Google+ Followers

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Submarino Museum "Riachuelo" celebrates 40 years of incorporation. --- Submarino Museu “Riachuelo” comemora 40 anos de incorporação.

In a ceremony held in the Cultural Space of the Navy, on June 7, the Board of Historical Heritage and Documentation of the Navy commemorated (DPHDM) the 40th anniversary of the incorporation of the Submarine Museum "Riachuelo" to the Brazilian Navy.




The event was chaired by the Director of Historical Heritage and Documentation of the Navy, Vice Admiral José Carlos Mathias, and brought together former commanders who had been at the helm of the vessel during the 20 years it was active, active and reserve admirals and other Authorities. During the ceremony, Vice-Admiral, retired, José Luiz Feio Obino, the first commander of the submarine (12/3/1977 to 16/3/1979), moved the audience by describing their trajectory in the "Riachuelo".


Participants of the solemnity, the former commanders of the submarine: Fleet Admiral, retired, Fernando Eduardo Studart Wiemer; The Vice Admiral, retired, Mario Augusto de Camargo Ozorio; The Rear Admiral, retired, Rogerio Viana Lafayete; The Captain of the Sea and Reformed War, Edison Santiago Ceruti; And the Captain of Sea and War, retired, Walter Gonçalves de Faria. Also present was Second Sergeant Sérgio da Silva Mercadante, who composed the crew when he was a sailor and today is in charge of the vessel.

In the year 2016, the "Riachuelo" received more than 47 thousand visitors. The visitation takes place from Tuesday to Sunday, from 12h to 17h. Go to www.dphdm.mar.mil.br for further information.



-
S Riachuelo (S-22) is a submarine-museum of the Brazilian Navy. It is the seventh ship of the Brazilian Navy to bear this name, in honor of the Riachuelo Naval Battle.

Address: R. do Mercado, 50 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20010-120
Class: Oberon
Type of ship: Submarine diesel-electric
Crew: 74, with 7 officers and 67 squares

Second in a series of three, it was built by the Vickers Limited shipyard in Barrow-in-Furness, Lancashire, England, in 1973. It had its keel hit on 26 April 1973, and was thrown into the sea on 6 September 1975. After having carried out the tests of sea was incorporated to the Brazilian Navy on March 12, by Notice 0070 of January 27, 1977. 

Operated in the following commissions: operations "Unitas XVIII" (October 1977); "Unitas XIX" (August 1978); "Unitas XXI" (August 1981), together with the US Navy; Operation "Atlantis" (May 1978), with means of the Uruguayan Navy; In operation carried out with means of the Navy of France (November of 1978); In the experiments of launching with German torpedoes "SUT" (November of 1977) and English "Tigerfish" (November of 1979).

Conquered the "Efficiency Trophy", in the year that this award was instituted by the Submarine Force Command.

S Riachuelo was the second (first of its kind) submarine to receive large-capacity batteries manufactured in the country by Saturnia, with German technology, installed during the ship's Normal Repair Period in 1984.

After two decades of operations, he retired from active duty on November 12, 1997, after sailing more than 181,000 nautical miles, in 1,283.5 days of sea and 17,699 hours and forty-one minutes of immersion.

Currently reclassified as Submarino-Museu, it is open to visitors at the Espaço Cultural da Marinha, in the historical center of the city of Rio de Janeiro.








Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br via tradutor do google
Submarino Museu “Riachuelo” comemora 40 anos de incorporação.

Em uma cerimônia ocorrida no Espaço Cultural da Marinha, no dia 7 de junho, a Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha comemorou (DPHDM) o 40° aniversário de incorporação do Submarino Museu “Riachuelo” à Marinha do Brasil.

O evento foi presidido pelo Diretor de Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha, Vice-Almirante José Carlos Mathias, e reuniu ex-comandantes que estiveram à frente da embarcação durante os 20 anos em que esteve na ativa, almirantes da ativa e da reserva e outras autoridades. Durante a cerimônia, o Vice-Almirante, reformado, José Luiz Feio Obino, primeiro comandante do submarino (12/3/1977 a 16/3/1979), emocionou o público ao descrever sua trajetória no “Riachuelo”.

Participaram da solenidade, os ex-comandantes do submarino: Almirante de Esquadra, reformado, Fernando Eduardo Studart Wiemer; o Vice-Almirante, reformado, Mario Augusto de Camargo Ozorio; o Contra-Almirante, reformado, Rogerio Viana Lafayete; o Capitão de Mar e Guerra reformado, Edison Santiago Ceruti; e o Capitão de Mar e Guerra, reformado, Walter Gonçalves de Faria. Esteve presente também, o Segundo-Sargento Sérgio da Silva Mercadante, que compôs a tripulação quando era marinheiro e hoje é encarregado da embarcação.

No ano de 2016, o “Riachuelo” recebeu mais de 47 mil visitantes. A visitação acontece de terça a domingo, das 12h às 17h. Acesse www.dphdm.mar.mil.br para outras informações.

--
O S Riachuelo (S-22) é um submarino-museu da Marinha do Brasil. É o sétimo navio da Armada brasileira a ostentar esse nome, em homenagem à Batalha Naval do Riachuelo. 

Endereço: R. do Mercado, 50 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20010-120
Classe: Classe Oberon
Tipo de navio: Submarino diesel-elétrico
Tripulação: 74, sendo 7 oficiais e 67 praças

Segundo de uma série de três, foi construído pelo estaleiro Vickers Limited, em Barrow-in-Furness, Lancashire, na Inglaterra, em 1973. Teve a sua quilha batida a 26 de abril de 1973, sendo lançado ao mar em 6 de setembro de 1975. Após de ter realizado as provas de mar foi incorporado à Armada Brasileira em 12 de março, pelo Aviso 0070 de 27 de janeiro de 1977.

Operou nas seguintes comissões: operações "Unitas XVIII" (outubro de 1977); "Unitas XIX" (agosto de 1978); "Unitas XXI" (agosto de 1981), em conjunto com a US Navy; operação "Atlantis" (maio de 1978), com meios da Marinha do Uruguai; em operação realizada com meios da Marinha da França (novembro de 1978); nas experiências de lançamento realizadas com torpedos alemães "SUT" (novembro de 1977) e ingleses "Tigerfish" (novembro de 1979).

Conquistou o "Troféu Eficiência", no ano em que essa premiação foi instituída pelo Comando da Força de Submarinos.

O S Riachuelo foi o segundo submarino (o primeiro da sua classe) a receber baterias de grande capacidade fabricadas no país pela Saturnia, com tecnologia alemã, instaladas durante o Período Normal de Reparos do navio, em 1984.

Após duas décadas de operações, deu baixa do serviço ativo a 12 de novembro de 1997, após navegar mais de 181 mil milhas marítimas, em 1 283,5 dias de mar e 17 699 horas e quarenta e um minutos de imersão.

Atualmente reclassificado como Submarino-Museu, encontra-se aberto à visitação no Espaço Cultural da Marinha, no centro histório da cidade do Rio de Janeiro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário