Listen to the text.

domingo, 22 de outubro de 2017

Sergipe, Brazil. On Sergipanity Day, it encourages the appreciation of culture. - Sergipe, Brasil. No Dia da Sergipanidade incentiva a valorização da cultura.

What does it mean to be a Sergipe? What is born in Sergipe represents for your identity? More than a historic date, Sergipanity Day celebrated on October 24 marks the customs, art, tradition and the various symbols that form the Sergipe culture, showing the pride of a people for their land.






Data refers to the receipt of the Royal Charter, which demarcated the Sergipean territory of Bahia in 1824, making it an independent state. The episode was carried out in the government of Brigadier Manoel Fernandes da Silveira. From the promulgation of the decree of emancipation, until Sergipe effectively reached its independence, were four years of confrontation between the partisans.

For the Secretary of State for Culture, Elber Batalha, Sergipanity Day represents not only the celebration of the independence of the province, but also the emancipation of the identity of a whole people. "This is a date that increasingly grows in a symbolic way in order to reflect on our culture and identity. It is a moment of appreciation of our literature, music, folk groups, the arts in general and our material and immaterial heritage, "said the secretary.

Constitutional amendment

In 2000, the Legislative Assembly (LA) Board of Governors amended article 47 of the State Constitution in which it was established that the Political Emancipation of the State be celebrated twice a year: July 8 and October 24. Through the Constitutional Amendment, only July 8 was the official date of celebration. The decision was in force, because AL concluded that the date that should remain would be the day that D. João VI signed the decree of emancipation.
-
Singers animate the special program in commemoration of Sergipanity Day.


Sergipanity Day, celebrated next Tuesday, October 24, marks the customs, tradition, art and symbols that make up the Sergipe culture, showing the pride of a people for their land. It is a moment of appreciation of the folk groups, the material and immaterial heritage, literature and also music.

Over time, Sergipe music has come to life and today brings in its history great names that have contributed to this growth. The Sergipanidade Special was attended by some musicians like Chiko Queiroga and Antônio Rogério, as well as the singer Raquel Diniz and Pedro Luan, talents of this new generation.













Rozmari Petek 
Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.




--br

Sergipe, Alagoas, Brasil. No Dia da Sergipanidade incentiva a valorização da cultura.

O que representa ser um sergipano? O que nascer em Sergipe representa para a sua identidade? Mais do que uma data histórica, o Dia da Sergipanidade, comemorado em 24 outubro marca os costumes, a arte, a tradição e os diversos símbolos que formam a cultura sergipana, mostrando o orgulho de um povo pela sua terra.

Data se refere o recebimento da Carta Régia, que desanexou o território sergipano da Bahia, em 1824, o tornando um Estado independente. O episódio foi protagonizado no governo do brigadeiro Manoel Fernandes da Silveira. Desde a promulgação do decreto de emancipação, até efetivamente Sergipe chegar até sua independência, foram quatro anos de enfrentamento entre os partidários.

Para o secretário de Estado da Cultura, Elber Batalha, o Dia da Sergipanidade não representa apenas a celebração da independência da província, mas também a emancipação da identidade de todo um povo. “Esta é uma data que, cada vez mais, cresce de forma simbólica no sentido de nos fazermos refletir sobre a nossa cultura e identidade. É um momento de valorização da nossa literatura, da música, dos grupos folclóricos, das artes em geral e do nosso patrimônio material e imaterial”, afirmou o secretário.

Emenda Constitucional

No ano 2000, a Mesa Diretora da Assembléia Legislativa (AL) alterou o artigo 47 da Constituição Estadual em que era estabelecido que a Emancipação Política do Estado fosse comemorada duas vezes ao ano: 08 de julho e 24 de outubro. Através da Emenda Constitucional, apenas o 08 de julho ficou como data oficial de celebração. A decisão vigorou, pois a AL concluiu que a data que deveria permanecer seria o dia em que D. João VI assinou o decreto de emancipação.
-
Cantores animam o programa especial em comemoração ao Dia da Sergipanidade.

O Dia da Sergipanidade, comemorado na próxima terça-feira, 24 de outubro, marca os costumes, a tradição, a arte e os diversos símbolos que formam a cultura sergipana, mostrando o orgulho de um povo pela sua terra. É um momento de valorização dos grupos folclóricos, do patrimônio material e imaterial, da literatura e também da música.


Ao longo do tempo, a música sergipana ganhou vida e hoje traz na sua história grandes nomes que contribuíram para esse crescimento. O Especial Sergipanidade contou com a presença de alguns músicos como Chiko Queiroga e Antônio Rogério, além da cantora Raquel Diniz e de Pedro Luan, talentos dessa nova geração.

Transformation of root forro in Intangible Heritage of Brazil is theme in Joâo Pessoa, Paraíba, Brazil. - Transformação do forró de raiz em Patrimônio Imaterial do Brasil é tema em Joâo Pessoa, Paraíba, Brasil.

The Paraíba will host, on November 20, the public hearing that will discuss the forms of preservation and patrimonialization of the root forró rhythm. The debate will take place during the programming of the II Forró de Raiz National Forum in João Pessoa. On Wednesday (18), the Federal Senate, through the Committee on Regional Development and Tourism (CDR), approved the request for the safeguarding of Senator Fatima Bezerra, from Rio Grande do Norte, for the public hearing. The goal is to transform the root forró into Intangible Heritage of Brazil.



In requesting the public hearing, Senator Fatima Bezerra, who is president of CDR, recalled that Frevo Pernambuco was already listed by Unesco as Intangible Heritage of Humanity, and that, in the same way, the forró has "good antecedents" to be eternalized . The Secretary of State for Culture of Paraíba, Lau Siqueira, stressed that "preserving the headquarters of the forró is important so that people do not distance themselves from the cultural identity of the Northeast."

The Forró de Raiz National Forum is the result of an articulation between professionals involved with the productive chair of forró, researchers and cultural agents, who since 2011 have discussed ways of preserving forró's matrices, as well as recording the rhythm of music as a cultural heritage immaterial of Brazil.

The event is part of the schedule of the National Meeting of Forrozeiros, which will take place between November 20 and 22 in the capital of Paraíba. The forum, which will have the programming announced soon, will bring together artists, cultural managers, researchers and political authorities from various states in the Northeast, as well as Rio de Janeiro, São Paulo and the Federal District. The idea is to prepare a Letter of Guidelines for planning the technical registration instruction that will be sent to Iphan (Institute of National Historical and Artistic Heritage).

According to the coordinator of the Forum, Joana Alves da Silva, artists such as Alcymar Monteiro, Santanna, Nando Cordel, Genival Lacerda, Cezzinha, Chambinho do Acordeon, among others, have already confirmed their participation in the event.

The National Meeting of Forrozeiros will count with the support of the State Government, through the State Secretariat of Culture of Paraíba, among other public institutions and civil entities.






mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.





--br 
Transformação do forró de raiz em Patrimônio Imaterial do Brasil é tema em Joâo Pessoa, Paraíba,  Brasil.

A Paraíba vai sediar, no dia 20 de novembro, a audiência pública que vai discutir as formas de preservação e patrimonialização do ritmo forró de raiz. O debate ocorrerá durante a programação do II Fórum Nacional de Forró de Raiz, em João Pessoa. Na quarta-feira (18), o Senado Federal, por meio da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), aprovou o pedido de salvaguarda da senadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte, para realização da audiência pública. O objetivo é transformar o forró de raiz em Patrimônio Imaterial do Brasil.

Ao solicitar a audiência pública, a senadora Fátima Bezerra, que é presidente da CDR, lembrou que o frevo pernambucano já foi tombado pela Unesco como Patrimônio Imaterial da Humanidade, e que, do mesmo modo, o forró tem “bons antecedentes” para ser eternizado. Já o secretário de Estado da Cultura da Paraíba, Lau Siqueira, ressaltou que “preservar as matrizes do forró é importante para que a gente não se distancie da identidade cultural nordestina”.

O Fórum Nacional de Forró de Raiz é o resultado de uma articulação entre profissionais envolvidos com a cadeira produtiva do forró, pesquisadores e agentes culturais, que desde 2011 discutem formas de preservação das matrizes do forró, bem como o registro do ritmo musical enquanto patrimônio cultural imaterial do Brasil.

O evento faz parte da programação do Encontro Nacional de Forrozeiros, que acontecerá entre os dias 20 e 22 de novembro na capital paraibana. O forum, que terá a programação divulgada em breve, reunirá artistas, gestores culturais, pesquisadores e autoridades políticas de vários estados do Nordeste, bem como Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. A ideia é elaborar uma Carta de Diretrizes voltada para o planejamento da instrução técnica de registro que será enviada ao Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Segundo a coordenadora do Fórum, Joana Alves da Silva, artistas como Alcymar Monteiro, Santanna, Nando Cordel, Genival Lacerda, Cezzinha, Chambinho do Acordeon, entre outros, já confirmaram a participação no evento.


O Encontro Nacional de Forrozeiros contará com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura da Paraíba, entre outras instituições públicas e entidades civis.