Google+ Followers

terça-feira, 20 de junho de 2017

EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne, Brazil. --- EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne, Brasil.

The idea of ​​an open Museum, built in a network and allowing, in the widest possible way, to bring together people and institutions that are doing important things for the conservation and preservation of the Cerrado, led us to form the EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne.



The Cerrado EcoMuseu Laís Aderne is a new approach to museology, a conceptual challenge focused on the triad territory, heritage and community.

It is a living museum of people who show their face, their culture and the nature where they are inserted that is the Cerrado.

Our museum has no walls; The idea is that every park, house, square, street, river, reserve, school of each city is part of the EcoMuseu. We will build a socio-cultural itinerary to promote a reading about the Cerrado, establishing cultural calendars, trails, attractions, educational workshops, recreation, seminars, fairs and pedagogical and gastronomic experiences so that people can visit different EcoMuseu sites, Dissemination of knowledge about the socio-biodiversity of the Cerrado.

Each person / institution / place that develops a sociocultural project / action can be part of the EcoMuseu. It is a decentralized, dynamic museum, constituting itself in a diversified network that will promote the local history, the achievements and the wishes of its inhabitants, reaching diverse publics of the areas of education, tourism, culture, human ecology, etc., working In the rescue of cultural practices for self-sustaining development.

The museum's physical collection is where each member develops their individual, collective or institutional action / project. To meet the members of the EcoMuseu, visit the gallery of each of them.

The Cerrado EcoMuseu Laís Aderne is an area of ​​cultural and environmental preservation of the Cerrado and its socio-biodiversity that expands as more people enter with their projects, individual, collective or institutional.

Without walls or doors, the idea of ​​the Eco-museum of the Cerrado Laìs Aderne is that every park, house, square, street, river, reserve, school of every city, country and city, is part of the museum through the positive actions of its inhabitants .

For this, each member will be part of a socio-cultural itinerary to promote a reading about the cerrado, establishing cultural calendars, trails, attractions, educational workshops, picnics, recreation, seminars, fairs and pedagogical and gastronomic experiences for people to visit The different sites of the EcoMuseu, as well as the dissemination of knowledge about the socio-biodiversity of the Cerrado.

The Ecos Museums and Open Museums are self-sustaining conservation and development units that seek to balance the human being, the environment and culture, preserving biodiversity and multiculturalism.

What unites us today is our love of the Cerrado. As such, the Cerrado EcoMuseu Laís Aderne is a cultural and environmental preservation area of ​​the Cerrado and its socio-biodiversity that expands as more people come in with their projects, individual, collective or institutional.

Without walls or doors, the idea of ​​the Eco-museum of the Cerrado Laìs Aderne is that every park, house, square, street, river, reserve, school of every city, country and city, is part of the museum through the positive actions of its inhabitants .

To do this, each member will be part of a socio-cultural itinerary to promote a reading about the cerrado, establishing cultural calendars, trails, attractions, educational workshops, picnics, recreation, seminars, fairs and gastronomic and pedagogical experiences for people to visit The different sites of the Ecomuseum, as well as the dissemination of knowledge about the socio-biodiversity of the cerrado.

Each person / institution / place that develops a sociocultural and environmental project / action will be part of the Eco-museum.








Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.




--br 
EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne, Brasil.

A ideia de um Museu aberto, construído em rede e que permitisse, da forma mais ampla possível, juntar pessoas e instituições que estão fazendo coisas importantes para a conservação e preservação do Cerrado nos levou a constituição do EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne. 

O EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne é uma nova abordagem da museologia, é um desafio conceitual voltado para a tríade território, patrimônio e comunidade. 

É um museu vivo de pessoas que mostram a sua cara, a sua cultura e a natureza aonde estão inseridos que é o Cerrado. 

Nosso museu não tem paredes; a ideia é que cada parque, casa, praça, rua, rio, reserva, escola de cada cidade faça parte do EcoMuseu. Iremos construir um roteiro sócio-cultural para promover uma leitura sobre o Cerrado, estabelecendo calendários culturais, trilhas, atrações, oficinas educativas, recreação, seminários, feiras e experiências pedagógicas e gastronômicas para que as pessoas possam visitar os diferentes locais do EcoMuseu, além da divulgação de conhecimentos sobre a sociobiodiversidade do Cerrado. 

Cada pessoa/instituição/lugar que desenvolva um projeto/ação sociocultural poderá fazer parte do EcoMuseu. Trata-se de um museu descentralizado, dinâmico, constituindo-se em uma rede diversificada que promoverá à história local, às realizações e aos anseios dos seus habitantes, atingindo diversos públicos das áreas de educação, turismo, cultura, ecologia humana, etc, trabalhando no resgate dos fazeres culturais para o desenvolvimento auto-sustentável. 

O acervo físico do museu está aonde cada membro desenvolve a sua ação/projeto individual, coletivo ou institucional. Para conhecer os membros do EcoMuseu, visite a galeria de cada um deles.

O EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne é um espaço de preservação cultural e ambiental do Cerrado e a sua sociobiodiversidade que se expande na medida que mais pessoas entram com os seus projetos/ações, individuais, coletivas ou institucionais. 

Sem paredes nem portas, a ideia do EcoMuseu do Cerrado Laìs Aderne é que cada parque, casa, praça, rua, rio, reserva, escola de cada cidade, no campo e na cidade, faça parte do museu através das ações positivas dos seus habitantes. 

Para isso, cada membro fará parte de um roteiro sócio-cultural para promover uma leitura sobre o cerrado, estabelecendo calendários culturais, trilhas, atrações, oficinas educativas, piqueniques, recreação, seminários, feiras e experiências pedagógicas e gastronômicas para que as pessoas possam visitar os diferentes locais do EcoMuseu, além da divulgação de conhecimentos sobre a sociobiodiversidade do Cerrado. 

Os Ecos Museus e Museus Abertos são unidades de conservação e desenvolvimento autossustentável que buscam o equilíbrio entre o ser humano, o meio ambiente e a cultura, preservando a biodiversidade e a multiculturalidade.

O que nos une hoje é o nossso amor ao Cerrado. Sendo assim, o EcoMuseu do Cerrado Laís Aderne é um espaço de preservação cultural e ambiental do Cerrado e a sua sociobiodiversidade que se expande na medida que mais pessoas entram com os seus projetos/ações, individuais, coletivas ou institucionais. 

Sem paredes nem portas, a ideia do EcoMuseu do Cerrado Laìs Aderne é que cada parque, casa, praça, rua, rio, reserva, escola de cada cidade, no campo e na cidade, faça parte do museu através das ações positivas dos seus habitantes. 

Para isso, cada membro fará parte de um roteiro socio-cultural para promover uma leitura sobre o cerrado, estabelecendo calendários culturais, trilhas, atrações, oficinas educativas, piqueniques, recreação, seminários, feiras e experiências pedagógicas e gastronômicas para que as pessoas possam visitar os diferentes locais do Ecomuseu, além da divulgação de conhecimentos sobre a sociobiodiversidade do cerrado. 

Cada pessoa/instituição/lugar que desenvolva um projeto/ação sociocultural e ambiental fará parte do Eco-museu.



Rock Sculptures Suspended Within Bell Jars by Their Own Weight by Dan Grayberby Kate Sierzputowski --- Esculturas de rochas suspensas dentro de frascos de sino por seu próprio peso por Dan Grayberby Kate Sierzputowski


Dan Grayber‘s works exist at the intersection of sculpture and physics, pieces carefully designed to solve the problems created by their own existence. The sculptures each include a rock suspended within a glass enclosure, the rock’s weight perfectly balanced by the mechanisms, systems, and pulleys that surround it.


Cavity Mechanism #12 w/ Glass Dome. 2013. Mixed. 23″ x 13″ x 13″. All images via Dan Grayber.

Grayber relates this play of tension and balance to personal relationships, which serves as another influence to his work outside of visual interests in industrial design, construction machinery, and the children’s game Cat’s Cradle.

“Cavity Mechanism #6, from 2009, [seen below] is one of the most obvious pieces to speak about interpersonal relationships that I’ve made,” said Grayber to Venison Magazine. “There are two identical mechanisms inside of a glass display dome, and one small cable that runs between the two mechanisms. This cable holds all of the tension between the two mechanisms, and they both need to remain in place to maintain the tension. I was really thinking about co-dependence when I made the piece. If either mechanism were to slip, or the connection between them to break, it would cause both to fail.”

You can see more of Grayber’s experiments in equilibrium on his Instagram and Facebook. (via Boing Boing and Makezine)


Cavity Mechanism #21. 2016. Mixed. 13″ x 14″ x 14″



Cavity Mechanism #24. 2016. Mixed. 13.5″ x 6.5″ x 6.5″


Cavity Mechanism #18. 2015. Mixed. 11″ x 5″ x 5″






Cavity Mechanism #23. 2016. Mixed. 7.5″ x 5″ x 5″



Display Case Mechanism #6. 2016. Mixed. 24.5″ x 16″ x 11″



Display Case Mechanism #6. 2016. Mixed. 24.5″ x 16″ x 11″



Cavity Mechanism #20. 2016. Mixed. 29.5″ x 12″ x 12″







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.








--br via tradutor do google

Esculturas de rochas suspensas dentro de frascos de sino por seu próprio peso por Dan Grayberby Kate Sierzputowski

Mecanismo de cavidade # 12 com cúpula de vidro. 2013. Misturado. 23 "x 13" x 13 ". Todas as imagens através de Dan Grayber.

As obras de Dan Grayber existem na interseção de escultura e física, peças cuidadosamente desenhadas para resolver os problemas criados por sua própria existência. As esculturas incluem uma rocha suspensa dentro de um compartimento de vidro, o peso da rocha perfeitamente equilibrado pelos mecanismos, sistemas e polias que o cercam.

Grayber relaciona este jogo de tensão e equilíbrio com relacionamentos pessoais, o que serve como outra influência no seu trabalho fora dos interesses visuais em design industrial, maquinaria de construção e o jogo infantil Cat's Cradle.

"Mecanismo de cavidade # 6, a partir de 2009, [visto abaixo] é uma das peças mais óbvias para falar sobre as relações interpessoais que eu fiz", disse Grayber para a revista Venison. "Existem dois mecanismos idênticos dentro de uma cúpula de exibição de vidro e um pequeno cabo que funciona entre os dois mecanismos. Este cabo mantém toda a tensão entre os dois mecanismos, e ambos precisam permanecer no lugar para manter a tensão. Eu realmente estava pensando em co-dependência quando fiz a peça. Se qualquer mecanismo fosse deslizar, ou a conexão entre eles para quebrar, isso causaria que ambos falhassem. "

Você pode ver mais experiências de Grayber em equilíbrio em seu Instagram e no Facebook. (Via Boing Boing e Makezine)

imagens

Mecanismo de cavidade # 21. 2016. Misturado. 13 "x 14" x 14 "

Mecanismo de cavidade # 24. 2016. Misturado. 13,5 "x 6,5" x 6,5 "

Mecanismo de cavidade # 18. 2015. Misturado. 11 "x 5" x 5 "

Mecanismo de cavidade # 23. 2016. Misturado. 7,5 "x 5" x 5 "

Display Case Mechanism # 6. 2016. Misturado. 24,5 "x 16" x 11 "

Display Case Mechanism # 6. 2016. Misturado. 24,5 "x 16" x 11 "

Mecanismo de cavidade # 20. 2016. Misturado. 29,5 "x 12" x 12 "

Art Gallery of New South Wales to join world's greatest art museums. --- Galeria de Arte de Nova Gales do Sul para se juntar aos melhores museus de arte do mundo

SYDNEY.- The NSW Government’s $244 million funding commitment to support the expansion of the Art Gallery of New South Wales will transform the much-loved and historic Gallery into one of the world’s greatest art museums. 



Welcoming the landmark announcement made today by Arts Minister Don Harwin, Art Gallery of NSW director Dr Michael Brand said he was delighted with the funds. The expansion will significantly increase space for the Gallery to exhibit art, and is expected to attract two million visitors annually. 

“This is a remarkable day for the Gallery and the Australian arts community,” Dr Brand said. 

“Our expanded Gallery will deliver an iconic building that combines art, architecture and landscape in an extraordinary way, and in one of the most breathtaking locations in the world,” Dr Brand added. 

Combined with government funds of $244 million, the Art Gallery of NSW capital campaign, to be officially launched later this year, will raise $100 million in philanthropic support for the project of which $70 million has been pledged. 

The expansion will see more of the Gallery’s iconic collection, worth $1.3 billion, on display. It will improve significantly the State’s ability to attract more major international art exhibitions to NSW. 

Aboriginal and Torres Strait Islander art will be front and centre in the expanded Gallery, showcased and celebrated with the prominence it deserves. 

The Sydney Modern Project will deliver wider economic benefit to the NSW economy of over $1 billion over the next 25 years and the creation of up to 242 full-time jobs in NSW. 

Art Gallery of NSW President of the Board, David Gonski AC, said the extraordinarily generous public and private financial support the Gallery has received to date is testament to the value and importance placed on an expanded state art museum for NSW. 

“This decision by the NSW Government is to be applauded and its merit, in my opinion, will be seen and enjoyed by generations to come,” Mr Gonski said. 

The expansion will deliver an architectural landmark by Pritzker Prize-winning architects, SANAA. The Gallery has worked with SANAA for the past two years to evolve the design concept. 

The design concept will continue to be refined until the planned submission of a State Significant Development Application in the coming months. 

Major construction of the project will commence in 2019 with the expansion due for completion in 2021, in time for the 150th anniversary of the Gallery’s founding in 1871.







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.




--br via tradutor do google
Galeria de Arte de Nova Gales do Sul para se juntar aos melhores museus de arte do mundo

SYDNEY.- O compromisso de financiamento de US $ 244 milhões do Governo da NSW para apoiar a expansão da Galeria de Arte de Nova Gales do Sul transformará a galeria muito amada e histórica em um dos maiores museus de arte do mundo.

Congratulando-se com o anúncio histórico feito hoje pelo ministro das Artes, Don Harwin, o diretor da Galeria de Arte do NSW, Michael Brand, disse estar encantado com os fundos. A expansão aumentará significativamente o espaço para a Galeria exibir arte, e espera-se atrair dois milhões de visitantes por ano.

"Este é um dia notável para a Galeria e a comunidade artística australiana", disse o Dr. Brand.

"Nossa Galeria expandida vai entregar um edifício icônico que combina arte, arquitetura e paisagem de forma extraordinária e em um dos locais mais deslumbrantes do mundo", acrescentou o Dr. Brand.

Combinado com fundos governamentais de US $ 244 milhões, a campanha da Galeria de Arte da NSW, que será lançada oficialmente no final deste ano, elevará US $ 100 milhões em apoio filantrópico para o projeto, dos quais US $ 70 milhões foram prometidos.

A expansão verá mais da coleção icônica da Galeria, no valor de US $ 1,3 bilhão, em exibição. Melhorará significativamente a capacidade do Estado de atrair mais grandes exposições internacionais de arte para a NSW.

O aborígene e a arte do Ilha do Estreito de Torres serão a frente e o centro da Galeria expandida, exibida e celebrada com a proeminência que merece.

O Sydney Modern Project proporcionará benefícios econômicos mais amplos para a economia da NSW de mais de US $ 1 bilhão nos próximos 25 anos e a criação de até 242 empregos em tempo integral em NSW.

A galeria de arte do presidente do Conselho de Administração da NSW, David Gonski AC, disse que o apoio financeiro público e privado extraordinariamente generoso que a Galeria recebeu até o momento é um testemunho do valor e da importância atribuída a um museu de arte estatal expandido para a NSW.

"Esta decisão do governo do NSW deve ser aplaudida e seu mérito, em minha opinião, será visto e apreciado pelas gerações vindouras", disse Gonski.

A expansão proporcionará um marco arquitetônico pelos arquitetos vencedores do prêmio Pritzker, o SANAA. A Gallery trabalhou com a SANAA nos últimos dois anos para desenvolver o conceito de design.

O conceito de design continuará a ser refinado até a apresentação planejada de uma Aplicação de Desenvolvimento Significativo Estadual nos próximos meses.

A construção principal do projeto começará em 2019 com a expansão a ser completada em 2021, a tempo do 150º aniversário da fundação da Galeria em 1871.