Google+ Followers

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Regional Museum of History – Shumen. --- Museu Regional de História - Shumen.

The museum is a successor of the District National Museum opened in 1904 at the Archaeological Society in the town and preserves more than 150 000 records of the past, 15 000 of which are displayed in the exhibition halls. It is amongst the richest museums in Bulgaria. The exhibition follows the history of the Shumen region in the context of the European and Bulgarian history from the 5th millennium BC till the 20th century. It is housed in a specially constructed building.



The Regional Museum of History comprises Pliska National Historical and Archaeological Reserve, Madara National Historical and Archaeological Reserve, Shumen Fortress Archaeological Reserve, three house museums – P. Volov’s, D. Voynikov’s, Lajosh Kossuth’s and Pancho Vladigerov Museum Complex.

Since hoary antiquity the lands of the Shumen region have been lying at the historical crossroads. Many tribes and races have gone through this land and left solid marks with their material and spiritual culture. The first traces of human life on the territory of the Shumen region date back to the 5th millennium BC.

The earliest finds discovered during the excavations of the Shumen fortress – the predecessor of the modern town – are from the 12th c. BC. In the course of time the fortress was inhabited by Thracians, Romans, Byzantines and Slavs. The strategic location allotted its important part in the historical events of the European southeast.

Due to the proximity of the Shumen fortress with the Old Bulgarian capitals Pliska and Preslav and the related to them cult center Madara the rulers of the First Bulgarian Kingdom retained it as a martial stronghold. It was of great wartime strategic significance during the Second Bulgarian Kingdom too when the Tarnovo kings relied on it for the defense of the state from the east. A unique stone inscription states the visit of the Bulgarian tsar Ivan-Shishman in Shumen on the eve of the Turkish incursion. It is the earliest domestic source that bares the modern name of the town.

The town was conquered by the troops of Ali Pasha in 1388 and a small Turkish garrison was settled there. Shumen played a significant strategic role in the devastating war, when Bulgaria was completely conquered by the Turkish invader. In 1444 after a couple of days’ siege the fortress was subjugated by the troops of the Second Crusade of Wladyslaw III Jagiello – king of Poland and Hungary. After the failure of the crusade the Turks returned in town and gradually turned it into an important military and economic center that endured till the Liberation.

There is scarce data about the Shumen’s history in the first decades of bondage. The social life declined, mainly Muslim cult buildings were constructed. In 1744 with the donation of Sherif Halil Pasha the Tombul Mosque was built – the largest mosque on the Bulgarian lands, still preserved.

A couple of centuries after the conquest Shumen turned into a solid Turkish stronghold – part of the fortified quadrangle Varna-Ruse-Silistra-Shumen and its history was related to the Russo-Turkish wars from 18th and 19th c.

During the Revival period Shumen was one of the fastest developing economical and cultural centers on Bulgarian lands. The town was known for its bustling streets, numerous craftsman’s workshops and shops, with more than twenty craft guilds, and its own towns self government. The articles made by the local craftsmen were sent to all the trade fairs and bazaars in and out of the Turkish Empire. Commodities from Marseille, Manchester, Prague, Vienna, and Budapest were imported here.


History assigns a merited place of the contribution of the town to the Bulgarian spiritual revival. In Shumen school syllabi after European model were drawn up and the first public school exam was held in 1846. The first school for girls was opened in 1856, a school convention was adopted for the village schools and compulsory primary education in the eparchy of Varna and Preslav was introduced. In 1813 the first celebration of the day of the Saints Cyril and Methodius was organized and the first theater play in Bulgaria was staged then. In 1856 Sava Dobroplodni’s comedy Michal was staged here, still pointed as the origin of the Bulgarian theater by the historians. One of the first cultural centers (chitalishte) – Archangel Michael was established in 1856. In 1850 the first Bulgarian orchestra for European music was formed in Shumen and shortly after – the first school choir and orchestra. The authors of the first original Bulgarian drama (D. Voynikov – Stoyan Voivode) and of the first Bulgarian short novel (V. Drumev – A Woeful Family) are also from Shumen.

Shumeners participated the struggle for church independence, in the Stara Zagora uprising in 1875, in the Russo-Turkish liberation war that brought the liberation of Shumen not until 6(18).07.1878.

After the Liberation the town preserved its place amongst the significant administrative, economic, cultural and military centers in Bulgaria. At the expense of the decline of traditional arts, the manufactured goods developed. In 1882 the first brewery in Bulgaria was estimated here and its brand Shumensko pivo is amongst today’s most popular. Furriery, furniture and chemical industry developed. The town was amongst the founders and innovators of the pedagogical education. In 1914 the first opera-theater in Bulgaria was opened

During the 50’s – 80’s of the 20th c. the destiny of Shumen is similar to that of the first ten towns in Bulgaria.


From 1950 to 1966 its name was Kolarovgrad, and after that the town was renamed again to Shumen. It remained an important administrative center – district, regional, municipal. Mechanical engineering, non-ferrous metallurgy and woodworking industry are developed.

Shumen is an academic town.

A number of professional institutes represent the culture in the town – Dramatic and Puppet Theater, Art Gallery, Regional Library, Regional Museum (one of the richest in Bulgaria), four memorial house-museums.

Nowadays Shumen has 82 500 residents and this makes it the tenth in Bulgaria.





fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.

Vamos compartilhar.



--br via tradutor do google

Museu Regional de História - Shumen.

O museu é um sucessor do Museu Nacional District abriu em 1904 na Sociedade de Arqueologia na cidade e preserva mais de 150 000 registos do passado, 15 000 dos quais são exibidos nas salas de exposição. Ele está entre os museus mais ricos da Bulgária. A exposição segue a história da região de Shumen no contexto da história europeia e da Bulgária a partir do quinto milênio aC até o século 20. Ele está instalado em um prédio especialmente construído.

O Museu de História Regional compreende Pliska Nacional Histórico e Arqueológico Reserve, Madara Nacional Histórico e Arqueológico Reserve, Shumen Fortress Archaeological Reserve, três museus da casa - P. de Volov, D. Voynikov de, Lajos Kossuth e de Pancho Vladigerov Museum Complex.

Desde antigüidade as terras da região de Shumen foram deitado na encruzilhada histórica. Muitas tribos e raças passaram por esta terra e deixou marcas sólidas com sua cultura material e espiritual. Os primeiros vestígios de vida humana sobre o território da região Shumen data de volta para o quinto milênio antes de Cristo.

O primeiro encontra descoberto durante as escavações da fortaleza Shumen - o antecessor da cidade moderna - são do 12º c. BC. No decorrer do tempo, a fortaleza foi habitada pelos trácios, romanos, bizantinos e eslavos. A localização estratégica recebe o seu papel importante nos eventos históricos do sudeste europeu.
Devido à proximidade da fortaleza Shumen com as capitais búlgara velha Pliska e Preslav eo relacionado a elas centro de culto Madara os governantes da Primeira búlgaro Unido manteve-o como um reduto marcial. Foi de grande importância estratégica em tempo de guerra durante a Segunda búlgaro Unido também quando os reis Tarnovo confiou nele para a defesa do Estado a partir do leste. A inscrição em pedra única afirma a visita do czar búlgaro Ivan-Shishman em Shumen, na véspera da invasão turca. É a mais antiga fonte doméstica que descobre o nome moderno da cidade.

A cidade foi conquistada pelas tropas de Ali Pasha em 1388 e uma pequena guarnição turca foi resolvido lá. Shumen desempenhou um papel estratégico significativo na guerra devastadora, quando a Bulgária foi completamente conquistado pelo invasor turco. Em 1444, após um par de dias de cerco a fortaleza foi subjugado pelas tropas da Segunda Cruzada de Wladyslaw Jagiello III - rei da Polônia e Hungria. Após o fracasso da cruzada os turcos retornaram na cidade e gradualmente transformou-o em um importante centro militar e econômico que suportou até a Libertação.

Não há dados escassos sobre a história do Shumen nas primeiras décadas da escravidão. A vida social diminuiu, principalmente edifícios de culto muçulmanos foram construídos. Em 1744, com a doação de Sherif Halil Pasha Mesquita Tombul foi construída - a maior mesquita nas terras búlgaras, ainda preservada.
Um par de séculos após a conquista Shumen transformado em uma fortaleza sólida turco - parte do quadrilátero fortificada Varna-Ruse-Shumen Silistra-e sua história foi relacionado com as guerras russo-turcas de 18 e 19 c.

Durante o período Revival Shumen foi uma das mais rápido desenvolvimento dos centros económicos e culturais em terras búlgaras. A cidade foi conhecida por suas ruas movimentadas, workshops e inúmeras lojas de artesão, com mais de vinte corporações de ofício, e sua próprias cidades auto governo. Os artigos feitos pelos artesãos locais foram enviados a todas as feiras e bazares dentro e fora do Império Turco. Commodities de Marselha, Manchester, Praga, Viena, Budapeste e foram importados aqui.

História atribui um lugar merecido da contribuição da cidade para o reavivamento espiritual búlgaro. Em Shumen currículos escolares após modelo europeu foram elaboradas eo primeiro exame da escola pública foi realizada em 1846. A primeira escola para meninas foi inaugurado em 1856, uma convenção escola foi adotado para as escolas das aldeias e ensino primário obrigatório na Eparquia de Varna e Preslav foi introduzido. Em 1813, a primeira celebração do dia dos Santos Cirilo e Metódio foi organizado ea primeira peça de teatro na Bulgária foi encenado em seguida. Em 1856, a comédia de Sava Dobroplodni Michal foi encenada aqui, ainda apontada como a origem do teatro búlgaro pelos historiadores. Um dos primeiros centros culturais (chitalishte) - Arcanjo Miguel foi criada em 1856. Em 1850, a primeira orquestra da Bulgária para a música européia foi formada em Shumen e pouco depois - o primeiro coro da escola e orquestra. Os autores do primeiro drama búlgaro original (D. Voynikov - Stoyan Voivode) e da primeira novela curta búlgaro (V. Drumev - Uma família Woeful) são também de Shumen.

Shumeners participou da luta pela independência igreja, na revolta Stara Zagora em 1875, na guerra de libertação Russo-Turca, que trouxe a libertação de Shumen não até 6 (18) .07.1878.

Após a libertação da cidade preservou o seu lugar entre os centros administrativos, econômicos, culturais e militares significativas na Bulgária. À custa do declínio das artes tradicionais, os produtos manufaturados desenvolvido. Em 1882, a primeira fábrica de cerveja na Bulgária foi estimado aqui e sua marca está entre Shumensko pivo de hoje mais populares. Furriery, mobiliário e indústria química desenvolvida. A cidade estava entre os fundadores e inovadores do ensino pedagógico. Em 1914, a primeira ópera-teatro na Bulgária foi inaugurado.

Durante os anos 50 - os anos 80 do 20º c. o destino de Shumen é semelhante à dos primeiros dez cidades da Bulgária.

A partir de 1950-1966 o seu nome foi Kolarovgrad, e depois que a cidade foi renomeada novamente para Shumen. Ele permaneceu um importante centro administrativo - distrito, regional, municipal. Engenharia mecânica, metalurgia não-ferrosos e indústria da madeira são desenvolvidos.
Shumen é uma cidade acadêmica.

Um número de institutos profissionais representam a cultura na cidade - Dramática e Teatro de Marionetes, Galeria de Arte, Biblioteca Regional, Museu Regional (uma das mais ricas na Bulgária), quatro casas-museus memoriais.
Hoje em dia Shumen tem 82 500 habitantes e isso torna o décimo na Bulgária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário