Google+ Followers

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba em várias partes do Brasil. Seus livros foram traduzidos para 49 idiomas, existindo também exemplares em braile e em formato de audiolivro. -- The literary work of Jorge Amado met numerous film adaptations, theater and television, and has been the subject of samba schools in various parts of Brazil. His books have been translated into 49 languages and there are also copies in braille and audiobook format.

A Fundação Casa de Jorge Amado é uma organização não-governamental e sem fins lucrativos cujo objetivo é preservar, pesquisar e divulgar os acervos bibliográficos e artísticos de Jorge Amado, além de incentivar e apoiar estudos e pesquisas sobre a vida do escritor e sobre a arte e literatura baianas. A Casa de Jorge Amado tem também como missão a criação de um fórum permanente de debates sobre cultura baiana – especialmente sobre a luta pela superação das discriminações raciais e sócio-econômicas. Para manter viva a memória do escritor – que já teve seus livros publicados em 60 países – desde que foi inaugurada, a Casa de Jorge Amado conta com uma exposição permanente de documentos, fotografias, livros, suas apropriações populares, adaptações e objetos relacionados. Também estão expostos prêmios recebidos por Jorge e fotos tomadas por Zélia Gattai, documentando o dia-a-dia do autor. Atualmente, a Fundação Casa de Jorge Amado já é considerada um ponto de referência na geografia cultural de Salvador, Bahia, Brasil.



Institucional

Em 1982, Jorge Amado comemorou 70 anos de idade e 50 anos de literatura. Naquela época, algumas instituições, no Brasil e no exterior, faziam pressão para que o autor doasse seu acervo literário, a fim de que este pudesse ser melhor preservado e estudado. Mas sua mulher, a também escritora Zélia Gattai, se opunha à idéia, afirmando que o acervo pertencia aos baianos e, portanto, deveria ficar na Bahia.


Dois anos mais tarde, a escritora Myriam Fraga – até hoje à frente da instituição – trouxe à tona, novamente, a questão da necessidade de se fundar uma casa que guardasse o acervo de Jorge. A Universidade Federal da Bahia, através do seu então reitor Germano Tabacof, propôs iniciar a tarefa de organizar os documentos, que até este momento estavam guardados na casa do escritor, no Rio Vermelho. Em 1986, foi criada a Fundação Casa de Jorge Amado, que seria inaugurada no dia 07 de março do ano seguinte, contando com a colaboração fundamental da escritora Zélia Gattai. Jorge e Zélia puderam, em vida, freqüentar a instituição estabelecida em sua homenagem.

--

LIVRO
Tieta do Agreste, Jorge Amado, O livro é a recriação da vida cotidiana numa pequena cidade do litoral norte da Bahia, Brasil.



Na década de 1970, Sant´Ana do Agreste, pequena vila do interior da Bahia, viveu dias de grande expectativa enquanto se prepara para receber Tieta, filha que retornou depois de 26 anos de ausência.

Aos 17 anos, Tieta vivera aventuras amorosas que escandalizaram a população. Denunciada pela irmã mais velha, Perpétua, Tieta foi expulsa de casa. Desde a sua partida, o único contato de Tieta com a família era através de cartas que tinham como remetente uma caixa postal em São Paulo.

Além da correspondência, controlada por Carmô, funcionária dos Correios e a solteirona mais alegre da cidade, Tieta também enviava ajuda financeira para a família.

O retorno de Tieta abalou a rotina da pacata cidade. 

Tieta retorna rica e poderosa, viúva de um industrial paulista. Ela chega acompanhada de Leonora, moça bela e triste, que apresenta como sua enteada.

Tieta é recebida com toda a pompa pela família, habitantes e políticos da cidade perdida no mapa e no tempo. Ascânio, o jovem e progressista secretário da Prefeitura, tem como maior ambição fazer a luz elétrica chegar à cidade ainda iluminada por luz de gerador.

A presença de Tieta e Leonora transforma a vida do pacato vilarejo e de seus tipos folclóricos: o prefeito enlouquecido Mauritônio Dantas, o poeta de plantão Barbosinha, o comandante Dário de preocupações ecológicas, o trio de amigos que controla a cidadeda mesa de sinusa, entre outros.

Leonora e Ascânio se envolvem em um casto romance, enquanto Tieta tem uma tórrida relação com Cardo, o sobrinho seminarista filho da austera Perpétua, que depois também se envolve com Imaculada.

Por sua generosidade Tieta se transforma na grande benfeitora de Sant Ana do Agreste. A tranquilidade do vilarejo sofre mais um baque com a chegada de representantes da Embratânio S.A., disposta a implantar uma fábrica de dióxido de titânio,altamente poluidora, na cidade.

Entre tumultos pessoais e políticos, o segredo da vida de Tieta é revelado - ela obrigada a partir mais uma vez, em circunstâncias totalmente inesperadas. Mas Sant Ana do Agreste e seus habitantes nunca mais serão os mesmos, e nunca se esquecerão dela.

Tieta do Agreste é um romance do escritor baiano Jorge Amado, publicado em 17 de agosto de 1977. Foi transformado em novela de grande sucesso, com Betty Faria como Tieta, e depois em filme, com Sônia Braga como a protagonista.

Autor brasileiro mais traduzido no exterior, Jorge Amado teve várias obras adaptadas para cinema, televisão e teatro, incluindo Tieta do Agreste.

Em 1989 a TV Globo apresentou a telenovela Tieta, com Betty Faria no papel-título.

Em 1996 foi realizado o filme Tieta do Agreste, baseado no romance, dirigido por Cacá Diegues e com Sônia Braga no papel de Tieta.

--
Jorge Amado nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, no distrito de Ferradas, município de Itabuna, sul do Estado da Bahia, Brasil. Filho do fazendeiro de cacau João Amado de Faria e de Eulália Leal Amado.

Jorge Amado

Com um ano de idade, foi para Ilhéus, onde passou a infância. Fez os estudos secundários no Colégio Antônio Vieira e no Ginásio Ipiranga, em Salvador. Neste período, começou a trabalhar em jornais e a participar da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes.

Publicou seu primeiro romance, O país do carnaval, em 1931. Casou-se em 1933, com Matilde Garcia Rosa, com quem teve uma filha, Lila. Nesse ano publicou seu segundo romance, Cacau.

Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, em 1935. Militante comunista, foi obrigado a exilar-se na Argentina e no Uruguai entre 1941 e 1942, período em que fez longa viagem pela América Latina. Ao voltar, em 1944, separou-se de Matilde Garcia Rosa.

Em 1945, foi eleito membro da Assembléia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Comunista Brasileiro (PCB), tendo sido o deputado federal mais votado do Estado de São Paulo. Jorge Amado foi o autor da lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso. Nesse mesmo ano, casou-se com Zélia Gattai.

Em 1947, ano do nascimento de João Jorge, primeiro filho do casal, o PCB foi declarado ilegal e seus membros perseguidos e presos. Jorge Amado teve que se exilar com a família na França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Em 1949, morreu no Rio de Janeiro sua filha Lila. Entre 1950 e 1952, viveu em Praga, onde nasceu sua filha Paloma.

De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar os quadros do Partido Comunista. 

Dedicou-se, a partir de então, inteiramente à literatura. Foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira de número 23, da Academia Brasileira de Letras, que tem por patrono José de Alencar e por primeiro ocupante Machado de Assis.



Jorge Amado morreu em Salvador, no dia 6 de agosto de 2001. Foi cremado conforme seu desejo, e suas cinzas foram enterradas no jardim de sua residência na Rua Alagoinhas, no dia em que completaria 89 anos.

A obra de Jorge Amado mereceu diversos prêmios nacionais e internacionais, entre os quais destacam-se: Stalin da Paz (União Soviética, 1951), Latinidade (França, 1971), Nonino (Itália, 1982), Dimitrov (Bulgária, 1989), Pablo Neruda (Rússia, 1989), Etruria de Literatura (Itália, 1989), Cino Del Duca (França, 1990), Mediterrâneo (Itália, 1990), Vitaliano Brancatti (Itália, 1995), Luis de Camões (Brasil, Portugal, 1995), Jabuti (Brasil, 1959, 1995) e Ministério da Cultura (Brasil, 1997).

Recebeu títulos de Comendador e de Grande Oficial, nas ordens da Venezuela, França, Espanha, Portugal, Chile e Argentina; além de ter sido feito Doutor Honoris Causa em 10 universidades, no Brasil, na Itália, na França, em Portugal e em Israel. O título de Doutor pela Sorbonne, na França, foi o último que recebeu pessoalmente, em 1998, em sua última viagem a Paris, quando já estava doente.

Jorge Amado orgulhava-se do título de Obá, posto civil que exercia no Ilê Axé Opô Afonjá, na Bahia.

fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti http://www.jorgeamado.org.br/


--in
The Foundation House of Jorge Amado is a nongovernmental, nonprofit organization whose goal is to preserve, research and disseminate bibliographic and artistic collections of Jorge Amado, as well as encourage and support studies and research on the writer's life and the art Bahia and literature. The House of Jorge Amado is also intended to create a permanent forum for discussions about Bahian culture - especially on the struggle to overcome racial and socioeconomic discrimination. To keep alive the memory of the writer - who has had his books published in 60 countries - since it was inaugurated, the Jorge Amado House has a permanent exhibition of documents, photographs, books, its popular appropriations, adaptations and related objects. Also exposed awards received by Jorge and photos taken by Zelia Gattai, documenting the day-to-day life of the author. Currently, the Jorge Amado House Foundation is already considered a landmark in the cultural geography of Salvador, Bahia, Brazil.

Institutional

In 1982, Amado celebrated 70 years of age and 50 years of the literature. At that time, some institutions in Brazil and abroad, were pressing for the author to donate his literary collection, so that it could be better preserved and studied. But his wife, also a writer Zelia Gattai, opposed the idea, claiming that the collection belonged to Bahia and therefore should stay in Bahia.

Two years later, Myriam Fraga writer - so far ahead of the institution - brought up again the issue of the need to found a house that kept Jorge acquis. The Federal University of Bahia, through its then rector Germano Tabacof proposed start the task of organizing the documents, which until now were stored in the writer's home on the Red River. In 1986 it was created the Casa de Jorge Amado Foundation, which would be inaugurated on 07 March next year, with the essential collaboration of Zelia Gattai writer. Jorge and Zelia might, in life, attending institution established in his honor.

-

BOOK
Tieta do Agreste, Jorge Amado, the book is the recreation of everyday life in a small town on the north coast of Bahia, Brazil.

In the 1970s, Anne of Agreste, small village of the interior of Bahia, lived days of great expectation as he prepares to receive Tieta daughter who returned after 26 years of absence.

At 17, Tieta had lived love affairs that scandalized the population. Denounced by her older sister, Perpetua, Tieta was expelled from home. Since his departure, the only contact with family Tieta was through letters that had the sender a mailbox in Sao Paulo.

In addition to the correspondence, controlled by Carmo, an official of the Post and the most cheerful maid in town, Tieta also sent financial help to the family.

The return Tieta shook the routine of the quiet town.

Tieta returns rich and powerful widow of a São Paulo industrial. She arrives accompanied by Leonora, beautiful and sad young woman, presenting as his stepdaughter.

Tieta is received with all the pomp of family, residents and politicians lost city map and time. Ascanio, the young and progressive county clerk, has the greatest ambition to make electricity reach the city still illuminated by light generator.

The presence of Tieta and Leonora transforms the life of sleepy village and its folk types: the mayor mad Mauritônio Dantas, the duty poet Barbosinha, Dario commander of ecological concerns, the trio of friends who controls the cidadeda sinusa table between others.

Leonora and Ascanio engage in a chaste romance while Tieta has a torrid relationship with Cardo, the seminarian son nephew of Perpetual austere, which then also becomes involved with Immaculate.

For his Tieta generosity becomes the great benefactor of Sant Ana do Agreste. The tranquility of the village suffered another blow with the arrival of representatives of Embratânio SA, willing to implant a titanium dioxide factory, highly polluting in the city.

Between personal and political turmoil, the secret Tieta's life is revealed - it required from again, in totally unexpected circumstances. But Sant Ana do Agreste and its inhabitants will never be the same, and will never forget it.

Tieta do Agreste is a novel of the Bahian writer Jorge Amado, published on 17 August 1977. It was turned into blockbuster novel, with Betty Faria as Tieta, and then on film, with Sonia Braga as the protagonist.

Most translated Brazilian author abroad, Jorge Amado had several works adapted for film, television and theater, including Tieta do Agreste.

In 1989, TV Globo soap opera Tieta presented with Betty Faria in the title role.

In 1996 it performed the movie Tieta do Agreste, based on the novel, directed by Carlos Diegues and Sonia Braga in the role of Tieta.

-

Jorge Amado was born on August 10, 1912, in Auricídia farm in Ferradas district in the city of Itabuna, southern state of Bahia, Brazil. Cocoa farmer's son João Amado de Faria and Eulália Leal Amado.

Jorge Amado

With one year of age, he went to Ilheus, where he spent his childhood. He attended secondary school at the Colegio Antonio Vieira and Ipiranga Gym in Salvador. During this period, he began working in newspapers and to participate in the literary life, being one of the founders of the Academy of Rebels.

He published his first novel, The country carnival in 1931. He married in 1933 with Matilde Garcia Rosa, with whom he had a daughter, Lila. In that year he published his second novel, Cacau.

He graduated from the National Law School in Rio de Janeiro in 1935. Communist militant, was forced into exile in Argentina and Uruguay between 1941 and 1942, period in which he long trip through Latin America. Returning in 1944, he separated from Matilde Garcia Rosa.

In 1945, he was elected member of the National Constituent Assembly, in the legend of the Brazilian Communist Party (PCB) and was the most voted congressman in the state of São Paulo. Jorge Amado was the author of the law, still in force today, which guarantees the right to freedom of religious worship. That same year, he married Zélia Gattai.

In 1947, year of the birth of John George, their first child, the PCB was banned and its members persecuted and imprisoned. Jorge Amado had to go into exile with his family in France, where he stayed until 1950, when he was expelled. In 1949, he died in Rio de Janeiro her daughter Lila. Between 1950 and 1952 he lived in Prague, where he was born his daughter Paloma.

Back in Brazil, Jorge Amado moved away in 1955, the political militancy, without, however, leave the frames of the Communist Party.

He devoted himself thereafter entirely to literature. Was elected in April 6, 1961, to chair number 23, the Brazilian Academy of Letters, whose patron José de Alencar and first occupant Machado de Assis.

Jorge Amado died in Salvador on August 6, 2001. He was cremated as per your wish, and his ashes were buried in the garden of his home on Alagoinhas Street on the day in which he reaches 89 years.

The Jorge Amado's work earned several national and international awards, among which are: Stalin Peace (Soviet Union, 1951), Latinidade (France, 1971), Nonino (Italy, 1982), Dimitrov (Bulgaria, 1989) Pablo Neruda (Russia, 1989), Etruria Literature (Italy, 1989), Cino Del Duca (France, 1990), the Mediterranean (Italy, 1990), Vitaliano Brancatti (Italy, 1995), Luis de Camões (Brazil, Portugal, 1995 ), Tortoise (Brazil, 1959, 1995) and Ministry of Culture (Brazil, 1997).

He received titles of Commander and Grand Officer, on orders from Venezuela, France, Spain, Portugal, Chile and Argentina; Besides being made Doctor Honoris Causa in 10 universities in Brazil, Italy, France, Portugal and Israel. The title of Doctor of the Sorbonne, in France, was the last person who received, in 1998, on his last trip to Paris, when he was sick.


Jorge Amado was proud of the title of Oba, since civil exercised in Ile Axe Opo Afonjá, Bahia, Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário