Google+ Followers

sábado, 3 de dezembro de 2016

Van Gogh: le musée d’Amsterdam refuse le débat. --- Van Gogh: o museu Amsterdam recusa debater.

Le musée Van Gogh d’Amsterdam, qui conteste l’authenticité d’un carnet de dessins inédits attribués au peintre néerlandais, a refusé mardi la proposition des éditions françaises du Seuil de tenir un débat public sur le sujet, affirmant «ne pas avoir reçu de réponses» à ses questions.




«Etant donné que le carnet soulève plus de questions qu’il n’apporte de réponses, nous avons d’abord besoin de disposer des faits», a indiqué le musée dans un communiqué.

Celui ci appelle le Seuil et la spécialiste canadienne de l’oeuvre du peintre néerlandais, Bogomila Welsh-Ovcharov, «à présenter des réponses claires et ouvertes à tous nos commentaires, aux éléments nécessitant une clarification et aux questions soulevées». «Pour l’instant, nous ne voyons pas l’utilité de tenir un débat», a ajouté le musée.

Le 15 novembre, les éditions du Seuil avaient présenté le livre «Vincent Van Gogh, le Brouillard d’Arles, Carnet retrouvé», signé de Bogomila Welsh-Ovcharov, qui reproduit 65 dessins inédits attribués au peintre à l’oreille coupée.

Le même jour, le musée Van Gogh d’Amsterdam, où se trouve la plus large collection d’oeuvres du célèbre peintre néerlandais, assurait que les dessins n’étaient que des «imitations», évoquant notamment le type d’encre et de papier, le style ou des erreurs topographiques.

Dans l’espoir de «mettre un terme» à la polémique, l’éditeur avait proposé un débat public avec le musée, tout en contestant son autorité.

Les dessins ont été réalisés non sur un carnet à dessin mais sur un livre de comptes, ce qu’on appelait un «brouillard», du Café de la Gare, un établissement où Van Gogh séjourna au crépuscule de sa vie.

Selon l’éditeur, ce sont les époux Ginoux, propriétaires du Café, qui offrirent ce carnet à Vincent Van Gogh lors de son séjour dans leur pension. Entre février 1888 et mai 1890, le peintre l’utilisa pour y capter des paysages, des portraits (notamment celui de Gauguin), et son autoportrait lors de son séjour en Provence.

Van Gogh le restitua finalement aux Ginoux qui l’entreposèrent avec d’autres livres comptables où il dormira pendant plus d’un siècle.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.




--br via tradutor do google
Van Gogh: o museu Amsterdam recusa debater.


O Museu Van Gogh em Amsterdã, que contesta a autenticidade de um livro de desenhos inéditos atribuídos ao pintor holandês, na terça-feira se recusou a proposta do Seuil francês para realizar um debate público sobre o assunto, dizendo que "não ter recebido respostas "às suas perguntas.

"Dado que o livro levanta mais perguntas do que respostas, primeiro precisamos de ter os fatos", disse o museu em comunicado.

Esta chamada Threshold eo especialista canadense na obra do pintor holandês, Bogomila Welsh-Ovcharov, "para apresentar respostas claras e aberta a todos os nossos comentários, os elementos que necessitam de clarificação e questões levantadas." "Neste momento, não vemos a necessidade de ter um debate", disse o museu.

15 de novembro de Seuil tinha apresentado o livro "Vincent Van Gogh, Arles Nevoeiro, recuperou a Livro" assinado Bogomila Welsh-Ovcharov, que jogou 65 desenhos inéditos atribuídos ao pintor cortou-lhe a orelha.

No mesmo dia, o Museu Van Gogh em Amsterdã, onde a maior coleção de obras do famoso pintor holandês é, assegurou que os desenhos eram apenas "imitações", citando em particular o tipo de tinta e papel , estilo ou erros topográficos.


Na esperança de "pôr fim" à controvérsia, a editora tinha proposto um debate público com o museu, enquanto desafiando sua autoridade.

Os desenhos foram feitos não em um bloco de notas, mas em um livro de conta, que foi chamado de "névoa", o Café de la Gare, uma instalação onde Van Gogh esteve no crepúsculo de sua vida.

De acordo com a editora, é o marido Ginoux, os proprietários de Café, que ofereceram este livro para Vincent Van Gogh durante sua estada em sua pensão. Entre fevereiro de 1888 e maio 1890, o pintor costumava ser capturar paisagens, retratos (incluindo a de Gauguin), e seu auto-retrato durante sua estada na Provence.

Van Gogh finalmente restaurado para o Ginoux que entreposèrent com outros livros onde ele vai dormir por mais de um século.

Pembroke Castle study uncovers possible Henry VII birthplace. --- Estudo do castelo de Pembroke descobre possível lugar de nascimento de Henry VII.

Researchers believe they might have uncovered the location of Henry VII's birthplace at Pembroke Castle.



Image copyrightCASTLE STUDIES TRUST



Aerial photographs from 2013 gave glimpses of what lay beneath the surface, with parch marks revealing possible buildings.

A geophysical survey has now confirmed the outline of a late-medieval building in the outer ward, where the king could have been born.

Neil Ludlow, consultant archaeologist, said it shone new light on the castle.

Much of the interior of the castle, which dates from the 11th Century, was destroyed after the Middle Ages.

Image copyrightRCAHMW

The survey also revealed up to three previously unknown buildings in the inner ward, as well as several buildings and a possible well in the outer ward. All are invisible to the naked eye.

The work was carried out by Dyfed Archaeology Trust and was funded by the Castle Studies Trust.

Mr Ludlow said knowledge of the castle's history "has been increased immeasurably" by the research.

Edward Impey, Castle Studies Trust patron, added: "The survey work carried out by Dyfed Archaeological Trust has greatly advanced our understanding of Pembroke Castle, one of Wales' greatest but also least understood castles."

Henry VII was king of England from August 1485 until his death in 1509.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.




--br
Estudo do castelo de Pembroke descobre possível lugar de nascimento de Henry VII.

Imagem copyrightCASTLE STUDIES TRUST

Os pesquisadores acreditam que eles poderiam ter descoberto a localização do local de nascimento de Henrique VII em Pembroke Castle.

As fotografias aéreas de 2013 deram vislumbres do que estava sob a superfície, com marcas de parch revelando possíveis edifícios.

Um levantamento geofísico agora confirmou o esboço de um edifício tardio-medieval na ala exterior, onde o rei poderia ter nascido.

Neil Ludlow, arqueólogo consultor, disse que brilhou nova luz sobre o castelo.

Grande parte do interior do castelo, que data do século 11, foi destruída após a Idade Média.

Imagem copyrightRCAHMW

A pesquisa também revelou até três prédios desconhecidos na ala interior, bem como vários prédios e um possível poço na ala exterior. Todos são invisíveis a olho nu.

O trabalho foi realizado pela Dyfed Archeology Trust e foi financiado pelo Castle Studies Trust.

O Sr. Ludlow disse que o conhecimento da história do castelo "foi aumentado immeasurably" pela pesquisa.

Edward Impey, patrono do Castle Studies Trust, acrescentou: "O trabalho de levantamento realizado pela Dyfed Archaeological Trust tem avançado bastante nossa compreensão de Pembroke Castle, um dos maiores castelos de Gales, mas também menos compreendido".

Henrique VII foi rei da Inglaterra desde agosto de 1485 até sua morte em 1509.