Google+ Followers

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Western European and Russian art from the collection of Inna Bazhenova on view in Moscow. --- Arte européia ocidental e russa da coleção de Inna Bazhenova na vista em Moscovo.

MOSCOW.- The IN ARTIBUS foundation opened an exhibition entitled Under One Sky, which comprises selected works from the collection of its founder Inna Bazhenova. The collection has two focuses of equal weight: One is Western European art spanning a broad time period from the 15th to the 20th century. The other is Russian 20th-century painting. 

Henri Rousseau. L’Hiver. 1907. Oil on canvas, 40,3×52,1. © Collection Inna Bazhenova.


Under One Sky concentrates on one of several basic principles that have guided Inna Bazhenova’s collection: the interrelationship between Russian and European art at the turn of the 19th century and, in particular, the influence of the French school on the Russian school in the 20th century. The exhibition is not meant to be a literal illustration of this theme, but it is intended to give an idea of how the process of forming a collection can been seen as a means of understanding and examining developments in art. 

On view are some 60 works by Russian and European painters, including Honoré Daumier, Georges Seurat, Henri Rousseau, Odilon Redon, Aleksandr Drevin, Konstantin Istomin, Anatoly Zverev, and Vladimir Weisberg. Some of the works have been exhibited in Russia and abroad during the last decade, whereas some are on display for the first time. 

One of the highlights of the collection is the small Billiard Players by Honoré Daumier, a work in which the artist skillfully attempts to depict motion. It is also one of the earliest works at the exhibition. Also shown is the plein air study The Hospital and the Lighthouse of Honfleur by Georges Seurat. This work was recently included in an exhibition at the Kröller-Müller Museum in the Netherlands, which mounted the largest exhibition of the artist’s work in recent years. This artist is not included in the collections of any Russian museums, and therefore the exhibition presents a unique opportunity to see his work. 

Under One Sky also presents the first chance for Moscow audiences to view the works of the French artist Adolphe Monticelli, a contemporary of the Impressionists and a student of Paul Delaroche. Three works by Maurice Utrillo set the tone for Moscow cityscapes from the 1960s . The exhibition also includes figures representing various figures in Russian “cezannism,” such as Pyotr Konchalovsky, Aleksandr Shevchenko, and Nikolay Sinezubov. Rounding out the presentation of Russian art of the mid 20th century are portraits and landscapes by Aleksandr Drevin, Nadezhda Udaltsova, and Antonina Sofronova, artists largely unfamiliar to the general audience; the coloristic fairytale-like imagery of the early works of Anatoly Zverev; and the flawless compositions of Vladimir Weisberg.





Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.



--br via tradutor do google
Arte européia ocidental e russa da coleção de Inna Bazhenova na vista em Moscovo.

MOSCOU.- A fundação IN ARTIBUS abriu uma exposição intitulada Under One Sky, que inclui obras selecionadas da coleção de sua fundadora Inna Bazhenova. A coleção tem dois focos de igual peso: um é arte da Europa Ocidental abrangendo um amplo período de tempo do século 15 ao século XX. A outra é a pintura russa do século XX.

Under One Sky concentra-se em um dos vários princípios básicos que guiaram a coleção de Inna Bazhenova: a inter-relação entre a arte russa e européia na virada do século XIX e, em particular, a influência da escola francesa na escola russa no século XX . A exposição não pretende ser uma ilustração literal deste tema, mas pretende-se dar uma idéia de como o processo de formação de uma coleção pode ser visto como um meio de compreender e examinar os desenvolvimentos na arte.

Na visão são cerca de 60 obras de pintores russos e europeus, incluindo Honoré Daumier, Georges Seurat, Henri Rousseau, Odilon Redon, Aleksandr Drevin, Konstantin Istomin, Anatoly Zverev e Vladimir Weisberg. Algumas das obras foram exibidas na Rússia e no exterior durante a última década, enquanto alguns estão em exibição pela primeira vez.

Um dos destaques da coleção é o pequeno Billiard Players de Honoré Daumier, um trabalho no qual o artista habilmente tenta representar o movimento. É também uma das primeiras obras na exposição. Também é mostrado o estudo plein air O Hospital eo Farol de Honfleur por Georges Seurat. Este trabalho foi recentemente incluído numa exposição no Museu Kröller-Müller, nos Países Baixos, que montou a maior exposição da obra do artista nos últimos anos. Este artista não está incluído nas coleções de nenhum museu russo, e, portanto, a exposição apresenta uma oportunidade única para ver o seu trabalho.

Under One Sky também apresenta a primeira oportunidade para o público de Moscou para ver as obras do artista francês Adolphe Monticelli, um contemporâneo dos impressionistas e um estudante de Paul Delaroche. Três obras de Maurice Utrillo marcaram o tom para as paisagens urbanas de Moscou a partir da década de 1960. A exposição também inclui figuras que representam várias figuras do "cezannismo" russo, como Pyotr Konchalovsky, Aleksandr Shevchenko e Nikolay Sinezubov. Completando a apresentação da arte russa de meados do século 20 são retratos e paisagens por Aleksandr Drevin, Nadezhda Udaltsova, e Antonina Sofronova, artistas em grande parte desconhecidos para o público em geral; O imaginário colorido de contos de fadas dos primeiros trabalhos de Anatoly Zverev; E as impecáveis ​​composições de Vladimir Weisberg.

5,000-year-old "nativity scene" reportedly found in Egypt. geologist Marco Morelli, director of the Museum of Planetary Sciences in Prato, Italy, told Seeker. --- 5.000 anos de idade "cena da natividade" teria sido encontrada no Egito. Disse o geólogo Marco Morelli, diretor do Museu de Ciências Planetárias em Prato, na Itália.

Italian researchers may have discovered the oldest nativity scene ever found, predating Christian nativity art by about three millennia, according to the travel and exploration website Seeker.



The rock painting depicts a newborn between parents, a star in the east, and two animals. It was discovered on the ceiling of a small cavity in the Egyptian Sahara desert, Seeker reported. Researchers believe it dates to the Neolithic or Stone Age. 

“It’s a very evocative scene which indeed resembles the Christmas nativity. But it predates it by some 3,000 years,” geologist Marco Morelli, director of the Museum of Planetary Sciences in Prato, Italy, told Seeker. The site reports that Morelli and his team discovered the rock art in 2005, but only now are revealing their findings under the title “Cave of the Parents.”

The rock painting, done in a reddish-brown ochre, has several notable features: a headless lion, a baboon or monkey, a star set in the east, and a baby who is slightly raised to the sky, a position that could have signified birth or pregnancy, Seeker reported. 

The rock painting raises questions about the meaning ascribed to nativity scenes long before the birth of Christ. 

“No doubt it’s an intriguing drawing,” Morelli said. “We didn’t find similar scenes until the early Christian age.”








Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.







--br via tradutor do google
5.000 anos de idade "cena da natividade" teria sido encontrada no Egito. Disse o geólogo Marco Morelli, diretor do Museu de Ciências Planetárias em Prato, na Itália.

Pesquisadores italianos podem ter descoberto a cena de nascimento mais antiga já encontrada, predando a arte da natividade cristã por cerca de três milênios, de acordo com o site de viagens e pesquisa Seeker.

A pintura da rocha descreve um recém-nascido entre pais, uma estrela no leste, e dois animais. Foi descoberto no teto de uma pequena cavidade no deserto egípcio do Saara, informou Seeker. Os pesquisadores acreditam que data do Neolítico ou da Idade da Pedra.

"É uma cena muito sugestiva que de fato se assemelha à natividade de Natal. Mas o antecede por cerca de 3.000 anos ", disse o geólogo Marco Morelli, diretor do Museu de Ciências Planetárias em Prato, na Itália, a Seeker. O site informa que Morelli e sua equipe descobriram a arte rupestre em 2005, mas só agora estão revelando suas descobertas sob o título "Cave of the Parents".

A pintura da rocha, feita em um ocre avermelhado-marrom, tem várias características notáveis: um leão sem cabeça, um babuíno ou macaco, uma estrela no leste, e um bebê que é levemente elevado para o céu, uma posição que poderia ter significado Nascimento ou gravidez, informou Seeker.

A pintura da rocha levanta perguntas sobre o meaning atribuído às cenas da natividade muito antes do nascimento de Christ.

"Sem dúvida é um desenho intrigante", disse Morelli. "Não encontramos cenas semelhantes até a era cristã."