terça-feira, 17 de outubro de 2017

4,500yo ‘fashionable’ male skeleton wearing jewelry found in Turkey. - 4,500 "joias masculinas 'moda' com jóias encontradas na Turquia.

Archaeologists have uncovered a 4,500-year-old skeleton wearing jewelry from an early Bronze Age village in Turkey. The site has also revealed female skeletons were buried with weapons.


The discovery was made in the northern Turkish province of Corum, at the excavation site of the Ugurludag village of Resuloglu. The village is believed to have continued to be inhabited up to the Ottoman period.


The burial site revealed the inhabitants followed fashion trends, based on the jewellery found on their skeletons. They were found to have anklets, bracelets and necklaces.


“They followed the outside fashion in an indirect way and they tried to apply the art of the outdoors here themselves, especially in the ladies' dresses and ornaments,” Yenikonya reports Ankara University Professor and director of excavation Tayfun Yildirim as saying.



“The ornamental items we find in the cemetery are not only used by women but by men as well.”

"The burials gave us important information about the beliefs of the people living 4,500 years ago,” Yildirim said. “We have valuable information about the death gifts and beliefs of the locals here.”

Yildirim also explained that some of the women’s tombs contained a variety of weapons.

“If you find a weapon when we open the tomb today, you can imagine that it belongs directly to men, but we discovered in some women's graves there are weapons as status symbols on women's graves aged between 50 and 55 years old,” he said. “If a dagger is in the woman's grave, they also show that they love the weapon at the same time.”

Archaeologists have determined the village’s residents were skilled at mining and agriculture, based on the clay and metal artefacts found there. The people are believed to have been Caucasian and of Mesopotamian origin.




Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br
4,500 "joias masculinas 'moda' com jóias encontradas na Turquia.

Arqueólogos descobriram um esqueleto de 4.500 anos com jóias de uma aldeia da Idade do Bronze no início da Turquia. O site também revelou esqueletos femininos foram enterrados com armas.

A descoberta foi feita na província turca do norte de Corum, no local de escavação da vila ugurludag de Resuloglu. Acredita-se que a aldeia tenha continuado a ser habitada até o período otomano.

O local de enterro revelou que os habitantes seguiram as tendências da moda, com base nas jóias encontradas em seus esqueletos. Eles foram encontrados com tornozelo, pulseiras e colares.

"Eles seguiram a moda externa de forma indireta e eles tentaram aplicar a arte do ar livre aqui, especialmente nos vestidos e ornamentos das senhoras", diz Yenikonya, professor da Universidade de Ankara e diretor da escavação, Tayfun Yildirim.

"Os itens ornamentais que encontramos no cemitério não são apenas usados ​​pelas mulheres, mas também pelos homens".

"Os enterros nos deram informações importantes sobre as crenças das pessoas que vivem há 4.500 anos", disse Yildirim. "Temos informações valiosas sobre os presentes e as crenças da morte dos habitantes locais aqui".

Yildirim também explicou que algumas das tumbas femininas continham uma variedade de armas.

"Se você encontrar uma arma quando abrimos o túmulo hoje, você pode imaginar que ele pertence diretamente aos homens, mas descobrimos em túmulos de mulheres que existem armas como símbolos de status em túmulos femininos com idade entre 50 e 55 anos", disse ele. . "Se um punhal está na sepultura da mulher, eles também mostram que eles amam a arma ao mesmo tempo".

Os arqueólogos determinaram que os residentes da aldeia eram especializados em mineração e agricultura, com base nos artefatos de argila e metal encontrados lá. Acredita-se que as pessoas tenham sido caucasianas e de origem mesopotâmica.


National Museum Of Ancient Art Presents Dedicated Exhibition To Rembrandt And Dutch Masters. - Museu Nacional De Arte Antiga Apresenta Exposição Dedicada A Rembrandt E Mestres Holandeses.

Inaugurated by the kings of Holland, during the official visit to Portugal, the exhibition traces the common history of the two countries, from the figures represented, and brings together works by Rembrandt and other masters of Dutch Painting, such as Gerard van Honthors and Joos van Cleve was developed in partnership with the Rijksmuseum.

Rembrandt, Elos Perdidos is the latest temporary exhibition open to the public at the National Museum of Ancient Art in Lisbon, which can be seen until January 7.

The exhibition includes Rembrandt's Landscape with Stone Bridge, plus seven pieces from Dutch royal collections, such as a portrait of Leonor from Austria (Queen of Portugal for her marriage to Dom Manuel I, before being Queen of France) and of his brother, Emperor Charles V, by Joos van Cleve, the Princesses Sabina Délfica and Leonor Mauritius of Portugal, Gerard van Honthorst, Rembrandt, whose theme is also the landscape, and with a portrait of Dona Leonor, of the same Joos van Cleve, and two works from the MNAA's own collection, one of which is a drawing of a landscape also by Rembrandt.

Rembrandt - Elos Perdidos can be seen in the Painted Ceiling Room at the National Museum of Ancient Art, until January 7, 2018, from Tuesday to Sunday, from 10:00 a.m. to 6:00 p.m. The ticket is included in the ticket of the museum and costs 6 euros.




Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.




--pt
Museu Nacional De Arte Antiga Apresenta Exposição Dedicada A Rembrandt E Mestres Holandeses.

Inaugurada pelos reis da Holanda, aquando a visita oficial a Portugal, a mostra traça a história comum dos dois países, a partir das figuras representadas, e reúne obras de Rembrandt e outros mestres da Pintura Holandeses, como Gerard van Honthors t e Joos van Cleve e foi elaborada em parceria com o Rijksmuseum.

Rembrandt, Elos Perdidos é a mais recente mostra temporária patente ao público no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, que pode ser vista até dia 7 de janeiro.

A mostra inclui a obra Paisagem com Ponte de Pedra da autoria de Rembrandt, mais sete peças das coleções reais holandesas, como um retrato de Leonor de Áustria (Rainha de Portugal pelo seu casamento com Dom Manuel I, antes de ser Rainha de França) e de seu irmão, o Imperador Carlos V, por Joos van Cleve, das princesas Sabina Délfica e Leonor Maurícia de Portugal, de Gerard van Honthorst, de Rembrandt, cujo tema é também a paisagem, e com um retrato de Dona Leonor, do mesmo Joos van Cleve, e duas obras da própria coleção do MNAA, sendo uma delas um desenho de uma paisagem também da autoria de Rembrandt.

Rembrandt – Elos Perdidos pode ser vista na Sala do Tecto Pintado no Museu Nacional de Arte Antiga, até dia 7 de janeiro de 2018, de terça-feira a domingos, das 10h00 às 18h00. A entrada está incluída no bilhete do museu e custa 6 euros.