Google+ Followers

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Historian Wu Hung is the guest of this year's "Palestinian Culture Masters". Macau - Historiador Wu Hung é o convidado deste ano das “Palestres de Mestres da Cultura”. Macau - 历史学家Wu·亨是今年“Palestres文化大师”的客人。 澳门

Chinese historian Wu Hung, who specializes in the field of art history, is the Cultural Institute's guest this year as part of the 2017 edition of the "Lectures of Cultural Masters".

Wu Hung
Nascimento: 1945, Sichuan, China
Formação: Universidade Harvard (1987)
Prêmios: Bolsa Guggenheim para Ciências Humanas, Estados Unidos e Canadá


The initiative, which has already brought to the territory intellectuals such as the Portuguese philosopher José Gil, the Swedish sinologist Goran Malmqvist or the English creative Charles Landry, father of the concept of creative city, is scheduled for the afternoon of August 27 at the Convention Hall of the Macao Science Center.

Born in the mainland province of Sichuan, Wu Hung, 72, will give a lecture entitled "Moving Pictures: A Gift from Ancient China to the World of Art," in which he will review some masterpieces from ancient China. Among the paper-scroll painting work to be addressed by Wu in the 2017 edition of the "Cultural Master Lectures" are works such as "Luoshen fu tu" (The Luo River Nymph), "Han Xizai Yeyan Tu "(Han Xizai night entertainment) or" Qingming shanghe tu "(The Qingming festival along the river).

A permanent member of the United States Academy of Arts and Sciences, Wu Hung currently holds the Harrie A. Vanderstappen Chair in the Department of Art History and the Department of Languages ​​and Civilizations of the Far East at the University of Chicago. To the distinction, the academic, critic and curator still joins the status of director of the Far East Art Center and consultant to the Smart Museum of that institution of higher education.

A noted historian, Wu is one of the world's leading specialists in "paper roll painting," an artistic expression with a long tradition in China that has had a profound influence on other art forms.

The Cultural Institute organized for the first time the "Lectures of the Masters of Culture" in 2013, the year in which Taiwanese writer Chiang Hsun was invited to give a lecture in the territory.







https://pontofinalmacau.wordpress.com/2017/07/12/historiador-wu-hung-e-o-convidado-deste-ano-das-palestres-de-estres-da-cultura/

https://www.google.com.br/search?q=A+ninfa+do+rio+Luo&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ved=0ahUKEwic6duqlo_VAhWKhZAKHf2EAk8QsAQILA

Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.




--br
Historiador Wu Hung é o convidado deste ano das “Palestres de Mestres da Cultura”.

O historiador chinês Wu Hung, especializado no campo da história da arte, é o convidado deste ano do Instituto Cultural no âmbito da edição de 2017 das “Palestras de Mestres da Cultura”.

A iniciativa, que já trouxe ao território intelectuais como o filósofo português José Gil, o sinólogo sueco Goran Malmqvist  ou o criativo inglês Charles Landry, pai do conceito de cidade criativa, está agendada para a tarde de 27 de Agosto, no Salão de Convenções do Centro de Ciência de Macau.

Nascido na província continental de Sichuan, Wu Hung, de 72 anos, vai proferir uma palestra intitulada “Imagens em Movimento: Uma Dádiva da Antiga China ao Mundo da Arte”, em que vai analisar algumas obras primas da antiga China. entre os trabalhos de pintura em rolo de papel que deverão ser abordados por Wu no âmbito da edição de 2017 das “Palestras de Mestres de Cultura” estão obras como “Luoshen fu tu” (A ninfa do rio Luo), “Han  Xizai yeyan tu” (Entretenimento nocturno de Han Xizai) ou  “Qingming shanghe tu” (O festival Qingming ao longo do rio).

Membro permanente da Academia de Artes e Ciências dos Estados Unidos, Wu Hung é actualmente titular da cátedra Harrie A. Vanderstappen no Departamento de História da Arte e no Departamento de Línguas e Civilizações do Extremo Oriente da Universidade de Chicago. À distinção, o académico, critico e curador junta ainda o estatuto de director do Centro de Arte do Extremo Oriente e consultor do Smart Museum daquela instituição de ensino superior.

Historiador conceituado, Wu é um dos maiores especialistas mundiais na “pintura em rolo de papel”, uma expressão artística com uma longa tradição na China e que exerceu uma profunda influência noutras formas de arte.

O Instituto Cultural organizou pela primeira vez as “Palestras dos Mestres de Cultura” em 2013, ano em que convidou o escritor taiwanês Chiang Hsun para proferir uma palestra no território.







--chines simplificado
历史学家Wu·亨是今年“Palestres文化大师”的客人。

中国的史学家Wu·亨,专门从事艺术史课程,是今年文化协会2017年版的“文化讲座的大师”的下客。

该倡议,这带来了知识领域作为葡萄牙哲学家乔斯·吉尔,瑞典汉学家戈兰·马姆基维斯特或创造性的英国人查尔斯·兰德里,创意城市的概念之父,定于8月27日下午,在会议厅澳门科学馆。

出生在全省大陆四川,Wu·亨,72,将给出一个题为“移动图片:中国古代的艺术世界的礼物”的讲座,将审查中国古代的一些杰作。之间画作品纸卷由吴为2017年版的“文化大师讲座”的作品如“洛神赋恩”(洛河的仙女),“韩熙载叶艳,你的一部分加以解决“(韩熙载的夜间娱乐)或”清明上涂“(沿江清明节)。

美国艺术与科学院常任理事国,Wu·亨是目前持有的椅子A.的Harrie在Vanderstappen艺术史系和语言和芝加哥大学远东的文明系。为了区别,学术界,评论家和策展人也加入远东艺术中心和斯马特美术馆顾问,高等教育机构的主管地位。

著名历史学家吴是在“清明上河图”,在中国悠久的传统艺术表现的主要专家之一,并作用于其他艺术形式产生深远的影响。


首次举办的文化学院在2013年“文化大师讲座”,当它呼吁台湾作家蒋勋给予领土上的演讲。

UNESCO Center for the safeguarding of intangible heritage opens in Beja, Portugal. --- Centro UNESCO para salvaguarda do património imaterial abre em Beja. Portugal.

The UNESCO Center for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage, set up in Beja, starts operating on Wednesday to promote, study and disseminate traditional music, cante alentejano, literature and popular history.


According to the Câmara de Beja, the center is located in the emblematic building of Clube Bejense, an old space of conviviality and culture of the city, which the municipality rehabilitated to welcome the space and a "creative house", in an investment of 374 thousand euros.

The center will open on Wednesday with a program that integrates the children's workshop "Arts and Crafts d'Antigamente", starting at 09:00, and a ceremony, scheduled for 18:00.

The opening ceremony includes the presentation of the exhibition "Sing: Alma do Alentejo", with photographs by photojournalist Ana Baião, and a performance by the Bulgarian Voices Angelite band and the Coral Singers Group of Disquiet, which will perform on the same day Of the Republic, starting at 10:00 pm, at a concert included in the program of the Festival Beja na Rua and with the participation of the fado singer António Zambujo.

The creation of the center resulted from a protocol between the Câmara de Beja, the National Commission of UNESCO, the Regional Directorate of Culture of Alentejo, the National Cultural Center, the AgaKhan Foundation, the Musicians and Performers and Audiovisual Trade Union, The MODA - Cante Alentejano Association and the Gastronomic Confraternity of Alentejo.

The center intends to "take on the mission of enhancing" the "ever wider recognition" that intangible cultural heritage is gaining in the "collective consciousness" due to the latest Portuguese inscriptions on the UNESCO Representative List, such as the Alentejo cante, explains the Câmara de Beja, in a statement sent to Lusa agency.

According to the municipality, the inventory of popular practices and knowledge, the promotion of cante alentejano and other traditional musical manifestations and the implementation of the UNESCO program "Living Human Treasures", "valuing the memory holders and wisdom of undeniable universal value" are some Objectives of the center.

Therefore, he stresses, the creation of the center "must be seen as a reaction to the growing demographic weakness of the interior, in particular the Alentejo, which, starting from the appreciation of its people, intends to project a society for the future anchored in the practices and memories that These immaterial patrimonies evoke. "

According to the protocol, the center will be organized as a network of collaborating members and with institutions and organizations in Beja and Alentejo that are "committed" to safeguarding, managing, valuing and educating intangible heritage, namely Traditional music, cante alentejano, literature and oral histories, and "in the diffusion and promotion of good practices in this field".

The UNESCO Center will have several functions, such as "contributing to a better understanding of the intangible heritage" and promoting, studying and disseminating traditional music, such as Alentejo cante, literature and popular history.

Collaborating with local, regional, national or international institutions in actions linked to the objectives of UNESCO and the Directorate General of Cultural Heritage in the realization of the inventory of intangible heritage are other duties.







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.




--pt
Centro UNESCO para salvaguarda do património imaterial abre em Beja.

O Centro UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, criado em Beja, começa a funcionar na quarta-feira para promover, estudar e divulgar a música tradicional, o cante alentejano, a literatura e a história popular.

Segundo a Câmara de Beja, o centro está situado no emblemático edifício do Clube Bejense, um antigo espaço de convívio e cultura da cidade, que o município reabilitou para acolher o espaço e uma "casa criativa", num investimento de 374 mil euros.

O centro vai ser inaugurado na quarta-feira com um programa que integra o ateliê para crianças "Artes e Ofícios d'Antigamente", a partir das 09:00, e uma cerimónia, marcada para as 18:00.

A cerimónia de inauguração inclui a apresentação da exposição "Cante: Alma do Alentejo", com fotografias da fotojornalista Ana Baião, e uma atuação da banda Bulgarian Voices Angelite e do Grupo Coral Cantadores do Desassossego, que, no mesmo dia, irão atuar na Praça da República, a partir das 22:00, num concerto incluído no programa do Festival Beja na Rua e que conta com a participação do fadista António Zambujo.

A criação do centro resultou de um protocolo entre a Câmara de Beja, a Comissão Nacional da UNESCO, a Direção Regional de Cultura do Alentejo, o Centro Nacional de Cultura, a Fundação AgaKhan, o Sindicato dos Músicos e Profissionais do Espetáculo e do Audiovisual, a MODA - Associação do Cante Alentejano e a Confraria Gastronómica do Alentejo.

O centro pretende "assumir a missão de potenciar" o "reconhecimento cada vez mais amplo" que o património cultural imaterial está a ganhar na "consciência coletiva" devido às mais recentes inscrições portuguesas na Lista Representativa da UNESCO, como o cante alentejano, explica a Câmara de Beja, num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo o município, a inventariação de práticas e saberes populares, a promoção do cante alentejano e outras manifestações musicais tradicionais e a implementação do programa UNESCO "Tesouros Humanos Vivos", "valorizando os portadores de memória e sabedoria de inegável valor universal", são alguns dos objetivos do centro.

Por isso, frisa, a criação do centro "deve ser vista como uma reação à crescente debilidade demográfica do interior, em particular do Alentejo, que, partindo da valorização das suas gentes, pretende projetar uma sociedade para o futuro ancorada nas práticas e memórias que estes patrimónios imateriais evocam".

Segundo o protocolo, o centro estará organizado como uma rede de membros que colaboram entre si e com instituições e organismos de Beja e do Alentejo, que estejam "empenhados" na salvaguarda, na gestão, na valorização e na educação para o património imaterial, nomeadamente música tradicional, cante alentejano, literatura e histórias orais, e "na difusão e na promoção das boas práticas neste domínio".

O Centro UNESCO terá várias atribuições, como "contribuir para uma melhor compreensão do património imaterial" e promover, estudar e divulgar a música tradicional, nomeadamente o cante alentejano, a literatura e a história popular.

Colaborar com instituições locais, regionais, nacionais ou internacionais em ações ligadas com os objetivos da UNESCO e com a Direção-geral do Património Cultural na concretização do inventário do património imaterial são outras das atribuições.