Listen to the text.

sábado, 9 de abril de 2016

Muitos dos navios naufragados na costa brasileira podem ser visitados por meio do mergulho.

No início do século XX, o Aymoré se destacava dos demais navios a vapor da navegação costeira do Brasil devido à sua estrutura de ferro reforçado construída em 1883, na Grã-Bretanha. Em seus 37 anos de atuação, o navio transportou passageiros e as mais variadas cargas entre Montevidéu, no Uruguai, e Recife (PE), com escalas em diversos portos brasileiros. 

Na madrugada do dia 23 de julho de 1920, o céu estava estrelado quando o Aymoré partiu do Porto de Santos para uma viagem de rotina em direção ao Rio de Janeiro. Entretanto, ao se aproximar do canal de São Sebastião, o navio se deparou com as fortes ondas de uma tempestade e um denso nevoeiro. Apesar de todo o esforço da tripulação, não foi possível evitar que o Aymoré naufragasse ao atingir as rochas na Ponta do Ribeirão, em Ilhabela (SP). 


Divulgação/MTur



Quase um século depois, o Aymoré permanece às margens de Ilhabela, submerso em uma lâmina d’água de 11 metros. A oportunidade de visitar esse "museu" subaquático que preserva a história da navegação brasileira do início do século XX, além de abrigar diversas espécies marinhas tem inspirado turistas à pratica de mergulho turístico pelo país. 

Em 2015, a oceanógrafa de 25 anos Bárbara Villamarin realizou uma visita ao navio em seu primeiro mergulho turístico a um naufrágio, motivada pela diversidade de espécies marinhas que residem no local. "A estrutura do navio possibilita um desenvolvimento da fauna marinha muito superior ao ambiente natural devido à proteção que ela oferece em relação às ondas e fortes correntes que ocorrem na região", afirma. 


Divulgação/MTur

O mergulho autônomo turístico é reconhecido pelo Ministério do Turismo (MTur) como atividade do segmento de aventura. De acordo com um estudo da Pasta, 19% dos estrangeiros que visitam o Brasil são motivados pela aventura. No litoral brasileiro há mais de 20 mil naufrágios que datam desde a época do descobrimento do Brasil, de acordo com o levantamento publicado no livro Naufrágios do Brasil: Uma cultura submersa, de José Carlos Silvares, em 2010. 

As embarcações estão localizadas às mais variadas distâncias da costa. Algumas só podem ser alcançadas navegando algumas milhas em alto mar, e outras cujas peças podem ser avistadas da superfície ou com o uso de snorkel, como o Velasquez, em Ilhabela. Contudo, somente com mergulho autônomo, com o uso de equipamentos de respiração prolongada, é possível identificar cada parte do navio e as espécies que o habitam. 

O navio transatlântico britânico, Velasquez, foi construído em 1905 para o transporte de passageiros e outras cargas entre a Europa, Estados Unidos e América do Sul. Em seus três anos cruzando o oceano Atlântico, o navio não enfrentou grandes problemas pois as cartas náuticas já tinham registro de todos os obstáculos que ele enfrentaria em seu trajeto. Contudo, na noite de 16 de outubro de 1908, o navio enfrentou neblina, chuva e fortes ondas em sua chegada à entrada do canal de São Sebastião, no litoral paulista. Nesta noite, o Velasquez transportava duas mil sacas de café e 56 passageiros com destino à Nova York e Liverpool. 


Divulgação/MTur

Ao se aproximar das rochas da Ponta da Sela, em Ilhabela, o capitão que conduzia o navio em marcha lenta ainda teria tentado reverter os motores e desviar, mas não obteve sucesso. A colisão rompeu o casco do navio em vários pontos, selando para sempre o seu destino. A carga do navio foi retirada e todos os passageiros e tripulantes foram resgatados. Entretanto, os esforços para salvar o transatlântico de 140 metros foram em vão. A embarcação afundou lentamente e hoje repousa a oito metros de profundidade e cinco metros de distância da ilha. 

A cidade de Guarapari (ES) é referência para a prática do mergulho. Os turistas que anteriormente visitavam a cidade para conhecer a Igreja Matriz, construída em 1585, e a Casa da Cultura, erguida no século XVIII, desenvolveram também o desejo de conhecer as embarcações históricas que estão submersas no litoral da cidade. 

O navio cargueiro britânico Bellucia, considerado de grande porte no início do século XX, naufragou em fevereiro de 1903, após colidir com a ilha da Escalvada, no litoral de Guarapari, e se partir no compartimento das caldeiras. Atualmente, o navio está a 20 metros de profundidade. A proa e a popa se encontram a 150 metros de distância uma da outra em bom estado de preservação. 

Litoral pernambucano: no litoral brasileiro também há embarcações que foram naufragadas propositalmente para se tornarem atrativos turísticos como os três pequenos rebocadores a poucas milhas da praia de Boa Viagem, em Recife: O Lupus, o Minuano e o Servemar X. As embarcações, construídas em 1955, estão a cerca de 30 metros de profundidade e sua estrutura ainda está bem preservada. 

A posição geográfica privilegiada do litoral pernambucano em projeção ao oceano Atlântico, contribuiu para que ele se tornasse palco de grandes combates no período colonial e durante a Segunda Guerra Mundial. A força naval organizada pela Marinha do Brasil para defender e patrulhar o litoral nordestino foi uma das maiores do país durante o conflito global. A frota era composta por dois cruzadores, quatro submarinos, seis corvetas, 11 contratorpedeiros e 15 caça-submarinos. 

A corveta Camaquã, construída em 1939, foi um dos destaques dessa equipe durante a guerra. Em sua carreira heroica, ela escoltou mais de 700 navios mercantes no litoral brasileiro. A corveta de 57 metros de comprimento tinha como destaque em sua munição o canhão de quatro polegadas na proa e cerca de quarenta minas de profundidade. 

No dia 21 de julho de 1944, a sua glória chegou ao fim. A Camaquã estava retornando à Recife após completar sua missão de escolta a navios mercantes que se dirigiam à Trinidad, no Caribe, quando uma grande onda atingiu o navio inclinando-o para a direita. As duas ondas seguintes selaram o destino da Camaquã a 50 metros da superfície. Atualmente, essa corveta é um dos principais pontos de mergulho turístico no Brasil, devido ao estado de preservação considerado excelente em comparação com os demais naufrágios no litoral do país. 

Alguns tripulantes da heroica Camaquã foram homenageados post-mortem ao compartilhar seus nomes com outras embarcações da Marinha. Um deles foi o comandante Gastão Monteiro Moutinho que possuía a patente de capitão-de-corveta. A própria Camaquã recebeu homenagens após o naufrágio. Um parque de 55 mil metros quadrados em São Paulo e uma escola municipal no Paraná foram batizadas com o seu nome. 

No arquipélago de Fernando de Noronha, outra corveta da Marinha que teve um papel de destaque na defesa do litoral brasileiro repousa a 60 metros de profundidade. Construída em 1953, a corveta Ipiranga era uma das embarcações de patrulha da Marinha. No dia 2 janeiro de 1962, enquanto patrulhava o litoral cearense, a corveta encontrou o navio francês, Cassiopé, especializado na pesca de lagosta. Ao se aproximar do pesqueiro, o capitão-de-corveta Heitor Alves Barreira Junior alertou o navio francês de que sua atividade era ilegal, ordenando-o a interromper a pesca e dirigir-se ao porto de Fortaleza, onde receberia as devidas instruções da Marinha. 

Após este acontecimento, mais dois pesqueiros franceses foram abordados no litoral brasileiro. Isso gerou revolta entre os líderes da França, e posteriormente deu origem ao conflito diplomático entre o Brasil e a França que ficaria conhecido como a Guerra das Lagostas. Navios pesqueiros de diversas nacionalidade foram abordados por navios da Marinha do Brasil durante o conflito. 

Mas não foram apenas prisões que criaram a fama da Ipiranga. Em 1968, a corveta levou uma equipe da revista O Cruzeiro e um grupo de radioamadores para os rochedos de São Pedro e São Paulo, no oceano Atlântico, com o objetivo de instalar uma rede de contatos com todo o mundo. No tempo que eles permaneceram na base, as equipes estabeleceram mais de dez mil comunicações, um recorde para a época. 

A carreira da Ipiranga se encerrou tragicamente no dia 3 de outubro de 1983, após trinta anos atuando no litoral brasileiro. A corveta fazia uma patrulha de rotina no arquipélago de Fernando de Noronha, quando o navio se chocou com um rochedo submerso na Ponta da Sapata. O impacto rompeu o casco da Ipiranga, conduzindo-a lentamente ao fundo do mar. 

O Rio de Janeiro também possui um tesouro histórico submerso em seu litoral. O transatlântico inglês Magdalena, construído em 1948, era considerado um navio rápido e moderno para sua época. Tinha 167 metros de comprimento e sua estrutura de 17 toneladas abrigava uma praça de esportes, um hospital e uma piscina na área externa, além de 133 camarotes de primeira classe e 346 para os de terceira classe. 

No dia 9 de março de 1949, o Magdalena iniciou sua viagem inaugural partindo de Londres em direção ao porto de Santos (SP). Após a chegada ao Brasil, o navio se dirigiu aos portos de Buenos Aires e Montevidéu. O Magdalena fez mais uma escala em Santos e antes de retornar à Europa faria mais uma parada no Rio de Janeiro. 

Contudo, enquanto passava pelo litoral carioca, o Magdalena se chocou com rochedos submersos nas ilhas Tijucas, teve o casco rompido e encalhou. O navio possuía mecanismos de isolamento em alguns porões para evitar o naufrágio. Entretanto, as tentativas de retirar a água com o uso de bombas falharam. Decidiram tentar rebocar o navio até o porto para reparos e durante o reboque, o navio partiu-se ao meio em frente à praia do Leme (RJ) onde várias pessoas assistiam a tentativa de resgate. Para a surpresa de todos a popa (parte traseira do navio) permaneceu flutuando até encalhar na praia de Imbuí, em Niterói. 

Curso: Para realização do mergulho turístico em naufrágio é preciso realizar um curso de mergulho de acordo com a profundidade em que se encontra o navio. Para embarcações que estão a no máximo 18 metros da superfície é necessário o curso básico de mergulho, no qual se aprende técnicas de natação, procedimentos de segurança e como utilizar os equipamentos de respiração autônoma. A idade mínima para a realização do curso básico é de 18 anos, e a duração média do curso é de quatro dias. 

Com o curso avançado é possível realizar mergulhos com profundidade de até 40 metros, além de aprender fundamentos para o mergulho noturno. E para os turistas que desejam entrar na embarcação durante o mergulho é necessário fazer um curso específico de naufrágio de maior duração.







Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti
Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.

A cidade de Caxambu, em Minas Gerais, no Brasil, é a maior estância hidromineral do mundo.

A pequena cidade de Caxambu, localizada no sul de Minas Gerais, é a cidade com a maior estância hidromineral do Brasil. 


Vitrais da entrada do Balneário de Caxambu


Segundo a prefeitura, é o maior complexo hidromineral do mundo! A cidade conta com 12 fontes de águas minerais em seu bucólico Parque das Águas, onde as pessoas podem experimentar as águas e fazer massagens e banhos com água mineral.


Podemos dizer que Caxambu é uma pacata cidade do interior. Com seus 20 mil habitantes, o município é tranquilo e possui uma população hospitaleira. Muitos turistas chegam a cidade com o intuito de descansar, afinal stress não é uma palavra comum no vocabulário dos moradores da cidade. Por isso, há quem desembarca em Caxambu fugindo da agitação dos grandes centros urbanos, mas ainda são os aposentados o principal público que visita a cidade.

O turismo na região é antigo. Já no século XIX, a família real saía do Rio de Janeiro para visitar Caxambu em busca das propriedades medicinais das águas da cidade. Devido a visitantes tão importantes, algumas fontes foram batizadas com nomes de membros da família real, com destaque para a fonte Dom Pedro, em que há uma coroa.

Uma história interessante, foi a visita da Princesa Isabel à Caxambu, em 1868. Ela visitou a cidade acompanhada de seu marido Conde d’Eu com a intenção de beber das águas terapêuticas e curar sua infertilidade. A princesa bebeu águas ricas em ferro e reverteu seu quadro de anemia. Não se sabe se foi devido a isso, mas ela conseguiu engravidar e por gratidão presenteou a cidade com a Igreja de Santa Isabel.

Parque das Águas

O Parque das Águas é a maior atração turística de Caxambu. Está localizado no centro da cidade e possui uma área de 210.000 m², que conta com um lago, quadras esportivas e as famosas fontes de águas minerais. No total são 12 fontes que ficam espalhadas pelo parque, a grande maioria de água gasosa. O Parque de Caxambu não é tão bem preservado como o de São Lourenço, mas é muito mais suntuoso. As fontes de águas são muito mais rebuscadas e bonitas, apesar de muitas necessitarem de uma reforma.

O Parque funciona todos os dias da semana, das 7:00 às 18:00 horas e é administrado pela prefeitura. A entrada custa R$5.

Parque das Águas de Caxambu

Tipos de Águas

No parque há 12 fontes de águas minerais que possuem sabores e indicações terapêuticas diferentes. Suas diferenças são devido a composição diferenciada do solo. As fontes possuem águas naturalmente gasosas. Eu que não gosto de água gasosa, não gostei do paladar de nenhuma delas; mas quem gosta de água com gás diz que há algumas águas muito saborosas. Apenas uma fonte é de água sem gás, a Fonte Mayrink III, que inclusive é a água que é engarrafada e vendida. Todas as outras 11 fontes são de águas gasosas.A água mais consumida é a da Fonte Leopoldina que é magnesita e indicada para problemas hepáticos e para alterações do intestino grosso. Já a Fonte Duque de Saxe é a mais consumida durante o Carnaval, pois suas propriedades alcalinas ajudam o fígado e segundo moradores da cidade é ótima para curar ressaca.
Fonte Duque de Saxe à esquerda

Balneário

Dentro do Parque das Águas funciona um Balneário, que é o maior e mais bonito do Circuito das Águas (foto de capa). O Balneário de Caxambu foi fundado em 1907 e reformado recentemente. Com a obra foi possível restaurar vitrais e pinturas, além de modernizar as banheiras e duchas. O Balneário funciona como um spa e oferece massagens, banhos terapêuticos e duchas, tudo feito com água mineral. O Balneário de Caxambu não oferece um leque de atividades tão grande como o de São Lourenço, mas as atividades podem ser realizadas sem agendamento, principalmente, no período da tarde.A principal atração é a piscina de hidroterapia, uma piscina aquecida que mistura hidromassagem, duchas e jatos d’água. Experimentei a piscina e achei incrível! A utilização da piscina custa R$35.
Piscina de hidroterapia



Vitrais da entrada do Balneário de Caxambu



Onde Comer

Dentro do Parque das Águas não há restaurante ou lanchonete, por isso para se alimentar você precisará sair. O restaurante mais próximo é o Panela Mineira, localizado na rua Caetano Furquim, dentro de uma galeria a 50 metros da entrada do parque. É uma boa opção, não apenas pela proximidade, mas porque o restaurante possui uma boa variedade de comidas. O Panela Mineira funciona no almoço como um self-service com um preço médio de R$33 o quilo. Também funciona a noite como à la carte.

Restaurante Panela Mineira


Como Chegar

Caxambu é muito próxima de São Lourenço, fica a apenas 31 km de distância; por isso muitos turistas preferem se hospedar na cidade vizinha, que possui maior variedade de hotéis e restaurantes.

Há ônibus que ligam as duas cidades, que são operados pela Viação Coutinho. A viagem dura 50 minutos e custa R$11,20. A empresa não possui website, por isso não é fácil descobrir os horários. Mas, para facilitar a vida de vocês, coloquei essa informação logo abaixo.
Ônibus:

São Lourenço – Caxambu

6:00, 8:00, 10:00, 12:00, 14:00, 16:00, 18:00, 22:00 horas.

Caxambu – São Lourenço

6:50, 8:50, 10:50, 12:50, 14:50, 16:50, 18:50, 20:50 horas.

Parque das Águas de Caxambu





Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

colaboração: Ana Eugênia De Carvalho Campos

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.


Vamos compartilhar.

CÁC TÔN GIÁO. --- A RELIGIÃO, Vietnam.

CÁC TÔN GIÁO

Vật linh giáo xưa kia phổ biến khắp Đông Nam Á. Từ đầu công nguyên, Phật giáo và Bàlamôn giáo bắt đầu ảnh hưởng tới khu vực này, dẫn đến xuất hiện các nền văn minh phát triển rực rỡ trong khoảng thế kỷ 7-12, để lại những công trình kiến trúc tôn giáo nổi tiếng như Angkor ở Campuchia, Borobudur và Prambanan ở Indonesia, Bagan ở Myanmar...


Từ khoảng thế kỷ 13, Hồi giáo đến Đông Nam Á cùng các thương nhân Trung Đông. Thế kỷ 15, các linh mục châu Âu bắt đầu truyền bá Công giáo ở đây.


Ngày nay, Phật giáo Mahayana chiếm ưu thế ở Singapore, Phật giáo Theravada phổ biến ở Thái Lan, Lào, Campuchia, Myanmar; đạo Hồi chiếm ưu thế ở Indonesia, là quốc giáo của Brunei và Malaysia; Công giáo phổ biến ở Philippines; còn Hindu giáo tập trung ở đảo Bali, Indonesia.

Cả 4 tôn giáo phát triển chủ yếu ở đồng bằng và ven biển, còn cư dân ở vùng hẻo lánh và rừng núi vẫn tiếp tục sống với tín ngưỡng cổ truyền của mình. Mỗi tôn giáo du nhập Đông Nam Á đều có sự hòa trộn nhiều yếu tố tín ngưỡng và văn hóa bản địa.

-
ÔN GIÁO BẢN ĐỊA

Tôn giáo bản địa

Ở Đông Nam Á vẫn phổ biến tôn giáo bản địa dựa trên tín ngưỡng vạn vật hữu linh. Các tộc người khác nhau đều có những nghi lễ cầu cúng các vị thần tự nhiên, động vật và cây cối.

Bên cạnh đó, saman giáo và hoạt động đồng bóng dựa trên niềm tin vào việc giao tiếp với thần linh, đặc biệt vì mục đích chữa bệnh. Thầy đồng được thần linh nhập vào để giao tiếp với cộng đồng; còn thầy saman hành trình sang thế giới khác để giao tiếp với thần linh rồi kể lại "chuyến đi" đó.

Tôn giáo bản địa Đông Nam Á tiếp thu nhiều yếu tố của các tôn giáo khác, như ảnh hưởng của đạo Phật ở Thái Lan hay đạo Hồi ở Malaysia.



SÁCH DẠY XĂM MÌNH

Myanmar

Thế kỷ 20 
Kaneko Kazushige tặng 

LỊCH XEM BÓI

Batak
Sumatra, Indonesia

Thế kỷ 20
Kaneko Kazushige tặng

--

HINDU GIÁO Ở BALI

Hindu giáo ở Bali

Đạo Hindu hình thành ở Ấn Độ khoảng 800 năm trước công nguyên rồi du nhập vào Đông Nam Á từ đầu công nguyên. Khoảng thế kỷ 7, tôn giáo này truyền từ đảo Java sang đảo Bali ở Indonesia. Đầu thế kỷ 16, vương triều Hindu giáo Majapahit ở Java chuyển đến Bali.

Cư dân Hindu giáo ở Bali tin vào sự luân hồi và theo tục hỏa táng. Tại các đền, bên cạnh 3 vị thần chính là Brahma - thần sáng tạo, Vishnu - thần bảo vệ, Shiva - thần hủy diệt, có cả những vị thần của tín ngưỡng bản địa như thần núi lửa, thần biển, đặc biệt là nữ thần lúa. Mỗi gia đình cũng thường có chỗ thờ cúng tổ tiên và thần linh ở cạnh nhà.







---

PHẬT GIÁO


Phật giáo

Thế kỷ 5, Phật giáo Mahayana (Đại thừa) từ bắc Ấn Độ du nhập vào hai đảo Sumatra và Java của Indonesia. Mahayana hướng tới khai tâm, giác ngộ muôn loài. Phật tử Mahayana thờ phụng cả đức Phật Thích Ca và Bồ tát.

Khoảng thế kỷ 11-14, Phật giáo Theravada (Tiểu thừa) ở Sri Lanka du nhập Myanmar, Thái Lan, Campuchia và Lào. Theravada theo giáo lý Pali, chỉ thờ Phật Thích Ca và chú trọng đến đời sống tu hành mà nam giới phải trải qua trước khi kết hôn. Phật tử Theravada vẫn thờ phụng cả thần linh bản địa như nat ở Myanmar, phi ở Lào và Thái Lan, neak ta ở Campuchia.





----
HỒI GIÁO

Hồi giáo

Đạo Hồi du nhập Đông Nam Á từ thế kỷ 13 cùng với các thương nhân đến từ Arập, Ấn Độ và Trung Quốc. Đây là tôn giáo chính ở Indonesia, là quốc giáo của Malaysia và Brunei, với phần đông tín đồ theo giáo phái Sunni. Với trên 200 triệu người, Indonesia là quốc gia có dân số theo Hồi giáo đông nhất thế giới.

Sự thắng thế của đạo Hồi đối với đạo Hindu ucos từ trước là bởi đạo Hồi xóa bỏ rào cản đẳng cấp và sự phân biệt tộc người trong xã hội. Hồi giáo tiếp thu một số tập tục của cư dân bản địa cũng như một số yếu tố của đạo Hindu và đạo Phật, thể hiện trong cưới xin, tang ma và nhiều nghi lễ khác.

Bức trướng treo trong tang lễ
Sách kinh Coran

Buraq


-----
CÔNG GIÁO Ở PHILIPPINES


Công giáo ở Philippines

Công giáo du nhập Đông Nam Á từ thế kỷ 15, nhưng đến thế kỷ 16 mới theo chân người Tây Ban Nha vào Philippines. Ngày nay, quốc gia 90 triệu dân này có khoảng 80% dân số theo Công giáo, là cộng đồng Công giáo lớn thứ ba trên thế giới, sau Brazil và

Mexico.

Đối với giáo dân Philippines, Chúa hài đồng - Santo Nino - rất thiêng liêng và có vị trí quan trọng đặc biệt. Người ta tin đó là đấng phù hộ, bảo vệ họ trước mọi hiểm họa, làm cho mưa thuận gió hòa và đưa lại cuộc sống yên lành. Santo Nino được thờ phụng ở khắp nơi và thánh lễ Chúa hài đồng được tổ chức rất trọng thể ở Philippines.






Santo Nino, Chúa hài đồng










Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.







--br via tradutor do googl
A RELIGIÃO

ensinamentos animistas antigas comuns em todo o Sudeste Asiático. De AD cedo, o budismo eo Bramanismo começou a afetar a área, levando ao aparecimento da civilização floresceu durante séculos 7-12, deixando a arquitetura religiosa famosa como Angkor, no Camboja, Borobudur e Prambanan na Indonésia, Bagan, em Mianmar ...

De cerca do século 13, o Islã para o Sudeste Asiático e os comerciantes do Oriente Médio. século 15, os padres europeus começaram a espalhar o catolicismo aqui.

Hoje, o Budismo Mahayana é predominante em Singapura, o budismo Theravada popular na Tailândia, Laos, Camboja, Mianmar; Muçulmanos predominam na Indonésia, como a religião do estado de Brunei e Malásia; popularidade católica nas Filipinas; Hinduísmo também concentram-se na ilha de Bali, Indonésia.

4 desenvolvimento religioso, principalmente nas planícies costeiras e, enquanto os residentes em áreas montanhosas e remotas continuam a viver com as suas crenças tradicionais. Cada religiões estrangeiras no sudeste da Ásia têm muitos elementos mistura religião e da cultura local.
-
REVISÃO educação indígena
religiões indígenas

No sudeste da Ásia continua a ser popular crenças religiosas locais com base em animismo. Diferentes grupos étnicos têm rituais de adoração dos deuses exigem natureza, animais e plantas.

Além disso, Xamanismo e atividades homofóbicos baseada na crença na comunicação divina com, especialmente para fins medicinais. Ele cedeu à divina é para se comunicar com a comunidade; ele também Saman viagem para outro mundo para se comunicar com espíritos e recordou "viagem" lá.

Religiões indígenas do sudeste da Ásia absorveu muitos elementos de outras religiões, como a influência do budismo na Tailândia ou Islam na Malásia.

-
EDUCAÇÃO EM BALI HINDU

Hinduísmo em Bali

Índia hindu formada em cerca de 800 aC e foi introduzido para o Sudeste Asiático desde o início da AD. Por volta do século sétimo, o Islã se espalhou de Java para Bali, na Indonésia. Início do século 16, Hindu Majapahit reino em Java mudou para Bali.

Hinduísmo em Bali moradores acreditam na reencarnação e o costume de cremação. No templo, além de 3 deuses principais Brahma - o deus criador, Vishnu - o Deus de proteção, Shiva - o deus da destruição, com todos os deuses das crenças indígenas como o deus do vulcão, deus do mar, especialmente deusa arroz. Cada família muitas vezes também têm um lugar de culto ancestrais e espíritos na borda da casa

---
BUDDHISM
budismo
5o século, o Budismo Mahayana (Mahayana) do norte da Índia foi apresentado a dois da ilha indonésia de Sumatra e Java. Mahayana no sentido de iniciação, criaturas iluminados. Mahayana budistas adoram o Buda Shakyamuni e Bodhisattvas.

11-14 século, o budismo Theravada (Theravada) em Sri Lanka introduziu Myanmar, Tailândia, Camboja e Laos. ensinamentos Pali Theravada, adorar o Buda Shakyamuni e se concentrar apenas sobre a vida religiosa que os homens têm de se submeter antes do casamento. Theravada budistas ainda adoram os espíritos como nat indígena em Mianmar, Laos e Tailândia taxas, Neak're no Camboja.

---ISLÂMICA

islão
Islam foi introduzido no Sudeste Asiático do século 13 com os mercadores árabes da Índia e da China. Esta é a principal religião na Indonésia, é a religião nacional da Malásia e Brunei, com a maioria dos adeptos sunitas. Com mais de 200 milhões de pessoas, a Indonésia é o país com a população através muçulmano mais populoso do mundo.

O triunfo do Islã para UCOS Hinduísmo antes do Islã é através da remoção de barreiras de casta e de discriminação étnica na sociedade. mores islâmicos absorver parte dos nativos, bem como alguns elementos do hinduísmo e do budismo, como mostrado em casamentos, funerais e outras cerimônias.

A bandeira de elogio pendurado no funeral
livros do Alcorão
Buraq


------
Católicos das Filipinas
O catolicismo foi introduzido no Sudeste da Ásia no século 15, mas novo para o século 16, seguido dos espanhóis nas Filipinas. Hoje, esta nação de 90 milhões de pessoas, cerca de 80% da população é católica, a comunidade católica é a terceira maior do mundo, depois do Brasil e

México.
Para os católicos filipinos, Menino Jesus - Santo Nino - muito sagrado e importante lugar especial. Acredita-se que deus abençoe, protegê-los contra as ameaças mais recentes, fazendo bom tempo e trazer a paz de volta à vida. Santo Nino é adorado por toda parte e Menino Jesus missa foi realizada nas Filipinas é muito solene.