Google+ Followers

domingo, 18 de junho de 2017

National Museum of China in Beijing, Was the World’s Most-Visited in 2016. --- Museu Nacional da China em Pequim, foi o mais visitado do mundo em 2016.

According to a new report ranking the most popular international museums.


National Museum of China in Beijing

Anyone who has elbowed their way through crowds at the Met, or the Louvre, or the Tate knows that beloved international museums can get pretty busy. But which museum is the world’s most popular? A recently published report lists 20 institutions that drew the highest number of visitors in 2016, as the Press Association writes. And the top spot was claimed by the National Museum of China in Beijing.

The report, produced by the Themed Entertainment Association (TEA) and the engineering firm AECOM, ranks the world’s major theme parks, water parks, and museums. The National Museum of China topped the list of the 20 most-frequented museums, having brought in 7,550,000 visitors in 2016. The National Air and Space Museum in Washington, D.C., trailed in at a close second with 7.5 million visitors. The Louvre nabbed the third spot with 7.4 million attendees.

According to the report, three factors drove the National Museum of China to the number one spot: “sheer population size, free admission, and being in a major tourist destination city.”

London and D.C. tied for the most museums on the list, with each city boasting four of the world’s most popular institutions: the British Museum, the Tate Modern, the National Gallery, and the Natural History Museum in London; and the National Gallery of Art, the National Air and Space Museum, the National Museum of Natural History, and the National Museum of American History. The latter three D.C. museums are part of the Smithsonian Institution.

While all of the museums on the list are heavy-hitters in terms of attendance rates, some of the institution’s numbers have fluctuated rather dramatically in recent years. The Louvre, for instance, ranked high on the TEA’s list, but its numbers fell from 8.7 million visitors last year to 7.4 million visitors this year—a change of 14.9 percent. Attendance rates at Disneyland Paris also dropped by 14 percent, which the report attributes to a downturn in tourism to “economic and political events” as well as last summer’s floods in Paris.

Politics also affected the National Palace Museum in Taiwan, which ranked 12th on the list. Attendance rates were down by nearly 12 percent this year, which the report writes is likely due to a significant decrease in tourists from China, which froze relations with Taiwan after the country’s 2016 presidential election.

Of course, a good exhibition can do wonders for a museum’s attendance rates. The Tretyakov State Gallery in Moscow grew its number of visitors by nearly half, in part due to two popular exhibitions—one on the Romantic-era Russian painter Ivan Aivazovsky, another on portraits borrowed from the National Portrait Gallery in London.

Overall, however, museum attendance rates have been relatively stable over the past few years, the report states. With their fascinating collections of art, artifacts, and all other manner of cultural and scientific relics, the venerable institutions named in the report are a consistent draw for locals and tourists alike. 






Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.







--br via tradutor do google
Museu Nacional da China em Pequim, foi o mais visitado do mundo em 2016.

De acordo com um novo relatório que classifica os museus internacionais mais populares.

Qualquer um que tenha encurralado através das multidões no Met, ou o Louvre, ou o Tate sabe que os amados museus internacionais podem ficar muito ocupados. Mas qual museu é o mundo mais popular? Um relatório recentemente publicado lista 20 instituições que atraíram o maior número de visitantes em 2016, como escreve a Associação de Imprensa. E o primeiro lugar foi reivindicado pelo Museu Nacional da China em Pequim.

O relatório, produzido pela Themed Entertainment Association (TEA) e pela empresa de engenharia AECOM, classifica os principais parques temáticos, parques aquáticos e museus do mundo. O Museu Nacional da China encabeçou a lista dos 20 museus mais freqüentados, tendo trazido 7.550.000 visitantes em 2016. O Museu Nacional do Ar e do Espaço em Washington, DC, entrou em um segundo próximo com 7,5 milhões de visitantes. O Louvre conquistou o terceiro lugar com 7,4 milhões de participantes.

De acordo com o relatório, três fatores levaram o Museu Nacional da China ao primeiro lugar: "tamanho da população, admissão gratuita e estar em uma grande cidade de destino turístico".

Londres e D.C. amarraram a maioria dos museus na lista, com cada cidade com quatro das instituições mais populares do mundo: o Museu Britânico, o Tate Modern, a Galeria Nacional e o Museu de História Natural em Londres; E a Galeria Nacional de Arte, o Museu Nacional do Ar e do Espaço, o Museu Nacional de História Natural e o Museu Nacional de História Americana. Os últimos três museus de D.C. fazem parte da Smithsonian Institution.

Embora todos os museus da lista sejam pesados ​​em termos de taxas de atendimento, alguns dos números da instituição têm flutuado bastante dramaticamente nos últimos anos. O Louvre, por exemplo, ficou alto na lista do TEA, mas seu número caiu de 8,7 milhões de visitantes no ano passado para 7,4 milhões de visitantes este ano - uma mudança de 14,9%. As taxas de atendimento na Disneyland Paris também diminuíram 14 por cento, o que o relatório atribui a uma desaceleração do turismo para "eventos econômicos e políticos", bem como as enchentes do verão passado em Paris.

A política também afetou o Museu do Palácio Nacional em Taiwan, que ficou em 12º lugar na lista. As taxas de atendimento diminuíram quase 12% este ano, o que o relatório escreve, provavelmente devido a uma diminuição significativa nos turistas da China, que congelaram as relações com Taiwan após as eleições presidenciais de 2016 no país.

Claro, uma boa exposição pode fazer maravilhas para as taxas de atendimento de um museu. A Galeria do Estado de Tretyakov, em Moscou, cresceu o número de visitantes em quase metade, em parte devido a duas exposições populares - uma sobre o pintor russo Ivan Aivazovsky, outra em retratos emprestados da National Portrait Gallery, em Londres.

No geral, no entanto, as taxas de atendimento ao museu têm sido relativamente estáveis ​​ao longo dos últimos anos, afirma o relatório. Com suas fascinantes coleções de arte, artefatos e todas as outras formas de relíquias culturais e científicas, as instituições veneráveis ​​mencionadas no relatório são um desenho consistente para os locais e turistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário