Google+ Followers

sábado, 15 de abril de 2017

Seoul to dedicate museum to Pyongyang’s human rights violations. --- Seul para dedicar o museu às violações dos direitos humanos de Pyongyang. --- 평양의 인권 침해에 박물관을 바치다.

South Korea is set to open a museum in its capital, aimed at raising awareness about the violation of human rights in North Korea, the Ministry of Unification said on Friday.




The museum, set to open in 2019, will exhibit, through documents and photographs, different testimonies and cases of violation of basic human rights at the hands of the Kim Jong-un regime, Efe news reported.

Stories of various defectors’ experiences before they left the insular state will comprise most of the documentation, a Unification Ministry spokesperson told Yonhap news agency.

The ministry, which is currently deciding on whether to directly manage the museum or indirectly through a foundation, launched the project following the passing of a related law in September 2016.

The law established the creation of a South Korean government agency to investigate and document the human rights situation in North Korea.

A report, published in 2014 by the UN Commission of Inquiry, conducted an in-depth analysis that reveals the systematic violations of human rights in North Korea.

The document exposes possible crimes against humanity such as extermination, murder, slavery, disappearances, summary executions, torture, sexual violence, forced abortions, deprivation of food, forced displacement of people, as well as political-, religious- and gender-motivated persecutions.

The report is based on the testimonies of 240 people, including 80 survivors of the labour camps known as “kwanliso”.






fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://dailyworld.in/seoul-to-dedicate-museum-to-pyongyangs-human-rights-violations/

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.







--br via tradutor do google
Seul para dedicar o museu às violações dos direitos humanos de Pyongyang.

A Coréia do Sul abrirá um museu em sua capital, com o objetivo de conscientizar sobre a violação dos direitos humanos na Coréia do Norte, disse o Ministério da Unificação nesta sexta-feira.

O museu, que será inaugurado em 2019, exibirá, por meio de documentos e fotografias, diferentes testemunhos e casos de violação dos direitos humanos básicos do governo Kim Jong-un, informou a Efe.

Histórias de experiências de vários desertores antes de deixarem o estado insular compreenderão a maior parte da documentação, disse um porta-voz do Ministério da Unificação à agência de notícias Yonhap.

O ministério, que está atualmente decidindo sobre a gestão direta do museu ou indiretamente através de uma fundação, lançou o projeto após a aprovação de uma lei relacionada em setembro de 2016.

A lei estabeleceu a criação de uma agência governamental sul-coreana para investigar e documentar a situação dos direitos humanos na Coréia do Norte.

Um relatório, publicado em 2014 pela Comissão de Inquérito da ONU, conduziu uma análise aprofundada que revela as violações sistemáticas dos direitos humanos na Coréia do Norte.

O documento expõe possíveis crimes contra a humanidade como extermínio, assassinato, escravidão, desaparecimentos, execuções sumárias, tortura, violência sexual, abortos forçados, privação de alimentos, deslocamento forçado de pessoas, bem como perseguições políticas, religiosas e de gênero .


O relatório é baseado nos depoimentos de 240 pessoas, incluindo 80 sobreviventes dos campos de trabalho conhecidos como "kwanliso".














--ko via tradutor do google
평양의 인권 침해에 박물관을 바치다.

남한은 북한의 인권 유린에 대한 인식 제고를 목표로 수도에서 박물관을 열 예정이다.

2019 년 개관 예정인이 박물관은 문서와 사진을 통해 김정은 정권의 기본적인 인권 침해 사례와 증언을 전시 할 것이라고 Efe 통신은 보도했다.

통일부 대변인은 연합 뉴스 통신사와의 인터뷰에서 북한 이탈 주민들이 고립 상태에 빠지기 전에 여러 가지 탈북자 경험에 관한 이야기가 대부분의 문서화로 구성 될 것이라고 말했다.

현재 박물관을 직접 관리 할 것인지 재단을 통해 간접적으로 운영 할 것인지 결정하는 부처는 2016 년 9 월 관련 법안이 통과 된 이후에이 프로젝트를 시작했다.

법은 북한의 인권 상황을 조사하고 문서화하는 한국 정부 기관의 설립을 확립했다.

UN 조사위원회가 2014 년에 발표 한 보고서는 체계적으로 북한 인권 침해를 드러내는 심층 분석을 실시했다.

이 문서는 근절, 살인, 노예제도, 실종, 요약 처형, 고문, 성폭력, 강제 낙태, 식량 부족, 사람들의 강제 이주, 정치적, 종교적,성에 의해 야기 된 박해와 같은 인류에 대한 범죄를 폭로합니다 .

이 보고서는 240 명의 생존자를 포함 해 240 명의 증언을 근거로 작성됐다.

Nenhum comentário:

Postar um comentário