Google+ Followers

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Vatican and Jewish Museum in Rome promote joint exhibition. --- Vaticano e Museu Judaico de Roma promovem exposição conjunta.

The Vatican Museums and the Jewish community in Rome hold a joint exhibition dedicated to the history of the seven-branched Jewish Menorah, which is evident in various styles of art.


Vatican Radio points out that one of the most appealing pieces is a bas-relief of a Menorah from the Galilee region of the first century and can be visited between May 15 and June 27.

The space of the Charlemagne Arm in St. Peter's Square will exhibit 120 pieces while the Jewish Museum in Rome features 10 works dedicated to the seven-branched Jewish chandelier.

The exhibition will be open from May 15 until June 27 and among the museums that have lent pieces are, for example, the Louvre in France and the National Gallery in London.

The project was "made possible thanks to good relations" between Jews and Catholics and the exhibition at the Jewish Museum in Rome, with the presence of its head Alessandra Di Castro, was the director of the Vatican Museums.

The Catholic radio station recalls that Barbara Jatta, in the first press conference where she spoke about some projects for this year, anticipated this show: "We will be the hostess in this seat and there will be a seat also in the Jewish Museum".

At the time, the director of the Vatican Museums also said that Lisbon will host an exhibition on the occasion of Pope Francisco's trip to Fatima in May, in the Centenary of Apparitions in Cova da Iria.

The Jewish Museum is next to the Synagogue of Rome that was visited by St. John Paul II in 1986, the Pope emeritus Benedict XVI in 2010 and in 2016 by the Argentine pontiff.







Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.





--br
Vaticano e Museu Judaico de Roma promovem exposição conjunta.

Cidade do Vaticano, 22 fev 2017 (Ecclesia) – Os museus do Vaticano e a comunidade judaica de Roma promovem uma exposição conjunta dedicada à história da Menorah, o candelabro judaico de sete braços, que está patente em vários estilos de arte.

A Rádio Vaticano destaca que uma das peças mais apelativas é um baixo-relevo de uma Menorah, da região da Galileia, do século I, e vai poder ser visitada entre 15 de maio e 27 de junho.

O espaço do Braço Carlos Magno, na Praça São Pedro, vai expor 120 peças enquanto o Museu Judaico de Roma apresenta 10 obras dedicadas ao candelabro judaico de sete braços.

A exposição vai poder ser visitada a partir de 15 de maio até 27 de junho e entre os museus que emprestaram peças estão, por exemplo, o Louvre, na França, e a Galeria Nacional de Londres.

A concretização do projeto “foi possível graças às boas relações” entre judeus e católicos e na exposição apresentada no Museu Judaico de Roma, com a presença da sua responsável Alessandra Di Castro, estava a diretora dos Museus do Vaticano.

A emissora católica recorda que Bárbara Jatta, na primeira conferencia de imprensa onde falou sobre alguns projetos para este ano, antecipou esta mostra: “Seremos os hostess nesta sede e haverá uma sede também no Museu Judaico”.

Na altura, a diretora dos Museus do Vaticano disse também que Lisboa vai acolher uma exposição por ocasião da viagem do Papa Francisco a Fátima, em maio, no Centenário das Aparições na Cova da Iria.

O Museu Judaico fica ao lado da Sinagoga de Roma que foi visitada por São João Paulo II em 1986, o Papa emérito Bento XVI em 2010 e em 2016 pelo pontífice argentino.

In New York, morning exercises at the Metropolitan Museum. --- Em Nova York, exercícios matinais no Metropolitan Museum

Series combines yoga, dance, gymnastics and running between priceless artworks



Do you know the sculpture "Perseus with Medusa's head" at the Metropolitan Museum of Art in New York, where the visitor can not get too close on pain of being scolded by a security guard? Of course, before the museum opens the doors to the general public, there are people doing co-operation around it.


The work of the Italian Antonio Canova is one of the "witnesses" of a winter phenomenon in New York. The "Museum Workout" project promotes a series of physical exercises within the city's premier art museum. The activities, which combine dance, aerobics, running and yoga, last 45 minutes and begin at 8:30 am, well before the normal visitation begins.

During the activities, cultural athletes pass through 35 galleries, which would already require quite a lot of the physique of conventional visitors. The program was developed by the Monica Bill Barnes Dance Company, taking into account basic safety aspects such as maintaining a minimum distance of 90 centimeters from each work of art and avoiding wide arm and leg movements. Everything so that the exercises do not cause "injuries" in pieces of inestimable value.

The series is closely followed by the two choreographers who made it, Anna Bass and Monica Bill Barnes herself. The company's creative production direction, Robert Saenz of Viteri, is also part of the team, assisting the two in this "tour-fitness". He operates the soundtrack, which mixes music and an audioguide in the voice of the artist Maira Kalman, who elaborated the route and chose the galleries to be visited.

"Something very physical happens to me when I'm in a museum. I get this rush of excitement, that kind of shiver of madness, a passionate agitation," says Maira Kalman's voice in the recording, while a group stretches before the bust of Benjamin Franklin.

The warm-up, calf-lengthening, is done at the museum's imposing entrance, followed by a light run to the Bee Gees' "Stayin Alive." There are also squats in front of John Singer Sargent's "Portrait of Madame X", balance on one leg in front of Henry VIII's armor, and stunts between one gallery and another, with disco soundtrack and Motown classics. The series ends with everyone lying on the ground, with eyes closed, in the luminous American Gallery, one of the highlights of the museum. This pose for relaxation, known in yoga as savasana, takes place in front of a Roman bronze sculpture, representing the goddess Diana.

The Museum Workout began on January 19 and runs through March 9. Unfortunately, for those who want to perspire while breathing culture, there are no more vacancies for the remaining dates. There are no new classes yet, but on your next trip to New York, be sure to bring a gym suit in your bag.







fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

Http://oglobo.globo.com/go-travel-in-new-york-exercises-nature-in-metropolitan-museum-20960164

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.









--br
Em Nova York, exercícios matinais no Metropolitan Museum

Série combina ioga, dança, ginástica e corrida entre obras de arte de valor inestimável


Sabe a escultura "Perseu com a cabeça da Medusa", no Metropolitan Museum of Art de Nova York, da qual o visitante não pode se aproximar muito sob pena de levar uma bronca de um segurança? Pois é, antes de o museu abrir as portas para o público geral, há pessoas fazendo cooper em volta dela.

A obra do italiano Antonio Canova é uma das "testemunhas" de um fenômeno do inverno nova-iorquino. O projeto "Museum Workout" promove uma série de exercícios físicos dentro do principal museu de arte da cidade. As atividades, que combinam dança, aeróbica, corrida e ioga, duram 45 minutos e começam às 8h30m, bem antes de a visitação normal começar.


Durante as atividades, os atletas-culturais passam por 35 galerias, o que já exigiria bastante do físico de visitantes convencionais. O programa foi elaborado pela Monica Bill Barnes Dance Company, levando em consideração aspectos de segurança básicos, como manter uma distância mínima de 90 centímetros de cada obra de arte e evitar movimentos amplos de braços e pernas. Tudo para que os exercícios não causem "lesões" em peças de valor inestimável.

A série é acompanhada de perto pelas duas coreógrafas que a elaboraram, Anna Bass e a própria Monica Bill Barnes. O direção de produção criativa da companhia, Robert Saenz de Viteri, também faz parte da equipe, auxiliando as duas nesse "tour-fitness". Ele opera a trilha sonora, que mistura música e um audioguia na voz da artista Maira Kalman, que elaborou a rota e escolheu as galerias a serem visitadas.


"Algo muito físico me acontece quando estou em um museu. Eu fico com essa pressa da excitação, esse tipo de arrepio de loucura, uma agitação apaixonada", diz a voz de Maira Kalman na gravação, enquanto um grupo faz alongamento diante do busto de Benjamin Franklin.

O aquecimento, com alongamento da panturrilha, é feito na imponente entrada do museu, seguido por uma corrida leve ao som de "Stayin alive", dos Bee Gees. Também há agachamentos em frente ao "Retrato de Madame X", de John Singer Sargent, equilíbrio sobre uma perna diante da armadura de Henrique VIII e polichinelos entre uma galeria e outra, com trilha sonora de discoteca e clássicos da Motown. A série termina com todos deitados no chão, com olhos fechados, na luminosa American Gallery, um dos pontos altos do museu. Essa pose para relaxar, conhecida na ioga como savasana, acontece diante de uma escultura romana de bronze, representando a deusa Diana.

O "Museum Workout" começou em 19 de janeiro e vai até 9 de março. Infelizmente, para quem quer transpirar enquanto respira cultura, não há mais vagas para as datas restantes. Ainda não há previsão de novas turmas, mas, na próxima viagem a Nova York, não deixe de levar uma roupa de ginástica na mala.