Google+ Followers

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Museum with attractions on energy reopens in Rio de Janeiro, Brazil, focused on students. --- Museu com atrações sobre energia reabre no Rio de Janeiro, Brasil, com foco em estudantes.

The Energy Museum reopened the doors for the public in Rio de Janeiro with the goal of attracting adults and high school students.




Opened in 2012 by distributor Light, the museum focused on the children's audience. After renovation, the museum brings attractions to arouse the interest of other visitors.

"He is less childish and has a greater adherence to the theme of energy, without losing the playfulness he always had," said the manager of the Light Institute and the Light Cultural Center, Luis Felipe Younes do Amaral.

One of the novelties is a tunnel mounted with LED lamps of various colors, hanging along the path, in a kind of electric circuit. The idea is to call attention to high school students who already have knowledge of physics and electricity. Visitors are expected to enter the tunnel in groups of three and walk without bending over bulbs simulating wires from an electrical circuit.

Other attractions remain as Praça das Energias and the Caminhos da Energia mockup, made with Lego toy parts, launched in 2015.

Theft of energy

The museum's organization also wants to warn visitors about the losses from the theft of energy, through illegal connections in the city's electrical grid, the so-called cats.

A map will show the public the losses with the theft of energy in each region of Rio de Janeiro. According to Luis Felipe do Amaral, the consumers' energy bill could be up to 17% lower if there were no clandestine connections.

Conscious Consumption

Visitors also get tips on how to reduce energy consumption at home and at work and thereby pay less on the light bill.

"We show where it [energy] comes from, how it is generated, where it passes through to the consumer's home. Energy is not a magic thing. It has a path and a cost, not only financial, but nature itself. "

The changes in the museum were based on the PUC / RS Museum (Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul) and the CEEE Group's Electricity Museum, also in Rio Grande do Sul. The team also visited museums in Paris, London, Munich , Lisbon and Porto, in Portugal.

The visit to the Light Energy Museum is free and can be booked through the website www.museulight.com.br . The museum is at Avenida Marechal Floriano, 168, in the center, near the metro station Presidente Vargas.









Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.










--br
Museu com atrações sobre energia reabre no Rio de Janeiro, Brasil, com foco em estudantes.

O Museu da Energia reabriu as portas para o público no Rio de Janeiro com o objetivo de atrair adultos e estudantes do ensino médio.

Inaugurado em 2012 pela distribuidora Light, o museu tinha como foco o público infantil. Após a reforma, o museu traz atrações para despertar o interesse de outros visitantes.

“Ele fica menos infantil e passa a ter uma aderência maior ao tema energia, sem perder a ludicidade que sempre teve”, disse o gerente do Instituto Light e do Centro Cultural Light, Luis Felipe Younes do Amaral.

Uma das novidades é um túnel montado com lâmpadas de LED de várias cores, penduradas ao longo do trajeto, em uma espécie de circuito elétrico. A ideia é chamar atenção de estudantes do ensino médio que já têm conhecimento de física e eletricidade. Os visitantes deverão entrar no túnel, em grupos de três em três, e andar sem encostar nas lâmpadas que simulam fios de um circuito elétrico.

Outras atrações permanecem como a Praça das Energias e a maquete Caminhos da Energia, feita com peças do brinquedo Lego, lançadas em 2015.

Furto de energia

A organização do museu também quer alertar os visitantes sobre as perdas com o furto de energia, por meio de ligações ilegais na rede elétrica da cidade, os chamados gatos.

Um mapa mostrará ao público os prejuízos com o furto de energia em cada região do Rio de Janeiro. Segundo Luis Felipe do Amaral, a conta de energia dos consumidores poderia ser até 17% menor se não houvesse as ligações clandestinas.

Consumo consciente

Os visitantes também recebem dicas sobre como reduzir o consumo de energia em casa e no trabalho e, com isso, pagar menos na conta de luz.

“A gente mostra de onde ela [energia] vem, como é gerada, por onde ela passa até chegar na casa do consumidor. Energia não é uma coisa mágica. Ela tem um caminho e um custo, não só financeiro, mas da natureza em si”.

As mudanças no museu tiveram como base o Museu da PUC/RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) e o Museu da Eletricidade do Grupo CEEE, também no Rio Grande do Sul. A equipe também visitou museus de Paris, Londres, Munique, Lisboa e Porto, em Portugal.

A visita ao Museu de Energia da Light é gratuita e pode ser agendada pelo site www.museulight.com.br . O museu fica na Avenida Marechal Floriano, 168, no centro, próximo da estação do metrô Presidente Vargas.

Grèce: Thessalonique aura son "musée de l'holocauste" co-financé par l'Allemagne. --- Grécia: Thessaloniki terá o seu "Museu do Holocausto" co-financiado pela Alemanha.

Thessalonique, deuxième ville grecque dans le nord, dont la majorité de la communauté juive de plus de 50.000 séfarades avait été exterminée par les nazis, s'apprête à construire son "musée de l'holocauste" avec l'aide de l'Allemagne, a-t-on appris lundi auprès de la communauté juive.


"Le projet de construction du musée a été adopté par la mairie de la ville et sera co-financé par le gouvernement allemand et la Fondation grecque de l'armateur Niarchos", a expliqué à l'AFP David Saltiel, président de cette communauté qui ne compte plus que 1.500 membres.

Doté d'un budget initial de 22 millions d'euros, dont dix millions seront offerts par l'Allemagne, le bâtiment de six étages en métal et en verre, est dessiné par deux sociétés, allemande et israélienne, et sa construction doit débuter d'ici à la fin 2017 et s'achever en trois ans.

C'est l'organisme grec de gestion du patrimoine foncier des chemins de fer grecs Gaiose qui a offert le terrain pour la construction du musée, qui fera 5.000 m2. Il sera situé à l'ouest de la ville, près des lieux d'où partaient les trains pour les camps de concentration, selon David Saltiel.

"C'est là où a été écrit le début de la fin de la population juive de Thessalonique", métropole multiculturelle des Balkans avant la Seconde guerre mondiale, rappelle l'édition dominicale du quotidien grec Kathimerini, qui révèle la maquette du projet.

Le maire de Thessalonique, Yannis Boutaris, qui avait approuvé le projet il y a trois ans, avait alors déploré "le retard injustifiable de la ville pour briser son silence et commencer à commémorer l'un des plus sombres moments de son histoire", rapporte Kathimerini.

Le musée sera l'occasion "d'attirer de nombreux touristes pour connaître l'histoire des 500 ans de vie des séfarades de Thessalonique", estime David 







Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.

















--br via tradutor do google
Grécia: Thessaloniki terá o seu "Museu do Holocausto" co-financiado pela Alemanha.

Thessaloniki, a segunda cidade grega, no norte, a maioria da comunidade judaica de mais de 50.000 sefardita foram exterminados pelos nazistas, está se preparando para construir seu "Museu do Holocausto", com a ajuda da Alemanha, não disse segunda-feira da comunidade judaica.

"A construção do museu foi aprovada pelo conselho municipal da cidade e será co-financiado pelo Governo alemão e do armador grego Niarchos Fundação", disse à AFP David Saltiel, presidente da comunidade tem apenas 1.500 membros.

Com um orçamento inicial de € 22 milhões, dez milhões serão fornecidos pela Alemanha, o metal de seis andares e vidro, é concebido por duas empresas, alemães e israelenses, e sua construção deve começar a partir de 'até o final de 2017 e ser concluída em três anos.

É a gestão da organização grega de bens da terra dos caminhos de ferro gregos Gaiose que deram o terreno para a construção do museu, que será de 5.000 m2. Ele será localizado a oeste da cidade, perto do local onde os trens partiu para os campos de concentração, de acordo com David Saltiel.

"Este é o lugar onde estava escrito o início do fim da população judaica de Salónica", metrópole multicultural dos Balcãs antes da Segunda Guerra Mundial, disse que a edição de domingo do grego Kathimerini diariamente, o que revela o modelo do projeto.

O prefeito de Salónica Yannis Boutaris, que havia aprovado o projeto há três anos, então tinha deplorou "a demora injustificada da cidade para romper o silêncio e começam a comemorar um dos momentos mais negros da sua história", relatórios Kathimerini.

O museu será uma oportunidade "para atrair muitos turistas para conhecer a história de 500 anos de vida da sefardita Thessaloniki", disse David

Sunken 600-year-old Buddha emerges from water in China. --- Buda afundado de 600 anos emerge da água na China.

BEIJING, China — A 600-year-old Buddha statue has been discovered in a reservoir in east China’s Jiangxi Province after water levels fell during renovation work.


A local villager first spotted the head of the Buddha last month when the water level fell by more than 10 meters during work on a hydropower gate, official state news agency Xinhua reported.

The Buddha’s head sits against a cliff and gazes serenely over the body of water. It has attracted many tourists as well as locals, who see it as an auspicious sign.


Archaeologists said the statue could date back to Ming Dynasty (1368-1644).

“A preliminary study of the statue suggests it was probably built during early Ming Dynasty, maybe even earlier as the Yuan Dynasty,” Xu Changqing, director of the Research Institute of Archaeology of Jiangxi province, told CNN in a phone interview.

The statue is potentially just the tip of an untapped archeological treasure trove. A base of a temple hall was also found under the water. Local records suggest the reservoir was located on the ruins of an ancient town called Xiaoshi.

Xu said an underwater archeology team is investigating both the ancient town and the statue and working on a preservation plan.

Water helps protect statue

Xu added that being submerged in water could have preserved the statue, which features surprisingly detailed carving.

“If the statue wasn’t preserved in the water, it could have suffered weathering, oxidation or other risks, we reckon,” Xu said.

Many cultural relics were destroyed during the country’s Cultural Revolution in the 1960s when people were told to get rid of everything old, feudalistic and superstitious.

The statue is around 12.5 feet (3.8 meters) tall and carved into a cliff.

China is home to a number of striking Buddhist cliff and cave carvings. The most famous is Leshan Giant Buddha, the world’s tallest Buddha statue.

Guan Zhiyong, a local official, told Xinhua that the Buddha statue was built by ancient people as a spiritual protector to calm the rapid-flowing current where two rivers converge.

The statue was submerged in 1960 when the Hongmen reservoir was built. At that time, local authorities weren’t aware of heritage protection, said Xu.

The re-emergence of the Buddha has brought back memories for some village elders. Huang Keping, a 82-year-old local blacksmith, said he saw the Buddha first time in 1952.

“I remember the statue was gilded at that time,” Huang told Xinhua.









Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.
















--br via tradutor do google
Buda afundado de 600 anos emerge da água na China.

Uma estátua de 600 anos de idade de Buda foi descoberta em um reservatório na província de Jiangxi, leste da China, depois que os níveis de água caíram durante os trabalhos de renovação.

Um morador local viu pela primeira vez a cabeça do Buda no mês passado quando o nível da água caiu mais de 10 metros durante o trabalho em um portão hidrelétrico, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

A cabeça do Buda assenta contra um penhasco e olha serenamente para o corpo de água. Ele tem atraído muitos turistas, bem como os moradores locais, que vê-lo como um sinal auspicioso.

Arqueólogos disseram que a estátua poderia remontam à Dinastia Ming (1368-1644).

"Um estudo preliminar da estátua sugere que foi construído provavelmente durante Dinastia Ming adiantada, talvez mesmo mais cedo quanto a dinastia de Yuan," Xu Changqing, diretor do instituto de pesquisa da arqueologia da província de Jiangxi, disse CNN em uma entrevista do telefone.

A estátua é potencialmente apenas a ponta de um tesouro archaeological inexplorado do tesouro. Uma base de um templo hall também foi encontrado sob a água. Registros locais sugerem que o reservatório estava localizado nas ruínas de uma antiga cidade chamada Xiaoshi.

Xu disse que uma equipe de arqueologia subaquática está investigando tanto a cidade antiga quanto a estátua e trabalhando em um plano de preservação.

A água ajuda a proteger a estátua

Xu acrescentou que estar submerso na água poderia ter preservado a estátua, que apresenta uma escultura surpreendentemente detalhada.

"Se a estátua não foi preservada na água, poderia ter sofrido intempéries, oxidação ou outros riscos, nós contamos", disse Xu.

Muitas relíquias culturais foram destruídas durante a Revolução Cultural do país na década de 1960, quando as pessoas foram ditas para se livrar de tudo velho, feudal e supersticioso.

A estátua é de cerca de 12,5 metros (3,8 metros) de altura e esculpido em um penhasco.

A China é o lar de um número impressionante de penhascos budistas e esculturas de cavernas. O mais famoso é Leshan Giant Buddha, a estátua de Buda mais alta do mundo.

Guan Zhiyong, um funcionário local, disse à Xinhua que a estátua de Buda foi construída por pessoas antigas como um protetor espiritual para acalmar a corrente de fluxo rápido onde dois rios convergem.

A estátua foi submersa em 1960 quando o reservatório de Hongmen foi construído. Naquela época, as autoridades locais não estavam cientes da proteção do patrimônio, disse Xu.

O ressurgimento do Buda trouxe de volta memórias para alguns anciãos da aldeia. Huang Keping, um ferreiro local de 82 anos, disse que viu o Buda pela primeira vez em 1952.

"Lembro-me de que a estátua estava dourada naquela época", disse Huang à Xinhua.