Google+ Followers

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

South African Museum -- Museu Sul-Africano

The South African Museum houses more than one and a half million specimens of scientific importance. The collections now range from fossils almost 700-million years old to insects and fish caught last week. There are also stone tools made by people 120 000 years ago, traditional clothes from the last century, and T-shirts printed yesterday.




The South African Museum was founded in 1825. In 1897 the Museum moved to its present building in the historic Company's Garden. Since then millions of visitors have wandered its halls and corridors to be stimulated and inspired by its collections and exhibitions. They have left the Museum with a better understanding of the earth and its biological and cultural diversity, past and present.

For every object on exhibition at the South Museum, there are thousands more carefully stored away. The Museum houses more than one and a half million specimens of scientific importance.

For nearly 200 years scientists at the Museum have been adding to these collections and studying them.

The collections now range from fossils almost 700 million years old to insects and fish caught last week. There are also stone tools made by people 120 000 years ago, traditional clothes from the last century, and T-shirts printed yesterday. 

Only machine-made objects and clones can be exactly the same. Each natural object is slightly different from all the others. We need many examples of each type or species of animal to find out how they vary so that we can be sure we have identified them correctly.

We must collect different animals from one place to find out how many there are. We must also collect many examples of each kind to find out which ones are most common. This helps us understand how all animals and plants contribute to making our environment work.


Without museum collections we would have no permanent record of extinct animals like dinosaurs. Neither would we have examples of artefacts made by our ancestors two million years ago or cultural objects used by people over the centuries.

Today’s collections will show our grand-children what our world was like.

If more species become extinct, examples already safely stored in a museum will be the only direct evidence that they ever existed.

All scientists ask questions, lots of them. Museum scientists are no different. They just ask slightly different ones.

The single, most important, question is ‘What is it?’. Museum scientists work to answer this question. In some cases they can decide that new examples or specimens are the same as others they have already identified. In other cases the new specimens will be different from anything known so far. Taxonomists describe the new specimen and decide how it relates to other known species.

Only afterwards can we hope to answer other questions like ‘How many different species live in this area?’ and ‘Are there more of some species than others?’ Biologists who study biological diversity, or biodiversity as it is usually called today, work to answer these questions. The answer helps us understand today’s world and how the past differed from the present.

Then ‘Where does this species live?’ You need to know this before you can answer ‘Can you predict where you will find this animal?’ Biogeographers map where different animal species are found and match this with the plants that occur in the same regions.

We also ask ‘What is the relationship between animals, including humans, and their environment?’ and ‘How do they react to the other animals with which they live?’ Ecologists try to answer these questions, which are very difficult because many different aspects are involved.

Or ‘How have humans and other animals evolved?’ The fossilized bones of long-dead animals help palaeontologists to discover how modern animals evolved to be as they are.

And ‘How did our ancestors live?’ Archaeologists and ethnographers study artefacts, which are all the things made or used by people, to work out how people lived in the past.

Without the work of museum scientists your questions about the world around you would not be answered. You would not know whether the rock you picked up is really an ancient stone tool or fossil, or why people say elephants are related to dassies.

If we are to keep our world intact, we must understand how it works. Museum scientists are helping to make sure we know enough to be able to measure the effects of our actions so as not to damage our environment.

Every species of plant and animal has a part to play in keeping our environment intact. New extinctions will indicate that all is not well. Every species that dies upsets the balance that we need for our survival. Museum scientists are playing a major part in identifying species so we can keep a check on them.

Promising new sources of food are discovered. Museum marine scientists identify fish and other sea creatures that we may be able to harvest for food in the future.

They study them so that we will know how to sustain stocks and not take too many animals.

Insects are everywhere. By learning more about them, museum entomologists help in the fight to stop them ruining our fruit and vegetables, and giving us illnesses like malaria.

You can be sure that every new display in the Museum is accurate and up to date.

Museum scientists form part of the team that puts on displays, in order to make sure that you have the best and latest information.

Your child’s school can attend classes at the Museum. The education officers supplement school courses and offer a hands-on approach because the scientists share their special knowledge with them.

Take advantage of the opportunity to visit the Museum’s storerooms and laboratories. Scientists often lead guided tours that show you what happens behind-the-scenes. This is an ideal way to find out more about how a museum works and to see some of the thousands of objects that are not on display.

Museum scientists are keen to tell you about their work, so they are happy to give talks to schools, clubs and any other group that is interested. Just phone to make an arrangement.

You can ask them to identify puzzling objects. Either phone or leave your specimen at the Museum to be looked at later. Be sure not to collect objects that may be rare or protected by the law. Rather report what you saw and take a photograph if you can.

Some museum taxonomists provide professional identifications for commercial enterprises.

Museum scientists can be called upon to act as expert witnesses in legal cases.

Museum scientists undertake environmental impact assessments, which help protect our heritage.




Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

Vamos compartilhar.






--br via tradutor do google

Museu Sul-Africano

As casas Museu Sul-Africano mais de um milhão e meio de exemplares de importância científica. As coleções agora variam de fósseis de quase 700 milhões de anos de idade para insetos e peixes capturados na semana passada. Há também ferramentas de pedra feitas por pessoas de 120 000 anos, a roupa tradicional do século passado, e camisetas impressas ontem.

O Museu Sul-Africano foi fundada em 1825. Em 1897, o museu mudou-se para o atual edifício no Jardim da Companhia histórico. Desde então, milhões de visitantes se desviaram de seus salões e corredores de ser estimulado e inspirado por suas coleções e exposições. Eles deixaram o Museu com uma melhor compreensão da Terra e da sua diversidade biológica e cultural, passado e presente.

Para cada objeto em exposição no Museu do Sul, existem milhares mais cuidadosamente guardado. O museu abriga mais de um milhão e meio de exemplares de importância científica.

Por quase 200 anos os cientistas do Museu foram adicionando a esses acervos e estudá-los.

As coleções agora variam de fósseis de quase 700 milhões de anos a insetos e peixes capturados na semana passada. Há também ferramentas de pedra feitas por pessoas de 120 000 anos, a roupa tradicional do século passado, e camisetas impressas ontem.

Apenas os objetos feitos à máquina e clones pode ser exatamente o mesmo. Cada objeto natural é um pouco diferente de todos os outros. Precisamos de muitos exemplos de cada tipo ou espécie de animal para descobrir como eles variam para que possamos ter certeza de que nós identificamos-los corretamente.

Devemos recolher animais diferentes de um lugar para descobrir quantos existem. Nós também deve coletar muitos exemplos de cada tipo de descobrir quais são as mais comuns. Isso nos ajuda a entender como todos os animais e plantas contribuem para tornar o nosso ambiente de trabalho.


Sem coleções de museus teríamos nenhum registro permanente de animais extintos, como dinossauros. Nem teríamos exemplos de artefatos feitos pelos nossos antepassados ​​dois milhões de anos atrás ou objetos culturais utilizados por pessoas ao longo dos séculos.

Colecções de hoje vai mostrar os nossos netos que o nosso mundo era.

Se mais espécies extintas, os exemplos já armazenados com segurança em um museu será a única evidência direta de que eles nunca existiu.

Todos os cientistas fazer perguntas, muitas delas. Os cientistas do Museu não são diferentes. Eles só pedir um pouco diferentes.

O single, mais importante, questão é 'O que é isso?'. Os cientistas do Museu trabalhar para responder a esta pergunta. Em alguns casos, eles podem decidir que novos exemplos ou amostras são os mesmos que os outros já identificados. Em outros casos, as novas amostras será diferente de qualquer coisa conhecida até agora. Taxonomistas descrever o novo espécime e decidir como se relaciona com outras espécies conhecidas.

Só depois é que podemos esperar para responder a outras perguntas como "Quantas espécies diferentes vivem nesta área?" E "Há mais de algumas espécies do que os outros?" Os biólogos que estudam a diversidade biológica, ou biodiversidade, uma vez que é geralmente chamado de hoje, o trabalho de responda estas perguntas. A resposta nos ajuda a compreender o mundo de hoje e como o passado era diferente da atual.

Em seguida, 'Onde é que esta espécie vive?' Você precisa saber isso antes de você pode responder 'Você pode prever onde vai encontrar este animal? "Mapa biogeógrafos onde diferentes espécies de animais são encontrados e combinar isso com as plantas que ocorrem nas mesmas regiões .

Pedimos também 'Qual é a relação entre os animais, incluindo seres humanos, e seu meio ambiente? "E" Como eles reagem aos outros animais com os quais eles vivem? "Ecologistas tentar responder a estas questões, que são muito difícil, porque muitos aspectos diferentes estão envolvidos.

Ou 'Como ter humanos e outros animais evoluíram? "Os ossos fossilizados de animais mortos há muito tempo ajudar paleontólogos a descobrir como os animais modernos evoluíram para ser como elas são.

E 'Como é que os nossos antepassados ​​viver?' Arqueólogos e etnógrafos artefatos de estudo, que são todas as coisas feitas ou usadas por pessoas, para trabalhar fora como as pessoas viviam no passado.

Sem o trabalho dos cientistas do museu as suas perguntas sobre o mundo ao seu redor não seriam respondidas. Você não saberia se a rocha que você pegou é realmente uma ferramenta de pedra antiga ou fóssil, ou por que as pessoas dizem que os elefantes estão relacionados com dassies.

Se quisermos manter o nosso mundo intacto, devemos entender como ele funciona. Os cientistas do Museu estão a ajudar a certificar-se de que sabemos o suficiente para ser capaz de medir os efeitos de nossas ações, de modo a não prejudicar o meio ambiente.

Todas as espécies de plantas e animais tem um papel a desempenhar para manter nosso ambiente intacto. Novas extinções irá indicar que nem tudo está bem. Cada espécie que morre perturba o equilíbrio que precisamos para a nossa sobrevivência. Os cientistas do Museu estão desempenhando um papel importante na identificação de espécies para que possamos manter um controlo sobre eles.

Novas fontes promissoras de alimentos são descobertos. Museu cientistas marinhos identificar peixes e outras criaturas marinhas que podem ser capazes de colher para alimentar no futuro.

Eles estudá-los para que possamos saber como manter estoques e não tomar muitos animais.

Insetos estão por toda parte. Ao aprender mais sobre eles, entomologistas museu ajudar na luta para detê-los arruinar nossa frutas e legumes, e dando-nos doenças como a malária.

Você pode ter certeza que cada nova exposição no Museu é preciso e atualizado.

Os cientistas do Museu fazem parte da equipe que coloca em monitores, a fim de se certificar de que você tem o melhor e mais recentes informações.

A escola de seu filho pode frequentar as aulas no Museu. Os oficiais de educação complementar cursos escolares e oferecer um hands-on abordagem, porque os cientistas compartilhar seu conhecimento especial com eles.

Aproveite a oportunidade para visitar armazéns e laboratórios do Museu. Os cientistas muitas vezes levam visitas guiadas que mostram o que acontece por trás das cenas. Esta é uma maneira ideal para saber mais sobre como um museu obras e ver alguns dos milhares de objetos que não estão em exposição.

Os cientistas do Museu estão ansiosos para falar sobre seu trabalho, então eles estão felizes em dar palestras para escolas, clubes e qualquer outro grupo que está interessado. Basta telefonar para fazer um acordo.

Você pode pedir-lhes para identificar objetos enigmáticos. De qualquer telefone ou deixe seu espécime no Museu de ser olhado mais tarde. Não se esqueça de recolher objetos que podem ser raros ou protegido pela lei. Em vez relatar o que viu e tirar uma fotografia, se puder.

Alguns taxonomistas museu fornecer identificações profissionais para empresas comerciais.

Os cientistas do Museu pode ser chamado para atuar como peritos em processos judiciais.

Os cientistas do Museu realizar avaliações de impacto ambiental, que ajudam a proteger o nosso património.

Nenhum comentário:

Postar um comentário