Listen to the text.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

AMURI MUSEUM OF WORKERS’ HOUSING, Satakunnankatu 49, 33230 Tampere, Finland - Museu Amuri da Vivienda dos Trabalhadores, Satakunnankatu 49, 33230 Tampere, Finlândia

Amurin puutalokortteleiden rakentaminen alkoi 1860-luvulla Tampereen kasvavan työväestön tarpeisiin. Näistä kortteleista on jäljellä vain Amurin työläismuseokortteli, johon kuuluu viisi alkuperäisillä paikoilla olevaa asuinrakennusta sekä neljä piharakennusta. Asuinrakennuksiin on sisustettu asuntoja, jotka ajoittuvat vuosien 1882 ja 1973 välille. Museoalueelta löytyvät myös yleinen sauna, leipomo, suutarinverstas, osuuskauppa sekä paperi- ja lyhyttavarakauppa.


Tampere was founded in 1779 on a narrow isthmus on the western side of the rapids. The burghers that moved into the city were given plantation land for cultivation and pasture on the western edge of the city. Strong industrialisation brought new inhabitants to the city from the mid-19th century onwards, and the city needed plotland to accommodate new people. The only possible direction to enlarge the city was towards the west and thus the burghers had to part with their plantation land. At the same time Finnish immigrants were travelling towards Amur Land in Siberia. Tampere people thought that the new district was located far from the city centre and it became to be called metaphorically as Amurinmaa, Amur Land. The name took the form of Amuri.


Amuri grew together with the industrialisation of the banks of the Tammerkoski rapids. By the beginning of the 20th century Amuri had five thousand inhabitants. The communal kitchen system was a special feature of Amuri district’s houses.

A typical communal kitchen ran through the house vertically, and it was surrounded by two rooms on both sides. The community around the kitchen thus included four families with their subtenants.

A houseowner had typically two or three bedrooms and a private kitchen. One of the outbuildings had outhouses on top of the stairs in one or two rows. Many outbuildings also had a stable.

Amuri had several communal saunas. People went to the centre of the city only for special errands, all the necessary things could be bought from the areas merchants or Mustalahti market.

Resultado de imagem para Amuri Museum of Workers' Housing

During the 1950s, Hämeen Museoseura society had an idea that Tampere should have an open-air museum. In the first phase the museum was planned to be located in the district of Ratina, and the idea was to relocate buildings from different parts of Tampere there. The idea had developed into a workers’ home museum by the 1960s. New town plan was drawn for Amuri in 1965 and in it the city reserved one block for museum use. The society set in 1967 a committee to develop a museum plan. When Tampere Museums was founded in 1969, the task was appointed to them. The first phase in turning the block into a museum was when the Cooperative Store i.1. museum was opened in the block in 1975. Kulutusosuuskuntien Keskusliitto Cooperative Organisation had donated merchant ware and artefacts to the City of Tampere. Their wish was that the museum would be opened in 1975 when Osuusliike Voima Cooperative Store and the whole E-osuuskauppaliike Corporation celebrated their 75th anniversary.



The leading thought of the museum planning was to describe the living and the lives of Amuri people from the founding of the district to the 1970s. The dwellings should look like the inhabitants had stepped out of them only for a moment. Inhabitants were created to each museum dwelling, and they were general descriptions of Amuri people. Names, professions, family sizes, etc. were searched from records. Information for interior décor was gained from estate inventory deeds, literature, and interviews were conducted. The artefacts in the rooms are mainly from Tampere and Tampere Region, partly also from Amuri. The only authentic dwelling is the one from 1973.

The residential building of Makasiininkatu street 12, where the Cooperative Store i.l. museum was located, was finished for museum use in January 1980. The dwellings of the building date from 1932 to 1973. The building also houses a haberdashery from 1946. The cooperative store was connected through storekeeper’s dwelling to the rest of the museum.

In the days preceding midsummer of 1982 the public gained access to plot 41’s residential building. It houses dwellings from 1911 to 1939 as well as a bakery from the 1930s. Previously the museum had been open yearly only on Tampere Day but from there on the two finished museum buildings were open for public during summer season. In 1975 architect Matti Huusari drew in the city’s architectural department a communal sauna and used the saunas in Amuri and Pispala districts as a model. The sauna was completed on plot 43 in 1991. At that time the so-called small house, located on the same plot, was opened which houses dwellings from 1901 to 1909 as well as a cobbler’s shop. In 1992 the larger residential building on the same plot was finished for museum use and it houses dwellings from 1882 to 1899 as well as two playrooms with traditional toys for younger visitors.

The main principle when the buildings were turned into a museum was to conduct as little renovation as possible as well as using professionals who had the same skills as the carpenters, painters and masons in the olden days had.






collaboration: Lilit Minasyan

Rozmari Petek 
Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br
Museu Amuri da Vivienda dos Trabalhadores.

A construção das crateras de madeira de Amur começou na década de 1860 para as necessidades da população crescente em Tampere. Destes blocos, há apenas o Bairro dos Museus dos Trabalhadores de Amuri, que inclui cinco edifícios residenciais no local original e quatro metros. Os edifícios residenciais estão decorados com apartamentos entre 1882 e 1973. Na área do museu há também uma sauna geral, uma padaria, uma loja de souvenirs, uma loja cooperativa e um papel e uma mercearia.

Tampere foi fundada em 1779 em um istmo estreito no lado ocidental dos Rapids. Os burgueses que se mudaram para a cidade receberam terreno de plantação para cultivo e pastagem no extremo oeste da cidade. Uma forte industrialização trouxe novos habitantes para a cidade a partir de meados do século 19, e a cidade precisava de terreno para acomodar novas pessoas. A única direção possível para ampliar a cidade era para o oeste e, portanto, os burgueses tiveram que compartilhar com suas terras de plantação. Ao mesmo tempo, imigrantes finlandeses viajaram para Amur Land, na Sibéria. As pessoas de Tampere achavam que o novo distrito estava localizado longe do centro da cidade e foi metaforicamente encontrado com Amurinmaa, Amur Land. O nome assumiu a forma de Amuri.

Amuri cresceu com a industrialização dos bancos das Rapids de Tammerkoski. No início do século XX, Amuri tinha cinco mil habitantes. O sistema de cozinha comum era uma característica especial das casas do distrito de Amuri.

Uma cozinha comum típica atravessava a casa verticalmente e estava cercada por dois quartos em ambos os lados. A comunidade em torno da cozinha, portanto, incluiu quatro famílias com seus subentários.

O proprietário tinha tipicamente dois ou três quartos e uma cozinha privada. Uma das dependências tinha dependências em cima das escadas em uma ou duas filas. Muitas dependências também tinham um estábulo.

Amuri tinha várias saunas comunais. As pessoas foram ao centro da cidade apenas para pedidos especiais, todas as coisas necessárias poderiam ser compradas no mercado dos comerciantes ou Mustalahti.

Durante a década de 1950, H & auml; meen Museoseura teve uma idéia de que Tampere deveria ter um museu ao ar livre. Na primeira fase, o museu estava planejado para ser localizado no distrito de Ratina, e a idéia era mudar os edifícios de diferentes partes de Tampere. A idéia havia se tornado um museu de casa dos trabalhadores na década de 1960. O plano da cidade nova foi desenhado para Amuri em 1965 e nela a cidade reservou um bloco para o uso do museu. A sociedade estabeleceu em 1967 um comitê para desenvolver um plano de museu. Quando os Museus de Tampere foram fundados em 1969, a tarefa foi nomeada para eles. A primeira fase em transformar o bloco em um museu foi quando a Cooperative Store i.1. O museu foi aberto no bloco em 1975. Kulutusosuuskuntien Keskusliitto Cooperative Organization doou mercadorias mercantes e artefatos para a cidade de Tampere. O desejo deles era que o museu fosse aberto em 1975, quando a Loja Cooperativa Osuusliike Voima e toda a Corporação E-osuuskauppaliike celebraram seu 75º aniversário.

O pensamento principal do planejamento do museu era descrever a vida e as vidas dos amurianos desde a fundação do distrito até a década de 1970. As habitações devem parecer que os habitantes saíram deles apenas por um momento. Os habitantes foram criados para cada moradia do museu, e eram descrições gerais de pessoas de Amuri. Nomes, profissões, tamanhos de família, etc. foram pesquisados ​​a partir de registros. As informações para decoração de interiores foram obtidas a partir de escrituras de inventário, literatura e entrevistas realizadas. Os artefactos nos quartos são principalmente da região de Tampere e Tampere, em parte também de Amuri. A única habitação autêntica é a de 1973.

O prédio residencial da rua Makasiininkatu 12, onde a Cooperative Store i.l. O museu foi localizado, foi terminado para uso em museu em janeiro de 1980. As moradias do edifício datam de 1932 a 1973. O prédio também abriga uma mercíola de 1946. A loja cooperativa estava conectada através da habitação do lojista ao resto do museu.

Nos dias que antecederam o verão de 1982, o público obteve acesso ao prédio residencial do lote 41. Ele abriga habitações de 1911 a 1939, bem como uma padaria da década de 1930. Anteriormente, o museu tinha sido aberto anualmente apenas no dia de Tampere, mas a partir daí, os dois prédios finais do museu estavam abertos para público durante a temporada de verão. Em 1975, o arquiteto Matti Huusari desenhou no departamento de arquitetura da cidade uma sauna comum e usou as saunas nos distritos de Amuri e Pispala como modelo. A sauna foi completada na trama 43 em 1991. Naquela época, abriu-se a chamada pequena casa, localizada na mesma parcela, que abriga habitações de 1901 a 1909, bem como uma cofres. Em 1992, o prédio residencial maior da mesma parcela foi terminado para uso em museus e abriga moradias de 1882 a 1899, bem como duas salas de jogos com brinquedos tradicionais para visitantes mais jovens.

O princípio principal quando os edifícios foram transformados em um museu era realizar o mínimo de renovação possível, além de usar profissionais que possuíam as mesmas habilidades que os carpinteiros, pintores e pedreiras dos antigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário