domingo, 27 de março de 2016

Cultura - Candomblé no Brasil. - Tradição. Grupo faz lavagem da escadaria na Catedral Metropolitana de Campinas, São Paulo, Brasil.

Ritual é tradição de comunidades do Candomblé e acontece em todo país.
Cerimônia ocorre neste sábado (26), na Praça José Bonifácio, no Centro.


Em Campinas (SP), a tradicional lavagem da escadaria da Catedral Metropolitana ocorre nesta manhã de sábado (26), na Praça José Bonifácio, na região central. A cerimônia, que é uma tradição de grupos religiosos do Candomblé, ocorre pela 31ª vez. No local, grupos culturais também farão apresentações.

Na cerimônia, grupos fazem a lavagem da escadaria
com alfazema, flores e água (Foto: Fabiana Ribeiro)


O evento, que acontece durante todo o dia, deve reunir cerca de 500 pessoas e conta com a participação de integrantes de religiões afro-brasileiras de Campinas e grupos de cultura popular do município.

Ritual
Na tradição, a lavagem das escadarias é feita com essência de alfazema, flores e água. A cerimônia busca compartilhar as energias positivas, originárias de ervas e elementos da natureza, com o público para tratamento terapêutico e energético.

Trajeto
Durante a cerimônia, os grupos participarão de uma procissão com saída da Estação Cultura, seguindo em cortejo pela Rua Treze de Maio até a Catedral. No trajeto, haverá a apresentação do Grupo de Teatro e Dança Savuru e Capoeira Ibeca, grupo Casa de Cultura Tainã, Comunidade Jongo Dito Ribeiro, Grupo Urucungos, Puitas e Quijengues, Ponto de Cultura Ibaô, Bateria Alcalina e Bloco União Altaneira e o Samba de Yayá.

O público terá ainda a oportunidade de saborear comidas típicas, como acarajé, abará, pastel e outros nas barracas localizadas na Praça José Bonifácio (em frente a Catedral).


Programação
9h – Concentração na Estação Cultura
10h – Descida em Procissão pela Rua 13 de Maio
12h – Cerimônia Religiosa e Lavagem da Escadaria
13h às 17h – Shows e apresentações culturais
17h – Encerramento




Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.

Ngưỡng vẻ đẹp đến nghẹt thở ở Sơn Đoòng, Việt Nam. --- Beleza de tirar o fôlego em Son Doong, no Vietnã. --- .Breathtaking beauty in Son Doong, Vietnam.

Ngưỡng vẻ đẹp đến nghẹt thở ở Sơn Đoòng, Việt Nam.

-
Sau khi đài truyền hình Mỹ lên sóng, khán giả khắp thế giới như nín thở trước vẻ đẹp hoang sơ, kỳ vĩ và tráng lệ ở hang Sơn Đoòng (Quảng Bình) - nơi được mệnh danh là “thiên hạ đệ nhất động”.

-

Hang Sơn Đoòng kỳ bí nằm trong quần thể hang động ở Vườn quốc gia Phong Nha – Kẻ Bàng (huyện Bố Trạch, Quảng Bình) và là một phần của hệ thống ngầm nối với hơn 150 hang động khác ở Việt Nam.

Sơn Đoòng được phát hiện vào năm 1991, bởi anh Hồ Khanh, một người dân địa phương. 

Tuy nhiên, mãi đến năm 2009, Hiệp hội Hang động Hoàng gia Anh tìm tới thám hiểm, khám phá và cho cả thế giới biết đến hệ thống hang động này.

Hang Sơn Đoòng rộng 200 m, cao hơn 150 m với chiều dài ít nhất 8,5 km là hang động tự nhiên lớn nhất thế giới hiện nay. Với những hình ảnh về vườn địa đàng trong lòng hang, bức tường thạch nhũ khổng lồ hay bộ sưu tập “ngọc trai” hàng vạn năm tuổi, người xem đã phải sửng sốt với sự kì vĩ mê hoặc đến khó tin của hang Sơn Đoòng.



Bắt đầu thám hiểm Sơn Đoòng


Từ cửa hang Sơn Đoòng nhìn ra bên ngoài


Những ánh sáng trắng chiếu thẳng vào bên
trong hang tăng thêm vẻ lung linh kì bí


Khi đặt chân vào sâu, MC Ginger Zee ví von hang
“như một mặt đất phủ đầy cát trắng mịn màng”


Những khối thạch nhũ kết thành những hình thù tráng lệ


Thảm thực vật đẹp kì bí bên trong vòm hang


Những bức tượng thạch nhũ khổng lồ kết thành bộ sưu tập
 “ngọc trai” hàng vạn năm tuổi khiến người xem sửng sốt


Các nhà khoa học đã chứng minh,
những hóa thạch này có thể lên tới 400 triệu tuổi


Nét đẹp hoang sơ kì thú bên trong hang


Nét đẹp kỳ vĩ bên trong hang khiến khán giả xem
“Good Morning America” (Chào buổi sáng nước Mỹ) nín thở


Dòng suối mát rượi với vẻ đẹp mê hồn


Sơn Đoòng được ví như “vườn địa đàng” trên mặt đất.








Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.







--br via tradutor do google

beleza de tirar o fôlego em Son Doong, no Vietnã.

-

Após o programa de TV americano foi ao ar, audiências em todo o mundo prendeu a respiração diante da beleza selvagem, espectacular e magnífica em Son Doong caverna (Quang Binh) - que é conhecido como o "Primeiro galáxia ativa".

-
Pendure Son Doong em cavernas misteriosas no Parque Nacional de Phong Nha - Ke bang (Bo Trach District, Quang Binh) e faz parte do sistema subterrâneo que liga mais de 150 outras cavernas no Vietnã.

 Son Doong caverna foi descoberta em 1991, pelo Sr. Ho Khanh, um povo locais.
-
No entanto, até 2009, British Caving Associação procuram explorar, descobrir, e por todo o mundo conhecido sistema de cavernas.
-
Son Doong caverna fica a 200 metros de largura, 150 metros superior com pelo menos 8,5 km de comprimento é a maior caverna natural no mundo de hoje. Com imagens do Jardim do Éden na gruta, paredes estalactites gigantes ou coleções "pérolas" dezenas de milhares de anos de idade, têm espectadores chocados com uma latitude incrivelmente encantadora de Son Doong caverna .
-
legendas das imagens acima

Comece explorador Son Doong

De porta da caverna Son Doong a olhar para fora
A luz branca brilha diretamente na caverna aumentos parecem misteriosa cintilante
Quando pôs os pés em profundidade, MC Ginger Zee caverna simile "como um chão de areia branca lisa"

O estalactite combinados em formas magníficas
bela vegetação dentro da cúpula misteriosa caverna
A estátua gigante estalactite da coleção a "pérola" dezenas de milhares de anos de idade fazer os espectadores chocados

Os cientistas provaram, estes fósseis pode ser de até 400 milhões de anos
beleza intocada intrigante dentro da caverna
beleza espetacular dentro da caverna faz com que a platéia assistindo "Good Morning America" ​​(Good Morning America) prenderam a respiração
Legal fluxos com beleza deslumbrante
Son Doong é como "paraíso" na terra.





--in via tradutor do google
Breathtaking beauty in Son Doong, Vietnam.
-
After the American TV show aired, audiences around the world held their breath before the wild beauty, spectacular and magnificent in Son Doong cave (Quang Binh) - which is known as the "First active galaxy".
-
Hang Son Doong in mysterious caves in the national park of Phong Nha - Ke Bang (Bo Trach District, Quang Binh) and is part of the underground system connecting more than 150 other caves in Vietnam.

 Son Doong cave was discovered in 1991, by Mr. Ho Khanh, a local people.
-
However, until 2009, British Caving Association looking to explore, to discover, and to all the world known cave system.
-
Son Doong cave is 200 meters wide, 150 meters higher with at least 8.5 km length is the largest natural cave in the world today. With images of the Garden of Eden in the grotto, stalactites giant walls or collections "pearls" tens of thousands of years old, have shocked viewers with an incredibly enchanting latitude of Son Doong Cave .
-

Start explorer Son Doong

From Son Doong cave door to look outside
The white light shines directly into the cave increases seem mysterious shimmering
When set foot in depth, MC Ginger Zee cave simile "like a white sandy ground smooth"

The stalactite combined into magnificent shapes
Beautiful vegetation inside the dome mysterious cave
The giant stalactite statue of the collection the "pearl" tens of thousands of years old make viewers shocked

Scientists have proved, these fossils can be up to 400 million years old
Intriguing unspoiled beauty inside cave
Spectacular beauty inside the cave makes the audience watching "Good Morning America" ​​(Good Morning America) held their breath
Cool streams with stunning beauty
Son Doong is like "paradise" on earth.

100 anos de Museu Nacional Grão Vasco

No programa de comemoração constam mais de 50 iniciativas museológicas, expositivas, artísticas, educativas e editoriais. A festa prolonga-se até março de 2017.

Este mês há festa em Viseu. Tudo para comemorar uma data festiva relativa “ao” Museu da cidade, o Museu Nacional Grão Vasco que comemora o seu centenário. A data será assinalada com um programa de iniciativas alusivas à efeméride, que envolvem toda a cidade sob o mote “A Festa do Museu, a Festa de Viseu” e que pretendem dar a conhecer aquele que é um dos tesouros do património histórico e cultural português. 




No total estão agendadas mais de 50 iniciativas museológicas, expositivas, artísticas, educativas e editoriais que decorrem até março do próximo ano. O programa do centenário é de âmbito nacional, conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República.

O ponto alto das comemorações ocorreu, é claro, a 16 de março, mas os eventos prolongam-se no tempo. Na agenda consta o lançamento de edições temáticas, celebrações solenes, um concerto do Coro do Teatro Nacional de São Carlos e termina com a inauguração da exposição “História do Museu Nacional Grão Vasco”, desde os antecedentes da sua fundação à atualidade.

Mas há iniciativas que já começaram. É o caso das exposições “Diálogos Intemporais” do escultor Rogério Timóteo, uma parceria com a galeria ArtG de Viseu e “Korntal – Aguarelas, de Júlio Resende”, um projeto promovido em parceria com a Ordem dos Advogados – Delegação de Viseu, que podem ser vistas até 26 de junho. A estas juntar-se-á a exposição “Janelas Indiscretas”, uma intervenção a quatro tempos no pátio interior do museu.

Sobre o Museu Nacional Grão Vasco – MNGV

• Foi fundado a 16 de março de 1916, por Francisco Almeida Moreira, com o objetivo de preservar e valorizar o património histórico, artístico e arqueológico da região de Viseu, em especial as pinturas de Vasco Fernandes;

• Está localizado no centro histórico da cidade no Paço dos Três Escalões, um imponente edifício granítico do século XVI no Adro da Sé Catedral;

• O seu acervo resulta de aquisições, legados e doações, atualmente reúne obras de arte de diversa tipologia e épocas, incluindo 22 bens classificados como tesouros nacionais;

• A coleção principal é constituída por um conjunto de pinturas de retábulo, provenientes da Catedral, de igrejas da região e de depósitos de outros museus, da autoria de Vasco Fernandes (c. 1475-1542), o Grão Vasco, bem como dos seus colaboradores e contemporâneos;

• Reúne também objetos e suportes figurativos, originalmente destinados a práticas litúrgicas – pinturas, esculturas, peças de ourivesaria e marfins, do Românico ao Barroco, peças de arqueologia, uma coleção de pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, exemplares de faiança portuguesa, porcelana oriental e mobiliário;

• Entre 2001 e 2003, o edifício foi alvo de um projeto de intervenção da autoria do arquiteto Eduardo Souto Moura que libertou o seu interior de elementos apostos e desvirtuantes, adapto-o às exigências de um novo programa museológico;

• Foi classificado museu nacional em maio de 2015, um ato inédito e que não se registava desde 1965, passando a ser o terceiro museu com a designação de nacional localizado fora de Lisboa, além dos museus Soares dos Reis no Porto e Machado de Castro em Coimbra.
Exposições

100 Anos Museu Nacional Grão Vasco.

Dos antecedentes da fundação à atualidade Exposição multimédia de forte componente memorial que dá a conhecer e celebra o percurso histórico do MNGV, desde a data de publicação em Diário do Governo da sua fundação (Decreto n.o 2:284-C, n.o 51), no dia 16 de março de 1916, até aos dias de hoje.

Patente até 26 de junho de 2016

Local: Museu Nacional Grão Vasco

Aguarelas de Júlio Resende

Projeto expositivo em parceria com a Ordem dos Advogados – Delegação de Viseu Patente até 1 de maio de 2016

Local: Museu Nacional Grão Vasco

Diálogos Intemporais.

Escultura de Rogério Timóteo Projeto expositivo em parceria com a Galeria de Arte ArtG de Viseu Patente até 26 junho de 2016

Local: Museu Nacional Grão Vasco

Museu Nacional Grão Vasco, Reservas em Bruto. Pintura e Escultura dos séculos XVI e XVII

Inauguração dia 19 às 18h30

Mostra de pintura e escultura dos séculos XVI e XVII, que torna visível uma seleção de obras provenientes das reservas do Museu Nacional Grão Vasco que, por razões de opção de discurso museológico, não se encontram expostas permanentemente ao público. O percurso expositivo distribui-se por seis momentos: “A partir de Grão Vasco”, “Olhar um olhar”, “Espaço absoluto”, “Composições retabulares”, “Imaginária devocional” e “O toque do invisível”, um espaço dedicado a conteúdos multimédia onde será possível conhecer outras obras do espólio do Museu Nacional Grão Vasco.
 Projeto desenvolvido em parceria com o Centro Cultural de Cascais/Fundação D. Luís I e apoio da Sogrape Vinhos. Patente até 26 de junho de 2016

Local: Centro Cultural de Cascais

Museu Nacional Grão Vasco
Horário: Terça-feira das 14h00 às 18h00, quarta-feira a domingo das 10h00 às 18h00
Encerra às 2.as feiras, 3a feiras de manhã e nos dias 25 de Dezembro, 1 de Janeiro, domingo de Páscoa e 1 de Maio

Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti
www.facebook.com/Museu-Nacional-Grão-Vasco
 
Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.

Agendas Mundi LXX– Museos en Somalia - · en CULTURA, MUSEO, OPINIÓN, PATRIMONIO, RELATO, VIAJES. ·

Antigua colonia británica, italiana y francesa, es otro de los países africanos que sufren el estigma del “no es recomendable viajar allí”. Las embajadas avisan de que solo se visite Somalia si es totalmente imprescindible, el turismo se queda fuera entonces de la posibilidad de aproximarse al país, recorrerlo y observar. Desgraciadamente, es más de lo mismo, otro país africano devastado por la violencia de las guerras civiles. No nos quedan ganas de desarrollarlo mucho más, la verdad.

Pascal Maitre para National Geographic

La mayor parte de los museos se concentraban en las ciudades de Mogadisio, la capital, Hargeisa, pero la mayoría fueron destruidos con sus colecciones. Los museos somalíes, en tiempos de paz, nunca se recuperaron. Actualmente, se está intentando la repatriación de objetos arqueológicos fundamentalmente, aunque no haya museo donde puedan ser expuestos. Los recursos para revitalizar el movimiento cultural del país son nulos.

Museo Nacional de Somalia (sin website) | Mogadisio



El Museo nacional de Somalia fue establecido por los italianos en 1934 en Mogadiscio, Somalia. Empezó en el Antiguo Museo Garesa un edificio que se remonta a 1872. En 1933 fue reconstruido y adaptado como el Museo de Somalia (Museo della Somalia) y se abrió al público en 1934. Tras la independencia de Somalia en 1960 fue convertido en un Museo Nacional. Cuando el Museo Nacional se trasladó en 1985 cambió a su nombre a Museo Garesa (Museo della Garesa) y se convierte en un museo regional. Debido a la guerra civil en Somalia, el museo cerró en 1991 y el edificio fue gravemente dañado. Un nuevo Museo Nacional se estableció en un edificio al otro lado de la calle en donde se encontraba el antiguo.

Museo Provincial de Hargeisa (sin website) | Hargeisa



El Museo de la Provincia de Hargeisa (HPM) se inauguró en 1977, situado en el noroeste del área de Woqooyi Galbeed. Fue le primer museo del país desde su declaración de la independencia en 1960. Cuando el museo abrió sus puertas, la exposición principal trataba de temas etnográficos, muchas dela piezas de la exhibición fueron donadas por vecinos de Hargeisa. Los objetos se expusieron sobre muebles lineales de 20 metros de longitud sin cristal alguno de protección, un mueble por cada sala del museo. El museo disponía entonces de dos trabajadores: un jardinero y una señora que limpiaba, por lo suele museo se comenzó a deteriorar poco después de su inauguración. En 1981 comenzó su renovación, eliminando los muebles corridos para que fueran sustituidos por 23 vitrinas. En total se expusieron 4.000 objetos dentro de las nuevas vitrinas, para ser reducida a 1.400 objetos poco después, el resto se quedó en el almacén. El expositor principal está dedicado a la exposición de armas del militar local Sayyid Mohammed Abdullah Hassan y sus ejército entre 1901 y 1921.
Bur Akaba


 Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti
Espacio Visual Europa (EVE)
Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.
A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.
Vamos compartilhar.