Google+ Followers

sábado, 17 de dezembro de 2016

The Egyptian Iman Issa is one of the artists of the collective exhibition Hallstat, in the Galpão Fortes D'Aloia & Gabriel, in the Barra Funda neighborhood, in the city of São Paulo, Brazil. --- A egípcia Iman Issa é uma das artistas da exposição coletiva Hallstat, em cartaz no Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel, no bairro Barra Funda, na capital paulista.

The theme of the show is duality and the Arab artist participates with sculptures from her Lexicon series, in which she reimagines great works of art.
The exhibition curated by the Brazilian Maria do Carmo de Pontes and Kiki Mazzucchelli will present works by 13 artists from England, Germany, Ireland, Belgium, Austria, Canada and Egypt, as well as Brazilians from Minas Gerais, Rio de Janeiro and São Paulo. Paulo.

 Iman Issa

The curators began a survey about piracy strategies in the art about five years ago, so they chose the double theme for the show. They have already made a first exhibition as part of this exploration, about charlatanism, and will also make a third, later, about the artist's word, the value of the work based on what the artist speaks.

The Egyptian Iman Issa has three works on display. They are sculptures that revisit great works of art already made. Along with them there are panels with the title of the work that has been interpreted and a description, but without unveiling them completely. They are part of a series that the artist began to do in 2012 and is still in progress. Issa was born in Cairo and currently lives between the Egyptian capital and New York in the United States.

The name of the show, Hallstat, is a reference to a cinematographic village on the edge of a lake and surrounded by mountains in Austria, which was copied by the Chinese. In China's Guangdong province China has developed a city like Hallstat. The Austrian village has the oldest salt mine in the world and one of the oldest archaeological sites in Europe.

In addition to Iman, Carioca artist Manoela Medeiros, German Tobias Hoffknecht, Irish Joshua Sex, Alexandre da Cunha, who was born in Belo Horizonte and lives in London, Amie Siegel of Chicago living in New York, Candice Lin, Who is from Massachusetts and lives in Los Angeles, Caragh Thuring, who lives in London and lives in London, Daniel Sinsel of Munich and London resident Mauro Restiffe of São José do Rio Pardo and resident of São Paulo, Nuno Ramos, Of Sao Paulo, Oliver Laric, an Austrian living in Germany, Tamara Henderson, from Canada.

Service:
Hallstat - Collective Exhibition
From December 10, 2016 to February 10, 2017
Galpão Fortes D'Aloia & Gabriel, James Holland Street, 71 - Barra Funda - São Paulo - SP

Visitation: until December 22 from Tuesday to Friday, from 10 am to 7 pm and Saturdays from 10 am to 6 pm - From 9 January and 10 February from Monday to Thursday, from 10 am to 7 pm on Friday, from 10 am to 6 pm Closed from December 23 to January 8)
Free entrance







fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.












--br
A egípcia Iman Issa é uma das artistas da exposição coletiva Hallstat, em cartaz no Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel, no bairro Barra Funda, na capital paulista. 

O tema da mostra é a dualidade e a artista árabe participa com esculturas de sua série Lexicon, nas quais reimagina grandes obras de arte.

A exposição tem curadoria das brasileiras Maria do Carmo de Pontes e Kiki Mazzucchelli e apresentará obras de 13 artistas da Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha, Irlanda, Bélgica, Áustria, Canadá e Egito, além de brasileiros de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

As curadoras começaram uma pesquisa há cerca de cinco anos sobre estratégias de pirataria na arte, e por isso escolheram o tema do duplo para a mostra. Elas já fizeram uma primeira exposição como parte dessa exploração, sobre o charlatanismo, e farão ainda uma terceira, mais adiante, sobre a palavra do artista, o valor da obra baseado no que fala o artista.

A egípcia Iman Issa tem três trabalhos na exposição. São esculturas que revisitam grandes obras de artes já feitas. Junto com elas há painéis com o título da obra que foi interpretada e uma descrição, mas sem desvendá-las completamente. Elas fazem parte de uma série que a artista começou a fazer em 2012 e segue em andamento. Issa nasceu no Cairo e atualmente vive entre a capital egípcia e Nova York, nos Estados Unidos.

O nome da mostra, Hallstat, é uma referência a um vilarejo cinematográfico a beira de um lago e rodeado por montanhas na Áustria, que foi copiado pelos chineses. Na província chinesa de Guangdong a China desenvolveu uma cidade como Hallstat. O vilarejo austríaco tem a mais antiga mina de sal do mundo e um dos mais antigos sítios arqueológicos da Europa.

Além de Iman, participam: a artista carioca Manoela Medeiros, o alemão Tobias Hoffknecht, o irlandês Joshua Sex, Alexandre da Cunha, que nasceu em Belo Horizonte e mora em Londres, Amie Siegel, de Chicago que vive em Nova York, Candice Lin, que é de Massachusetts e mora em Los Angeles, Caragh Thuring, que nasceu em Bruxelas e vive em Londres, Daniel Sinsel, de Munique e morador de Londres, Mauro Restiffe, de São José do Rio Pardo e morador de São Paulo, Nuno Ramos, de São Paulo, Oliver Laric, austríaco que mora na Alemanha, Tamara Henderson, do Canadá.

Serviço:
Hallstat – Exposição Coletiva
De 10 de dezembro de 2016 a 10 de fevereiro de 2017
Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel, rua James Holland, 71 – Barra Funda – São Paulo – SP
Visitação: até 22 de dezembro de terça a sexta, das 10h às 19h, e sábados, das 10h às 18h - De 9 de janeiro e 10 de fevereiro de segunda a quinta, das 10h às 19h, na sexta, das 10h às 18h (fechado de 23 de dezembro a 8 de janeiro)
Entrada gratuita

Nenhum comentário:

Postar um comentário