Google+ Followers

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Museu Histórico e Pedagógico é reinaugurado em Limeira, São Paulo, Brasil. --- History and Pedagogical Museum is reopened in Limeira, São Paulo, Brazil.

Preservar a memória de Limeira e desenvolver atividades educativas são os objetivos do Museu Histórico e Pedagógico “Major José Levy Sobrinho”, reinaugurado nesta segunda-feira, 27 de junho. O local abriga quadros, reproduções e objetos que marcaram a história de Limeira, como uma liteira do século 19 e a farda completa de um combatente da Revolução de 1932.


O Museu funciona no “Centro Cultural Coronel Flamínio Ferreira de Camargo”, prédio que abriga a Escola Municipal de Cultura e Artes “Maestro Mario Tintori” (Emcea), o Acessa São Paulo e o Conselho Municipal dos Interesses do Cidadão Negro (Comicin). Tem quatro salas voltadas à exposição, uma sala para atividades educativas e um espaço para exposições temporárias.

Para facilitar a visitação, o museu foi dividido em áreas temáticas, são elas: A fundação da cidade, O Movimento Constitucionalista de 1932, A Citricultura e a figura do Major José Levy Sobrinho, Transformações Urbanas, Cultura e Lazer e A criação da Unicamp. Sobre o período de fundação da cidade, a gerente do Museu, Ana Terezinha Carneiro Naleto, afirmou que o público terá acesso a informações sobre o processo de transferência dos moradores das fazendas para a área urbana. “Nessa época surgiram vários ofícios em Limeira”, comentou.

O local dispõe de um monitor de vídeo que mostra imagens antigas e atuais das principais edificações da cidade, como o Palacete Levy, o coreto da praça Toledo Barros, a sede da antiga prefeitura, entre outros. Ana Terezinha conta que apenas uma parte do acervo – composto por 3.800 itens – ficará exposta. “A ideia é renovar a exposição permanente a cada três anos”, afirmou.

A família Levy foi uma das que contribuíram para a formação do acervo do Museu, doando a mobília completa do quarto que hospedou o Imperador Dom Pedro 2º, quando ele ficou hospedado na Fazenda Ibicaba, que pertencia ao Senador Vergueiro. “Os móveis foram feitos sob encomenda e têm até brasão”, frisou o representante da família, Paulo Masuti Levy.


A Fazenda Ibicaba foi posteriormente comprada pela família Levy, que também cedeu uma espécie de carro a vapor, na verdade, um motor usado para impulsionar máquinas agrícolas. O objeto ficará exposto na parte externa do Museu, na praça Cel. Flamínio Ferreira de Camargo, que foi revitalizada e também entregue à população nesta segunda. “A presença de um museu histórico e pedagógico é importante para preservar a história de uma cidade. Um povo sem memória não tem futuro”, destacou Levy.

O prefeito Paulo Hadich ressaltou os esforços para reabrir o museu. “Foi um trabalho que atravessou toda a minha gestão e que estamos concluindo nesse momento. Será um importante espaço de pesquisa e estudo”, frisou. O museu tem o apoio cultural do Arquivo Central do Sistema de Arquivos da Unicamp (Siarq – Unicamp); Centro de Memória/Unicamp; Grupo Engep; e Instituto Cultural “Cássio de Freitas Levy”.

Para o diretor do Sistema Estadual de Museus, Davidson Panis Kaseker, a presença de um museu na cidade já é um fato histórico. “É um patrimônio que representa a história da cidade. Como equipamento cultural contemporâneo, é importante para estimular a discussão sobre os problemas que a população convive na atualidade”, afirmou.

O aspecto de ‘museu vivo’ foi enfatizado pela secretária de Cultura, Gláucio Bilatto. “Esse projeto foi feito com muito carinho por muitas mãos. É um patrimônio de toda a cidade. Espero que ele seja visitado por toda a população”, disse. O museu ficará aberto para visitas escolares, instituições e grupos de terceira idade, de terça a sexta-feira, das 9h às 16h. Informações podem ser obtidas pelo telefone 3441-4805.







Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor

Vamos compartilhar.




--in via tradutor do google

History and Pedagogical Museum is reopened in Limeira, São Paulo, Brazil.

Preserve the memory of Limeira and develop educational activities are the goals of History and Pedagogical Museum "Major Jose Levy Sobrinho," reopened this Monday, June 27. The site houses paintings, reproductions and objects that have marked the history of Limeira, as a palanquin of the 19th century and the full uniform of a combatant of the 1932 Revolution.

The Museum works in the "Centro Cultural Colonel Flaminio Ferreira de Camargo," building which houses the Municipal School of Culture and Arts "Maestro Mario Tintori" (Emcea), the Access São Paulo and the Municipal Council of Negro Citizen Interests (Comicin). It has four rooms facing the exhibition, a room for educational activities and a space for temporary exhibitions.

To facilitate visitors, the museum is divided into thematic areas, they are: The foundation of the city, the 1932 Constitutionalist Movement, The Citrus and the figure of Major José Levy Sobrinho, Urban Transformations Culture and Leisure and the creation of Unicamp. On the founding period of the city, the manager of the Museum, Ana Terezinha Carneiro Naleto said the public will have access to information about the process of transfer of residents from the farms to the urban area. "At that time there were several offices in Limeira," he said.

The site features a video monitor showing old and new images of the main buildings of the city like the Palace Levy, the bandstand of Toledo Barros Square, the seat of the old town hall, among others. Ana Terezinha account that only part of the collection - consisting of 3,800 items - will be exposed. "The idea is to renew the permanent exhibition every three years," he said.

The Levy family was one that contributed to the formation of the Museum's collection by donating a complete bedroom furniture that hosted the Emperor Dom Pedro 2, when he was staying at Fazenda Ibicaba, which belonged to Senator Vergueiro. "The furniture was custom and have to coat," said the representative of the family, Paul Masuti Levy.

The Farm Ibicaba was later bought by the family Levy, who also gave a kind of steam car, in fact, a motor used to drive farm machinery. The subject will be exposed on the outside of the museum, in Cel square. Flaminio Ferreira de Camargo, who was revitalized and also delivered to the public on Monday. "The presence of a historical and educational museum is important to preserve the history of a city. A people without memory has no future, "said Levy.

Mayor Paul Hadich stressed efforts to reopen the museum. "It was a job that went through my entire management and we are concluding that time. Will be an important area of ​​research and study, "he said. The museum has the cultural support of the Central Archive of the Unicamp File System (Siarq - Unicamp); Memory Center / Unicamp; Engep group; and Cultural Institute "Cassio de Freitas Levy."

For the director of the State Museums System, Davidson Panis Kaseker, the presence of a museum in the city it is already a historical fact. "It is a heritage that is the city's history. As contemporary cultural equipment, it is important to stimulate discussion about the problems that the population lives today, "he said.

The appearance of 'living museum' was emphasized by Secretary of Culture, Gláucio Bilatto. "This project was made with love by many hands. It is a heritage of the entire city. I hope he is visited by the entire population, "he said. The museum will be open for school visits, institutions and groups of seniors, from Tuesday to Friday from 9h to 16h. Information can be obtained by calling 3441-4805.

Nenhum comentário:

Postar um comentário