Google+ Followers

sexta-feira, 16 de junho de 2017

2017 Juninas Festival of João Pessoa, Paraíba, Brazil. --- Festival de junho 2017 de João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Begins on Tuesday (13), at 7:00 pm, the Juninas Juntas Competition of João Pessoa and Metropolitan Region. In all, 30 associations divided between groups A and B present themselves in the Point of One hundred Réis until Thursday (15).



Entrance into the environment is free. The commission analyzes seven questions - entry into the 'arraiá'; Choreography, costumes, musical repertoire, the set of work, marriage, marker and the departure of 'arraiá' - and gives points for it. The last three Group A winners will be downgraded to Group B. The three Group B winners will now move to Group A.


According to the Funjope Deputy Executive Director, Jonildo Cavalcanti, the Municipality of João Pessoa supports the authentic regional culture through the realization of the Juninas Gang Contest. "We promoted a party with a setting of cultural programming and activities geared toward families," he said.


Check the order of the gangs:

Day 13

Junina Xote and Baião
Junina Lageiro
Junina Moonlight Ray
Junina Viana
Junina Fogueirinha
Junina Farm Lampião
Junina Fulô do Cerrado
Junina Paraíba
Junina White Sanfona

Day 14
Junina Linda Flor do Sertão
Junina Lily Flower
Junina Root Northeastern
Junina Pó de Serra
Junina Maria Cangaceira
Junina Botijinha
Junina Explode Heart
Junina Just Laughs
Junina Mangue Seco
Junina Sucupira

Day 15
Junina Flor of Mandacaru
Junina Riacho Fundo
Junina João de Barro
Junina Matuta Nation
Junina Sunrise
Junina Zé Monteiro
Junina Tiko Show
Junina Sucks Dust
Junina Xiado do Xinelo
Junina, I'll see you.
Junina Cangaceiro do Sertão
-
Despite being a dance of French origin, it was in the various regions of Brazil that the Jungle Gangs acquired the character of popular culture. In the northeast region, mainly, the dance comes accompanied with several other symbols characteristic of the party junina, balloons, like fireworks and corn-based cooking. In order to value this tradition, a bill has been passed at João Câmara Municipal Council (CMJP), which declares Junillas

"We understand the importance of this project so that we can preserve this tradition that is rooted in the culture of our people. We hope that after being evaluated in the committees and in the Plenary see this project being put into practice in João Pessoa," said the author, Alderman Luís Flávio (PSDB).

"Each of the official gang competitions in the city of João Pessoa receives hundreds of groups of dancers and, in addition, the numerous unofficial celebrations mirrored in the streets of the city have Junina gang," he said.

XXI Junines Gang Competition

For more than 20 years, the capital has traditionally been the Quarte Juninas de Joao Pessoa and Metropolitan Region, held by the Cultural Foundation of João Pessoa (Funjope) in partnership with the Juninas League of the capital. In the competition, which has cash prizes, items such as choreography, costumes, musical repertoire, work set and marriage are evaluated.

This year, the contest will take place from June 13 to 15, starting from 19I1, leading to the presentation of 31 Juninas gangs to the Point of Cem Réis, located in the Center of the city. Divided into Groups A and B, the gangs this year received investment of more than RS 350 thousand from Funjope, by the Municipal Culture Fund (FMC), for the production of group choreographies.

According to Edson Pessoa, president of Joào Pessoa's Juninas Juntas League and organizer of the event for 12 years, the contest mobilizes about 15 thousand people working, among dressmakers who do the costumes, choreographers and dancers, all focused on the presentation that intends to gather More than 30 thousand people in Ponto de Cem Réis.

Live broadcast

As happened at the Carnival of the Capital, during the 21st Juninha Gang Contest of João Pessoa and Metropolitan Region, TV Câmara JP performs the transmission of the presentations of the participating gangs in open TV, through channel 52 and through the Net, channel 23, in a partnership Between the TV Camera and the TV City.

For the Mayor of João Pessoa, city councilman Marcos Vinícius (PSDB), the transmission of the contest is a way of valuing popular culture and Junin traditions. "Authentic, authentic culture is our greatest asset and it is important for us to help preserve and disseminate traditions such as the carnival and the June celebrations." TV Câmara fulfills this role of promoting culture, "he says. Marcos Vinicius.

Edson Pessoa considered the initiative of the Chamber very important for the promotion of culture in the Capital. "It is the public power valuing the popular tradition, showing the people what happens in the city," said the organizer of the contest.







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.






--br
Festival de quadrilhas 2017 de João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Começa nesta terça-feira (13), às 19h, o Concurso de Quadrilhas Juninas de João Pessoa e Região Metropolitana. Ao todo, 30 agremiações divididas entre grupos A e B se apresentam no Ponto de Cem Réis até quinta-feira (15). 

A entrada no ambiente é gratuita.A comissão analisa sete quesitos – entrada no ‘arraiá’; coreografia, figurino, repertório musical, o conjunto do trabalho, casamento, marcador e a saída do ‘arraiá’ – e dá pontos por ele. As três últimas colocadas do Grupo A serão rebaixadas para o Grupo B. Já as três vencedoras do Grupo B passam ao Grupo Especial A.

Segundo o diretor executivo adjunto da Funjope, Jonildo Cavalcanti, a Prefeitura de João Pessoa apóia a autêntica cultura regional, através da realização do Concurso de Quadrilhas Juninas. “Nós promovemos uma festa com uma configuração da programação cultural e atividades voltadas para as famílias”, destacou.

Confira a ordem das quadrilhas:
Dia 13
Junina Xote e Baião
Junina Lageiro
Junina Raio de Luar
Junina Viana
Junina Fogueirinha
Junina Fazenda Lampião
Junina Fulô do Cerrado
Junina Paraíba
Junina Sanfona Branca

Dia 14
Junina Linda Flor do Sertão
Junina Flor de Lírio
Junina Raiz Nordestina
Junina Pó de Serra
Junina Maria Cangaceira
Junina Botijinha
Junina Explode Coração
Junina Só Risos
Junina Mangue Seco
Junina Sucupira

Dia 15
Junina Flor do Mandacaru
Junina Riacho Fundo
Junina João de Barro
Junina Nação Matuta
Junina Nascer do Sol
Junina Zé Monteiro
Junina Tiko Show
Junina Sacode Poeira
Junina Xiado do Xinelo
Junina Bem-te-vi
Junina Cangaceiro do Sertão

-
Apesar de ter ser uma dança de origem francesa, foram nas diversas regiões do Brasil que as Quadrilhas Juninas adquiriram o caráter de cultura popular. Na região nordeste, principalmente, a dança vem acompanhada com vários outros símbolos característicos da festa junina, balões, como fogos de artifício e culinária a base de milho. Para valorizar essa tradição, tramita na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) um projeto de lei que declara as Quadrilhas Juninas

"Nós entendemos a importância desse projeto para que possamos preservar essa tradição que está enraizada na cultura de nosso povo. Esperamos que depois de avaliado nas comissões e no Plenário ver esse projeto sendo colocado em prática em João Pessoa", ressaltou o autor, vereador Luís Flávio (PSDB).

"Cada um dos concursos oficiais de quadrilha na cidade de João Pessoa recebe centenas de grupos de dançarinos e, além disso, as inúmeras comemorações extraoficiais espelhadas pelas ruas da cidade possuem quadrilha junina", justificou o parlamentar.

XXI Concurso de Quadrilhas Juninas

Há mais de 20 anos, a capital tem como tradição a disputa de Quadrilhas Juninas de João Pessoa e Região Metropolitana, realizada pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) em parceria com a Liga das Quadrilhas Juninas da capital. Na competição, que tem premiação em dinheiro, são avaliados itens como: coreografia, figurinos, repertório musical, conjunto do trabalho e casamento.

Neste ano, o Concurso acontece entre os dias 13 a 15 de junho, a partir das 19I1, levando a apresentação de 31 quadrilhas juninas para o Ponto de Cem Réis, localizado no Centro da cidade. Divididas nos Grupos A e B, as quadrilhas este ano receberam investimento de mais de RS 350 mil da Funjope, pelo Fundo Municipal da Cultura (FMC), para a produção das coreografias dos grupos.

Segundo Edson Pessoa, presidente da Liga das Quadrilhas Juninas de Joào Pessoa e organizador do evento há 12 anos, o concurso mobiliza cerca de 15 mil pessoas trabalhando, entre costureiras que fazem o figurino, coreógrafos e dançarinos, todos voltados para a apresentação que pretende reunir mais de 30 mil pessoas no Ponto de Cem Réis.

Transmissão ao vivo

Assim como aconteceu no Carnaval da Capital, durante o 21o Concurso de Quadrilhas Juninas de João Pessoa e Região Metropolitana, a TV Câmara JP realiza a transmissão das apresentações das quadrilhas participantes em TV aberta, pelo canal 52 e pela Net, canal 23, numa parceria entre a TV Câmara e a TV Cidade.

Para o presidente da Câmara de João Pessoa, vereador Marcos Vinícius (PSDB), a transmissão do concurso é uma forma de valorizar a cultura popular pessoense e as tradições juninas. "A cultura autêntica, de raiz, é o nosso maior bem e é importante que a gente ajude a preservar, e também divulgar, tradições como o carnaval e os festejos juninos. A TV Câmara cumpre bem esse papel de fomentar a cultura", avalia Marcos Vinícius.

Edson Pessoa considerou a iniciativa da Câmara muito importante para o fomento da cultura na Capital. "É o poder público valorizando a tradição popular, mostrando ao povo o que passa na cidade", destacou o organizador do concurso.


Submarino Museum "Riachuelo" celebrates 40 years of incorporation. --- Submarino Museu “Riachuelo” comemora 40 anos de incorporação.

In a ceremony held in the Cultural Space of the Navy, on June 7, the Board of Historical Heritage and Documentation of the Navy commemorated (DPHDM) the 40th anniversary of the incorporation of the Submarine Museum "Riachuelo" to the Brazilian Navy.




The event was chaired by the Director of Historical Heritage and Documentation of the Navy, Vice Admiral José Carlos Mathias, and brought together former commanders who had been at the helm of the vessel during the 20 years it was active, active and reserve admirals and other Authorities. During the ceremony, Vice-Admiral, retired, José Luiz Feio Obino, the first commander of the submarine (12/3/1977 to 16/3/1979), moved the audience by describing their trajectory in the "Riachuelo".


Participants of the solemnity, the former commanders of the submarine: Fleet Admiral, retired, Fernando Eduardo Studart Wiemer; The Vice Admiral, retired, Mario Augusto de Camargo Ozorio; The Rear Admiral, retired, Rogerio Viana Lafayete; The Captain of the Sea and Reformed War, Edison Santiago Ceruti; And the Captain of Sea and War, retired, Walter Gonçalves de Faria. Also present was Second Sergeant Sérgio da Silva Mercadante, who composed the crew when he was a sailor and today is in charge of the vessel.

In the year 2016, the "Riachuelo" received more than 47 thousand visitors. The visitation takes place from Tuesday to Sunday, from 12h to 17h. Go to www.dphdm.mar.mil.br for further information.



-
S Riachuelo (S-22) is a submarine-museum of the Brazilian Navy. It is the seventh ship of the Brazilian Navy to bear this name, in honor of the Riachuelo Naval Battle.

Address: R. do Mercado, 50 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20010-120
Class: Oberon
Type of ship: Submarine diesel-electric
Crew: 74, with 7 officers and 67 squares

Second in a series of three, it was built by the Vickers Limited shipyard in Barrow-in-Furness, Lancashire, England, in 1973. It had its keel hit on 26 April 1973, and was thrown into the sea on 6 September 1975. After having carried out the tests of sea was incorporated to the Brazilian Navy on March 12, by Notice 0070 of January 27, 1977. 

Operated in the following commissions: operations "Unitas XVIII" (October 1977); "Unitas XIX" (August 1978); "Unitas XXI" (August 1981), together with the US Navy; Operation "Atlantis" (May 1978), with means of the Uruguayan Navy; In operation carried out with means of the Navy of France (November of 1978); In the experiments of launching with German torpedoes "SUT" (November of 1977) and English "Tigerfish" (November of 1979).

Conquered the "Efficiency Trophy", in the year that this award was instituted by the Submarine Force Command.

S Riachuelo was the second (first of its kind) submarine to receive large-capacity batteries manufactured in the country by Saturnia, with German technology, installed during the ship's Normal Repair Period in 1984.

After two decades of operations, he retired from active duty on November 12, 1997, after sailing more than 181,000 nautical miles, in 1,283.5 days of sea and 17,699 hours and forty-one minutes of immersion.

Currently reclassified as Submarino-Museu, it is open to visitors at the Espaço Cultural da Marinha, in the historical center of the city of Rio de Janeiro.








Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br via tradutor do google
Submarino Museu “Riachuelo” comemora 40 anos de incorporação.

Em uma cerimônia ocorrida no Espaço Cultural da Marinha, no dia 7 de junho, a Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha comemorou (DPHDM) o 40° aniversário de incorporação do Submarino Museu “Riachuelo” à Marinha do Brasil.

O evento foi presidido pelo Diretor de Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha, Vice-Almirante José Carlos Mathias, e reuniu ex-comandantes que estiveram à frente da embarcação durante os 20 anos em que esteve na ativa, almirantes da ativa e da reserva e outras autoridades. Durante a cerimônia, o Vice-Almirante, reformado, José Luiz Feio Obino, primeiro comandante do submarino (12/3/1977 a 16/3/1979), emocionou o público ao descrever sua trajetória no “Riachuelo”.

Participaram da solenidade, os ex-comandantes do submarino: Almirante de Esquadra, reformado, Fernando Eduardo Studart Wiemer; o Vice-Almirante, reformado, Mario Augusto de Camargo Ozorio; o Contra-Almirante, reformado, Rogerio Viana Lafayete; o Capitão de Mar e Guerra reformado, Edison Santiago Ceruti; e o Capitão de Mar e Guerra, reformado, Walter Gonçalves de Faria. Esteve presente também, o Segundo-Sargento Sérgio da Silva Mercadante, que compôs a tripulação quando era marinheiro e hoje é encarregado da embarcação.

No ano de 2016, o “Riachuelo” recebeu mais de 47 mil visitantes. A visitação acontece de terça a domingo, das 12h às 17h. Acesse www.dphdm.mar.mil.br para outras informações.

--
O S Riachuelo (S-22) é um submarino-museu da Marinha do Brasil. É o sétimo navio da Armada brasileira a ostentar esse nome, em homenagem à Batalha Naval do Riachuelo. 

Endereço: R. do Mercado, 50 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20010-120
Classe: Classe Oberon
Tipo de navio: Submarino diesel-elétrico
Tripulação: 74, sendo 7 oficiais e 67 praças

Segundo de uma série de três, foi construído pelo estaleiro Vickers Limited, em Barrow-in-Furness, Lancashire, na Inglaterra, em 1973. Teve a sua quilha batida a 26 de abril de 1973, sendo lançado ao mar em 6 de setembro de 1975. Após de ter realizado as provas de mar foi incorporado à Armada Brasileira em 12 de março, pelo Aviso 0070 de 27 de janeiro de 1977.

Operou nas seguintes comissões: operações "Unitas XVIII" (outubro de 1977); "Unitas XIX" (agosto de 1978); "Unitas XXI" (agosto de 1981), em conjunto com a US Navy; operação "Atlantis" (maio de 1978), com meios da Marinha do Uruguai; em operação realizada com meios da Marinha da França (novembro de 1978); nas experiências de lançamento realizadas com torpedos alemães "SUT" (novembro de 1977) e ingleses "Tigerfish" (novembro de 1979).

Conquistou o "Troféu Eficiência", no ano em que essa premiação foi instituída pelo Comando da Força de Submarinos.

O S Riachuelo foi o segundo submarino (o primeiro da sua classe) a receber baterias de grande capacidade fabricadas no país pela Saturnia, com tecnologia alemã, instaladas durante o Período Normal de Reparos do navio, em 1984.

Após duas décadas de operações, deu baixa do serviço ativo a 12 de novembro de 1997, após navegar mais de 181 mil milhas marítimas, em 1 283,5 dias de mar e 17 699 horas e quarenta e um minutos de imersão.

Atualmente reclassificado como Submarino-Museu, encontra-se aberto à visitação no Espaço Cultural da Marinha, no centro histório da cidade do Rio de Janeiro.



Progress report: Frank Gehry on his mammoth Philadelphia Museum of Art renovation. --- Relatório de progresso: Frank Gehry na sua gigantesca renovação do Museu de Arte de Filadélfia.

After the triumphant debut of the Frank Gehry-designed Guggenheim Museum Bilbao in northern Spain, Anne d’Harnoncourt (then director of the Philadelphia Museum of Art) offered Gehry a bold new challenge. 'She said, "You just made a building in Bilbao that’s sculptural, exciting, and created a miracle. Could you do the same thing to an existing building? But you can’t do anything on the outside,"' explains Gehry. 'I loved that idea. I think it’s a very perverse idea, and that’s the kind of stuff I like.'

The south end of the vaulted walkway, photographed in 2016, will become a light-filled space with high ceilings for installations of contemporary art. Photography: 
Elizabeth Leitzell. Courtesy Philadelphia Museum of Art

Selected in 2006 as architect for the Philadelphia Museum of Art’s ambitious interior renovation, he recently celebrated the kickoff of its latest phase: a three-year, $196 million project that will open to the public a total of 90,000 sq ft, all within the building’s original footprint.

'This is a building that was planned in the second decade of the twentieth century. The role of museums has changed dramatically since then,' says Timothy Rub, director and CEO of the Philadelphia Museum of Art. 'The work that Frank and his staff have done to reorganise the building—to rezone it, so to speak—is critically important. It will work far better in the near future than it does today.'

One of the key areas central to the Core Project will be the 'The Forum', which will extend three levels and be a venue for performances. Architectural rendering by 
Gehry Partners, LLP and KX-L. Courtesy Philadelphia Museum of Art


Designed by the collaborating architectural firms of Horace Trumbauer and Zantzinger, Borie, and Medary, the grandly scaled neoclassical building opened in 1928. Subsequent renovations, including the once-exuberant 1980s manoeuvres of Robert Venturi and Denise Scott Brown 'clogged the arteries' according to Gehry. 'Classical buildings have x and y axes, and this museum had that, but it was obfuscated by a lot of interventions over the years that didn’t respect that geometry,' he explains. 'The DNA and the bones of this place are really fantastic, and they showed us the way to make it all work.'

The current 'core project' focuses on the heart of the building. It will remove the current auditorium, opening a west-east axis and creating a multi-level public space (and circulation hub) known as 'the forum' complete with a grand staircase. Additional galleries for American art and contemporary art will be joined by a newly designed restaurant, café, and meeting rooms. The first results will be apparent in 2019, when the historic north entrance is reopened and a major section of the long-shuttered vaulted walkway – a splendid north-south promenade that stretches 640 feet – is completed.

'There are going to be some "wow" moments,' predicts Rub. 'To be able to walk in and see the building unfold in front of you and begin to map out your path through it, is not only satisfying, it’s also going to help the building function.'


A cross-section view showing the changes to the existing interior spaces (Core Project) and the new underground galleries (future phase of the Museum’s Facilities Master Plan). Architectural rendering by Gehry Partners, LLP and KX-L. Photo courtesy Philadelphia Museum of Art.

Before commencing this 'clarifying' phase, which will continue through the spring of 2020, Gehry was tasked with upgrading the museum’s back-of-house functions (care, storage, and movement of the more than 240,000 objects in the collection). 'They had me start by building a new loading dock, and I thought "Why the hell are they building a loading dock?"' he says. 'Anyway, we did it and we built it, and it’s the best damn loading dock in history!' The 68,000-sq ft art handling facility opened in 2012.

Gehry has found the rather stealthy work of reimagining a museum’s insides energising and inspiring rather than restrictive 'We just did a small concert hall in Berlin in an office building, which maybe I wouldn’t have done if I had not had this experience,' he says. 'I think you can turn potentially limiting things into an asset.'

At 88 ('That’s a little precarious, but I’m swimming and I’m working'), he is especially eager—even a little impatient – to see this most recent phase completed. 'The Philadelphia Museum of Art represents a nexus of American art and culture, of history and the future,' adds Gehry. 'Can it do what they did in Bilbao? Hell, yes! This is going to be an amazing museum.'





fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

https://www.wallpaper.com/architecture/frank-gehry-philadelphia-museum-of-art-renovation#SyCpotufwqeOOmeD.99l

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.




--br via tradutor do google
Relatório de progresso: Frank Gehry na sua gigantesca renovação do Museu de Arte de Filadélfia.


Após a estréia triunfante do museu Guggenheim Bilbao, construído por Frank Gehry, no norte da Espanha, Anne d'Harnoncourt (então diretora do Museu de Arte de Filadélfia) ofereceu a Gehry um novo e desafiante desafio. "Ela disse:" Você acabou de fazer um edifício em Bilbao que é escultural, excitante e criou um milagre. Você poderia fazer o mesmo com um prédio existente? Mas você não pode fazer nada por fora ", explica Gehry. "Eu amei essa idéia. Eu acho que é uma idéia muito perversa, e esse é o tipo de coisa que eu gosto ".

Selecionado em 2006 como arquiteto para a ambiciosa renovação interior do Museu de Arte de Filadélfia, ele recentemente celebrou o lançamento de sua última fase: um projeto de três anos e $ 196 milhões que abrirá ao público um total de 90 mil pés quadrados, tudo dentro do edifício Pegada original.

"Este é um edifício que foi planejado na segunda década do século XX. O papel dos museus mudou drasticamente desde então ", diz Timothy Rub, diretor e CEO do Philadelphia Museum of Art. "O trabalho que Frank e sua equipe fizeram para reorganizar o prédio - para rezoná-lo, por assim dizer - é extremamente importante. Vai funcionar muito melhor no futuro próximo do que hoje.


Projetado pelas firmas de arquitetura colaboradoras de Horace Trumbauer e Zantzinger, Borie e Medary, o prédio neoclássico grandemente escalado abriu em 1928. As renovações subseqüentes, incluindo as manobras de Robert Venturi, uma vez exuberantes dos anos 80, e Denise Scott Brown "entupiram as artérias" de acordo com Gehry. "Os edifícios clássicos têm eixos xey, e este museu teve isso, mas foi ofuscado por muitas intervenções ao longo dos anos que não respeitaram essa geometria", explica. "O DNA e os ossos deste lugar são realmente fantásticos, e eles nos mostraram o caminho para que tudo funcionasse".

O atual "projeto central" concentra-se no coração do prédio. Ele removerá o auditório atual, abrindo um eixo oeste-leste e criando um espaço público de vários níveis (e hub de circulação) conhecido como 'o fórum' completo com uma grande escadaria. Galerias adicionais para arte americana e arte contemporânea serão acompanhadas por um recém-projetado restaurante, café e salas de reuniões. Os primeiros resultados serão evidentes em 2019, quando a entrada norte histórica é reaberta e uma seção principal da calçada abobadada de longo alcance - um esplêndido passeio norte-sul que se estende até 640 pés - está concluída.

"Haverá alguns momentos de" uau "," prediz Rub. "Ser capaz de entrar e ver o edifício se desdobrar na sua frente e começar a mapear seu caminho através dele, não é apenas satisfatório, também ajudará a função de construção".


Antes de começar esta fase "esclarecedora", que continuará até a primavera de 2020, Gehry foi encarregado de atualizar as funções de back-of-house do museu (cuidado, armazenamento e movimento dos mais de 240.000 objetos na coleção). "Eles me fizeram começar por construir uma nova doca de carga, e pensei" Por que diabos eles estão construindo uma doca de carregamento? ", Ele diz. "De qualquer forma, nós fizemos isso e nós o construímos, e é a melhor doca de carregamento da história!" A facilidade de processamento de arte de 68 mil pés quadrados foi inaugurada em 2012.

Gehry encontrou o trabalho bastante furtivo de reimaginar os interiores de um museu energizantes e inspiradores, em vez de restritivos. "Nós acabamos de fazer uma pequena sala de concertos em Berlim em um prédio de escritórios, o que talvez eu não fizesse se não tivesse tido essa experiência" ele diz. "Eu acho que você pode transformar as coisas potencialmente limitantes em um bem".

Em 88 ("Isso é um pouco precário, mas estou nadando e estou trabalhando"), ele está especialmente ansioso - mesmo um pouco impaciente - para ver esta fase mais recente concluída. "O Museu de Arte de Filadélfia representa um nexo de arte e cultura americana, da história e do futuro", acrescenta Gehry. "Pode fazer o que fizeram em Bilbao? Claro que sim! Este será um museu incrível.