Google+ Followers

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Cyprus Archaeological Museum. Theoni Xanthi of XZA Architects has been selected as the winner in the competition to design the new archaeological museum in Cyprus. - Museu Arqueológico de Chipre. Theoni Xanthi, da XZA Architects, foi escolhida como vencedora na competição para projetar o novo museu arqueológico em Chipre.

Composed of three layers corresponding to Memory, the City, and the River, Xanthi's proposal took first place in a competition that sought a new urban space to celebrate Nicosia’s history and archaeology. The project is situated in close proximity to the medieval city walls, enabling it to play a key role in altering and upgrading the existing urban and green spaces that surround it.



“The new archaeological museum—within today’s globalized reality—seeks to express its identity through the elements that gave birth to the Cypriot civilization," explains Xanthi. "Not only the materials, but also the characteristics of Mediterranean life and culture (the proximity of the natural, the meeting centers, the sightlines to the landscape, the search for dense shade etc) that are still alive in the everyday life of the locus... It aims to be a landmark, a cultural installation that would nurture new environments and behaviors, and act as a revitalizing gesture to the city.”



Three horizontal zones aim to combine past archaeological finds with the present, creating the apparently hovering building. The museum is located in the uppermost "Memory" layer, while the intermediate "City" layer “welcomes the city” and the bottom "River" layer accommodates everyday programs. Similarly, the museum and permanent exhibitions themselves are also fragmented in three ways.



The first of these is TOPOS, which highlights the relationship between Cyprus' first settlers and the land they inhabited. The connection between land and water is the focus of SEA, while the third category, COSMOS, explores the interaction between different Mediterranean cultures.


Formally, the three buildings comprising the museum respond to the triangular plot upon which it is located by creating views towards the river and the city, extending the sightlines of the environment. At ground level is the public realm, allowed to pass through the elevated buildings and creating spaces such as yards, a garden, an atrium and a public square. The entrance is demarcated by a bioclimatic canopy, as the design aims to encompass structural, urban, functional and bioclimatic demands.


A “museological narration” is created through the organization of exhibition spaces, with the mezzanine level operating at a human scale and numerous small exhibitions integrated into the envelope, creating opportunities for diverse media displays.

Architect: Theoni Xanthi, XZA Architects with Thodoris Androulakis, Spiros Yiotakis, and Margarita Zakynthinou.
Collaborating Architects: Y. Andreadis - YAP, Fereos + Associates Architects
Museologist: N. Papadimitriou
Structural: D. Bosia - AKT 2 UK, S. Efstratiadis - Helliniki Meletitiki SA
Mechanical: K. Zacharios - H-M Engineering SA
Electrical: K. Georgakopoulos – P. Gourdouparis
Environmental: B. Cimerman – Elements Ingenierie, FR
Landscape: H. Pangalou
Working Team: P. Pappa, E. Orfanou, N. Keramianakis, K. Varkarolis, S. Chatzis, N. Christidi, E. Keramianaki, and S. Doukas. 







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.








--br via tradutor do google
Museu Arqueológico de Chipre.

Theoni Xanthi, da XZA Architects, foi escolhida como vencedora na competição para projetar o novo museu arqueológico em Chipre.

Composto por três camadas correspondentes a Memória, Cidade e Rio, a proposta de Xanthi ocupou o primeiro lugar em uma competição que buscava um novo espaço urbano para celebrar a história e a arqueologia de Nicosia. O projeto está situado nas proximidades das muralhas da cidade medieval, permitindo-lhe desempenhar um papel fundamental na alteração e atualização dos espaços urbanos e verdes existentes que o cercam.

"O novo museu arqueológico - dentro da realidade globalizada de hoje - busca expressar sua identidade através dos elementos que deram origem à civilização cipriota", explica Xanthi. "Não só os materiais, mas também as características da vida e cultura mediterrânea (a proximidade de O natural, os centros de reunião, as linhas de visão para a paisagem, a busca de densa sombra etc.) que ainda estão vivos na vida cotidiana do locus ... Ele pretende ser um marco, uma instalação cultural que criaria novos ambientes e Comportamentos e atua como um gesto revitalizante para a cidade ".

Três zonas horizontais visam combinar descobertas arqueológicas passadas com o presente, criando o edifício aparentemente pairante. O museu está localizado na camada "Memória" mais alta, enquanto a camada intermediária "Cidade" acolhe a cidade e a camada inferior do "Rio" acomoda programas diários. Da mesma forma, o museu e as exposições permanentes são também fragmentadas de três maneiras.

O primeiro deles é o TOPOS, que destaca a relação entre os primeiros colonos de Chipre e as terras que habitavam. A conexão entre terra e água é o foco do SEA, enquanto a terceira categoria, COSMOS, explora a interação entre diferentes culturas mediterrâneas.

Formalmente, os três edifícios que compõem o museu respondem ao gráfico triangular sobre o qual ele se encontra criando visões para o rio e a cidade, estendendo as linhas de visão do meio ambiente. Ao nível do solo é o domínio público, permitido atravessar os edifícios elevados e criar espaços como estaleiros, um jardim, um átrio e uma praça pública. A entrada é demarcada por um dossel bioclimático, uma vez que o projeto visa abranger exigências estruturais, urbanas, funcionais e bioclimáticas.

Uma "narração museológica" é criada através da organização de espaços expositivos, com o nível entrecruzamento a escala humana e inúmeras pequenas exposições integradas no envelope, criando oportunidades para diversos displays de mídia.


Arquiteto: Theoni Xanthi, XZA Arquitetos com Thodoris Androulakis, Spiros Yiotakis e Margarita Zakynthinou.
Arquitetos Colaboradores: Y. Andreadis - YAP, Fereos + Associates Architects
Museologista: N. Papadimitriou
Estrutural: D. Bosia - AKT 2 UK, S. Efstratiadis - Helliniki Meletitiki SA
Mecânica: K. Zacharios - H-M Engineering SA
Elétrica: K. Georgakopoulos - P. Gourdouparis
Ambiental: B. Cimerman - Elements Ingenierie, FR
Paisagem: H. Pangalou
Equipe de trabalho: P. Pappa, E. Orfanou, N. Keramianakis, K. Varkarolis, S. Chatzis, N. Christidi, E. Keramianaki e S. Doukas.

Historical heritage of the municipality of Sorocaba, São Paulo, Brazil, locomotive 58 was built in 1891 by Baldwin Locomotive Works in Philadelphia, USA, for the Sorocaba Railroad (EFS), having served railroad services until the 1960s. - Patrimônio histórico do município de Sorocaba, São Paulo, Brasil, a locomotiva 58 foi construída em 1891 pela Baldwin Locomotive Works, na Filadélfia, Estados Unidos, para a Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), tendo prestado serviços à ferrovia até a década de 1960.

Locomotive 58 will travel on the 15th day of the 363 year celebration.

Picture 1
On the afternoon of Friday (4), the third and last test of force and movement of the locomotive was carried out, and the result is that it is able to return to the tracks - EMIDIO MARQUES


Away from the eyes of the population five years ago, Locomotiva 58 will return to active duty on August 15 at noon to celebrate the 363-year anniversary of Sorocaba. The historic maria-fumaça will travel a mile along the old Votorantim Electric Railway (Efev), between Paula Souza Station and Fábrica Santa Maria, in Vila Hortência.

The exhibition is held by the Secretariat of Culture and Tourism (Secultur), in partnership with the Association of Railway Preservation of the Sorocabana Excerpt (MPF-Sorocabana) - a non-profit organization focused on the memory of the railways. "It is a gift for the population and a revisit to the history of Sorocaba and region," says Secultur head, Werinton Kermes.

The maintenance of the locomotive was done with the support of Secultur, it counted on voluntary labor and included hydrostatic test of boiler and of safety valves, repair of leaks in joints and pipes, revision of valves and injectors and cleaning and lubrication. "They are problems of the effect of time, which would also happen with a stationary car," comments Paulo Sérgio Vieira Filho, president of MPF-Sorocabana.

58 was built in 1891 by Baldwin Locomotive Works in Philadelphia, United States, for the Sorocabana Railroad (EFS), and served railroad services until the 1960s. More than 30 years at Quinzinho de Barros Zoo.

Passed on test

On the afternoon of last Friday (4), the third and final test of strength and movement of the locomotive was carried out, attesting that it is able to return to the tracks. "It's like a pressure cooker. It needs to reach a very high temperature to gain strength," says Sérgio, citing that the boiler needs to be turned on about three hours before departure.

With the 2-year-old son in his arms, the musician and student of Tourism Antonio Henrique Pires de Bueno makes sure to wait for the time needed to see Maria-Fumaça from the Paula Souza station and proceed for about 500 meters. If he says that he is a railroad enthusiast, Antonio Henrique buzzes with the whistle of the locomotive, which, according to him, has plenty of force to carry much of the city's history and culture. "Restoration is very important for future generations, not only for the opportunity to be able to walk with the families of the train, but to discover and learn more about the history of Sorocaba and the evolution of means of transportation," he says.

Tourist Train

Secretary Werinton Kermes says that the locomotive in motion, now with adequate maintenance, is the main piece for the implementation of the project of the Tourist Train, which intends to link Sorocaba to Votorantim.

Vice President of MPF-Sorocabana, journalist Eric Mantuan points out that the first talks about the implementation of the tourist train in the city began in 1989, but never advanced due to logistical and bureaucratic obstacles, such as legislation and budget. However, he points out that, finally, the current moment has a free path, since there is a "convergence of interests" between the municipalities of Sorocaba and Votorantim, the federal government and the Votorantim Group, owner of the line and the Paula Souza Station.

With the 58 running again, the next step of the project is called Technical and Economic Feasibility Study (EVTE), which will technically base the feasibility of rides on Saturdays and Sundays, on a seven-kilometer route, between Sorocaba, leaving Paula Station Souza, to the Bairro da Chave in Votorantim. The route will include stops at the future Weaving Museum, the former fabric factory Santa Maria, Vila Hortencia, and the Spanish Park. In a second moment, there is the possibility of the route being expanded to the Votocel neighborhood.

The document was already developed by the entity, free of charge, for municipalities, with the contribution of engineers, historians, mechanics and other volunteers. So that it can finally get off the paper, it needs to be evaluated and approved by the National Land Transport Agency (ANTT), which regulates the activities involving the transportation of passengers. "Now everyone is speaking the same language," says Mantuan, citing that the route was opened after 2012, when ALL Logística completely shut down operations on the railroad to Votorantim.

Expansion of collection

The collection of the future Sorocaba Railway Memory Center, which is being implemented in the city by Sorocabana - Railway Preservation Movement at Paula Souza Station, was expanded last Friday with the receipt of three more locomotives from the former Sorocaba Railroad ( EFS).

The preservation of the equipment is the result of a conciliation between the entity, the National Land Transport Agency (ANTT) and the Rumo Malha Paulista S / A concessionaire, which recognized the historical and technological values ​​of the equipment.

One of the machines is the electric 1-C + C-1 2061 from Westinghouse Electric Corporation, built in the United States and delivered to EFS in 1948. Manufactured the same year, the General Electric Cooper-Bessemer 3115 locomotive integrates the first generation of locomotives Low-capacity diesel engines purchased by Sorocabana for maneuvering services on lower-load branches - in order to retire the steam locomotives hitherto intended for these functions.

The LEW DE-II-S 3709 diesel has a curious history: it was manufactured in 1967 in East Germany by the Lokomotivbau Elektrotechnische Werke (LEW - hence the acronym for which they became known in our country), The result of an unprecedented negotiation between Brazil and the socialist countries of Eastern Europe.

In addition to the three new equipment, the MPF-Sorocabana Association has in its collection two passenger cars, one diesel locomotive and one electric.






Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 
A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.







-br
Patrimônio histórico do município de Sorocaba, São Paulo, Brasil, a locomotiva 58 foi construída em 1891 pela Baldwin Locomotive Works, na Filadélfia, Estados Unidos, para a Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), tendo prestado serviços à ferrovia até a década de 1960. 

Locomotiva 58 trafegará dia 15 na festa dos 363 anos. 

imagem 1 
Na tarde de sexta-feira (4), foi realizado o terceiro e último teste de força e de movimento da locomotiva, e o resultado é que está apta para voltar aos trilhos - EMIDIO MARQUES 

Longe dos olhos da população há cinco anos, a Locomotiva 58 voltará à ativa no dia 15 de agosto, ao meio-dia, para celebrar o aniversário de 363 anos de Sorocaba. A histórica maria-fumaça irá trafegar por um percurso de um quilômetro pela antiga Estrada de Ferro Elétrica Votorantim (Efev), entre a Estação Paula Souza e a Fábrica Santa Maria, na Vila Hortência. 

A exibição é realizada pela Secretaria de Cultura e Turismo (Secultur), em parceria com a Associação Movimento de Preservação Ferroviária do Trecho Sorocabana (MPF-Sorocabana) -- entidade sem fins lucrativos e voltados à memória das ferrovias. "É um presente para a população e uma revisita à história de Sorocaba e região", diz o titular da Secultur, Werinton Kermes. 

A manutenção da locomotiva foi feita com apoio da Secultur, contou com mão-de-obra voluntária e incluiu teste hidrostático de caldeira e de válvulas de segurança, reparação de vazamentos em juntas e tubulações, revisão de válvulas e injetores e limpeza e lubrificação. "São problemas do efeito do tempo, que também aconteceria com um carro parado", comenta Paulo Sérgio Vieira Filho, presidente da MPF-Sorocabana. 

Patrimônio histórico do município, a locomotiva 58 foi construída em 1891 pela Baldwin Locomotive Works, na Filadélfia, Estados Unidos, para a Estrada de Ferro Sorocabana (EFS), tendo prestado serviços à ferrovia até a década de 1960. Após isso, esteve exposta por mais de 30 anos no Parque Zoológico Quinzinho de Barros. 

Aprovada no teste 

Na tarde da última sexta-feira (4), foi realizado o terceiro e último teste de força e de movimento da locomotiva, atestando que ela está apta para voltar aos trilhos. "É como uma panela de pressão. Precisa chegar a uma temperatura bem alta para ganhar força", compara Sérgio, citando que a caldeira precisa ser acendida aproximadamente três horas antes da partida. 

Com o filho de 2 anos de idade nos braços, o músico e estudante de Turismo Antonio Henrique Pires de Bueno faz questão de aguardar o tempo necessário para ver a Maria-Fumaça partir da estação Paula Souza e avançar por um trajeto de aproximadamente 500 metros. Se dizendo entusiasta da ferrovia, Antonio Henrique vibra com o apito da locomotiva que, segundo ele, tem força de sobra para carregar boa parte da história e da cultura da cidade. "A restauração é muito importante para as futuras gerações, não apenas pela oportunidade de poder passear com as famílias de trem, mas descobrir e aprender mais sobre a história de Sorocaba e da evolução dos meios de transporte", diz. 

Trem Turístico 

O secretário Werinton Kermes afirma que a locomotiva em movimento, agora com manutenção adequada, é a principal peça para que seja implantado o projeto do Trem Turístico, que pretende ligar Sorocaba a Votorantim. 

Vice-presidente da MPF-Sorocabana, o jornalista Eric Mantuan ressalta que as primeiras tratativas de implantação de trem turístico na cidade tiveram início em 1989, mas nunca avançaram em virtude de entraves logísticos e burocráticos, como legislação e orçamento. Entretanto, ele assinala que, finalmente, o atual momento tem caminho livre, já que há uma "convergência de interesses" entre as prefeituras de Sorocaba e Votorantim, o governo federal e o Grupo Votorantim, proprietário da linha e da Estação Paula Souza. 

Com a 58 novamente funcionando, o próximo passo do projeto chama-se Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE), que embasará tecnicamente a viabilidade de passeios aos sábados e domingos, em um percurso de sete quilômetros, entre Sorocaba, saindo da Estação Paula Souza, até o Bairro da Chave, em Votorantim. No percurso estarão incluídas paradas no futuro Museu da Tecelagem, na antiga fábrica de tecidos Santa Maria, na Vila Hortência, e no Parque dos Espanhóis. Em um segundo momento, há a possibilidade do trajeto ser expandido até o bairro Votocel. 

O documento já foi desenvolvido pela entidade, gratuitamente, para as prefeituras dos municípios, com a contribuição de engenheiros, historiadores, mecânicos e outros voluntários. Para que possa finalmente sair do papel, precisa ser avaliado e aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que regula as atividades que envolvem o transporte de passageiros. "Agora todo mundo está falando a mesma língua", comenta Mantuan, citando que o caminho ficou aberto depois de 2012, quando a empresa ALL Logística encerrou completamente as operações na ferrovia até Votorantim. 

Ampliação de acervo 

O acervo do futuro Centro de Memória Ferroviária de Sorocaba, que está sendo implantado na cidade pela Sorocabana - Movimento de Preservação Ferroviária na Estação Paula Souza, foi ampliado na última sexta-feira com o recebimento de mais três locomotivas da antiga Estrada de Ferro Sorocabana (EFS). 

A preservação dos equipamentos é fruto de uma conciliação entre a entidade, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a concessionária Rumo Malha Paulista S/A, que reconheceram os valores históricos e tecnológicos dos equipamentos. 

Uma das máquinas é a elétrica 1-C+C-1 2061, da Westinghouse Electric Corporation, construída nos Estados Unidos e entregue à EFS em 1948. Fabricada no mesmo ano, a locomotiva General Electric Cooper-Bessemer 3115 integra a primeira geração de locomotivas à diesel de pequena potência adquiridas pela Sorocabana para serviços de manobra em ramais de menor capacidade de carga -- de forma a aposentarem as locomotivas a vapor até então destinadas a essas funções. 

Já a diesel LEW DE-II-S 3709 traz consigo uma história curiosa: foi fabricada em 1967 na Alemanha Oriental pela Lokomotivbau Elektrotechnische Werke (Fábricas Eletrotécnicas e Construtoras de Locomotivas, LEW -- daí a sigla pelas quais ficaram conhecidas em nosso País), fruto de uma negociação inédita entre o Brasil e os países socialistas do leste europeu. 

Além dos três novos equipamentos, a Associação MPF-Sorocabana possui em seu acervo dois carros de passageiros, uma locomotiva diesel e uma elétrica.