Google+ Followers

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Museu Usina Marmelos Zero, Minas Gerias, Brasil.

Inaugurada em 1889, a Usina de Marmelos Zero foi a primeira hidrelétrica da América do Sul. Até então, a energia era à base de querosene. Em 1983, o espaço foi transformado em museu, após seu tombamento pelo Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Juiz de Fora, e, desde 2000, é administrado pela UFJF. O museu tem em seu acervo peças da época, como painel de controle de energia, tripés de madeira e a réplica de um gerador, além de outros equipamentos e fotos.




O empreendimento foi idealizado por Bernardo Mascarenhas, importante industrial de Juiz de Fora, fundador da Companhia Mineira de Eletricidade em 1888. A Usina de Marmelos foi projetada para atender não apenas as indústrias de tecidos do empresário, mas também para fornecer eletricidade à iluminação pública da cidade, antes alimentada a gás.

A usina está localizada no Rio Paraibuna, às margens da Estrada União e Indústria, outro importante marco da engenharia no Brasil no século XIX. O pioneirismo valeu a Juiz de Fora o título de "Manchester Mineira".

A crescente demanda por energia levou sucessivas expansões da usina, que atualmente conta com uma potência instalada de 4 MW, sendo portanto uma PCH (Pequena Central Hidrelétrica), conforme a classificação adotada pela ANEEL atualmente.

A Companhia Energética de Minas Gerais adquiriu a hidrelétrica em 1980. Em 1983, a Usina de Marmelos foi tombada pelo patrimônio municipal de Juiz de Fora e transformada em espaço cultural. Foi instalado na edificação da usina o Museu de Marmelos Zero, que desde 2000 é administrado pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Em 1980, a CEMIG adquiriu a hidrelétrica, reformando-a. Foi reaberta como museu em 1983, que a partir de 2000 passou a ser mantido pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Além das construções de época, o local abriga instrumentos de levantamento topográfico, fotos, máquinas de escrever e o livro de contabilidade da Companhia Mineira de Energia.




fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário