Google+ Followers

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Museu da Herança do Povoado Português, em Malaca, Malásia. --- Heritage Museum Portuguese Settlement in Malacca, Malaysia

"Portugueses" de Malaca guardam em museu memórias de 500 anos.

Malaca é o terceiro menor estado da Malásia. Embora Malaca já tenha sido um dos mais antigos sultanatos malaios, o estado atualmente não é governado por um sultão e sim por um governador. Em 2008 foi declarada Património Mundial pela UNESCO


Um museu preserva, desde há três anos, a memória portuguesa num canto de Malaca, a cidade que Afonso de Albuquerque conquistou e cuja lenda ainda sobrevive 500 anos depois da sua morte.

A comunidade de descendência portuguesa de Malaca, iniciada após a tomada da cidade por Afonso de Albuquerque em 1511, está a divulgar as memórias da sua ligação a Portugal num museu que sobrevive do voluntariado.

Há três anos, Christopher De Mello, juntamente com Jerry Alcântara, decidiu pegar num museu antigo que tinha "apenas fotografias" e transformá-lo num espaço de exposição de memórias que hoje recebe pessoas de todo o mundo.

O Portuguese Settlement Heritage Museum ( Museu da Herança do Povoado Português, Malaca ), como é conhecido localmente, fica precisamente no centro do Portuguese Settlement, um bairro a cerca de três quilómetros de centro de Malaca que foi criado na década de 1930 para os descendentes de portugueses espalhados pela região.

Entre o espólio, com largas centenas de peças, há objetos e coleções pessoais, como biberões e fotografias, e artigos comprados ou "encontrados no mar" pelos pescadores, que podem ser "portugueses, chineses ou indianos", conta à Lusa Christopher De Mello.

Após ter ficado desempregado, o engenheiro de manutenção, que agora trabalha em part-time, encontrou uma oportunidade para "melhorar o museu" fazendo uso dos seus variados talentos, como a carpintaria para montar expositores e a comunicação para contar as histórias da comunidade que não cabem no museu.

É também ele o responsável pelo barco de madeira "Flor de la Mar" (Flor do Mar, em português) que se encontra no centro do museu para lembrar a famosa nau com o mesmo nome que naufragou em 1511 no estreito de Malaca, com um imenso tesouro, que nunca foi encontrado.

Afonso de Albuquerque, cujo 500º aniversário da morte se assinala esta terça-feira, também está representado, porque foi ele um dos "primeiros pais da aldeia".

"É por causa dele que estamos aqui hoje", frisou Christopher, que se sente "incomodado" quando lhe dizem que se assemelha aos malaios.

"Prefiro que digam que eu pareço mais português. Nós aqui nunca dizemos que somos malaios, dizemos que somos malaio-portugueses", sublinhou, explicando que apesar do sangue português já se ter perdido há muito, ainda predominam os sobrenomes lusos na comunidade de cerca de mil habitantes, como "Sousa" ou "Gomes".

No museu, encontram-se mobílias, louças, redes de pesca, fotografias, documentos históricos e até vinho produzido pelo próprio Christopher, uma bebida alcoólica feita de maçã que dizem fazer lembrar "o vinho do Porto".

Aos trajes tradicionais lusos oferecidos por portugueses juntam-se trajes semelhantes desenhados e usados pelos grupos de música e de dança locais que disseminam o folclore português na Malásia e no exterior.

Além das três salas de exposição, há ainda um espaço que guarda dezenas de prémios conquistados por pessoas da comunidade em concursos de beleza ou de fatos de Pai Natal ou em torneios de futebol durante os santos populares.

Entre os visitantes do museu, que nem sempre está aberto, há grupos de estudantes de todo o país e turistas estrangeiros, que vêm conhecer o Portuguese Settlement, localmente famoso pelo ambiente de festividade no Natal, no Carnaval e nos Santos Populares.

Os visitantes pagam dois ringgits malaios (0,42 cêntimos) de entrada, um valor insuficiente para sustentar o projeto, que precisa do apoio de voluntários.

O governo local já apresentou uma proposta para apoiar o museu, mas com a condição de assumir a administração do espaço e pagar um salário aos voluntários, algo que os promotores recusaram.

"Eu não quero que no futuro a história malaia entre no Portuguese Settlement. A nossa história portuguesa seria abolida", justifica.

Pedir apoios a Portugal também é visto com algumas dúvidas, pois essa eventual ajuda implicaria o envolvimento das autoridades malaias no museu, acrescentou.


Malaca, que em 2008 foi declarada Património Mundial pela UNESCO, é hoje uma cidade fortemente turística, retratando a história dos vários povos que por aqui passaram.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.





--in via tradutor do google

Heritage Museum Portuguese Settlement in Malacca, Malaysia

"Portuguese" Malacca keep memories in museum 500 years

A museum preserves, three years ago, the Portuguese in Malacca memory corner, the city Afonso de Albuquerque conquered and whose legend still survives 500 years after his death.

The Portuguese descent community of Malacca, which began after the capture of the city by Afonso de Albuquerque in 1511, is to disseminate the memories of his connection to Portugal in a museum that survives volunteering.

Three years ago, Christopher De Mello, along with Jerry Alcantara, decided to take an old museum that had "only pictures" and transform it into an exhibition space of memories that today welcomes people from all over the world.

The Portuguese Settlement Heritage Museum (Heritage Museum of the Village Portuguese, Malacca), as it is known locally, is right in the center of the Portuguese Settlement, a neighborhood about three kilometers from Malacca center that was created in the 1930s for the descendants Portuguese spread across the region.

Among the spoils, with many hundreds of pieces, there are objects and personal collections, such as bottles and photographs, and items purchased or "found in the sea" by fishermen, which can be "Portuguese, Chinese or Indian," said Lusa Christopher De Mello .

After becoming unemployed, the maintenance engineer who now works part-time, found an opportunity to "improve the museum" making use of his varied talents, such as carpentry to assemble exhibitors and communication to tell the stories of the community do not fit in the museum.

It is also he responsible for the wooden boat "La Mar Blossom" (Sea Flower, in Portuguese), which is in the center of the museum to remember the famous ship of the same name which sank in 1511 in the Strait of Malacca, with a immense treasure, which was never found.

Afonso de Albuquerque, whose 500th anniversary of death be marked on Tuesday, is also represented, because he was one of the "first parents of the village."

"It's because of him that we are here today", said Christopher, who feels "uncomfortable" when they tell you that resembles the Malays.

"I'd rather say I look more Portuguese. We here never say we are Malaysians, we say we are Malay-Portuguese," he said, explaining that despite the Portuguese blood already was lost long ago still dominated by lusos surnames in the community about a thousand inhabitants, like "Smith" or "Gomes".

In the museum are furniture, crockery, fishing nets, photographs, historical documents and even wine produced by Christopher himself, an alcoholic drink made from apple to remind say "Port wine".

Lusos traditional costumes offered by Portuguese join similar costumes designed and used by music groups and local dance that disseminate the Portuguese folklore in Malaysia and abroad.

Besides the three exhibition halls, there is still a space that holds dozens of awards earned by people in the community in beauty pageants or Father Christmas or facts in football tournaments during the popular saints.

Among visitors to the museum, which is not always open, there are groups of students from around the country and foreign tourists who come to know the Portuguese Settlement, locally famous for the festival environment at Christmas, Carnival and Popular Saints.

Visitors pay two Malaysian ringgit (0.42 cents) input, an insufficient amount to support the project that needs volunteers for support.

The local government has submitted a proposal to support the museum, but with the condition of taking over the management of the space and pay a salary to the volunteers, something that prosecutors refused.

"I do not want the future to Malaysian history between the Portuguese Settlement. Our Portuguese history would be abolished," he explains.

Request support for Portugal is also seen with some doubts because any such aid would imply the involvement of Malaysian authorities in the museum, he added.

Malacca, which in 2008 was declared World Heritage by UNESCO, is now a heavily tourist town, depicting the history of the various peoples who passed through here.

Nenhum comentário:

Postar um comentário