vendo e admirando obras originais, feitas por artistas de diferentes épocas e técnicas. Nos sentimos até mais cultos na presença de trabalhos escolhidos a dedo por curadores e especialistas.

Mas e quando surge a dúvida? Doug Fishbone quis brincar justamente com as nossas certezas. Em seu mais novo projeto, o artista americano substituiu uma das 270 obras da coleção permanente de um museu londrino por uma cópia. Uma falsificação feita na China.

“Quero incitar as pessoas a questionarem o que está pendurado nas paredes”, ele diz.

A cópia chegou pelo correio e foi colocada na moldura da tela original. O desafio de identificar a falsificação fez sucesso. Só nas primeiras duas semanas da exposição, o número de visitantes triplicou.

Será que é uma tela grande? Ou seria mais fácil encomendar uma menor?

Uma estudante descartou as obras penduradas mais no alto. Acho que a cópia tem que estar na altura dos olhos para a gente poder chegar perto. Pauline admite que examinou até os cantos das molduras. “Se tiver poeira acumulada é porque não mexeram recentemente”, ela conclui.

São muitas teorias. O artista se diverte contando que muitos críticos de arte já chutaram e erraram.

O mistério é fundamental para o sucesso do projeto. Por isso, o artista se recusa a entregar qual é a obra falsificada. Vamos ter que esperar até o fim de abril para descobrir.

O curador também não dá nenhuma dica. O segredo é imaginar como uma obra envelhece depois de 400 anos, explica Xavier Bray.

A exposição é interativa. Todo mundo é convidado a registrar o palpite. Quem acertar, participa de um sorteio para ganhar uma reprodução.

Estou super na dúvida. Eu acho que pode ser essa tela, do italiano Canaletto, mas também poderia ser o retrato do francês Fragonard.

O jeito vai ser voltar no dia 28 de abril, quando as duas peças, cópia e original, vão ser expostas lado a lado.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2015/04/museu-em-londres-lanca-um-desafio-ao-trocar-telas-originais-por-copias.html