Google+ Followers

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Falconry is UNESCO Intangible Heritage. --- Falcoaria é Património Imaterial da UNESCO.

This was the result of the candidacy that brought together 18 countries, including Spain. France, the United Arab Emirates, Syria or Mongolia. From Portugal, the candidacy was presented by the City Hall of Salvaterra de Magos.



The president of the council was in Ethiopia, where the decision was made.Helder Esménio said that this recognition represents an increased responsibility and also assured the TSF that the party celebrated the news with great joy.

Falconry or falconry is the art of creating, training and caring for hawks and other birds of prey for hunting. In general it can be said that it is a hunting of birds and small quadrupeds, practiced from 4000 years BC with falcons, goshawks, kestrels and other raptors, that have the capacity to chase a prey in the air or the ground until to take it down or matá -over there.

The remains and documents on falconry show that it was an aristocratic sport, involving kings and other powerful members of the courts.

The custom has a strong tradition in Portugal, introduced into the territory of Al-Andalus by the Berbers during the Muslim rule, before the founding of nationality, but arose in Mongolia where until today it is practiced by native tribes.

In 2010, this art was classified as Intangible Cultural Heritage of Humanity by UNESCO

There are records of the practice of falconry in the national territory since the 12th century. A practice that has remained unchanged. The application file states that falconry began as a way to get food, but has been gaining other values ​​over the centuries and is now a practice associated with camaraderie and sharing of values. It is practiced by men and women in more than 60 countries.

It joins the black pottery of Bisalhães that was included in the list of UNESCO this Thursday. It also joins the Rattle, the Mediterranean Diet, the Cante Alentejano and the Fado.








fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.





--br

Falcoaria é Património Imaterial da UNESCO.

Foi este o resultado da candidatura que reuniu 18 países, incluindo Espanha. França, Emirados Árabes Unidos, Síria ou Mongólia. Da parte de Portugal, a candidatura foi apresentada pela Câmara Municipal de Salvaterra de Magos.

O presidente da autarquia estava na Etiópia, onde foi tomada a decisão. Helder Esménio adianta que este reconhecimento representa uma responsabilidade acrescida e garantiu também à TSF que a comitiva festejou a notícia com muita alegria.

A falcoaria ou cetraria é a arte de criar, treinar e cuidar de falcões e outras aves de rapina para a caça. Em geral pode-se dizer que é uma caça de aves e pequenos quadrúpedes, praticada desde 4000 anos a.C. com falcões, açores, francelhos e outros rapaces, que têm a capacidade de perseguir uma presa no ar ou no solo até derrubá-la ou matá-la.

Os vestígios e documentos sobre a falcoaria mostram que se tratava de um esporte aristocrático, do qual participavam reis e outros membros poderosos das cortes.

O costume possui forte tradição em Portugal, introduzido no território do Al-Andalus pelos berberes durante o domínio muçulmano, antes da fundação da nacionalidade, mas surgiu na Mongólia onde até hoje é praticada por tribos nativas.

Em 2010, esta arte foi classificada como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO

Há registos da prática da falcoaria no território nacional desde o século XII. Uma prática que se manteve inalterada. O dossier de candidatura refere que a falcoaria começou por ser uma forma de conseguir alimento, mas foi ganhando outros valores ao longo dos séculos e é hoje uma prática associada à camaradagem e à partilha de valores. É praticada por homens e mulheres em mais de 60 países.

Junta-se à olaria negra de Bisalhães que foi incluída na lista da UNESCO esta quinta-feira. Junta-se também ao Chocalho, à Dieta Mediterrânica, ao Cante Alentejano e ao Fado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário