Google+ Followers

segunda-feira, 20 de março de 2017

The Fram Museum - Home of the world's strongest polar vessel. --- O museu de Fram - repouso do navio polar o mais forte do mundo.

Museum History


Being the most famous wooden polar vessel in the world, Fram is a symbol of Norway's significant participation in the heroic age of exploration.


Fridtjof Nansen, Otto Sverdrup and Roald Amundsen took turns in exploring new areas in both the Arctic and Antarctic on this amazing ship, designed and built by Colin Archer. But it was not given that she would survive the aftermath.


Amundsen posing in front of Fram in Bunnefjorden

Fram returned from Buenos Aires in 1914 and was moored at Horten, exposed to wind and weather. After World War One, a number of committees worked on preserving the polar ship, but without results. The project´s strongest proponent, Otto Sverdrup, was elected chairman of the Fram Committee in 1925. He struggled on untiringly together with the committee´s members and several other key people for years. In 1929 Fram was towed to a shipyard, the Framnæs Mekaniske Verksted in Sandefjord. Here, under Otto Sverdrup´s supervision, the ship was repaired with the excellent support of Consul Lars Christensen.


Fram before restoration in Framnæs Mekaniske Verksted in Sandefjord

In 1930 Fram was finally restored to the condition it was in during Otto Sverdrup´s expedition to the islands to the northwest of Greenland. Otto Sverdrup died in the same year as Fram participated on a large venue in Trondheim. It took a long time before she finally got a permanent home. In 1934 the Oslo Association of Architects offered to hold an architecture competition to design a building for the honoured vessel. Sixty entries were submitted and the winner was the architect Bjarne Tøien with his entry “Saga”. Fram was pulled into her new home by an electric motor. The ship moved one centimeter per minute. On May 20th 1936 the Fram Museum was finally opened. Both His Majesty King Haakon VII and His Royal Highness Crown Prince Olav were present. A national monument was finally in place.


The building has taken the monumental shape it is known for today

Today the Fram Museum contains exhibitions of the most famous voyages of global historical significance. The centerpiece of the museum is of course the world´s strongest wooden ship, the polar ship Fram. The public can go on board and take a look around in her cabins, lounges, cargo hold and engine room.

The Museum today


The Gjøa building, which is connected to the Fram with an underground tunnel, houses Gjøa, the first ship to navigate the whole of the Northwest Passage. She stood outside the Fram Museum for forty years before she finally had her own protection building in 2013. Before that she was exhibited on a beach in Golden Gate Park in San Francisco.

Both buildings match in shape and colour

There are brand new historical exhibitions on the expeditions of Gjøa and Maud, of the airplanes N24 and N25 as well as of the airship Norge, John Franklin's legendary expedition and those of Henry Larsen and Eivind Astrup.

The number of visitors has varied from 18 000 the year it opened down to 5000 during World War Two 1940-1945. After the war the number of visitors increased annually, and in 2009 we achieved the current record of 286 155 visitors. On August 5th 1999, the member of total visitors reached 10 million.


Welcome to a bigger and an even more exciting Fram Museum!







Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,

mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 

but what modifies the way of looking and hearing.






--br via tradutor do google
O museu de Fram - repouso do navio polar o mais forte do mundo.

História do Museu

Sendo a embarcação polar de madeira a mais famosa no mundo, Fram é um símbolo da participação significativa de Noruega na idade heróica da exploração.
História do Museu

Fridtjof Nansen, Otto Sverdrup e Roald Amundsen se revezaram na exploração de novas áreas, tanto no Ártico como na Antártida, neste navio incrível, projetado e construído por Colin Archer. Mas não foi dado que ela iria sobreviver às consequências.

Amundsen, posar, frente, Fram, Bunnefjorden

Fram voltou de Buenos Aires em 1914 e foi amarrado em Horten, exposto ao vento e ao clima. Depois da Primeira Guerra Mundial, vários comitês trabalharam na preservação do navio polar, mas sem resultados. O mais forte proponente do projeto, Otto Sverdrup, foi eleito presidente do Comitê Fram em 1925. Ele lutou incansavelmente junto com os membros da comissão e várias outras pessoas importantes por anos. Em 1929 Fram foi rebocado para um estaleiro, o Framnæs Mekaniske Verksted em Sandefjord. Aqui, sob a supervisão de Otto Sverdrup, o navio foi reparado com o excelente apoio do cônsul Lars Christensen.

Fram antes da restauração em Framnæs Mekaniske Verksted em Sandefjord

Em 1930, Fram foi finalmente restaurado à condição em que esteve durante a expedição de Otto Sverdrup às ilhas ao noroeste da Groenlândia. Otto Sverdrup morreu no mesmo ano em que Fram participou em um grande local em Trondheim. Demorou muito tempo antes de finalmente ter um lar permanente. Em 1934 a Associação de Arquitetos de Oslo ofereceu-se para realizar um concurso de arquitetura para projetar um edifício para o navio de honra. Sessenta entradas foram entregues eo vencedor foi o arquiteto Bjarne Tøien com sua entrada "Saga". Fram foi puxado para sua nova casa por um motor elétrico. O navio moveu um centímetro por minuto. Em 20 de maio de 1936 o Museu Fram foi finalmente aberto. Sua Majestade o Rei Haakon VII e Sua Alteza Real o Príncipe herdeiro Olav estavam presentes. Um monumento nacional estava finalmente no lugar.

O edifício tomou a forma monumental é conhecido para hoje

Hoje o Museu Fram contém exposições das mais famosas viagens de importância histórica global. A peça central do museu é naturalmente o navio de madeira o mais forte do mundo, o navio polar Fram. O público pode ir a bordo e dar uma olhada ao redor em suas cabines, lounges, porta de carga e sala de máquinas.

O Museu hoje

O edifício Gjøa, que está ligado ao Fram com um túnel subterrâneo, abriga Gjøa, o primeiro navio a percorrer toda a passagem do Noroeste. Ela ficou do lado de fora do Museu Fram por quarenta anos antes de finalmente ter seu próprio prédio de proteção em 2013. Antes disso, ela foi exibida em uma praia no Golden Gate Park em San Francisco.

Ambos os edifícios correspondem em forma e cor

Há novas exposições históricas sobre as expedições de Gjøa e Maud, dos aviões N24 e N25, bem como do dirigível Norge, a lendária expedição de John Franklin e os de Henry Larsen e Eivind Astrup.

O número de visitantes variou de 18 000 o ano que abriu a 5000 durante a Segunda Guerra Mundial 1940-1945. Após a guerra o número de visitantes aumentou anualmente, e em 2009 alcançamos o recorde atual de 286 155 visitantes. Em 5 de agosto de 1999, o número total de visitantes atingiu 10 milhões.

Bem-vindo a um museu maior e mais empolgante Fram!

Nenhum comentário:

Postar um comentário