sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

The Areni-1 winery, is a 6100-year-old winery that was discovered in 2007. --- O Areni-1 é uma vinícola de 6100 anos atrás, na Armênia.

In the Areni-1 cave complex in the village of Areni in the Vayots Dzor province of the Republic of Armenia by a team of Armenian and Irish archaeologists. 




The excavations were carried out by Boris Gasparyan of the Institute of Archaeology and Ethnography of the National Academy of Sciences of Armenia and Ron Pinhasi from University College Cork (Ireland), and were sponsored by the Gfoeller Foundation (USA) and University College Cork. In 2008 the University of California, Los Angeles (UCLA) also joined the project. Since then the excavations have been sponsored by UCLA and the National Geographic Society as well. The excavations of the winery were completed in 2010.

The winery consists of fermentation vats, a wine press, storage jars, pottery sherds, and is believed to be at least a thousand years older than the winery unearthed in the West Bank in 1963, which is the second oldest currently known.

The Areni-1 shoe was found in the same cave in 2008.

Excavations at the Areni-1 site began in 2007 and continued until September 2010, when Armenian, American and Irish archaeologists fully unearthed a large, well-preserved 2-foot (60 centimeters) deep vat, along with a 3.5-foot (one meter) long basin made of clay and covered with malvidin. In addition to these discoveries were found grape seeds, remains of pressed grapes, prunes, walnuts, and desiccated vines. A number of drinking cups, found next to a set of ancient graves, were also excavated, suggesting that the site was used for funeral ceremonies and ritualistic practices. The cave was abandoned after its roof caved in, and the organic material was preserved thanks to sheep dung, which prevented fungi from destroying the remains.

The team's full findings will be published in future.

Panorama of the Areni-1 site along the Arpa River

Analysis

The preliminary results of the Chemical analysis of the residues from the bottom of the wine-press and the storage jars were published in the Journal of Archaeological Science in January 2011.

Botanical analysis and radiocarbon tests carried out by researchers at the University of California, Irvine and Oxford University have revealed the date of the Areni-1 winery to around 4100 BC and 4000 BC or the Late Chalcolithic Period. According to Areshian, the vintners used their feet to press the wine in the clay basin, the juice of which would then drain into the vat, where it would remain to ferment until being stored in jars. The capacity of the vat has been estimated to be about 14-15 gallons.

According to Areshian, the discovery of the winery has provided greater insight to the study of horticulture. Patrick E. McGovern, a biomolecular archaeologist at the University of Pennsylvania Museum, has likewise emphasized the importance of the discovery, describing it as "important and unique, because it indicates large-scale wine production, which would imply, I think, that the grape had already been domesticated."

The exact identity of the people who lived in the region at the time is not known, although some researchers have postulated that they may have belonged to the Kura-Araxes people and added that they may have been very involved in trade.

-


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.






--br via tradutor do google
O Areni-1 é uma vinícola de 6100 anos atrás, na Armênia.

É uma vinícola 6100-year-old que foi descoberto em 2007 no complexo de cavernas Areni-1, na aldeia de Areni na província Vayots Dzor da República da Arménia por uma equipe de arqueólogos armênios e irlandeses.

As escavações foram realizadas por Boris Gasparyan do Instituto de Arqueologia e Etnografia da Academia Nacional das Ciências da Arménia e Ron Pinhasi, do University College Cork (Irlanda), e foram patrocinados pela Fundação Gfoeller (EUA) e University College Cork. Em 2008, a Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA) também se juntou ao projeto. Desde então, as escavações foram patrocinado pela UCLA e da National Geographic Society também. As escavações da vinícola foram concluídas em 2010.

A adega é composta por cubas de fermentação, uma prensa de vinho, frascos de armazenamento, cacos de cerâmica, e acredita-se ser pelo menos mil anos mais velho do que a adega desenterrado na Cisjordânia em 1963, que é a segunda mais antiga conhecida atualmente.

O Areni-1 sapato foi encontrado na mesma caverna em 2008.

As escavações no site da Areni-1 começou em 2007 e continuou até setembro de 2010, quando armênio, American e arqueólogos irlandeses revelou totalmente uma grande e bem preservada de 2 pés (60 centímetros) cuba profunda, junto com um 3.5-pé (um metro ) de comprimento bacia feita de barro e coberta com malvidina. Além dessas descobertas foram encontradas sementes de uva, restos de uvas prensadas, ameixas, nozes e vinhas dessecadas. Um número de taças, encontrado ao lado de um conjunto de sepulturas antigas, também foram escavados, sugerindo que o local era usado para cerimônias fúnebres e práticas ritualísticas. A caverna foi abandonada após o telhado cedeu, eo material orgânico foi preservado graças a esterco de ovinos, o que impediu fungos de destruir os restos.

Resultados completos da equipe será publicado no futuro.

Panorama do local do Areni-1 ao longo do rio Arpa

Análise

Os resultados preliminares da análise química dos resíduos do fundo do lagar e os frascos de armazenamento foram publicados no Journal of Archaeological Science em janeiro de 2011.

Análise e testes de radiocarbono Botânico realizados por pesquisadores da Universidade da Califórnia, Irvine e Universidade de Oxford têm revelado a data da Areni-1 adega para cerca de 4100 aC e 4000 aC ou o período Calcolítico tarde. De acordo com Areshian, os viticultores usavam seus pés para pressionar o vinho na bacia de barro, o suco de que passaria então a escorrer para o IVA, onde permaneceria para fermentar até ser armazenados em frascos. A capacidade do IVA foi estimada em cerca de 14-15 litros.

De acordo com Areshian, a descoberta da adega tem proporcionado maior percepção para o estudo da horticultura. Patrick E. McGovern, um arqueólogo biomolecular da Universidade da Pensilvânia Museu, foi igualmente enfatizada a importância da descoberta, descrevendo-o como "importante e único, porque indica a produção de vinho de grande escala, o que implicaria, penso eu, que a uva já haviam sido domesticados. "

A identidade exata das pessoas que viviam na região no momento não é conhecida, embora alguns pesquisadores têm postulado que eles podem ter pertencido ao povo Kura-Araxes e acrescentou que eles podem ter sido muito envolvido no comércio.







January 15, the birthday of the great poet Mihai Eminescu (1850). --- 15 de janeiro, o aniversário do grande poeta Mihai Eminescu (1850). --- 15 IANUARIE ZIUA de NAȘTERE A MARELUI POET MIHAI EMINESCU (1850)

Mihai Eminescu (Romanian pronunciation: [miˈhaj emiˈnesku]; born Mihail Eminovici; 15 January 1850 – 15 June 1889) was a Romantic poet, novelist and journalist, often regarded as the most famous and influential Romanian poet. Eminescu was an active member of the Junimea literary society and worked as an editor for the newspaper Timpul ("The Time"), the official newspaper of the Conservative Party (1880–1918). His poetry was first published when he was 16 and he went to Vienna to study when he was 19. The poet's Manuscripts, containing 46 volumes and approximately 14,000 pages, were offered by Titu Maiorescu as a gift to the Romanian Academy during the meeting that was held on 25 January 1902. Notable works include Luceafărul (The Vesper/The Evening Star/The Lucifer/The Daystar), Odă în metru antic (Ode in Ancient Meter), and the five Letters (Epistles/Satires). In his poems he frequently used metaphysical, mythological and historical subjects.

Mihai Eminescu statue, Iași

Early years
Mihail (as he appears in baptismal records) or Mihai (the more common form that he used) was born in Botoșani, Moldavia. He spent his early childhood in Botoșani and Ipotești, in his parents' family home. From 1858 to 1866 he attended school in Cernăuți. He finished 4th grade as the 5th of 82 students, after which he attended two years of gymnasium.

The first evidence of Eminescu as a writer is in 1866. In January of that year Romanian teacher Aron Pumnul died and his students in Cernăuţi published a pamphlet, Lăcrămioarele învățăceilor gimnaziaști (The Tears of the Gymnasium Students) in which a poem entitled La mormântul lui Aron Pumnul (At the Grave of Aron Pumnul) appears, signed "M. Eminovici". On 25 February his poem De-aș avea (If I Had) was published in Iosif Vulcan's literary magazine Familia in Pest. This began a steady series of published poems (and the occasional translation from German). Also, it was Iosif Vulcan, who disliked the Slavic source suffix "-ici" of the young poet's last name, that chose for him the more apparent Romanian "nom de plume" Mihai Eminescu.

In 1867, he joined Iorgu Caragiale's troupe as a clerk and prompter; the next year he transferred to Mihai Pascaly's troupe. Both of these were among the leading Romanian theatrical troupes of their day, the latter including Matei Millo and Fanny Tardini-Vlădicescu. He soon settled in Bucharest, where at the end of November he became a clerk and copyist for the National Theater. Throughout this period, he continued to write and publish poems. He also paid his rent by translating hundreds of pages of a book by Heinrich Theodor Rotscher, although this never resulted in a completed work. Also at this time he began his novel Geniu pustiu (Wasted Genius), published posthumously in 1904 in an unfinished form.

On 1 April 1869, he was one of the co-founders of the "Orient" literary circle, whose interests included the gathering of Romanian folklore and documents relating to Romanian literary history. On 29 June, various members of the "Orient" group were commissioned to go to different provinces. Eminescu was assigned Moldavia. That summer, he quite by chance ran into his brother Iorgu, a military officer, in Cișmigiu Gardens, but firmly rebuffed Iorgu's attempt to get him to renew ties to his family.

Still in summer 1869, he left Pascaly's troupe and traveled to Cernăuţi and Iaşi. He renewed ties to his family; his father promised him a regular allowance to pursue studies in Vienna in the fall. As always, he continued to write and publish poetry; notably, on the occasion of the death of the former ruler of Wallachia, Barbu Dimitrie Știrbei, he published a leaflet, La moartea principelui Știrbei ("On the Death of Prince Știrbei").




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

colaboração:
Alexandra Anghelache

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.


--br via tradutor do google
15 de janeiro, o aniversário do grande poeta Mihai Eminescu (1850)

Mihai Eminescu (Romeno Pronúncia: [mihaj eminesku] (ouvir), nascido Michael Eminovici, 15 de janeiro 1850-15 junho 1889) foi um poeta romântico, escritor e jornalista, frequentemente considerado como o mais famoso e influente poeta romeno. Eminescu era um membro ativo da Sociedade e trabalhou como editor literário tempo Junimea ano para o jornal ("The Time"), o jornal oficial do Partido Conservador (1880-1918). Sua poesia foi o primeiro publicado quando tinha 16 anos e ele foi para Viena para estudar quando ele era 19. Os manuscritos do poeta, que contém 46 volumes e cerca de 14 mil páginas, foi oferecido por Maiorescu como um presente para a Academia Romena Durante a reunião que foi realizada em 25 de janeiro de 1902. [3] obras notáveis ​​incluem Star (A Vesper / The Evening Star / The Lucifer / O Daystar), Ode no medidor antigo (Ode no medidor antigo), e as cinco letras (Epístolas / sátiras). Em seus poemas freqüentemente usada Ele metafísico, mitológica e sujeitos históricos.
-
Primeiros anos
Michael (como Ele aparece nos registros batismais) ou Michael (a forma mais comum de que ele usou) nasceu em Botosani, Moldavia. Ele passou sua infância em Botosani e Ipoteşti em casa de família de seus pais. De 1.858-1.866 Freqüentou a escola em Chernivtsi. Ele terminou em quarto grau que o quinto de 82 alunos, após dois anos de que frequentou Gymnasium.

A primeira evidência de Eminescu como escritor é em 1866. Em janeiro do ano professor romeno Aron Que morreu e seu punho Chernivtsi alunos no panfleto publicado, lírio dos alunos vale gimnaziaşti (as lágrimas dos Estudantes Gymnasium), na qual um poema intitulado Em seu túmulo Aron Fist (no túmulo de Aron punho) aparece, assinado "M. Eminovici". Em 25 de fevereiro Seu poema Se eu tivesse (If I Had) foi publicado na revista literária de Iosif Vulcan Família em Pest. Isto começou uma série constante de poemas publicados (ea tradução ocasional de alemão). Além disso, bu Iosif Vulcan, que não gostava de a fonte sufixo eslavo "-ici" do sobrenome do jovem poeta, que escolheram para ele o mais aparente romeno "nom de plume" Mihai Eminescu.

Em 1867, juntou-se trupe de Iorgu Caragiale como balconista e prompter; No ano seguinte, Transferido para troupe de Michael Pascaly Ele. Ambos estes foram entre os principais grupos teatrais romenos do seu dia, incluindo este último Millo e Fanny Tardini-Matthew Vladicescu. Ele logo se instalou em Bucareste, no final de novembro, onde se tornou um funcionário e copista para o Teatro Nacional. Througho este período, a escrever e publicar poemas Ele continuava. Também Ele pagou aluguel por traduzir centenas de Suas páginas de um livro de Heinrich Theodor Rotscher, embora isso nunca resultou em um trabalho concluído. Também nessa época, ele começou seu romance deserto Engenharia (Genius desperdiçado), publicado postumamente em 1904 de uma forma inacabada.

Em 1º de abril de 1869, ele foi um dos co-fundadores da "Orient" círculo literário, cujos interesses incluiu a recolha de folclore e documentos relativos à história literária romeno. Em 29 de junho, vários membros do grupo "Oriente" foram encomendados para ir para diferentes províncias. Atribuída foi Eminescu Moldávia. Naquele verão, ha muito por acaso correu para Iorgu Seu irmão, um oficial militar, em Cismigiu Gardens, mas firmemente rejeitado a tentativa de Iorgu para levá-lo para renovar os laços com sua família.

Ainda no verão 1869 Deixou trupe de Pascaly e Viajou para Chernivtsi e Iasi. Ele renovou laços com sua família; Seu pai lhe prometeu um subsídio regular para estudos Perseguição em Viena no outono. Como sempre, a escrever e publicar Continuação Ele poesia; nomeadamente, por ocasião da morte do ex-governante de Valáquia, Barbu Dimitrie Ştirbei, ha Publicou um folheto sobre a morte do príncipe Ştirbei ("sobre a morte do príncipe Ştirbei").




--ro via tradutor do google
Mihai Eminescu (pronunția română: [mihaj eminesku]; născut Mihail Eminovici; 1.cincisprezece.1850-06.15.1889) a fost un poet romantic, prozator si jurnalist roman, de multe ori considerate ca fiind cel mai faimos și influent poet român. Eminescu a fost un membru activ al societății literare Junimea și a lucrat ca redactor la ziarul Timpul ("Timpul"), ziarul oficial al Partidului Conservator (1880-1918). Poezia sa a fost publicată pentru prima dată când avea 16 ani și a plecat la Viena pentru a studia, când a fost 19 Manuscrisele poetului, care conține 46 de volume și aproximativ 14.000 de pagini, au fost oferite de Titu Maiorescu ca un cadou pentru Academia Română în cadrul ședinței care a fost a avut loc la 25 ianuarie 1902. lucrări notabile includ Luceafărul (The Vesper / Luceafărul / Lucifer / a DAYSTAR), AOD în metru antic (Ode în metru antic), și cele cinci litere (Epistolele / satire). În poemele sale el a folosit frecvent subiecte metafizice, mitologice și istorice.
-
Primii ani
Mihail (așa cum apare în înregistrările de botez) sau Mihai (mai comuna forma pe care a folosit), sa născut în Botoșani, Moldova. El a petrecut copilăria timpurie în Botoșani și Ipotești, în casa familiei părinților săi. De la 1858 la 1866 a urmat școala la Cernăuți. El a terminat clasa a 4-a ca 5 de 82 elevi, după care a urmat doi ani de gimnaziu.

Prima dovada a Eminescu ca scriitor este în 1866. În luna ianuarie a acelui an profesor român Aron Pumnul a murit și studenții săi în Cernăuți a publicat un pamflet, Lăcrămioarele învățăceilor gimnaziaști (lacrimile Studenților Gymnasium) în care un poem intitulat La Mormantul lui Aron Pumnul (la mormântul lui Aron Pumnul) apare, semnat "M. Eminovici". La 25 februarie poemul său De-as avea (dacă am avut), a fost publicat în revista literară a lui Iosif Vulcan Familia in Pesta. Aceasta a început o serie constantă de poeme publicate (și traducerea din limba germană ocazionale). De asemenea, a fost Iosif Vulcan, care displăcea sufixul sursă slavă "ICI" de nume tânărului poetului, care a ales pentru el mai evidente românesc "pseudonim" Mihai Eminescu.

În 1867, el sa alăturat trupa Iorgu Caragiale ca un functionar si prompter; în anul următor sa transferat la trupa lui Mihai Pascaly lui. Ambele au fost printre cei mai importanti trupele de teatru din România din zilele lor, aceasta din urmă incluzând Matei Millo și Fanny Tardini-Vladicescu. Curând sa stabilit la București, unde, la sfârșitul lunii noiembrie, el a devenit un funcționar și copist la Teatrul Național. De-a lungul acestei perioade, el a continuat să scrie și să publice poezii. El a plătit, de asemenea, chiria, prin traducerea sute de pagini dintr-o carte de Heinrich Theodor Rotscher, deși acest lucru nu a dus la o lucrare finalizată. De asemenea, la acest moment a început romanul Geniu pustiu (Genius a fost dată), publicat postum în 1904 într-o formă nefinisată.

La 1 aprilie 1869 a fost unul dintre co-fondatorii cercului literar "Orient", ale cărei interese inclus colectarea de folclor și a documentelor referitoare la istoria literară Romanian Romanian. La 29 iunie, diferiți membri ai grupului "Orient", au fost comandate pentru a merge la diferite provincii. Eminescu a fost atribuit Moldovei. În vara aceea, el destul de întâmplător a fugit în fratele său Iorgu, un ofițer militar, în Parcul Cișmigiu, dar a respins ferm încercarea Iorgu lui să-l să-și reînnoiască legături cu familia sa.

Tot în vara 1869 a plecat trupa Pascaly și a călătorit în Cernăuți și Iași. El a reînnoit legături cu familia sa; tatăl său ia promis o alocație regulat pentru a-și continua studiile la Viena in toamna. Ca întotdeauna, el a continuat să scrie și să publice poezie; în special, cu ocazia morții fostului domnitor al Țării Românești, Barbu Știrbei, a publicat un prospect, La moartea principelui Știrbei ("La moartea prințului Știrbei").

ANDIJAN MUSEUM OF LITERATURE AND ART. --- Andijan MUSEU DE ARTE E LITERATURA. Uzbequistão

Is one of the youngest museums in the city and throughout the region. It was founded in 1989, and 20 years of existence, collected a large and very interesting collection of art objects, paintings, literary works, sculptures, masterpieces of folk artists, and more.The building, which houses the museum - a valuable architectural pamyatnik.Eto most famous complex "Jami", which includes a mosque, minaret and madrasah, built in 1892. 

Since then, the complex was used for religious obrazovaniya.Zatem was here a museum of literature, and later - of literature and art, which contains about 300 works of art, more than 500 graphic works, about 30 sculptures, more than 1,000 pieces of folk art. In the museum, visitors can see the most famous in the Uzbekistan names of painters, with their works, with modern art. All rooms of the museum are decorated in the same style, with elements of ethnic patterns and ornaments - folk art of the region.




Andijan has a bunch of small museums, the most important of which is the Babur Literary Museum. Babur studied in a madrassa on this site, and the design of the heavily rebuilt structure harks back to its original use. A rose garden retreat from the pounding anvils of Bazernaya Street craftsmen is this former madrassah given over to one of its former pupils. Destroyed after Babur's departure, it was restored in the 18th century first for use as Andijan's town hall, and then as the Ark Ichy, residence of the city's ruling family. It opened as a museum in 1990 and the carefully laid-out garden with formal planting also dates from this time.

The exhibits inside the museum celebrate Babur's poetry and prose, liberally sprinkled with reproductions of famous miniatures and paintings of chapters in his story. One entitled 'Babur feels ill' shows the conqueror in India, suffering the poison legend suggests was secretly administered by the mother of Delhi's defeated Sultan. He asked for one of his beloved Ferghana melons to ease his pain. Told three times it was Indian, he recognized at first bite the sweet taste and aroma of far-off Ferghana.

Babur's autobiographical chronicle, the Baburnama, is one of the most important historical sources we have from the 1500s and he was a fine wordsmith as well as a warrior and statesman. Text displays (which can be a little monotonous) are interspersed with attractive reproductions of miniature paintings and larger-scale scenes from Babur's life, fleshing out the picture of a man who changed the fate of the Indian subcontinent.

One hall is devoted to Andijani poetess Nadira Beg (1792-1842), wife of Omar, khan of Kokand, and long-time Babur fan. The museum is open 9am-6pm, closed Sunday and Monday, at 21 Bazernaya St.

ANDIJAN REGIONAL MUSEUM

From the ancient times, the Fergana Valley has always been a prosperous land. In different historical periods, Fergana saw strong states which left behind an impressive legacy. These are monuments of architecture, arts and crafts, various findings of the ancient period, sculptures and works of art. Today, these monuments are closely examined by scientists and stored in various museums of Uzbekistan. Andijan Regional Museum is one of such museums. 

All exhibits of the museum’s fund were discovered in Fergana region or belong to the history of this area. The museum’s entire collection is divided into many areas: ethnography, fine art, applied arts, archeology and many other. The museum houses a vast collection of exhibits describing the life of the population of Fergana region in the ancient, antique, medieval periods of the regional history. The museum collection comprises of over 66,000 exhibits. 

It includes not only archaeological findings, but also the works of contemporary masters of Fergana region: artists and artisans, who, following the traditions of their predecessors, are reviving the ancient craft of the great masters of the Fergana region. The museum exposition is constantly updated. The museum regularly holds various exhibitions, both in Fergana and all over Uzbekistan. Also, each year Andijan Regional Museum, along with other museums of Uzbekistan, displays its best contemporary works in the Gallery of Fine Arts of Uzbekistan. Thus, anyone can see the exposition.
--





fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.






--br via tradutor do google
Andijan MUSEU DE ARTE E LITERATURA

É um dos museus mais novos da cidade e em toda a região. Foi fundada em 1989, e 20 anos de existência, recolheu uma coleção grande e muito interessante de objetos de arte, pinturas, obras literárias, esculturas, obras-primas de artistas populares e construção more.The, que abriga o museu - uma pamyatnik arquitetônico valioso .Eto mais famoso complexo "Jami", que inclui uma mesquita, minarete e madrasah, construído em 1892. Desde então, o complexo foi usado para obrazovaniya.Zatem religiosa era aqui um museu de literatura, e mais tarde - da literatura e da arte, que contém cerca de 300 obras de arte, mais de 500 trabalhos gráficos, cerca de 30 esculturas, mais de 1.000 peças de arte popular. No museu, os visitantes podem ver o mais famoso nos nomes de pintores Uzbequistão, com as suas obras, com arte moderna. Todas as salas do museu estão decorados no mesmo estilo, com elementos de padrões e ornamento étnicos - arte popular da região.

Andijan tem um monte de pequenos museus, o mais importante dos quais é o Museu Literário Babur. Babur estudado em uma madrassa neste site, eo design da estrutura pesadamente reconstruído remonta a seu uso original. Um retiro jardim de rosas das bigornas batendo de artesãos Bazernaya rua é esta antiga madrassah entregue a um dos seus antigos alunos. Destruída depois da partida de Babur, foi restaurado no século 18 pela primeira vez para o uso como da Câmara Municipal de Andijan, em seguida, como a Arca Ichy, residência da família governante da cidade. Foi inaugurado como museu em 1990 e jardim cuidadosamente estabelecidas-out com plantio formais também data dessa época.

As exposições dentro do museu comemorar poesia e prosa de Babur, generosamente polvilhado com reproduções de pinturas famosas e miniaturas de capítulos de sua história. Um intitulada "Babur se sente doente" mostra o conquistador na Índia, sofrendo a lenda sugere veneno foi administrado secretamente pela mãe de Delhi derrotou Sultan. Ele pediu para um de seus melões amados Fergana para aliviar sua dor. Disse três vezes que era indiano, ele reconheceu a princípio morder o sabor doce e aroma de distante Ferghana.

Crônica autobiográfica de Babur, o Baburnama, é uma das fontes históricas mais importantes que temos a partir dos anos 1500, e ele era um bom wordsmith, bem como um guerreiro e estadista. Ecrãs de texto (que pode ser um pouco monótono) são intercalados com reproduções de pinturas em miniatura atraentes e cenas de maior escala da vida de Babur, consubstanciar a imagem de um homem que mudou o destino do subcontinente indiano.

Uma sala é dedicada a Andijani poetisa Nadira Beg (1792-1842), esposa de Omar, khan de Kokand, e de longa data fã Babur. O museu está aberto nove horas - seis horas, fechado domingo e segunda-feira, aos 21 Bazernaya St.

MUSEU REGIONAL Andijan

Desde os tempos antigos, o Vale do Fergana sempre foi uma terra próspera. Em diferentes períodos históricos, Fergana viu estados fortes, que deixaram para trás um legado impressionante. Estes são monumentos de arquitetura, artes e ofícios, vários achados do período antigo, esculturas e obras de arte. Hoje, estes monumentos são examinados de perto pelos cientistas e armazenados em vários museus do Uzbequistão. Andijan Museu Regional é um desses museus. Todas as exposições de fundo do museu foram descobertos na região Fergana ou pertencem à história desta área. 

Toda a coleção do museu é dividido em várias áreas: etnografia, das belas artes, artes aplicadas, arqueologia e muitos outros. O museu abriga uma vasta coleção de exposições que descrevem a vida da população da região de Fergana nas antigas antigas, períodos medievais da história regional. O acervo do museu é composto por mais de 66.000 exposições. Ela inclui não apenas achados arqueológicos, mas também as obras de mestres contemporâneos da região Fergana: artistas e artesãos, que, seguindo as tradições de seus antecessores, estão revivendo a antiga arte dos grandes mestres da região de Fergana. A exposição do museu é constantemente atualizado. 

O museu realiza regularmente várias exposições, tanto em Fergana e em todo o Uzbequistão. Além disso, a cada ano Andijan Museu Regional, juntamente com outros museus do Uzbequistão, exibe suas melhores obras contemporâneas na Galeria de Belas Artes do Uzbequistão. Assim, qualquer um pode ver a exposição.

Musée Antoine Brun --- Museu Antoine Brun, Sainte-Consorce, França

A la suite d'une rénovation, le musée Antoine Brun a ouvert ses portes en juillet 2010 et présente une collection de 160 maquettes en bois dans une muséographie moderne.

Le Musée est constitué de maquettes en bois
des plus beaux édifices de France et du monde réalisées par
Antoine BRUN, paysan artiste de Sainte Consorce, ...

Né en 1822 dans une famille de cultivateurs aisés, Antoine Brun se découvre une passion hivernale pour le bois. A une date inconnue, il commence à reproduire en miniature des monuments du monde entier. Il aurait ainsi sculpté près de 400 maquettes d'architecture d'époques variées sans avoir jamais voyagé au-delà de Lyon.

Les maquettes réalisées par Antoine Brun ont connu de nombreuses péripéties. Après être passée dans les mains de plusieurs propriétaires, la collection est vendue en 1946. Pendant près de 30 ans, plus personne n'en entendit parler jusqu'à ce que les maquettes soient redécouvertes chez un antiquaire et acquises par la collectivité.

Aujourd'hui, le musée conserve 160 maquettes intégralement visibles dans un mur de réserve. En le parcourant, vous serez conviés à un voyage immobile qui vous mènera en Australie, Russie, aux Etats-Unis ainsi que dans de nombreuses régions françaises.

Vous pourrez également apprécier la précision avec laquelle Antoine Brun a travaillé certains détails d'architecture comme les colonnes, les fenêtres, les sculptures ...

Antoine Brun a réalisé des maquettes représentant différents lieux de pouvoir : châteaux, palais, hôtels de ville, préfectures ...

Ces bâtiments sont le reflet des multiples régimes politiques qui se sont succédés dans le temps. Venez découvrir des monuments emblématiques comme le Louvre, le palais des doges de Venise ou le Capitole de Washington reproduits en miniature.

Le Musée Antoine Brun accueille vos enfants pendant les vacances scolaires et leur propose des ateliers pédagogiques et ludiques autour de la maquette. Ce sont des ateliers d’expérimentation pour les enfants de 4 ans et plus portant sur le travail en trois dimensions à travers des thématiques telles que la fabrication d’une « maison de rêve », ou « comment devenir maquettiste ? ».




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://ccvl.fr/page.php?sid=&page=DT1295444370&lang=fr&codej=france&time=20160111044834

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.

--br via tradutor do google
Antoine Brun Museum

Depois de uma renovação, o museu Antoine Brun inaugurado em Julho de 2010 e apresenta uma coleção de 160 modelos de madeira em um museu moderno.

Nascido em 1822 em uma família de fazendeiros ricos, Antoine Brown descobriu uma paixão pela madeira do inverno. Em uma data desconhecida, começa a reproduzir em miniatura monumentos em todo o mundo. Ele teria esculpido cerca de 400 diferentes períodos de modelos arquitectónicos sem nunca viajou para além de Lyon.

Os modelos criados por Antoine Brown experimentou muitas aventuras. Depois de passar para as mãos de vários proprietários, a coleção foi vendida em 1946. Por quase 30 anos, ninguém ouviu falar sobre isso até que os modelos são re-descoberto em uma loja de antiguidades e adquirido pela comunidade.

Hoje, o museu abriga 160 modelos totalmente visíveis fornecidos em uma parede. Ao navegar, você será convidado para uma viagem estacionário que irá levá-lo para a Austrália, Rússia, Estados Unidos e em muitas regiões francesas.

Você também vai apreciar a precisão com que Antoine Brun trabalhou alguns detalhes arquitectónicos como colunas, janelas, esculturas ...

Anthony Brown fez modelos representando diferentes centros de poder: castelos, palácios, câmaras municipais, prefeituras ...

Estes edifícios refletem vários regimes políticos que se sucederam no tempo. Descubra monumentos emblemáticos como o Louvre, o Palácio dos Doges de Veneza ou o Capitólio, em Washington reproduzido em miniatura.