Google+ Followers

sábado, 13 de junho de 2015

Museu de Arte Sacra de Paraty, Rio de Janeiro, Brasil, será reinaugurado depois de 4 anos

O Museu de Arte Sacra de Paraty (MAS) será reaberto neste sábado (13), após passar por ampla reforma. Fechada desde 2011, a instituição ganhou novo projeto de iluminação, teve a estrutura do telhado e da rede elétrica recuperada, parte dos objetos litúrgicos foram restaurados e a fachada e o interior foram pintados. 

Fechado desde 2011, museu passou por 
ampla reforma e será reaberto neste sábado (13)

As obras fazem parte do processo de requalificação do conjunto arquitetônico de Santa Rita, iniciado em 2006, e contaram com apoio da Caixa e da Petrobras.

As comemorações da reabertura do museu começam às 19h30, com missa na Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios. Às 20h30, será realizada procissão solene, com a presença da comunidade local e de irmandades religiosas. A imagem de Santa Rita, que ficou na Igreja Matriz durante a reforma, será levada ao MAS, juntamente com a imagem de Santo Antônio. 

Antes da entrada das imagens no museu, o Mastro de Santa Rita da Festa de 2015 será erguido no Largo de Santa Rita. Às 20h50, será realizada a solenidade de reabertura, que contará com as presenças do ministro da Cultura, Juca Ferreira, do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Carlos Roberto Brandão, da presidenta do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, e do prefeito de Paraty, Carlos José Gama Miranda. A solenidade de reabertura contará com apresentações artísticas da Banda Santa Cecília e do Coral da Universidade do Rio de Janeiro (Unirio).

Sobre o Museu

O Museu de Arte Sacra de Paraty funciona na centenária Igreja de Santa Rita, construída em 1722 e tombada pelo Iphan em 1962. Reúne um diversificado e precioso acervo com importantes relíquias histórico-religiosas, provenientes de irmandades religiosas e das igrejas de Nossa Senhora dos Remédios, Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora das Dores e dos Passos da Paixão, além de capelas da zona rural. Além da guarda e conservação das coleções, o museu promove a pesquisa e a divulgação do testemunho histórico, cultural e religioso da comunidade paratiense.

Nas coleções de imaginária e de prataria dos séculos 17 a 19, destacam-se as imagens da padroeira de Paraty, Nossa Senhora dos Remédios; o Grupo da Sagrada Família, com rara iconografia de Nossa Senhora da Expectação; as alfaias expostas em caixa-forte; as coroas e os cetros usados nos cortejos das festas do Divino Espírito Santo e de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito; e a custódia que conduz o Santíssimo Sacramento na procissão de Corpus Christi.

Apesar de estar no museu, parte dos objetos retoma seu uso originário ligado às práticas e tradições religiosas ao serem devolvidos às irmandades religiosas, que os carregam nas procissões em dias festivos pela cidade.




Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti MinC

Nenhum comentário:

Postar um comentário