Listen to the text.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

"The meeting with Davydov was both difficult and joyful ..." - «ВСТРЕЧА С ДАВЫДОВЫМ БЫЛА И ТРУДНОЙ, И РАДОСТНОЙ…» - "O encontro com Davydov foi difícil e alegre ..."

October 25, 2017 would be 100 years old Peter Grigoryevich Chernov - actor of theater and cinema, People's Artist of the RSFSR, laureate of the Stalin Prize. Among the images created by him in the cinema, the role of Semyon Davydov in the film "Virgin Soil Upturned" (directed by A. Ivanov) and the role of Bunchuk in the film "Quiet Flows the Don" (directed by S. Gerasimov) are most known.


PetrChernov was born on October 25, 1917 in the village Medvedchikovo, Tomsk province (now - Kemerovo region). In the twenties, his parents moved to a new place of residence, founded a farm, which was called - Chernov farm.



The first school teacher of the future artist was Maria Kuzminichna Bocillo, who instilled in children love for poetry, artistic expression, put school plays with the children and awoke in the soul of little Petit the first timid germs of love for the scene. He studied with enthusiasm, he loved the poems of Pushkin, Mayakovsky, Yesenin, often recited them at school evenings.

After graduating from the faculty of GITIS in 1939, Petr Chernov worked in the Gomel Drama Theater. During the Great Patriotic War, he performed with concert brigades at the front before the soldiers during the hours of rest. Since 1943, fate associated the artist with the Moscow Academic Theater named after Gorky, in which he worked until the end of his life.



Peter Chernov was an excellent actor, striking realism of the game and diversity of creative talent. He is familiar to the spectator of the plays based on plays by A.N. Ostrovsky, M. Gorky, A.P. Chekhov, N.F. Pogodina, M.M. Roshchin, M.V. Shatrova, films "Indian kingdom", "Moabit notebook", "Family of Zatsepinyh," Front "," The Salt of the Earth "," The Coming Age ", etc., but special success was brought to the screen version of Sholokhov's works.

In 1957-1958, P.G. Chernov played the role of Bunchuk in the film "Quiet Flows the Don", and then, in 1961, Semyon Davydov in "Rose Virgin Soil".

Chernov recalled his work on the voluminous, multifaceted, responsible role of Davydov: "The meeting with Davydov was both difficult and joyful. Difficult because I knew with what warmth of heart my hero Sholokhov was. Before the shooting and in the process of work, the film's participants met with the writer. Mikhail Alexandrovich gave us full creative freedom, willingly gave the necessary consultations. He warned me against the fact that Davydov did not turn out to be such a "blue hero". " The role of Davidov played brilliantly.



In October 1982, P.G. Chernov together with the actor PP. Glebov visited the village of Vyoshenskaya, where they met with MA. Sholokhov. Residents of the village remembered with warmth the guests' performance at the Palace of Culture, where a gala evening dedicated to the 50th anniversary of the publication of the first book of the novel "Virgin Soil Upturned" was held, a meeting with actors in the regional library.

P.G. Chernov passed away on January 7, 1988 in the prime of his creative powers. A talented actor, a kind, sincere person, he left a bright mark in the history of theater and cinema, in the hearts of millions of spectators.











Rozmari Petek 
Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--ru
«ВСТРЕЧА С ДАВЫДОВЫМ БЫЛА И ТРУДНОЙ, И РАДОСТНОЙ…»

25 октября 2017 года исполнилось бы 100 лет Петру Григорьевичу Чернову – актеру театра и кино, Народному артисту РСФСР, лауреату Сталинской премии. Среди созданных им образов в кино наиболее известны роль Семёна Давыдова в фильме «Поднятая целина» (реж. А. Иванова) и роль Бунчука в фильме «Тихий Дон» (реж. С. Герасимова).

ПетрЧернов родился 25 октября 1917 года в деревне Медведчиково Томской губернии (ныне - Кемеровская область). В двадцатые годы его родители переехали на новое место жительства, основали хутор, который так и назывался – Чернов хутор.

Первой школьной учительницей будущего артиста была Мария Кузьминична Бочилло, которая прививала детям любовь к поэзии, художественному слову, ставила с ребятами школьные спектакли и пробудила в душе маленького Пети первые робкие ростки любви к сцене. Учился он с увлечением, любил стихи Пушкина, Маяковского, Есенина, часто декламировал их на школьных вечерах.

Окончив актерский факультет ГИТИСа в 1939 году, Петр Чернов работал в Гомельском драматическом театре. Во время Великой Отечественной войны  вместе выступал с концертными бригадами на фронте перед бойцами в часы отдыха. С 1943 года судьба связала артиста с Московским академическим театром имени Горького, в котором он проработал до конца своей жизни.

Петр Чернов был прекрасным актером, поражающим реалистичностью игры и разноплановостью творческого таланта. Зрителю он знаком по спектаклям, поставленным по пьесам А.Н. Островского, М. Горького, А.П. Чехова, Н.Ф. Погодина, М.М. Рощина, М.В. Шатрова,  кинофильмам «Бабье царство», «Моабитская тетрадь», «Семья Зацепиных, «Фронт», «Соль земли», «Грядущему веку» и др., но особый успех принесли экранизации шолоховских произведений.

В 1957-1958 годах П.Г. Чернов сыграл роль Бунчука в фильме «Тихий Дон», а затем, в 1961 году, Семёна Давыдова в «Поднятой целине».

О своей работе над объемной, многоплановой, ответственной ролью Давыдова Чернов вспоминал: «Встреча с Давыдовым была и трудной, и радостной. Трудной потому, что я знал, с какой душевной теплотой относится к своему герою Шолохов. Перед началом съёмок и в процессе работы участники фильма встречались с писателем. Михаил Александрович предоставлял нам полную творческую свободу, охотно давал необходимые консультации. Меня он предостерёг от того, чтобы Давыдов не получился этаким “голубым героем”». Роль Давыдова актёр сыграл блестяще.

В октябре 1982 года П.Г. Чернов вместе с актером П.П. Глебовым посетили  станицу Вёшенскую, где встретились с М.А. Шолоховым. Жители станицы с теплотой вспоминают выступление гостей во Дворце культуры, где состоялся торжественный вечер, посвященный 50-летию выхода в свет первой книги романа «Поднятая целина», встречу с актерами в районной библиотеке.

П.Г. Чернов ушел из жизни 7 января 1988 года в самом расцвете творческих сил. Талантливый актер, добрый, душевный человек, он оставил яркий след в истории театра и кино, в сердцах миллионов зрителей.





--br via tradutor do google
"O encontro com Davydov foi difícil e alegre ..."

25 de outubro de 2017 teria 100 anos Peter Grigoryevich Chernov - ator de teatro e cinema, Artista do Povo da RSFSR, laureado do Prêmio Stalin. Entre as imagens criadas por ele no cinema, o papel de Semyon Davydov no filme "Virgin Soil Suburbed" (dirigido por A. Ivanov) e o papel de Bunchuk no filme "Quiet Flows the Don" (dirigido por S. Gerasimov ) são mais conhecidos.

PetrChernov nasceu em 25 de outubro de 1917 na aldeia Medvedchikovo, província de Tomsk (agora - região de Kemerovo). Nos anos vinte, seus pais mudaram-se para um novo local de residência, fundou uma fazenda, que foi chamada - fazenda de Chernov.

A primeira professora do futuro artista foi Maria Kuzminichna Bocillo, que instilou em crianças o amor pela poesia, a expressão artística, colocou as peças escolares com as crianças e despertou na alma do Petit Petit os primeiros germes tímidos de amor para a cena. Ele estudou com entusiasmo, adora os poemas de Pushkin, Mayakovsky, Yesenin, muitas vezes os recitava nas noites escolares.

Depois de se formar na faculdade de GITIS em 1939, Petr Chernov trabalhou no Gomel Drama Theatre. Durante a Grande Guerra Patriótica, ele se apresentou com as brigadas de concertos na frente diante dos soldados durante as horas de descanso. Desde 1943, o destino associou o artista ao Teatro Acadêmico de Moscou, chamado de Gorki, no qual trabalhou até o fim de sua vida.

Peter Chernov foi um excelente ator, um realismo impressionante do jogo e a diversidade do talento criativo. Ele é familiar para o espectador das peças com base em peças de A.N. Ostrovsky, M. Gorky, A.P. Chekhov, N.F. Pogodina, M.M. Roshchin, M.V. Shatrova, filmes "reino indiano", "caderno Moabit", "Família de Zatsepinyh", "Frente", "O Sal da Terra", "A Era Vinda", etc., mas um sucesso especial foi trazido para a versão de tela de Sholokhov trabalho.

Em 1957-1958, P.G. Chernov desempenhou o papel de Bunchuk no filme "Quiet Flows the Don", e depois, em 1961, Semyon Davydov em "Rose Virgin Soil".

Chernov lembrou seu trabalho sobre o papel volumoso, multifacetado e responsável de Davydov: "O encontro com Davydov foi difícil e alegre. Difícil porque eu sabia com qual calor meu herói Sholokhov. Antes do tiroteio e no processo de trabalho, os participantes do filme se encontraram com o escritor. Mikhail Alexandrovich nos libertou plenamente e voluntariamente deu as consultas necessárias. Ele me avisou contra o fato de que Davydov não se tornou um "herói azul". "O papel de Davidov jogou brilhantemente .

Em outubro de 1982, P.G. Chernov junto com o ator PP. Glebov visitou a aldeia de Vyoshenskaya, onde se encontraram com MA. Sholokhov. Os moradores da aldeia lembraram com calor a apresentação dos convidados no Palácio da Cultura, onde realizou-se uma noite de gala dedicada ao 50º aniversário da publicação do primeiro livro do romance "Virgin Soil Suburbed", um encontro com atores na biblioteca regional.

P.G. Chernov faleceu em 7 de janeiro de 1988 no auge de seus poderes criativos. Um ator talentoso, uma pessoa amável e sincera, deixou uma marca brilhante na história do teatro e do cinema, nos corações de milhões de espectadores.



Fitzwilliam Museum, Cambridge. School report reveals difficulties of genius Alan Turing with languages. - Fitzwilliam Museum, em Cambridge. Relatório escolar revela dificuldades do gênio Alan Turing com as línguas.

LONDON - During World War II, mathematician Alan Turing led British efforts to break the secret codes used in Nazi communications, playing an important role in ending the conflict with the defeat of the Germans. He is also considered to be one of the fathers of computer science and artificial intelligence, but in college few signs of his genius have been noticed, reveals a school report that will be publicly exposed for the first time by the Fitzwilliam Museum in Cambridge.


In the 1929 paper, which evaluated the achievements of the teenager during his studies at Sherborne School, the teachers made clear the deficiencies of Turing in reading and writing in English and his weakness with French. Even in mathematics the knowledge of one of the greatest geniuses of the last century was viewed with skepticism.

"He must remember that Cambridge will want solid knowledge rather than vague ideas," his physics professor said.

His math teacher praised his work, which showed potential. However, the master emphasized, Turing should realize "that the ability to put solutions into an essay - intelligible and readable - is necessary for a first-class mathematician."

In addition to the school report, the exhibition "Codebreakers and Groundbreakers" features other items on Turing's personal life and career, such as the Enigma machine used by the Nazis during the war, and the electromechanical bomb known only as the "Bombe" developed by the mathematician to decipher the German cryptography.

Among the items to be exhibited as of this week at the Fitzwilliam Museum is a science book that contains a chapter on breaking of codes, chosen by Turing as a school prize in honor of his beloved friend Christopher Morcom, named by biographers as the first love of the mathematician. Morcom died at age 18 of tuberculosis. Turing won the award for an experiment demonstrated to him by Morcom.

Another important piece is a spoon found by Turing's mother, Ethel Sara, in her son's room after his death in 1954. Most biographers believe that Turing committed suicide with cyanide after being forced to accept chemical castration to avoid being arrested for being homosexual. Ethel, however, believed that his son's death would have been accidental, and the metal spoon with a gold-piled part would be the proof.



"It seems likely that he was trying to flip this spoon to gold using potassium cyanide that he produced," says a note written by Ethel.

Founder of computer science, mathematician, philosopher,
codebreaker, strange visionary and a gay man before his time.







Rozmari Petek 
Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br 
Fitzwilliam Museum, em Cambridge. Relatório escolar revela dificuldades do gênio Alan Turing com as línguas.

LONDRES — Durante a Segunda Guerra Mundial, o matemático Alan Turing liderou os esforços britânicos para quebrar os códigos secretos usados nas comunicações nazistas, exercendo papel importante para o fim do conflito com a derrota dos alemães. É também considerado um dos pais da ciência da computação e da inteligência artificial, mas, no colégio, poucos sinais de sua genialidade foram percebidos, revela um relatório escolar que será exposto ao público pela primeira vez pelo Fitzwilliam Museum, em Cambridge.

No documento de 1929, que avaliava os feitos do adolescente durante os estudos na Sherborne School, os professores deixaram claras as deficiências de Turing em leitura e escrita em inglês e sua fraqueza com o francês. Até mesmo na matemática os conhecimentos de um dos maiores gênios do século passado eram vistos com ceticismo.

“Ele deve lembrar que Cambridge vai querer conhecimentos sólidos em vez de ideias vagas”, avaliou seu professor de Física.

Seu professor de matemática elogiou os seus trabalhos, que demonstravam potencial. Entretanto, ressaltou o mestre, Turing deveria perceber “que a habilidade de colocar as soluções num ensaio — inteligíveis e legíveis — é necessária para um matemático de primeira classe”.

Além do relatório escolar, a exposição “Codebreakers and Groundbreakers” apresenta outros itens sobre a vida pessoal e a carreira de Turing, como a máquina Enigma, usada pelos nazistas durante a guerra, e a bomba eletromecânica, conhecida apenas como “Bombe”, desenvolvida pelo matemático para decifrar a criptografia alemã.

Entre os itens que serão expostos a partir desta semana no Fitzwilliam Museum está um livro de ciências que contém um capítulo sobre quebra de códigos, escolhido por Turing como um prêmio escolar em homenagem a seu amado amigo Christopher Morcom, apontado por biógrafos como o primeiro amor do matemático. Morcom morreu jovem, aos 18 anos, de tuberculose. Turing venceu o prêmio por um experimento demonstrado a ele por Morcom.

Outra peça importante é uma colher encontrada pela mãe de Turing, Ethel Sara, no quarto do filho após a sua morte, em 1954. A maioria dos biógrafos acredita que Turing cometeu suicídio com cianeto após ter sido forçado a aceitar a castração química para evitar ser preso por ser homossexual. Porém, Ethel acreditava que a morte do filho teria sido acidental, e a colher de metal, com uma parte folhada a ouro, seria a prova.

“Parece vem provável que ele estava tentando folhear esta colher a ouro usando cianeto de potássio que ele próprio produziu”, diz uma nota escrita por Ethel.


Fundador da ciência da computação, matemático, filósofo,
Codebreaker, estranho visionário e um homem gay antes de seu tempo.

Four years after the attack, the Jewish Museum in Brussels reopens with a strong exposure. - 4 ans après l’attentat, le musée juif de Bruxelles réouvre avec une exposition forte - Quatro anos após o ataque, o Museu judeu em Bruxelas reabre com uma forte exposição.


The opening exhibition, voluntarily optimistic, deals with immigration in Belgium and is entitled 'Belgium, land of welcome'.


One could have thought the mourning place forever, damaged by Mehdi Nemmouche in May 2014 that had shot down Emanuel and Miriam Riva, Dominique Sabrier and Alexandre Strens on behalf of the Islamic State organization.

Yet, announces the RTBF, the Jewish Museum of Brussels seems to have wanted to create a symbol for its opening exhibition.

The place decided to approach the theme of immigration through "Belgium, land of welcome", which deals with the waves of immigration since 1830 and the 180 nationalities that live there today.

"The exhibition wants to remind you that you have to talk about this issue and that as many young and old as possible need to remember this story," said Pascale Falek-Alhadeff, the exhibition manager elsewhere to the creation of a Belgian immigration museum. It is necessary to explain who forged Brussels to do what it is today and to think about what it will be tomorrow. "








Rozmari Petek 
Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.








--fr
4 ans après l’attentat, le musée juif de Bruxelles réouvre avec une exposition forte

L’exposition d’ouverture, volontairement optimiste, traite de l’immigration en Belgique et s’intitule ‘Belgique, terre d’accueil’.

On n aurait pu croire le lieu endeuillé à jamais, abîmé par Mehdi Nemmouche en mai 2014 qui avait abattu Emanuel et Miriam Riva, Dominique Sabrier et Alexandre Strens au nom de l’organisation Etat islamique.

Pourtant, annonce la RTBF, le musée juif de Bruxelles semble avoir voulu créer un symbole pour son exposition d’ouverture.

Le lieu a décidé d’aborder le thème de l’immigration à travers « Belgique, terre d’accueil », qui traite des vagues d’immigration depuis 1830 et des 180 nationalités qui s’y côtoient aujourd’hui.

« L’exposition veut rappeler qu’il faut parler de cette question et qu’il faut qu’un maximum de jeunes et de moins jeunes se souviennent de cette histoire, tonne Pascale Falek-Alhadeff, la responsable de l’exposition qui appelle par ailleurs à la création d’un musée belge de l’immigration. Il faut expliquer qui a forgé Bruxelles pour en faire ce qu’elle est aujourd’hui et réfléchir à ce qu’elle devra être demain. »










--br via tradutor do google
Quatro anos após o ataque, o Museu judeu em Bruxelas reabre com uma forte exposição.

A exposição de abertura, voluntariamente otimista, trata da imigração na Bélgica e é intitulada "Bélgica, terra de boas-vindas".

Um poderia ter pensado o lugar de luto para sempre, danificado por Mehdi Nemmouche em maio de 2014 que derrubou Emanuel e Miriam Riva, Dominique Sabrier e Alexandre Strens em nome da organização do Estado islâmico.

No entanto, anuncia a RTBF, o Museu Judeu de Bruxelas parece ter querido criar um símbolo para a sua exposição de abertura.

O lugar decidiu abordar o tema da imigração através da "Bélgica, terra de boas-vindas", que lida com as ondas de imigração desde 1830 e as 180 nacionalidades que lá vivem hoje.

"A exposição quer lembrá-lo de que você tem que falar sobre esta questão e que tantos jovens e velhos quanto possível precisam se lembrar dessa história", disse Pascale Falek-Alhadeff, gerente da exposição em outros lugares para a criação de um museu de imigração belga. É necessário explicar quem forjou Bruxelas para fazer o que é hoje e pensar sobre o que será amanhã. "

MUSEOS DE ARTE, OBSERVANDO EL FUTURO. · en ARTE, CULTURA, OPINIÓN, PATRIMONIO. ·

Los visitantes importan, hoy más que nunca. La construcción de audiencias tiene el objetivo de aumentar la asistencia a los museos para que un mayor público pueda disfrutar de las colecciones de arte, programas y servicios que resulten estimulantes. También se trata de adquirir cierto nivel de compromiso con los visitantes, para garantizar que siempre haya algo nuevo y atractivo para todos. Ahora, los museos pueden llegar a personas de todo el mundo a través de su sitio web y con el uso de aplicaciones móviles, reconociendo así que el objetivo de crear audiencias ya no está sujeto a restricciones geográficas. Esto implica, invariablemente, atraer visitantes a través del uso de nuevas tecnologías y definir formas en las que el museo pueda ser experimentado virtualmente. El desarrollo de las audiencias también conlleva aumentar el acceso mediante horarios extendidos, el uso innovador de las redes sociales y nuevas formas de presentar e interpretar las colecciones de arte, pasos todos ellos esenciales para atraer a una nueva generación de visitantes de museos.


Aumentar la asistencia promedio anual es uno de los objetivos principales – de enorme importancia – para muchos museos de arte, la mayoría. Ampliar el horario de atención y promocionando la estrategia “Entra y mira solo lo que te interese”, que no deja de ser una forma de recomendación al visitante tipo “no te pegues un atracón, deja algo para tu próxima visita”, es muy necesario. Por otro lado, debe desarrollarse un plan digital integrado para una comunicación efectiva con audiencias más jóvenes a través del sitio web, mediante aplicaciones móviles y estrategias bien planteadas en redes sociales. Es importante dirigirse a las audiencias usando una voz distintiva a través de la creación de nuevos planes de márketing y comunicación.


Hay que modificar las formas en las que los museos de arte se experimentan ahora, para responder a las cambiantes expectativas de lo que un museo del siglo XXI debe ofrecer a los visitantes, más significativamente mediante el uso de herramientas digitales cada vez más potentes. Estos cambios nos permiten repensar lo que significa una visita a un museo de arte, compartir el amor y el conocimiento de las artes visuales con personas de todo el mundo, y dar al público la oportunidad de generar sus propios encuentros con las colecciones y programas de una manera antes impensable. Por otro lado, el museo debe reconocer que hay que desarrollar una experiencia digital nueva y mucho más divertida, con la adopción de soluciones que deberían ser invitaciones a entrar a un mundo maravilloso. Ahora y en el futuro, las diferentes audiencias tienen que ser conocedoras de que en los museos encontrarán obras de arte extraordinarias en un entorno también extraordinario. Además, los edificios de los museos deben adaptarse para nuevos usos y para que sus galerías y espacios públicos se transformen en lugares mucho más acogedores y accesibles. La interacción comienza con una experiencia rica y gratificante para los visitantes, y la mejor manera de sustentar esos buenos momentos es tratar de mejorar.


Los museos de arte deben expandir y diversificar sus programas de actividades para atraer nuevos públicos y permitirles conectarse, compartir y profundizar su compromiso con el museo. Se trata de brindar una experiencia memorable y atractiva para los visitantes digitales mediante la reinvención de la presencia en la web y la implementación de una lista priorizada de canales y aplicaciones móviles. Y se pretende, al mismo tiempo, dar la bienvenida a los visitantes de manera efectiva mediante el desarrollo de un enfoque más integrado para la gestión de los servicios públicos.

Art Cocktail

Los museos de arte seguirán siendo una fuente de descubrimiento y deleite para las generaciones futuras, pero para ello deberemos crear un compromiso sostenido con el uso imaginativo de su recurso más importante: sus colecciones de arte. Exhibir obras de arte de una manera creativa en las galerías, interpretándolas, teniendo en cuenta los intereses de los visitantes y acrecentando el acceso a ellas, son las claves para garantizar que las colecciones de arte sigan estando vivas para cumplir la misión del mañana como algunos lo hacen hoy. Este es también un momento clave para plantear estrategias de visualización digital de las colecciones, porque creemos que la experiencia virtual de todo los museos debe ser tan rica y gratificante como una visita a sus galerías reales. Proporcionar nuevas formas de experimentar las colecciones de arte es un primer y crucial paso que se debe dar para promover que un mayor número de personas disfruten de su encuentro con el arte.


En la medida de lo posible, hay que conseguir que las colecciones cobren vida mediante la reinstalación creativa y el desarrollo de nuevas herramientas interpretativas. Desarrollar programas eficientes basados ​​en las colecciones atraerá a nuevas audiencias y mejorará la experiencia de los visitantes al museo. Hemos de dejar que las colecciones sean un tema central del nuevo plan de marketing y comunicaciones del museo. Debemos alianzas estratégicas con otras instituciones que amplíen el impacto de las colecciones en la ciudad y la región, y en el resto del mundo.

Interior Guiden

Los museos de arte son un recurso cívico indispensable para sus comunidades, y ésto sigue siendo el epicentro de su misión. El museo de arte es una parte esencial de la vida de cualquier ciudad y de la forma en que la comunidad se identifica a sí misma. Fortalecer los servicios educativos para la comunidad y su relación con las escuelas siguen siendo prioridades institucionales; y también lo hace la programación educativa para las familias, especialmente a la luz de los objetivos necesarios para el desarrollo de la audiencia. Todas estas son inversiones críticas para el futuro de los museos y de los lugares donde se encuentran. Cumplir con sus responsabilidades cívicas también conlleva desarrollar nuevas y más productivas alianzas. Estas estrategias pueden tomar la forma de acuerdos con otras organizaciones culturales, promover el desarrollo de iniciativas educativas con colegios y universidades, y mantener relaciones más fuertes con otras organizaciones artísticas que les ayudarán a diversificar y mejorar sus propios esfuerzos de programación y divulgación , así como a proporcionar a los artistas nuevas audiencias y un escenario en el que presentar su trabajo creativo.


Se debe establecer el museo como el centro principal y defensor de la educación de las artes visuales para las escuelas y familias. Es prioritario completar el potencial del museo para servir como uno de los principales espacios cívicos de las ciudades y adaptarlo como escenario para desarrollar muchas actividades culturales diferentes. Y, además, es importante generar alianzas con otras organizaciones para avanzar los objetivos estratégicos del museo en el desarrollo de la audiencia, la educación, la defensa y la participación de la comunidad.


Para mantener su compromiso con la excelencia, los museos deben dedicar más recursos a partir de sus presupuestos operativo anuales, algo verdaderamente complicado en los tiempos en los que nos ha tocado vivir. Un posible aumento de los presupuestos asegura la capacidad de atraer y retener a personal talentoso y brindar apoyo adecuado para cuidar las colecciones, presentar exhibiciones innovadoras y desarrollar programas educativos que lleguen a cada rincón de sus comunidades. El crecimiento de los presupuestos es la forma más confiable de construir el futuro, para cambiar y crecer de manera que los museos de arte sigan siendo de vital importancia para la vida de sus ciudades.




Las instalaciones son clave para el cuidado y la presentación de las colecciones y para aumentar la capacidad de captar nuevos públicos y mejorar la experiencia de los visitantes. El Plan Maestro de Instalaciones del Museo, aborda las necesidades de mantenimiento de edificios que suelen ser emblemáticos en sus ciudades. El enfoque que hay que adoptar para renovar las instalaciones deber ser tanto integral como flexible, estructurándose de manera que se puede realizar un paso cada vez que los recursos lo permitan. En particular, las entradas principales y espacios públicos son zonas que deben estar impecables. Además, todo museo debe agregar nuevas galerías y aulas, reemplazando la mayoría de sus sistemas de construcción, que en muchos caso resultan muy anticuados, por sistemas sostenibles de última generación, garantizando así que las instalaciones y las colecciones permanezcan seguras y accesibles.


Prepararse para el futuro requiere una visión clara y convincente, que ofrezca un argumento poderoso y persuasivo sobre el valor de una inversión sostenida en el trabajo del museo. Durante años, los museos de arte han prosperado gracias al apoyo de la ciudades para la cuales fueron fundados, ese apoyo no debe desaparecer nunca. Muchos de los museos de arte que visitamos son el fruto del trabajo de muchas generaciones, y ese esfuerzo ha dado como resultado una institución que debe ser admirada y respetada. Los museos trabajan muy duro para difundir conocimiento a sus comunidades, construyendo el bien sobre sus tradiciones y luchando para fortalecer sus recursos. El éxito de todo ello dependerá de su capacidad para lograr un amplio apoyo de toda su comunidad, demostrando, con palabras y hechos, que los museos de arte tienen el poder transformador de las artes ejerciendo una continua relevancia para nuestras vidas.





Rozmari Petek 
Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.







--br
MUSEUS DE ARTE, OBSERVANDO O FUTURO
de Espaço Visual Europa (EVE) · em ART, CULTURA, OPINIÃO, PATRIMÔNIO. ·


Os visitantes importam mais hoje do que nunca. O edifício da audiência tem como objetivo aumentar o atendimento ao museu para que um público maior possa desfrutar de coleções de arte, programas e serviços que sejam estimulantes. Trata-se também de adquirir um certo nível de compromisso com os visitantes, para garantir que sempre haja algo novo e atraente para todos. Agora, os museus podem alcançar pessoas em todo o mundo através do seu site e com o uso de aplicativos móveis, reconhecendo que o objetivo de criar públicos não está sujeito a restrições geográficas. Isso invariavelmente envolve atrair visitantes através do uso de novas tecnologias e definir formas pelas quais o museu pode ser virtualmente experiente. O desenvolvimento do público também implica aumentar o acesso através de horários prolongados, uso inovador de mídias sociais e novas formas de apresentação e interpretação de coleções de arte, que são etapas essenciais para atrair uma nova geração de visitantes de museus.


Najla El Zein


Aumentar o atendimento médio anual é um dos principais objetivos - de enorme importância - para muitos museus de arte, a maioria. Expandir os horários de abertura e promover a estratégia "Insira e olhe apenas o que lhe interessa", que é uma maneira de recomendar o tipo de visitante "não acerte um compulsão, deixe algo para sua próxima visita", é muito necessário . Por outro lado, um plano digital integrado deve ser desenvolvido para uma comunicação eficaz com públicos mais jovens através do site, através de aplicativos móveis e estratégias bem estabelecidas em redes sociais. É importante abordar o público usando uma voz distinta através da criação de novos planos de marketing e comunicação.


CJWHO


Precisamos mudar as formas em que os museus de arte estão sendo experimentados agora para responder às mudanças das expectativas do que um museu do século XXI deve oferecer aos visitantes, de forma mais significativa usando ferramentas digitais cada vez mais poderosas. Essas mudanças nos permitem repensar o que significa uma visita a um museu de arte, compartilhar o amor e o conhecimento das artes visuais com pessoas de todo o mundo e dar ao público a oportunidade de gerar seus próprios encontros com as coleções e programas de uma maneira anteriormente impensável. Por outro lado, o museu deve reconhecer que é necessário desenvolver uma experiência digital nova e muito mais divertida, com a adoção de soluções que devem ser convites para entrar em um mundo maravilhoso. Agora e no futuro, o público diferente precisa estar ciente de que os museus encontrarão obras de arte extraordinárias em um cenário extraordinário. Além disso, os edifícios do museu precisam ser adaptados para novos usos e para suas galerias e espaços públicos para se tornarem muito mais acolhedores e acessíveis. A interação começa com uma experiência rica e gratificante para os visitantes, e a melhor maneira de sustentar esses bons tempos é tentar melhorar.


Georges Rousse


Os museus de arte devem expandir e diversificar seus programas de atividades para atrair novos públicos e permitir-lhes conectar, compartilhar e aprofundar seu compromisso com o museu. Trata-se de proporcionar uma experiência memorável e atraente para os visitantes digitais, reinventando a presença na web e implementando uma lista prioritária de canais e aplicativos móveis. Ao mesmo tempo, visa acolher visitantes efetivamente através do desenvolvimento de uma abordagem mais integrada da gestão de serviços públicos.


Cocktail de arte


Os museus de arte continuarão a ser uma fonte de descoberta e prazer para as gerações futuras, mas para isso devemos criar um compromisso sustentado com o uso imaginativo de seu recurso mais importante: suas coleções de arte. Para exibir obras de arte de forma criativa nas galerias, interpretá-las, levando em conta os interesses dos visitantes e aumentando o acesso a elas, são as chaves para garantir que as coleções de arte ainda estejam vivas para cumprir a missão do amanhã como alguns eles fazem isso hoje. Este é também um momento fundamental para criar estratégias de visualização digital para coleções porque acreditamos que a experiência virtual de todos os museus deve ser tão rica e gratificante como uma visita às suas galerias reais. Fornecer novas formas de experimentar coleções de arte é um primeiro e crucial passo que deve ser tomado para encorajar mais pessoas a aproveitar seu encontro com a arte.


Isso é colossal
Na medida do possível, as coleções precisam ser trazidas à vida através da reinstalação criativa e do desenvolvimento de novas ferramentas interpretativas. O desenvolvimento de programas eficientes baseados em coleções atrairá novos públicos e aumentará a experiência dos visitantes dos museus. Devemos deixar as coleções serem um tema central do novo plano de marketing e comunicação do museu. Precisamos de alianças estratégicas com outras instituições que expandem o impacto das coleções na cidade e região e no resto do mundo.


Interior Guiden

Os museus de arte são um recurso cívico indispensável para suas comunidades, e isso continua sendo o epicentro da missão. O museu de arte é uma parte essencial da vida de qualquer cidade e da maneira como a comunidade se identifica. O fortalecimento dos serviços de educação para a comunidade e sua relação com as escolas permanecem prioridades institucionais; e também a programação educacional para as famílias, especialmente à luz dos objetivos necessários para o desenvolvimento do público. Todos estes são investimentos críticos para o futuro dos museus e os locais onde estão. Cumprir suas responsabilidades civis também implica o desenvolvimento de alianças novas e mais produtivas. Essas estratégias podem assumir a forma de acordos com outras organizações culturais, promover o desenvolvimento de iniciativas educacionais com colégios e universidades e manter relacionamentos mais fortes com outras organizações artísticas que os ajudarão a diversificar e melhorar sua própria programação e esforços de divulgação, bem como para proporcionar aos artistas novas audiências e um palco para apresentar seu trabalho criativo.


Do norte

O museu deve ser estabelecido como o principal centro e defensor da educação em artes visuais para escolas e famílias. É uma prioridade completar o potencial do museu para servir como um dos principais espaços cívicos da cidade e adaptá-lo como cenário para muitas atividades culturais diferentes. E, além disso, é importante construir alianças com outras organizações para promover os objetivos estratégicos do museu em desenvolvimento de público, educação, advocacia e envolvimento da comunidade.


Alex Volkov

Para manter o seu compromisso com a excelência, os museus devem dedicar mais recursos a seus orçamentos operacionais anuais, algo realmente complicado nos tempos em que vivemos. Um possível aumento nos orçamentos garante a capacidade de atrair e reter pessoal talentoso e fornecer suporte adequado para cuidar de coleções, apresentar exposições inovadoras e desenvolver programas educacionais que atinjam todos os cantos de suas comunidades. O crescimento dos orçamentos é a maneira mais confiável de construir o futuro, mudar e crescer para que os museus de arte continuem a ser de vital importância para a vida de suas cidades.




Vintage Future

As instalações são fundamentais para o cuidado e apresentação das coleções e para aumentar a capacidade de atrair novas audiências e melhorar a experiência do visitante. O Master Facilities Plan do Museu, aborda as necessidades de manutenção de edifícios que geralmente são emblemáticos em suas cidades. A abordagem a ser tomada para renovar as instalações deve ser abrangente e flexível, estruturada de tal forma que um passo pode ser tomado sempre que os recursos o permitam. Em particular, as principais entradas e espaços públicos são áreas que devem ser impecáveis. Além disso, todo museu deve adicionar novas galerias e salas de aula, substituindo a maioria de seus sistemas de construção, que em muitos casos estão desatualizados, por sistemas sustentáveis ​​de última geração, garantindo que as instalações e coleções permaneçam seguras e acessíveis.


Phillippe Nicolas

Preparar-se para o futuro requer uma visão clara e convincente que ofereça um argumento poderoso e convincente sobre o valor do investimento sustentado no trabalho do museu. Durante anos, os museus de arte prosperaram graças ao apoio das cidades para as quais foram fundadas, que o apoio nunca deve desaparecer. Muitos dos museus de arte que visitamos são fruto do trabalho de muitas gerações, e esse esforço resultou em uma instituição que deve ser admirada e respeitada. Os museus trabalham muito para disseminar conhecimento para suas comunidades, construindo boas suas tradições e lutando para fortalecer seus recursos. O sucesso de tudo isso dependerá de sua capacidade de obter um amplo apoio em toda a comunidade, demonstrando, em palavras e atos, que os museus de arte têm o poder transformador das artes, exercendo uma relevância contínua para nossas vidas.