domingo, 28 de janeiro de 2018

With footage from the Imperial War Museum and audio files from the BBC archive, Peter Jackson will put World War One in color and in 3D. - Com filmagens do Museu da Guerra Imperial e arquivos de áudio do arquivo da BBC, Peter Jackson colocará a Primeira Guerra Mundial em cores e em 3D. - 随着帝国战争博物馆的录像和英国广播公司档案中的音频文件,彼得·杰克逊将把第一次世界大战的颜色和3D。

The New Zealand director is to create a documentary on World War I, The documentary feature film will debut in October at the BFI London Film Festival

photo 1
Director Peter Jackson will present his new documentary 
at the BFI London Film Festival in October 
PHOTO NEIL HALL / REUTERS.

Filmmaker Peter Jackson, who is responsible for box office success "The Lord of the Rings", is preparing a documentary on World War I, to launch this year to mark the centenary of the first global conflict. The documentary work of the New Zealand director will feature exclusive archival footage from the Imperial War Museum - the invitation from the British museum dedicated to war came two years ago - as well as audios from the BBC archive.

"I've always been fascinated by World War I because of my own family history and the centennial is a unique opportunity to personally contribute," the filmmaker said in a statement. "I wanted to find a way to breathe new life into the stories of ordinary people who have lived through these extraordinary times," he said, committing himself to the project that aims to give a new look at the War and those who have caught it.

According to those responsible for the project, Jackson's team had access to 600 hours of audio recordings and chose to give voice to the fighters interviewed between the 1960s and 1990s. As such, the director will capture the more humane side of World War I , with the survivors telling their own story, and letting go of the war.

Through a variety of cinematic techniques, Peter Jackson will color, restore and modernize the images of the conflict, in a time-consuming process that will give new life to vintage images captured in black and white and with low resolution against current standards. Then there will be room to give body to the restored images through three-dimensional scanning.

The film, scheduled for the BFI London Film Festival in October 2018, will also feature a 3D film version, which joins the two-dimensional BBC One broadcast and later distributed to British schools. To the documentary of Peter Jackson, the British public channel will join a making of own production, that will show the development of the project.

The documentary work is part of the 14-18 Now program for the centennial of the First World War and features 42 events scheduled for this year - and is produced by WingNut Films by Peter Jackson, who has Tessa Ross as executive producer.








Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.











--br 
Com filmagens do Museu da Guerra Imperial e arquivos de áudio do arquivo da BBC, Peter Jackson colocará a Primeira Guerra Mundial em cores e em 3D.

O diretor da Nova Zelândia é criar um documentário sobre a Primeira Guerra Mundial, o longa-metragem documental vai estrear em outubro no BFI London Film Festival

foto 1
O diretor Peter Jackson apresentará seu novo documentário no BFI London Film Festival em outubro PHOTO NEIL HALL / REUTERS.

O cineasta Peter Jackson, responsável pelo sucesso do bilheteria "The Lord of the Rings", está preparando um documentário sobre a Primeira Guerra Mundial, para lançar este ano para marcar o centenário do primeiro conflito global. O trabalho documental do diretor da Nova Zelândia apresentará imagens exclusivas do Museu Imperial da Guerra - o convite do museu britânico dedicado à guerra ocorreu há dois anos - além de audios do arquivo da BBC.

"Sempre fui fascinado pela Primeira Guerra Mundial por causa da minha própria história familiar e o centenário é uma oportunidade única de contribuir pessoalmente", afirmou o cineasta em comunicado. "Eu queria encontrar uma maneira de dar nova vida às histórias de pessoas comuns que viveram esses tempos extraordinários", disse ele, comprometendo-se com o projeto que pretende dar uma nova olhada na Guerra e aqueles que a pegaram .

Segundo os responsáveis ​​pelo projeto, o time de Jackson teve acesso a 600 horas de gravações de áudio e optou por dar voz aos lutadores entrevistados entre os anos 1960 e 1990. Como tal, o diretor irá capturar o lado mais humano da Primeira Guerra Mundial, com os sobreviventes contando sua própria história e soltando a guerra.

Através de uma variedade de técnicas cinematográficas, Peter Jackson irá colorir, restaurar e modernizar as imagens do conflito, num processo demorado que dará nova vida às imagens vintage capturadas em preto e branco e com baixa resolução contra padrões atuais. Em seguida, haverá espaço para dar corpo às imagens restauradas através da digitalização tridimensional.

O filme, agendado para o BFI London Film Festival em outubro de 2018, também contará com uma versão em filme 3D, que se junta à transmissão bidimensional da BBC One e depois distribuída para escolas britânicas. Para o documentário de Peter Jackson, o canal público britânico se unirá a uma produção própria, que irá mostrar o desenvolvimento do projeto.

O documentário faz parte do programa 14-18 Now para o centenário da Primeira Guerra Mundial e apresenta 42 eventos agendados para este ano - e é produzido por WingNut Films de Peter Jackson, que tem Tessa Ross como produtor executivo.













--chines simplificado
随着帝国战争博物馆的录像和英国广播公司档案中的音频文件,彼得·杰克逊将把第一次世界大战的颜色和3D。

新西兰导演是要制作一部关于第一次世界大战的纪录片,纪录片专题片将于10月在BFI伦敦电影节上亮相

照片1
彼得·杰克逊导演将在10月份的BFI伦敦电影节上介绍他的新纪录片“PHOTO NEIL HALL / REUTERS”。


负责票房成功的导演彼得·杰克逊(Peter Jackson)正在准备一部关于第一次世界大战的纪录片,以纪念第一次全球冲突一百周年。新西兰导演的纪录片将展出帝国战争博物馆的独家档案镜头 - 两年前英国博物馆邀请战争的邀请 - 以及英国广播公司档案馆的录音。

这位电影制片人在一份声明中说:“由于我自己的家族历史,我一直为第一次世界大战而着迷,百年纪是个人贡献的独特机会。他说:“我想找一种方法给那些经历过这些非凡时代的普通人的故事注入新的活力,”他承诺致力于重新审视这场战争和那些曾经接触过它的人。

据负责这个项目的人士介绍,杰克逊的小组可以使用600小时的录音,并且选择了在二十世纪六九十年代接受采访的战士的声音。因此,导演将捕捉到第一次世界大战中更为人性化的一面,幸存者讲述自己的故事,放弃战争。

通过各种电影技术,彼得·杰克逊将着色,恢复和现代化冲突的形象,这是一个耗时的过程,将为以黑白和低分辨率拍摄的复古图像赋予新的生命力。然后,通过三维扫描,将有空间给恢复的图像。

该电影将于2018年10月在BFI伦敦电影节上播放,该电影还将展出3D电影版本,该电影版本将加入BBC One广播节目,后来分发给英国学校。对彼得·杰克逊的纪录片来说,英国的公共频道将加入自己的制作,这将显示出该项目的发展。

这部纪录片是第一次世界大战百周年14-18 Now节目的一部分,预定今年举办42场比赛,由Peter Jackson制作的WingNut Films制作,Tessa Ross担任制片人。



Women gain more space in the nation maracatus in Pernambuco, Brazil. - Mulheres ganham mais espaço nos maracatus nação em Pernambuco, Brasil. - 巴西伯南布哥州的妇女获得更多的空间。

A sound that shivers and gives rhythm to the Pernambuco carnival. The batuque of the tools marks the compass of the nation maracatus and reminds the hearts that we are already in celebration. The art of batucar, which was once an honor of men, now seeks space in the hands of women to unleash a knot that squeezes the throat in countless social cycles: that of gender inequality.

photo 1
The presence of women in the nation maracatus is 
a sign of greater gender equality in these groups.

Since 2014, the Institute of National Historical and Artistic Heritage (Iphan) has recognized the maracatu nation as Intangible Cultural Heritage of Brazil. Fundamentally, groups are a form of expression of black culture and poor people, inheritance of the time of slavery. And despite the African roots, the cultural manifestation was born in the slave quarters of Pernambuco in the 19th century, when the slaves gathered to mourn the suffering of the new world.

So much sadness has given rise to a pulsating rhythm that enchants Brazilians and foreigners. "It's been more than 10 years since I've been here to hear the carnival rhythms. And it really is the best thing in Brazil, it's music," says Jackson Lapes, a musician and tourist from England.

The nation maracatu is formed by a royal procession that portrays the kings and queens of Congo, Africa, and parades accompanied by a percussive ensemble. To be recognized as maracatu nation, the group needs to be linked to a religion of African matrix and occupy fixed territory, a terreiro that becomes headquarters.

photo 2
Batuque do maracatu has a female presence in Pernambuco 
(Photo: Reproduction / TV Globo).

Women always participated in the procession as queens, ladies of the palace, baianas, catirinas, among other characters, but the female presence in the maracatu batuque was not allowed. Handling the instruments was - and to this day is, in a few nations - a strictly male attribution.

In the 1990s, some groups in Recife began to change this scenario. Among them are the Star Bright Nation Maracatus and Rising Sun, which today have a mixed batuque. A symbol not only of breaking paradigms, but also of pride.

"I think it's very important for us women to have this space within the culture. The feminine touch, our beauty, our feminism, our fight against prejudice, against women having to be in the kitchen making food for her husband. when I come to the maracatu, I do not just play, but I learn, I also teach, "says Sthefanie Almeida, who is a student and Agbe touches the maracatu Nation Estrela Dalva, an instrument representing the female deities.

The most radical change came in 2008, when Joana Cavalcante assumed the role of Maracatu Mação Encanto do Pina, headquartered in the community of Bode, in Recife. The figure of the master is one of the most important because it commands the batuque, it governs the sounds that guide the procession.

photo 3
Joana Cavalcante took over the role of 
Maracatu Marazón National de Encanto Pina in 2008 
(Photo: Reproduction / TV Globo)

Of the 29 nations registered in the Association of Maracatus Nation of Pernambuco (Amanpe), Encanto do Pina is the only one with a woman at the head of the percussion. And that transition was not easy to play.

"There has never been in the history of maracatu a master woman. In this role only men. When I took over in 2008, I remember I had several drummers who refused to march, left, they did not want to be governed by a woman, right? So it was a lot of resistance" , says the teacher.

The Charm Pina was founded by a woman in 1980. ialorixá Mother Maria Sonia received the blessing of Yemanja and Oshun, female deities patrons of the group. She just did not know that her granddaughter would reconfigure the role of the woman in the nations of maracatu.

For the anthropologist Jailma Oliveira, who studies the female presence in these groups 12 years ago, Joana is a symbol of hope. "The woman has always been present in the maracatu. What we know of maracatus men are leading the nation's drumming, men who have always been ahead of it. Joan appears as master of maracatu, breaking the hegemony and, in a way, generating a break. "

photo 4
Women widen presence in maracatu of Pernambuco 
(Photo: Reproduction / TV Globo)

Such a change opens the way for the woman, one day, to exercise power in the same intensity as the man. It is a constant struggle for equality.


"In the old days, women only had the job of serving." She cooked, sewed and embroidered in a maracatu, but she could not go any further, she had other desires, but she could not go beyond because the man was always ahead. that these taboos are being broken because women are taking on other roles and you have a teacher in the front, you get an empowerment. First, personal empowerment, individual, gender issues, but also empowers in a general way, "says coordinator Mariana Bianchi, who is one of the 400 components of the group where 320 members are women. She plays the box and shakes.

If it is still difficult to find female faces in charge of society in general, in the carnival of Pernambuco the role of women is increasing. The custom that has left the slave quarters on the streets propels women to free themselves from fear and face the prejudice that still places them in a model of service. It is a reality in the process of change. Message of another social space where the traditions are not being broken, but are being updated.

CURIOSITIES
Maracatu nation X percussive group

The two play the same rhythm, but to be maracatu nation it is necessary to have a religious and territorial bond.

Rhythm

The percussive ensemble of the nation maracatu is called the batuque.

Main instruments

Appliance, gong, box, tarol. Agbê and atabaque are recent additions to the batuque.

Social project

Encanto del Pina teaches children to play maracatu in the Bode Community and has already taught classes in the city of Santos, in São Paulo.









Cultura não é o que entra pelos olhos e ouvidos,
mas o que modifica o jeito de olhar e ouvir. 

A cultura e o amor devem estar juntos.
Vamos compartilhar.

Culture is not what enters the eyes and ears, 
but what modifies the way of looking and hearing.












--br
Mulheres ganham mais espaço nos maracatus nação em Pernambuco, Brasil.

Um som que arrepia e dá ritmo ao carnaval pernambucano. O batuque das alfaias marca o compasso dos maracatus nação e lembra aos corações que já estamos em festa. A arte de batucar, que já foi uma honra exclusiva dos homens, hoje busca espaço nas mãos femininas para desatar um nó que aperta a garganta em inúmeros ciclos sociais: o da desigualdade de gênero. 

foto 1
Presença das mulheres nos maracatus nação é um sinal de maior igualdade de gênero nesses grupos.

Desde 2014, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reconheceu o maracatu nação como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. Fundamentalmente, os grupos são uma forma de expressão da cultura negra e do povo pobre, herança do tempo da escravidão. E apesar das raízes africanas, a manifestação cultural nasceu nas senzalas de Pernambuco no século 19, quando os escravos se reuniam para lamentar o sofrimento do novo mundo.

Tanta tristeza deu origem a um ritmo pulsante que encanta brasileiros e estrangeiros. "Já faz mais de 10 anos que eu estou vindo para cá ouvir os ritmos carnavalescos. E realmente é a melhor coisa do Brasil, é a música", conta Jackson Lapes, músico e turista da Inglaterra.

O maracatu nação é formado por um cortejo real que retrata os reis e rainhas do Congo, na África, e desfila acompanhado de um conjunto percussivo. Para ser reconhecido como maracatu nação, o grupo precisa ser ligado a uma religião de matriz africana e ocupar território fixo, um terreiro que se torna sede.

foto 2
Batuque do maracatu tem presença feminina em Pernambuco (Foto: Reprodução/TV Globo).

As mulheres sempre participaram do cortejo como rainhas, damas do paço, baianas, catirinas, entre outros personagens, mas não era permitida a presença feminina no batuque do maracatu. Manusear os instrumentos era - e até hoje é, em poucas nações - uma atribuição estritamente masculina.

Na década de 1990, alguns grupos do Recife começaram a mudar esse cenário. Entre eles os Maracatus Nação Estrela Brilhante e Sol Nascente, que hoje têm um batuque misto. Um símbolo não só de quebra de paradigmas, mas também de orgulho.

"Eu acho muito importante para nós, mulheres, ter esse espaço dentro da cultura. O toque feminino, a nossa beleza, o nosso feminismo, a nossa luta contra preconceito, contra a mulher ter que estar dentro da cozinha fazendo comida para o marido. Quando eu venho para o maracatu, eu não só toco, mas eu aprendo, eu também ensino", diz Sthefanie Almeida, que é estudante e toca agbê no Maracatu Nação Estrela Dalva, um instrumento que representa os orixás femininos.

A mudança mais radical veio em 2008, quando Joana Cavalcante assumiu o papel de mestra do Maracatu Nação Encanto do Pina, com sede na comunidade do Bode, no Recife. A figura do mestre é uma das mais importantes porque comanda o batuque, rege os sons que norteiam o cortejo.

foto 3
oana Cavalcante assumiu o papel de mestra do Maracatu Nação Encanto do Pina em 2008 (Foto: Reprodução/TV Globo)

Das 29 nações registradas na Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco (Amanpe), o Encanto do Pina é o único com uma mulher à frente da percussão. E não foi fácil protagonizar essa transição.

"Nunca existiu na história do maracatu uma mestra mulher. Nessa função só homens. Quando eu assumi em 2008, eu lembro que teve vários batuqueiros que não quiseram desfilar, saíram, não queriam ser regidos por uma mulher, né? Então foi muita resistência", conta a mestra.

O Encanto do Pina foi fundado por uma mulher em 1980. A ialorixá Mãe Maria Sônia recebeu a benção de Iemanjá e Oxum, orixás femininos patronos do grupo. Ela só não sabia que sua neta reconfiguraria o papel da mulher nas nações de maracatu.

Para a antropóloga Jailma Oliveira, que estuda a presença feminina nesses grupos há 12 anos, Joana é símbolo de esperança. "A mulher sempre esteve presente no maracatu. O que a gente conhece dos maracatus são os homens liderando o batuque da nação, os homens que sempre estiveram à frente disso. Joana surge como mestra de maracatu, quebrando essa hegemonia e, de certa forma, gerando uma ruptura".

foto 4
Mulheres ampliam presença nos maracatu de Pernambuco (Foto: Reprodução/TV Globo)

Tal mudança abre caminhos para que a mulher, um dia, exerça poder na mesma intensidade que o homem. É uma luta constante por igualdade.


"Antigamente as mulheres só tinham funções de servir. Ela cozinhava, costurava e bordava dentro de um maracatu, mas ela não podia ir além. Ela tinha outros desejos, mas não podia ir além porque o homem sempre estava à frente. A partir do momento que esses tabus vão sendo quebrados porque mulheres vão assumindo outras funções e você tem uma mestra de frente, começa um empoderamento. Primeiro o empoderamento pessoal, individual, de questão de gênero, mas também empodera de um modo geral", dispara a coordenadora pedagógica Mariana Bianchi, que é uma das 400 componentes do grupo onde 320 integrantes são mulheres. Ela toca caixa e agbê.

Se ainda é difícil encontrar rostos femininos no comando da sociedade em geral, no carnaval de Pernambuco o protagonismo da mulher é crescente. O costume que saiu das senzalas para as ruas impulsiona as mulheres a se libertarem do medo e enfrentar o preconceito que ainda as coloca num modelo de serventia. É uma realidade em processo de mudança. Recado de mais um espaço social onde as tradições não estão sendo quebradas, mas estão sendo atualizadas.

CURIOSIDADES
Maracatu nação X grupo percussivo

Os dois tocam o mesmo ritmo, mas para ser maracatu nação é preciso ter um vínculo religioso e territorial.

Ritmo

O conjunto percussivo do maracatu nação recebe o nome de batuque.

Principais instrumentos

Alfaia, gonguê, caixa, tarol. O agbê e o atabaque são adições recentes ao batuque.

Projeto social

O Encanto do Pina ensina crianças a tocar maracatu na Comunidade do Bode e já promoveu aulas na cidade de Santos, em São Paulo.











--chines simplificado
巴西伯南布哥州的妇女获得更多的空间。

颤抖的声音,给伯南布哥狂欢节带来节奏。工具的蝙蝠标志着国家马拉喀什的指南针,并提醒人们,我们已经在庆祝。巴图车的艺术曾经是男人的荣耀,现在正在寻找妇女手中的空间,在无数的社会循环中释放喉咙,这种循环是性别不平等的结果。



照片1
国家妇女的存在是这些群体性别平等的一个标志。


自2014年以来,国家历史和艺术遗产研究所(Iphan)已经将马拉喀什国视为巴西的非物质文化遗产。从根本上说,群体是黑人文化和穷人的表现形式,是奴隶制时代的继承。尽管有非洲的根源,但19世纪伯南布哥的奴隶聚居地,奴隶们聚集在一起,哀悼新世界的苦难。

如此多的悲伤已经引起了一种使巴西人和外国人更加迷人的节奏。来自英格兰的音乐家杰克逊·拉佩斯(Jackson Lapes)表示:“我来这里听了狂欢节的节奏已经有十多年了,这真的是巴西最棒的音乐。

这个国家的马拉卡图是由皇家游行组成的,描绘非洲刚果的国王和皇后,游行伴随着一个打击乐团。被认定为马拉喀图国家,该组织需要与非洲矩阵的宗教挂钩,并占领固定的领土,terreiro成为总部。


照片2
巴图克做马拉卡图在伯南布哥州有一个女性存在(照片:复制/电视环球)。


女人总是作为女王,宫女,拜安娜,凯蒂琳娜等人物参加游行,但不允许在马拉卡图巴库女的存在。处理这些文书是至今为止在少数几个国家是严格的男性归属。

在20世纪90年代,累西腓的一些团体开始改变这种情况。其中包括明星民族Maracatus和旭日,今天有一个混合batuque。这不仅是打破范例的象征,也是自豪感的象征。

“我认为,对于我们女性而言,在文化中有这个空间是非常重要的,当我来到时,女性的触摸,美丽,女权主义,反对偏见的斗争,反对女性必须在厨房里为她丈夫做饭。马拉卡图,我不只是玩,但我学习,我也教,“说,谁是学生和阿格贝触及马拉卡图民族埃斯特雷拉达尔瓦,代表女神的文书。

最激进的变化出现在2008年,当时Joana Cavalcante担任总部设在累西腓Bode社区的MaracatMaçãoEncanto do Pina。主人的形象是最重要的因素之一,因为它指挥的是蝙蝠侠,它掌管引导游行的声音。

照片3
oana Cavalcante在2008年接管了MaracatMarazónNational de Encanto Pina的角色(照片:Reproduction / TV Globo)


在Pernambuco(阿曼佩)Maracatus国家协会注册的29个国家中,Encina do Pina是唯一一个在打击乐器头部有女人的国家。而这种转变并不容易。

“马拉卡图历史上从来没有一个女主人,这个角色只有男人,当我2008年接手时,我记得我有几个鼓手拒绝进军,离开,他们不想被一个女人治理,对吗?所以这是一个很大的阻力,“老师说。

魅力皮娜是由一名女子在1980年创建的。ialorixá玛丽亚·索尼亚母亲收到了耶曼加和奥顺的祝福,她们是这群女神的赞助人。她只是不知道她的孙女将重新设置在马拉卡图国家的女人的作用。

对于12年前研究这些群体中的女性存在的人类学家Jailma Oliveira来说,乔娜娜是希望的象征。 “这个女人一直在马拉卡图,我们知道马拉巴图男人是领导全国的鼓手,一直领先于他的男人,琼是马拉卡图的主人,打破了霸权主义,并在某种程度上产生了打破“。


照片4
妇女扩大在伯南布哥州的马拉卡图(照片:生殖/电视环球)

这样的改变为有朝一日让女人以与男人同样的力量开启了道路。这是一个不断争取平等的斗争。

“在过去,女性只有服务的工作。”她在马拉卡图煮熟,缝制和绣花,但她不能再走了,她还有其他的欲望,但是她无法超越,因为男人总是在前面。这些禁忌因为女性扮演着其他角色而被打破,而你在前面有一位老师,你就会得到授权。首先是个人赋权,个人,性别问题,但也是一般的授权方式,“协调员Mariana Bianchi说,她是该组织的400名成员之一,其中320名成员是女性。

如果仍然很难找到总体上负责社会的女性面孔,在伯南布哥州的狂欢节中,女性的角色正在增加。离开奴隶宿舍的习俗促使妇女摆脱恐惧,面对仍然将她们置于服务模式中的偏见。这是变革过程中的现实。另一个社会空间的消息传统没有被破坏,但正在更新。

趣闻
马拉卡图国家X打击乐团

两个人的节奏是一样的,但要成为马拉卡图国家,就必须有宗教和领土的纽带。

韵律

国家maracatu的打击乐合奏被称为batuque。

主要仪器

电器,锣,箱,塔罗尔。 Agbê和atabaque是最近添加到batuque。

社会项目

Encanto del Pina教导孩子们在波德社区玩马拉卡图,并已经在圣保罗市的桑托斯市教授课程。