Google+ Followers

domingo, 27 de novembro de 2016

Ancient Mosques of the Northern Region, Ghana. --- Antigas Mesquitas da Região Norte, Gana.

Most of the communities of the regions of Northern Ghana, especially the Northern Region, are Muslim. Islam, which first entered Africa through Egypt in the 10th Century AD, progressed from Egypt towards the west and the south at the same time as the trans-Saharan slave and gold trade routes. In Ghana, these trade routes were used by Mande warriors, Islamic Traders and Missionaries. Occasionally, these routes were marked by incursions by the Almoravids, a Berber Dynasty, which played a major role in the spread of Islam in the area. At rest points for the Islamic traders along the routes, and in conquered territories people were converted to Islam and this led to the construction of mosques in the Northern part of Ghana. Some of these mosques still exist today and they date as far back as the 17th Century AD.



ARCHITECTURAL STYLE 

Architecturally, the ancient mosques belong to the Sudanic-Sahelian styles, which can also be found in Burkina Faso and Cote d'Ivoire. This style is characterized by the fusion of the vernacular construction teclmiques with the architectural rules which have to be respected when building a mosque. Two major styles of mosques were the Sudanic style and the Djenne Style.

The Djenne style features a rectangular building without buttresses. It has load bearing walls and a flat roof surrounded by a parapet. It usually has one tower at one end of the rectangle. A typical example of this mosque is the Wuriyanga Mosque located in the Upper East Region, a town near the Northern Region and Togo borders, lying between Garu in the  Upper East Region and Nalerigu in the Northern Region.


B) The Sudanic Style 

The Sudanic style, though rectangular, has timber frame structures or pillars supporting the roof. It is characterized by two pyramidal  towers (the minaret and the mihrab), and by a number of irregular shaped buttresses, with pinnacles projecting above the parapet, which enlivens the mosque's elevations. An example of this style is the Larabanga Mosque located in the Northern Region, near Damongo on the way to Mole Park.







fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://www.ghanamuseums.org/ancient-mosques.php

colaboração: Eliasu Mahama 

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.


A cultura e o amor devem estar juntos.


Vamos compartilhar.



--br via tradutor do google
Antigas Mesquitas da Região Norte, Gana.

A maioria das comunidades das regiões do Norte do Gana, especialmente a Região Norte, são muçulmanas. O Islã, que entrou pela primeira vez na África através do Egito no século X dC, progrediu do Egito para o oeste e para o sul, ao mesmo tempo que as rotas de comércio de escravos e ouro trans-saharianos. Em Gana, essas rotas comerciais foram usadas pelos guerreiros Mande, comerciantes islâmicos e missionários. Ocasionalmente, essas rotas foram marcadas por incursões dos almorávidas, uma dinastia berbere, que desempenhou um papel importante na disseminação do islamismo na região. Em pontos de descanso para os comerciantes islâmicos ao longo das rotas, e em territórios conquistados as pessoas foram convertidas ao Islã e isso levou à construção de mesquitas na parte norte de Gana. Algumas dessas mesquitas ainda existem hoje e datam de tão longe como o século 17 dC.

ESTILO ARQUITECTÓNICO

Arquitectonicamente, as mesquitas antigas pertencem aos estilos Sudanic-Sahelian, que podem igualmente ser encontrados em Burkina Faso e no d'Ivoire da costa. Este estilo caracteriza-se pela fusão das técnicas de construção vernáculas com as regras arquitectónicas que devem ser respeitadas na construção de uma mesquita. Dois estilos principais de mesquitas eram o estilo sudanês e o estilo de Djenne.

O estilo de Djenne caracteriza um edifício retangular sem contrafortes. Tem paredes de carga e um telhado plano rodeado por um parapeito. Geralmente tem uma torre em uma extremidade do retângulo. Um exemplo típico desta mesquita é a Mesquita de Wuriyanga localizada na região do Alto Oriente, uma cidade próxima à região Norte e fronteiras do Togo, situada entre Garu, na região do Alto Est e Nalerigu, na Região Norte.

B) O estilo sudanês

O estilo sudanês, embora retangular, tem estrutura de madeira estruturas ou pilares que suportam o telhado. É caracterizada por duas torres piramidais (o minarete eo mihrab), e por um número de contrafortes irregulares, com os pináculos que projectam acima do parapeito, que alimenta as elevações da mesquita. Um exemplo deste estilo é a Mesquita de Larabanga localizada na Região Norte, perto de Damongo, a caminho de Mole Park.


A 1,600-year-old color changing cup used nanotechnology principles. The chalice, which was acquired by the British Museum in the 1950s, bears this name because it depicts a scene from the life of Lycurgus king of Thrace. --- Taça de 1.600 anos que muda de cor já usava princípios de nanotecnologia. O cálice, que foi adquirido pelo Museu Britânico na década de 1950, tem esse nome porque retrata uma cena da vida do rei Licurgo da Trácia.

The object of Ancient Rome known as the "Licurgo Chalice", which is currently in the British Museum and has more than 1,600 years of history, is known for its peculiarity: when it is illuminated from the front, it has a jade green color. When lit from behind, it appears to be blood red. The story about the revelation of the "magic" of the chalice that changes color was published in the September issue of the Smithsonian.



The mystery was only revealed in 1990, when researchers scanned small broken fragments of glass under a microscope. They found that the glass contained particles of silver and gold so small that it would take a thousand of them to reach the diameter of a grain of refined salt. The particles were more precisely 50 nanometers in diameter, making the ancient Romans the pioneers of nanotechnology.

When the light strikes the glass, the electrons of the metals contained therein vibrate in a way that changes the color depending on the position of the observer. Researchers imagined that when the cup was filled with liquid, it would change the interaction of the electrons and also the color of the glass.

As it was not possible to fill the relic with liquid to perform experiments, scientists proceeded as follows: they made small holes in a plastic platform the size of a letter seal and spread through the holes gold and silver nanoparticles, just as the ancient Romans had Made in glass of chalice.

When water, oil or sugar solutions were poured into the holes, they had a range of colors that were easy to distinguish - light green for water and red for oil, for example.

The same kind of technology that the Romans learned to use to make art is now used in health. Homemade pregnancy tests involving a color change reaction, for example, use similar principles.






fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.


A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.





--br
Taça de 1.600 anos que muda de cor já usava princípios de nanotecnologia. O cálice, que foi adquirido pelo Museu Britânico na década de 1950, tem esse nome porque retrata uma cena da vida do rei Licurgo da Trácia.

O objeto da Roma Antiga conhecido como “Cálice de Licurgo”, que está atualmente no Museu Britânico e tem mais de 1.600 anos de história, é conhecido por uma peculiaridade: quando é iluminado pela frente, tem a cor verde jade. Quando iluminado por trás, parece ser vermelho sangue. A história sobre a revelação da “mágica” do cálice que muda de cor foi publicada na edição de setembro da revista “Smithsonian”.

O mistério só foi revelado em 1990, quando pesquisadores analisaram em microscópio pequenos fragmentos quebrados do vidro. Eles descobriram que o vidro continha partículas de prata e de ouro tão pequenas que seria preciso mil delas para alcançar o diâmetro de um grão de sal refinado. As partículas tinham, mais precisamente, 50 nanômetros de diâmetro, o que faz dos antigos romanos os pioneiros da nanotecnologia.

Quando a luz bate no vidro, os elétrons dos metais ali contidos vibram de maneira que alteram a cor dependendo da posição do observador. Pesquisadores imaginaram que, quando a taça estava cheia de líquido, isso alteraria a interação dos elétrons e também a cor do vidro.

Como não era possível encher a relíquia com líquido para realizar experiências, cientistas procederam da seguinte forma: fizeram pequeno furinhos em uma plataforma de plástico do tamanho de um selo de carta e espalharam pelos furinhos nanopartículas de ouro e prata, assim como os antigos romanos haviam feito no vidro do cálice.

Quando soluções de água, óleo ou açúcar eram derramadas nos furinhos, eles apresentavam uma gama de cores de fácil distinção – verde claro para água e vermelho para óleo, por exemplo.


O mesmo tipo de tecnologia que os romanos aprenderam a utilizar para fazer arte é utilizada, hoje em dia, na área da saúde. Testes de gravidez caseiros, que envolvem uma reação de mudança de cor, por exemplo, utilizam princípios similares.

O Museu da Borracha, inaugurado em 1978, é considerado o museu mais antigo de Rio Branco, Acre, Brasil, de acordo com o diretor do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural. --- The Rubber Museum, inaugurated in 1978, is considered the oldest museum in Rio Branco, Acre, Brazil, according to the director of the Department of Historic and Cultural Heritage.

O processo licitatório para as obras do Museu da Borracha, localizado no centro de Rio Branco, devem finalizar, após o prédio ficar com portas fechadas para o público por cinco meses, devido o perigo de um incêndio. A expectativa dos gestores do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural do Acre (DPHC) é que o contrato seja assinado a e as obras sejam finalizadas no próximo mês.



“Teve um curto circuito na parte externa do prédio e após análise constatamos que havia a possibilidade de um incêndio se o prédio não fosse interditado. Nós ficamos com medo e fechamos, porque uma vez perdido aquele acervo nunca mais nós conseguiríamos reavê-lo”, comenta Libério de Souza, diretor do DPHC.
De acordo com o diretor, o processo de licitação é demorado e depende de outros setores do governo estadual. A falta de interesse das empresas de construções, segundo ele, dificultam a situação. “Esses pequenos projetos de R$ 30 a 60 mil as empresa não querem, elas acham que a margem de lucro é muito pequena então não concorrem. Até encontrar uma com interesse, responsabilidade, no nosso caso é demorado”, afirma.
O diretor comentou anda que o prédio está fechado para o público, mas que o setor administrativo continuou trabalhando normalmente e que as pesquisas ao acervo eram feitas, sempre que possível, em outro espaço. “Quando é uma pesquisa muito urgente a gente abre um exceção, explicávamos a situação e o pesquisador fazia o estudo sem utilizar energia na sacada da parte de fora. Os guias de visitação nós distribuímos para outros espaços do estado, como todos estão com equipes pequenas, aproveitamos para tirar as férias pendentes dos funcionários”, explicou.



fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.



--br via tradutor do google
The Rubber Museum, inaugurated in 1978, is considered the oldest museum in Rio Branco, Acre, Brazil, according to the director of the Department of Historic and Cultural Heritage.

The bidding process for the works of the Rubber Museum, located in the center of Rio Branco, should end, after the building was closed to the public for five months due to the danger of a fire. The managers of the Department of Historic and Cultural Heritage of Acre (DPHC) expect the contract to be signed and works will be finalized next month.

"It had a short circuit in the outside of the building and after analysis we verified that there was a possibility of a fire if the building was not interdicted. We were scared and closed, because once we lost that collection, we would never be able to recover it, "comments Libério de Souza, director of DPHC.

According to the director, the bidding process is time consuming and depends on other sectors of the state government. The lack of interest of construction companies, he said, make the situation difficult. "These small projects of $ 30 to 60 thousand the companies do not want, they think that the profit margin is very small so they do not compete. Until we find one with interest, responsibility, in our case it is time consuming, "he says.


The director commented that the building is closed to the public, but that the administrative sector continued to work normally and that searches of the collection were made, whenever possible, in another space. "When it is a very urgent research we make an exception, explain the situation and the researcher did the study without using energy on the balcony outside. The visitation guides we distribute to other spaces of the state, as they are all with small teams, we take advantage to take the outstanding vacations of the employees, "he explained.