Google+ Followers

domingo, 24 de janeiro de 2016

Cultura - Candomblé no Brasil, Museu Comunitário Mãe Mirinha do Portão. --- Culture - Candomble in Brazil, Community Museum Mother Mirinha Gate.

Cultura - Candomblé no Brasil, Museu Comunitário Mãe Mirinha do Portão.  ---    

Com o objetivo de preservar a cultura, a Associação São Jorge Filhos da Gomeia criou este museu localizado na cidade baiana de Lauro de Freitas. Por meio de atividades que proporcionam a elevação da autoestima da comunidade localizada no bairro Portão, crianças, jovens e adultos têm acesso a cursos de informática e capoeira, oficinas de dança e de percussão. 


O acervo do museu é composto por objetos de ferro, prata, madeira, palha, tecido, papel e outros materiais.
-
Altanira Maria Conceição Souza, Mãe Mirinha do Portão (Mameto Mirinha) (Lauro de Freitas, 21 de dezembro de 1924 —?, 18 de fevereiro de 1989) foi a fundadora do Terreiro São Jorge Filho da Goméia (Terreiro do Portão) localizado em Lauro de Freitas, Bahia.

Filha de Sr. Nestor e D. Maria Lena, cresceu como toda criança carente da periferia e com 8 (oito) anos de idade foi morar com sua madrinha na cidade de Salvador com o objetivo de ajudar nas tarefas domésticas.

Não demorou para que os chamados viessem para que a menina Mirinha fosse para a Religião do candomblé. Era pulando as janelas furtivamente que Mirinha assistia a algumas festas de Candomblé sem perceber que teria um futuro brilhante na Religião. Desta forma com a ajuda de sua irmã carnal Claudina (apelidada de Coló) que mesmo sem ser iniciada na religião tinha uma imensa fé no seu Nkisi Dandalunda e mantinha alguns rituais em devoção a ela. Esta irmã levou Mirinha a casa do então jovem Pai de Santo João Alves Torres Filho, que viria a ser mais tarde o lendário Joãozinho da Goméia, cujo nome Goméia foi incorporado ao seu nome devido ao grande interesse popular em saber sobre o Pai de Santo e seus conhecimentos da Religião.

Mirinha é iniciada aos sete anos de idade, para o Nkisi Mutalombô e tem como segundo Nkisi Bambulusema, juntamente com mais 18 muzenzas. Na época foi de grande ousadia o feito de tirar, como se fala na linguagem do Candomblé, um barco de 19 muzenzas, mas Joãozinho da Goméia era assim (desafiador e polêmico), logo, desta forma nasceu para o Candomblé Congo/Angola da Bahia e do Brasil a Monankisi "Sessa Dya Umbula", sendo chamada pelos seus irmãos de santo por Sessetu, o nome de seu erê, sendo filha pequena de Kilondirá chamada carinhosamente por Mirinha de Mãe Kiló.

Seguindo seu caminho dentro da Religião, Mirinha retorna para Portão e no dia 25 de dezembro de 1952 ela tira seu primeiro barco, composto por dois muzenzas: Antonio José da Conceição do Nkisi Kavungo e Maria Augusta do Nkisi Nkosi Mukumbi, nascia aí o Terreiro São Jorge Filho da Goméia e, tal como aconteceu com o seu Pai de Santo, o nome da localidade de Portão seria incorporado para sempre ao seu, agora chamada de Mirinha do Portão.

No transcorrer de sua vida, Mirinha casa-se com Jarson da Costa Souza, funcionário da Prefeitura de Salvador, mais conhecido como Garrincha, que muito contribuiu para a elevação do nome de Mirinha de Portão nacional e internacionalmente.

Muito trabalho social foi desenvolvido por Mirinha de Portão na localidade onde o Candomblé está implantado, tais como: Transportes Públicos, Hospitais, Postos de Saúde, Campanhas de Alimentação (distribuição de cestas básicas feitas por ela com a ajuda de alguns empresários), entre outras ações. Participou das filmagens cinematográficas da obra de seu dileto amigo Jorge Amado: Os Pastores da Noite e Tenda dos Milagres, dando visibilidade a comunidade de Portão

Sua gratidão ao Nkisi Dandalunda era comovente as festas de Mutalambô aconteciam num sábado e no domingo acontecia o Presente de Dandalunda na Lagoa do Abaeté encerrando a festa. A primeira mãe pequena da Casa foi Nitinha de Oxum, hoje Ebômi do Ilê Axé Iya Nasso Oka - Terreiro da Casa Branca, em seguida Maria das Graças Neves neta e herdeira do Terreiro São Jorge Filho da Goméia iniciada para Dandalunda em 3 de julho de 1977, ocupou o posto de mãe pequena até a morte de Mirinha.

No dia 18 de fevereiro de 1989 o mundo amanheceu mais triste, faleceu Mirinha do Portão, após quatro anos de luta contra um linfoma.

A perda de Mirinha do Portão deixou um enorme vazio na vida de todos que a conheceram, conviveram com ela e até mesmo na vida da Comunidade de Portão que certamente perdeu uma voz autêntica que dedicou sua vida a luta pela igualdade social e racial.

Mas, pessoas como Mirinha do Portão são generosas em demasia para deixarem esta vida sem deixar os frutos daquilo que semeou a vida inteira.

Existem alguns Terreiros remanescentes do Terreiro São Jorge Filho da Goméia, como o Onzo Nguso Za Nkisi Dandalunda Ye Tempo - Terreiro Mokambo localizado na Rua C, Quadra 8, Lote 4 - Loteamento Vila Dois de Julho - Trobogy - Salvador- Bahia, que é dirigido por Anselmo Santos - Tata Dya Nkisi, filho de Mãe Mirinha.

Onzo Tata Kavungo - Terreiro São Lázaro localizado na Rua Queira Deus n 66 - Portão - Lauro de Freitas-Bahia, que é dirigido por Valdete dos Santos - Mametu Dya Nkisi, filha de santo e sobrinha de Mãe Mirinha.

O Terreiro São Jorge Filho da Goméia, depois da ausência de Mirinha do Portão, por impossibilidade pessoal da herdeira Maria das Graças Neves (Gracinha de Dandalunda)retornou as suas atividades dirigido provisoriamente por sua sobrinha e filha de santo do Nkisi Kavungo Valdete dos Santos, iniciada em 18 de fevereiro de 1971, tomando a Dijína Tarainssumbu. Hoje Mãe Tunga como é chamada, chefia o Onzó Tata Kavungu. Com o afastamento de Valdete dos Santos e, novamente, por motivos pessoais da herdeira Maria das Graças Neves (Gracinha de Dandalunda), está sendo dirigido pela irmã carnal de Gracinha, outra neta de Mãe Mirinha chamada Maria Lúcia Santana Neves, iniciada para o Nkisi Bambulusema em 27 de dezembro de 1986, tomando a Dijína de Kamurici.

A Prefeitura de Lauro de Freitas prestou uma homenagem a Mirinha de Portão dando o seu nome a um Terminal Turístico que existe às margens do Rio Joanes, o mesmo rio onde Mirinha viveu as traquinagens de infância e onde as águas de Dandalunda lhe serviram de companhia durante toda a vida.

No dia 15 de abril de 2004 o Terreiro São Jorge Filhos da Goméia foi tombado como Patrimônio Cultural do estado da Bahia, através do IPAC - Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do estado da Bahia, fruto do árduo trabalho de Mirinha desenvolvido durante anos.


fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/670530/conhecendo-museus---museu-comunitario-mae-mirinha-do-portao

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.



--in via tradutor do google
Culture - Candomble in Brazil, Community Museum Mother Mirinha Gate.

In order to preserve the culture, the San Jorge Children Association Goméia created this museum located in the Bahian town of Lauro de Freitas. Through activities that provide the rise of community self-esteem located at Gate neighborhood, children, youth and adults have access to computer courses and capoeira, dance and percussion workshops.



The museum collection consists of iron objects, silver, wood, straw, cloth, paper and other materials.
-
Altanira Maria Conceição Souza, Mother Mirinha Gate (Mameto Mirinha) (Lauro de Freitas, December 21, 1924 - ?, February 18, 1989) was the founder of Terreiro São Jorge Son of Goméia (Terreiro Gate) located in Lauro de Freitas, Bahia.

Mr. daughter of Nestor and Maria Lena grew up like every needy child and the periphery with eight (8) years of age went to live with his godmother in the city of Salvador in order to help with household chores.

Soon, the calls come to the Mirinha girl went to the Candomblé religion. I was jumping the windows stealthily that Mirinha watching some Candomblé parties without realizing it would have a bright future in Religion. Thus with the help of his carnal sister Claudine (nicknamed Coló) that even without being initiated in religion had an immense faith in his Dandalunda Nkisi and kept some rituals in devotion to her. This sister took Mirinha the home of the then young Holy Father John Alves Torres Filho, who would become later the legendary Johnny's Goméia, whose name Goméia was incorporated into its name from the great popular interest in knowing about the Holy Father and their knowledge of religion.

Mirinha starts at seven years of age, for Nkisi Mutalombô and its second Nkisi Bambulusema, along with 18 muzenzas. At the time was of great boldness done to take, as we speak in the language of Candomblé, a boat 19 muzenzas, but Johnny's Goméia was so (challenging and controversial), so in this way was born to Candomble Congo / Angola Bahia and Brazil to Monankisi "Sessa Dya Umbula" being called by his holy brothers by Sessetu, the name of your erê, being small daughter Kilondirá affectionately called by Mirinha Mother kilo.

Making his way into the Religion, Mirinha returns to gate and on December 25, 1952 she takes her first boat, consisting of two muzenzas: Antonio José da Conceição do Nkisi Kavungo and Maria Augusta's Nkisi Nkosi Mukumbi, was born around the Terreiro St. Jorge Son of Goméia and, as with his Holy Father, the name of the Gate village would be built forever to yours, now called Mirinha Gate.

In the course of his life, Mirinha marries Jarson da Costa Souza, an official of Salvador City Hall, better known as Garrincha, who contributed greatly to raising the national Gate Mirinha name and internationally.

Very social work was developed by Gate Mirinha in the locality where the Candomblé is deployed, such as: Public Transportation, Hospitals, Health Centers, Food campaigns (distribution of food baskets made by it with the help of some entrepreneurs), among others actions. He participated in the filming of the cinematographic work of his dear friend Jorge Amado: The Shepherds of the Night and Tent of Miracles, giving visibility to Gate community

His gratitude to Nkisi Dandalunda was touching the Mutalambô parties took place on a Saturday and Sunday happened the Dandalunda Present at Abaete Lagoon ending the party. The first small house mother was Nitinha of Oshun, today egbomi the Ile Axe Iya Nasso Oka - White House Terreiro then Maria delle Grazie Neves granddaughter and heiress of the Terreiro São Jorge Son of Goméia started to Dandalunda on July 3, 1977 he held the little mother put to death for Mirinha.

On February 18, 1989 the world woke saddest, died Mirinha Gate, after four years of fighting lymphoma.

The loss of Mirinha Gate left a huge void in the lives of all who knew her, lived with her and even the life of the Gate Community that certainly lost an authentic voice who dedicated his life to the struggle for social and racial equality.

But people like Gate Mirinha are generous too much to leave this life without leaving the fruit of what we sowed a lifetime.

There are some remaining Terreiros Terreiro São Jorge Son of Goméia like Onzo Nguso Za Nkisi Dandalunda Ye Weather - Terreiro Mokambo located on C Street, Block 8, Lot 4 - Allotment Village Two July - Trobogy - Salvador-Bahia, which is headed by Anselmo Santos - Tata Dya Nkisi the son of Mother Mirinha.

Onzo Tata Kavungo - Terreiro St. Lazarus located at May God Rua 66 - Gate - Freitas, Bahia de Freitas, which is directed by Valdete dos Santos - Mametu Dya Nkisi, holy daughter and niece of Mother Mirinha.

The Terreiro São Jorge Son of Goméia, after the absence of Mirinha Gate from personal inability heiress Maria delle Grazie Neves (Gracinha of Dandalunda) returned their activities directed provisionally by his niece and daughter Nkisi the holy Kavungo Valdete dos Santos, initiated on 18 February 1971, taking the Dijína Tarainssumbu. Today Mother Tunga as it is called, heads the Tata Onzo Kavungu. With the removal of Valdete dos Santos and again for personal reasons heiress Maria delle Grazie Neves (Gracinha of Dandalunda), is being directed by carnal sister Gracinha, another granddaughter of Mother Mirinha named Maria Lucia Santana Neves, started to Nkisi Bambulusema on December 27, 1986, taking the Dijína of Kamurici.

The Lauro de Freitas Prefecture paid tribute to Mirinha gate giving your name to a Tourist Terminal there on the banks of Joanes River, the same river where Mirinha lived the childhood romps and where Dandalunda water served him company during all life.

On April 15, 2004 Terreiro San Jorge Children's Goméia was declared a Cultural Heritage of Bahia, through the IPAC - Heritage Institute Artistic and Cultural the state of Bahia, due to the hard work of Mirinha developed over the years.

Nenhum comentário:

Postar um comentário