Google+ Followers

sábado, 14 de novembro de 2015

Culture and cuisine of Armenia - Հայկական խաշ: Хаш. Khash - --- Cultura e cozinha da Arménia: - Հայկական խաշ: Хаш. Khash

Khash (Armenian: խաշ, Azerbaijani: xaş, Georgian: ხაში), Kale Pache (Persian: کله پاچه‎‎; Turkish: Kelle Paça), Pacha (Arabic: باجة‎; Bulgarian: пача, Bosnian: pače) is a dish of boiled cow's head (and sometimes the feet). 


It is a traditional dish in Armenia, Albania, Azerbaijan, Bosnia and Hercegovina, Bulgaria, Georgia, Mongolia, Iran, Iraq, and Turkey. Formerly a nutritious winter food, it is now considered a delicacy, and is enjoyed as a festive winter meal, usually by a company of women and men who sit around in a table, early in the morning.

Modern-day convention in Armenia dictates that it should be consumed during the month that has an 'r' in its name, thus excluding May, June, July, and August (month names in Armenian are derivatives of the Latin names). No such restriction on khash consumption exists in Azerbaijan or Georgia.

The name originates from the Armenian verb "khashél" (Armenian: խաշել), which means "to boil." The dish, initially called "khashoy", is mentioned by a number of medieval Armenian authors, e.g. Grigor Magistros (11th century), Mkhitar Heratsi (12th century), Yesayi Nchetsi (13th century), etc. The Persian name Kale Pacha literally translates as head and shank which are the central ingredients in a variant of this dish.

In medieval Armenian medical textbook "Relief of Fevers" (1184) khash is described as a dish with healing properties, e.g., against snuffle; it is recommended to eat it while drinking wine. In case of ailment khash from the legs of yeanling is advised.

In the Caucasus, Khash is often seen as a food to be consumed in the mornings after a party as it is known to battle hangovers (especially by men) and eaten with a "hair of the dog" vodka chaser.

Armenian families, when preparing khash themselves at home, generally invite some guests. The latters should have been invited not the day before but many days before because this ceremony is not a simple dinner-party and it requires time to "prepare for it". There is much ritual involved in khash parties. Many participants abstain from eating the previous evening, and insist upon using only their hands to consume the unusual (and often unwieldy) meal. Because of the potency and strong smell of the meal, and because it is eaten early in the mornings and so often enjoyed in conjunction with alcohol, khash is usually served on the weekend or on holidays. The guests almost always bring a bottle of vodka which is one of the necessary parts of this great feast. Even the toasts are part of the ritual. They start with a "Good Morning" (Armenian: Բարի լույս bari luys) quick toast, which is later followed by another quick toast for the hosts. The last one of the three mandatory toasts is for the guests.





Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Vamos compartilhar.



--br traduzido via google
Cultura e cozinha da Arménia: - Հայկական խաշ: Хаш. Khash

Khash (arménia: խաշ, Azerbaijão: xas, Georgian: ხაში), Kale Pache (persa: کله پاچه; turco: Kelle PACA), Pacha (em árabe: باجة; búlgaro: пача, bósnio: PACE) é um prato de cabeça de vaca cozida (e às vezes os pés).

É um prato tradicional na Arménia, Albânia, Azerbaijão, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, Geórgia, Mongólia, Irã, Iraque e Turquia. Anteriormente um alimento nutritivo inverno, é agora considerado uma iguaria, e é apreciado como uma refeição festiva do inverno, geralmente por uma empresa de homens e mulheres que se sentam em torno de uma mesa, no início da manhã.

Convenção moderna na Armênia dita que deve ser consumida durante o mês que tem um 'r' em seu nome, excluindo, assim, maio, junho, julho e agosto (os nomes dos meses em armênio são derivados dos nomes latinos). Sem essa restrição no consumo khash existe no Azerbaijão ou na Geórgia.

O nome origina do verbo armênio "khashél" (arménia: խաշել) ". Ferver", o que significa O prato, inicialmente chamado de "khashoy", é mencionado por vários autores arménios medievais, por exemplo, Grigor magistros (século 11), Mkhitar Heratsi (século 12), Yesayi Nchetsi (século 13), etc. O nome persa Kale Pacha traduz literalmente como cabeça e haste que são os ingredientes centrais em uma variante deste prato.

No livro de medicina medieval armênio "Alívio de Fevers" (1184) khash é descrito como um prato com propriedades curativas, por exemplo, contra snuffle; recomenda-se a comê-lo enquanto bebe vinho. Em caso de doença khash das pernas de yeanling é aconselhada.

No Cáucaso, Khash é muitas vezes visto como um alimento a ser consumido no período da manhã depois de uma festa, como é conhecido para combater a ressaca (especialmente por homens) e comido com um "cabelo do cão" vodka caçador.


Famílias armênias, ao preparar khash-se em casa, geralmente convidar alguns convidados. As letras devem ter sido convidado não o dia antes, mas muitos dias antes, porque esta cerimónia não é um simples jantar-festa e requer tempo para "se preparar para isso". Há muito ritual envolvido em partes khash. Muitos participantes se abster de comer na noite anterior, e insistir usando apenas as mãos para consumir a refeição incomum (e muitas vezes de difícil controle). Devido à potência e forte cheiro da refeição, e porque ele é comido no início da manhã e por isso muitas vezes apreciado em conjunto com álcool, khash é normalmente servido no fim de semana ou em feriados. Os visitantes quase sempre trazer uma garrafa de vodka que é uma das peças necessárias desta grande festa. Mesmo os brindes são parte do ritual. Eles começam com um "Good Morning" (arménia: Բարի լույս bari Luys) Torrada rápida, que depois é seguido por outro brinde rápido para os anfitriões. O último dos três brindes obrigatórias é para os convidados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário