domingo, 31 de dezembro de 2017

“Thanks to the power of sustained strategic investment in art and culture, the next chapter in Hull’s rich story is now filled with optimism, creativity, excitement and economic growth.” - "Graças ao poder do investimento estratégico em arte e cultura, o próximo capítulo da rica história de Hull está agora cheio de otimismo, criatividade, entusiasmo e crescimento econômico".

Hull’s year as UK city of culture ‘a rip-roaring, awe-inspiring success’.

East Yorkshire city on a high in final few days of 2017 – a year when residents and visitors were treated to 2,000 events.

image
We Are Hull, an installation by artist Zsolt Balogh, i
s projected on to buildings in the city’s centre. 
Photograph: Danny Lawson/PA.

Hull’s year as UK city of culture has been described as a “rip-roaring, awe-inspiring success” by Arts Council England, and organisers and civic leaders have promised to build on its legacy in 2018.

The port city in east Yorkshire was the UK’s second city of culture, after Derry became the first in 2013.

Hull’s tenure has been widely praised and is estimated to have provided an economic boost worth more than the bid’s forecast of £60m.

The Arts Council England chief executive, Darren Henley, said: “Hull’s year in the spotlight has been an unmitigated, rip-roaring, awe-inspiring, life-enhancing success.

“Thanks to the power of sustained strategic investment in art and culture, the next chapter in Hull’s rich story is now filled with optimism, creativity, excitement and economic growth.”

The Hull city council leader, Stephen Brady, said: “We’ve had an unforgettable year and everyone has worked together for the same goal. The confidence in the city is at an all-time high and we will build on this over the coming years.

“2017 was a catalyst for change, and our ambitious plans will carry on with Hull Venue [a new 3,500-capacity entertainment complex] opening in June 2018, and plans for the Yorkshire cruise terminal are progressing very well. This is the city’s renaissance.”

The year culminated with the UK’s best-known arts award, the Turner prize, being awarded to a resident of the city.

Organisers have been most proud of the statistic showing that at least nine in 10 residents have experienced something of the more than 2,000 events held during the year.







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.















--br via tradutor do google
"Graças ao poder do investimento estratégico em arte e cultura, o próximo capítulo da rica história de Hull está agora cheio de otimismo, criatividade, entusiasmo e crescimento econômico".

O ano de Hull, como cidade da cultura do Reino Unido, "um sucesso rip-rugindo e inspirador".

East Yorkshire no final de alguns dias de 2017 - um ano em que os residentes e os visitantes foram tratados com 2.000 eventos.

imagem
We Are Hull, uma instalação do artista Zsolt Balogh, é projetada para edifícios no centro da cidade. Fotografia: Danny Lawson / PA.

O ano de Hull, como cidade de cultura do Reino Unido, foi descrito como "sucesso arrepiante e inspirador" pelo Arts Council England, e os organizadores e líderes cívicos prometeram construir seu legado em 2018.

A cidade portuária de East Yorkshire foi a segunda cidade de cultura do Reino Unido, depois de Derry se tornar o primeiro em 2013.

O mandato de Hull foi amplamente elogiado e estima-se que tenha fornecido um impulso econômico que valha mais do que a previsão de lance de £ 60 milhões.

O presidente-executivo da Arts Council England, Darren Henley, disse: "O ano de Hull, no centro das atenções, foi um sucesso majestoso, rip-rugindo, impressionante e realista.

"Graças ao poder do investimento estratégico em arte e cultura, o próximo capítulo da rica história de Hull está agora cheio de otimismo, criatividade, entusiasmo e crescimento econômico".

O líder do conselho da cidade de Hull, Stephen Brady, disse: "Tivemos um ano inesquecível e todos trabalharam juntos para o mesmo objetivo. A confiança na cidade é em todo o tempo e vamos construir sobre isso nos próximos anos.

"2017 foi um catalisador para a mudança, e nossos planos ambiciosos continuarão com Hull Venue [um novo complexo de entretenimento de capacidade de 3.500 capacidades] em junho de 2018, e os planos para o terminal de cruzeiros do Yorkshire estão progredindo muito bem. Esta é a renascimento da cidade ".

O ano culminou com o prêmio de arte mais conhecido do Reino Unido, o prêmio Turner, sendo concedido a um residente da cidade.

Os organizadores ficaram mais orgulhosos com a estatística mostrando que pelo menos nove em cada 10 residentes experimentaram algo dos mais de 2.000 eventos realizados durante o ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário