Google+ Followers

domingo, 11 de dezembro de 2016

Early Burial Rituals Studied in Brazil. --- Rituais de Enterro Precoce Estudados no Brasil.

LEIPZIG, GERMANY—According to a report in Live Science, a team led by André Strauss of the Max Planck Institute for Evolutionary Anthropology is investigating some of the earliest burial rituals in the New World at the site of Lapa do Santo in east-central Brazil. Some 10,600 years ago, the dead were buried intact within the large limestone cave. Then, about 1,000 years later, Strauss and his colleagues say, fresh corpses were dismembered and defleshed before burial. Even teeth were removed from skulls. Marks on some of the bones indicate that they were burned or even cannibalized before being placed inside a skull and buried without gravestones or grave goods. Some 8,000 years ago, burial practices changed again, and bones were not manipulated—the scientists found pits filled with the disarticulated bones of single individuals. Strauss suggests the changing ritual behaviors indicate that the groups living in the region of Lapa do Santo were more diverse and sophisticated than had been believed. 




Even as the flame cauldron from the London 2012 Olympic Games cools, excitement is building for the 2016 Games in Rio de Janeiro, Brazil. Much as in London (“London 2012,” July/August 2012), construction and beautification projects around Rio are revealing the city’s past. Experts were aware of the historical significance of the run-down port near the center of town, so when redevelopment of the site began, so did an archaeological project. Excavations uncovered Empress Wharf (Cais da Imperatriz), so named to commemorate the arrival of Princess Teresa Cristina of the Two Sicilies to marry Emperor Dom Pedro II in 1843. Beneath it was another site, Valongo Wharf (Cais do Valongo). Built in 1811, it was the disembark-ation point for at least 500,000 enslaved Africans after their journey across the Middle Passage. In total, some four million Africans were shipped to Brazil between 1550 and 1888. Head archaeologist Tania Andrade Lima, of the Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro, says that Valongo represents a crucial part of the city’s history that had long been erased or concealed.

Valongo was a slave mercantile complex that included, in addition to the wharf, warehouses, markets, a quarantine station, and a cemetery. The excavation focused on pavements and two portions of the site where waste from both the upper classes and slaves accumulated: a natural rainwater drainage area adjacent to the wharf and the once-submerged area in front of the wharf. Tens of thousands of objects were unearthed, many of which were either taken from slaves, or lost or hidden by them. The finds include delicate bracelets, rings woven from vegetable fiber, charms, lumps of amethyst and stones used in African worship, and cowrie shells, then common currency in Africa. In 1843, Valongo and its brutal history were paved over for the arrival of the princess. Now, the city plans to restore that history. A new square displays the exposed remains of the Valongo Wharf and the Empress Wharf as an open-air museum dedicated to an examination of slavery and the African diaspora. The objective of this urban archaeology was to rescue the wharf from oblivion, says Lima, and to celebrate the ways that Africans have enriched Brazilian culture.

Visitors to Rio are sure to find beautiful beaches and wonderful food. A cable car ride up Sugar Loaf Mountain provides panoramic views of the city. The statue of Christ the Redeemer on the Corcovado is one of the wonders of the world, and the city is full of historic churches and museums.







fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.







--br via tradutor do google
Rituais de Enterro Precoce Estudados no Brasil.

Uma equipe liderada por André Strauss, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva, está investigando alguns dos primeiros rituais funerários no Novo Mundo no local da Lapa do Santo, no centro-leste do Brasil . Há cerca de 10.600 anos, os mortos foram enterrados intactos dentro da grande caverna de pedra calcária. Então, cerca de 1000 anos depois, Strauss e seus colegas dizem, cadáveres frescos foram desmembrados e defleshed antes do enterro. Mesmo os dentes foram removidos dos crânios. As marcas em alguns dos ossos indicam que foram queimadas ou cannibalized mesmo antes de serem colocadas dentro de um crânio e enterradas sem gravestones ou bens graves. Há cerca de 8 mil anos, as práticas funerárias mudaram novamente e os ossos não foram manipulados - os cientistas encontraram poços cheios de ossos desarticulados de indivíduos isolados. Strauss sugere que a mudança dos comportamentos rituais indica que os grupos que vivem na região da Lapa do Santo eram mais diversos e sofisticados do que se acreditava.

Mesmo que o caldeirão de chama dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 esfrie, emoção está sendo construída para os Jogos de 2016 no Rio de Janeiro, Brasil. Muito como em Londres ("Londres 2012," julho / agosto 2012), projetos de construção e embelezamento em torno do Rio estão revelando o passado da cidade. Os peritos estavam cientes do significado histórico do porto run-down perto do centro da cidade, assim que quando a reconstrução do local começou, assim que fizeram um projeto archaeological. As escavações descobriram o Empress Wharf (Cais da Imperatriz), assim nomeado para comemorar a chegada da princesa Teresa Cristina das Duas Sicilias para casar o Emperor Dom Pedro II em 1843. Sob ele era outro local, Valongo Wharf (Cais do Valongo). Construído em 1811, foi o ponto de desembarque de pelo menos 500.000 africanos escravizados após a sua viagem através da passagem do meio. No total, cerca de quatro milhões de africanos foram enviados para o Brasil entre 1550 e 1888. A arqueóloga-chefe Tania Andrade Lima, do Museu Nacional / Universidade Federal do Rio de Janeiro, diz que Valongo representa uma parte crucial da história da cidade que há muito havia sido apagada Ou escondido.

Ele site

Valongo era um complexo mercantil escravo que incluía, além do cais, armazéns, mercados, uma estação de quarentena, e um cemitério. A escavação se concentrou em calçadas e duas porções do local onde os resíduos das classes altas e dos escravos se acumulavam: uma área de drenagem natural de águas pluviais adjacente ao cais e a área antes submersa em frente ao cais. Decenas de milhares de objetos foram descobertos, muitos dos quais foram tirados de escravos, ou perdidos ou escondidos por eles. Os achados incluem braceletes delicados, anéis tecidos de fibra vegetal, encantos, pedaços de ametista e pedras usadas no culto africano e conchas de cowrie, então moeda comum na África. Em 1843, Valongo e sua história brutal foram pavimentadas para a chegada da princesa. Agora, a cidade planeja restaurar essa história. Uma nova praça exibe os restos expostos do Cais do Valongo e do Empress Wharf como um museu ao ar livre dedicado a um exame da escravidão e da diáspora africana. O objetivo desta arqueologia urbana foi resgatar o cais do esquecimento, diz Lima, e comemorar os modos pelos quais os africanos enriqueceram a cultura brasileira.

Enquanto você estiver lá

Os visitantes do Rio certamente encontrarão belas praias e comida maravilhosa. Um passeio de teleférico até Sugar Loaf Mountain oferece vistas panorâmicas da cidade. A estátua de Cristo Redentor no Corcovado é uma das maravilhas do mundo, e a cidade é cheia de igrejas históricas e museus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário