Google+ Followers

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

The Cooperative Principles are already part of Unesco's List of Intangible Cultural Heritage of Humanity. --- Os Princípios Cooperativos já fazem parte da lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, da Unesco.

The decision was announced on Thursday, 1 December 2016, in Ethiopia. The proposal was formulated by Germany, where a quarter of the population is a member of a cooperative.



The eleventh session of the Intergovernmental Committee for the Safeguarding of the Intangible Cultural Heritage of Unesco runs until Friday 2 December at the Conference Center of the United Nations Economic Commission for Africa in Addis Ababa, Ethiopia.

Sixteen new elements have been added to the Representative List of Intangible Cultural Heritage, following the decisions adopted by the Committee, and include cultural aspects ranging from the Belgian brewery, the bread tradition of the Arab countries, New Year festivities in Bangladesh, India, Pakistan , Afghanistan, and traditional Japanese, Greek, French, Georgian, and many other festivals.

Portugal won the world ranking of falconry and the process of manufacturing the black clay of Bisalhães (Vila Real). Two decisions that have been added to those obtained in recent years, with the singing of Alentejo and rapier art.

GERMAN COOPERATIVISM - Currently, about a quarter of the population of Germany is a member of a cooperative, which includes farmers and artisans, including 90% of bakers and butchers, and 75% of its retailers.

According to the nomination defended by Germany, a cooperative is an "association of volunteers who provides services of a social, cultural or economic nature to community members to help improve living standards, overcome shared challenges and promote positive change."

Based on the principle of subsidiarity that places social responsibility above state action, cooperatives allow the construction of the community through shared interests and values, creating innovative solutions to social problems, generating employment and helping from the elderly to revitalization projects Renewable energies.

Anyone can participate, just as members can also buy shares in the cooperative and have a say in their future direction. The system could provide, for example, low-interest loans to farmers, artisans and entrepreneurs.

In the Teaching area, some cooperatives were also created specifically for students to gain experience. Associated knowledge and skills are transmitted by cooperatives, universities, the Academy of German Cooperatives, the Raiffeisen Confederation, and many other institutions, which gave rise to the proposal approved by Unesco.


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.
A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.
 
 
 
 
--br
Os Princípios Cooperativos já fazem parte da lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, da Unesco.

A decisão foi conhecida na, quinta-feira 1 de Dezembro de 2016, na Etiópia. A proposta foi formulada pela Alemanha, onde um quarto da população é membro de uma cooperativa.

A 11ª sessão do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco decorre até esta sexta-feira 2 de Dezembro, no Centro de Conferências da Comissão Econômica das Nações Unidas para a África, em Adis Abeba, na Etiópia.

Dezesseis novos elementos foram acrescentados à Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial, seguindo as decisões adotadas pelo Comitê, e incluem aspectos culturais que vão desde a cultura cervejeira belga, a tradição do pão dos países árabes, festividades de ano novo no Bangladesh, India, Paquistão, Afeganistão e ainda festas tradicionais japonesas, gregas, francesas, georgianas, dentre muitos outros.

Portugal conquistou a classificação mundial da falcoaria e do processo de fabricação do barro preto de Bisalhães (Vila Real). Duas decisões que se vêm juntar às obtidas nos últimos anos, com o canto alentejano e pela arte chocalheira.

COOPERATIVISMO ALEMÃO – Atualmente, cerca de um quarto da população da Alemanha é membro de uma cooperativa, que além de agricultores e artesãos, inclui 90% de padeiros e talhantes, e ainda 75% de seus varejistas.

Segundo a nomeação defendida pela Alemanha, uma cooperativa é uma “associação de voluntários que presta serviços de natureza social, cultural ou econômica a membros da comunidade para ajudar a melhorar os padrões de vida, superar desafios compartilhados e promover mudanças positivas”.

Com base no princípio da subsidiariedade que coloca a responsabilidade social acima da ação do Estado, as cooperativas permitem a construção da comunidade por meio de interesses e valores compartilhados, criando soluções inovadoras para problemas sociais, ao gerar emprego e ajudar desde idosos até projetos de revitalização urbana e energias renováveis.

Qualquer um pode participar, assim como os membros também podem adquirir partes na cooperativa e ter uma palavra a dizer em sua direção futura. O sistema poderá disponibilizar, por exemplo, empréstimos a juros baixos a agricultores, artesãos e empresários.

Na área do Ensino, algumas cooperativas também foram criadas especificamente para que os alunos ganhem experiência. Os conhecimentos e as competências associadas são transmitidos pelas cooperativas, pelas universidades, pela Academia das Cooperativas Alemãs, pela Confederação Raiffeisen, dentre muitas outras instituições, que estiveram na origem da proposta aprovada pela Unesco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário