Google+ Followers

sábado, 28 de janeiro de 2017

Stroll through the Bolshoi Theater in 360 ° video: 3:07 min. --- Passeio pelo Teatro Bolshoi em 360° vídeo 3:07 min.

For the first time, the viewer can see the Bolshoi Theater in 360 °. Just click on the arrows in the circle (in the upper left corner of the screen) and choose where you want to go. The production was done inside and outside the building, and executed by the RT channel.









Video:









Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.



--br
Passeio pelo Teatro Bolshoi em 360° 

Pela primeira vez, o espectador pode ver o Teatro Bolshoi em 360°. Basta clicar nas setas do círculo (no canto superior esquerdo da tela) e escolher para onde você quer ir. A produção foi feita dentro e fora do edifício, e executada pelo canal RT.

Cinema: Long Russian 'Viking'; Watch the trailer. Video: 2:52 min. --- Cinema: Longa russo ‘Viking’; assista a trailer. video: 2:52 min.

Based largely on 11th century East Slavic manuscripts, the film stars Danila Kozlovsky as a royal son who pairs with an old warrior to assemble an army and face the man who killed his father and older brother, his power-hungry younger brother. The trailer is online and viral via Russian media sites, emulating a dark and wintery setting, grim luster, raging viking warfare in a three-minute opus of pure fire, blood and vegeance with stunning visuals and drama.

-
With an aesthetic similar to 'Game of Thrones', film tells the story of Prince Vladimir, known as Christianizer of the Principality of Kiev (precursor of Russia). Longa raised a third of his budget already in the first weekend.

Video: 


The Russian film "The Viking," about Prince Vladimir, known as the Christianizer of Russia, had its rights of exhibition sold to more than 60 countries in Europe, Asia and Latin America. There is still no release forecast in Brazil.




"Dozens of countries have positively assessed the quality of the film and acquired the rights to the The Viking exhibition, recognizing not only the film's merits but also the attention paid to Russian history," producer Konstantin Ernst 

The film required a budget of $ 20 million and grossed $ 6.7 million just for its debut weekend in Russia, surpassing the American drama "Beauty Collateral," starring Will Smith.

The box office success in the country also allowed the entry in the top 10 of the world leaders that weekend, for the first time in the history of Russian cinema.



"The Viking" is based on elements of the "Nestor Chronicle", dated to the 12th century, and depicts the life of Prince Vladimir, responsible for introducing Christianity in the Principality of Kiev (precursor of Russia) in 988.











Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.




--br
Cinema: Longa russo ‘Viking’; assista a trailer. video: 2:52 min.

Baseado na maior parte em manuscritos do século 11, o filme stars Danila Kozlovsky como um filho real que pares com um guerreiro velho para montar um exército e para enfrentar o homem que matou seu pai e irmão mais velho, seu irmão mais novo poder-fome. O trailer está on-line e viral através de sites de mídia russa, emulando um cenário escuro e invernal, brilho sombrio, violento guerra viking em um opus de três minutos de fogo puro, sangue e vegetação com visual deslumbrante e drama.

-
Com estética parecida a ‘Game of Thrones’, filme conta história do príncipe Vladímir, conhecido como cristianizador do Principado de Kiev (precursor da Rússia). Longa arrecadou um terço de seu orçamento já no primeiro fim de semana.

O filme russo “The Viking”, sobre o príncipe Vladímir, conhecido como cristianizador da Rússia, teve seus direitos de exibição vendidos a mais de 60 países na Europa, Ásia e América Latina. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

“Dezenas de países avaliaram positivamente a qualidade do filme e adquiriram os direitos para a exibição de ‘The Viking’, reconhecendo não somente os méritos cinematográficos, mas também a atenção prestada à história russa”, disse à TASS o produtor do longa, Konstantin Ernst.

O filme exigiu orçamento de 20 milhões de dólares e arrecadou US$ 6,7 ​​milhões apenas no fim de semana de estreia na Rússia, superando o drama norte-americano “Beleza Colateral”, protagonizado por Will Smith.

O sucesso de bilheteria no país também permitiu a entrada do longa no top 10 dos líderes mundiais naquele fim de semana, pela primeira vez na história do cinema russo.

“The Viking” é baseado em elementos da “Crônica de Nestor”, datada do século 12, e retrata a vida do príncipe Vladímir, responsável por introduzir o cristianismo no Principado de Kiev (precursor da Rússia) em 988.




L’œuvre de Marc Chagall en couleur et en musique au Musée des beaux-arts de Montréal --- O trabalho de cor Marc Chagall e música para o Museu de Belas Artes de Montreal

Les couleurs de Chagall

Le Musée des beaux-arts de Montréal (MBAM) présente à partir de samedi la plus importante exposition jamais consacrée au peintre Marc Chagall au Canada. L'exposition Chagall : couleur et musique rassemble plus de 300 œuvres de l'artiste.

UN TEXTE DE MAXENCE BILODEAU

Né dans une famille juive hassidique de Biélorussie en 1887, Marc Chagall a connu la gloire en France et dans le monde.

Ses oeuvres colorées sont présentes partout dans l'exposition que lui consacre le Musée des beaux-arts de Montréal. Les visiteurs pourront notamment découvrir la toile La naissance, peinte il y a un peu plus de 100 ans, et l'autoportrait aux sept doigts terminé à la même époque qui nous montre l'influence du cubisme sur le travail de Chagall.



Marc Chagall, « La naissance », 1911-1912
Marc Chagall, « La naissance », 1911-1912 Photo : SODRAC &
ADAGP 2017, Chagall/The Art Institute of Chicago/Art Resource, NY

« Chagall, c'est le poète de la couleur, c'est un des artistes au 20e siècle qui ont le plus utilisé et ressenti la couleur de l'intérieur. Donc, ses tableaux sont une explosion de couleurs, de joie visuelle », souligne Ambre Gauthier, commissaire invitée au Musée des beaux-arts de Montréal.

De la couleur, il y en a à revendre sur le plafond de l'opéra Garnier à Paris, une œuvre de Chagall de 220 mètres carrés terminée en 1964. Les visiteurs de l’exposition montréalaise pourront voir dans le fin détail ce travail monumental, grâce à une reproduction en ultra haute définition, réalisée par le Lab culturel de Google à Paris.

Chagall a aussi dessiné nombre de costumes pour l'opéra et le ballet. L'exposition nous en montre 40, dont ceux qui ont servi pour le ballet L'oiseau de feu, de Stravinski, présenté à New York en 1945.

Marc Chagall, Costumes de bergère pour « Daphnis et Chloé », 1959. Paris, Opéra national
Marc Chagall, Costumes de bergère pour « Daphnis et Chloé », 1959. Paris,
Opéra national Photo : SODRAC & ADAGP 2017, Chagall/Museum Associates/LACMA

Un prêt refusé par la Russie

Les décors peints par l'artiste pour le théâtre juif à Moscou devaient également être présentés à cette exposition, mais les visiteurs auront plutôt droit à des reproductions réalisées à la hâte. À la toute dernière minute, Moscou a refusé de prêter les décors.

« On peut dire qu'il y a eu un petit effet de refroidissement, si je puis dire, ces 15 derniers jours », a fait remarquer Nathalie Bondil, la directrice du Musée des beaux-arts de Montréal, qui confirme du même souffle que « l'autorisation vient du ministère [russe] des Affaires étrangères ».

Malgré cet incident, la direction du Musée des beaux-arts de Montréal croit que la froideur des relations Canada-Russie aura somme toute un effet mineur sur la chaleur de l'exposition Chagall.








Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.















--br via tradutor do google
O trabalho de cor Marc Chagall e música para o Museu de Belas Artes de Montreal

As cores de Chagall

O Museu de Belas Artes de Montreal (MMFA) é a partir de sábado a maior exposição de sempre dedicada ao pintor Marc Chagall no Canadá. O Chagall exposição: cor e música reúne mais de 300 obras do artista.

A MAXENCE TEXTO Bilodeau

Nascido em uma família judaica hassídica na Bielorrússia em 1887, Marc Chagall encontrou a fama na França e no mundo.

Suas obras coloridas estão presentes em toda a exposição dedicada a ele o Museu de Belas Artes de Montreal. Os visitantes poderão descobrir o nascimento canvas, pintado há pouco mais de 100 anos, eo auto-retrato com sete dedos terminar ao mesmo tempo nos mostra a influência do cubismo na obra de Chagall.

Marc Chagall, "Birth", 1911-1912

Marc Chagall, "Birth", 1911-1912 Foto: SODRAC & ADAGP 2017, Chagall / The Art Institute of Chicago Resource / Art, Nova Iorque

"Chagall é o poeta cor é um dos artistas no século 20 que mais se sentiu usada ea cor do interior. Assim, suas pinturas são uma explosão de cores, alegria visual ", diz Âmbar Gauthier, curador convidado no Museu de Belas Artes de Montreal.

Cor, lá para vender no teto da Ópera Garnier em Paris, uma obra de Chagall 220 metros quadrados concluída em 1964. Os visitantes da exposição Montreal vai ver esta obra monumental no final de varejo, através da reprodução em alta definição ultra, realizada pelo laboratório cultural Google em Paris.

Chagall também desenhou muitos figurinos para ópera e ballet. A exposição mostra 40, incluindo os utilizados para o ballet O Pássaro de Fogo, Stravinsky, apresentado em Nova York em 1945.

Marc Chagall, trajes pastora para "Daphnis e Chloe", de 1959. Paris, Ópera Nacional

Marc Chagall, trajes pastora para "Daphnis e Chloe", de 1959. Paris, National Photo Opera: SODRAC & ADAGP 2017, Chagall / Museu Associates / LACMA

Recusado um empréstimo da Rússia

As decorações pintadas pelo artista para o teatro judaico em Moscou foram também a ser apresentado nesta exposição, mas os visitantes terão mais direitos aos reproduções feitas com pressa. No último minuto, Moscou se recusou a tomar as decorações.

"Podemos dizer que houve um efeito de resfriamento a, por assim dizer, nos últimos 15 dias", comentou Nathalie Bondil, diretor do Museu de Belas Artes de Montreal, que confirma a mesma respiração que "autorização do Departamento de Assuntos [russo] Exteriores."

Apesar deste incidente, a liderança do Museu de Belas Artes de Montreal acredita que a frieza das relações Canadá-Rússia será tudo em todos um efeito menor sobre o calor da exposição Chagall.