Google+ Followers

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

The KODE museum.

KODE Art Musems of Bergen exhibits an exceptional permanent presentation of its unique Edvard Munch collection in KODE 3.


KODE Art Museums of Bergen exhibits the second largest collection of Munch paintings in the world outside of Oslo. From an art historical perspective, the collection is unique because it exhibits works from all the major paradigms in Edvard Munch’s artistic career.

Among others we have many of the important paintings from the “Frieze of Life” – a series of paintings where Munch depicts the psyche of the modern human being. Munch himself described the “Frieze of Life” as the major work of his oeuvre.Jealousy, Melancholy, Women in Three Stages, Evening on Karl Johan and By the Death Bed are all from the “Frieze of Life”, and they are all exhibited together in the Rasmus Meyer Collection in KODE 3.

Popular collection
Bergen’s Munch collection has been represented at Munch exhibitions all over the world for many years. The collection constituted the majority of the large exhibition Edvard Munch – Angst/Anxiety, at ARoS Art Museum. Major works from the collection were also present at the grand exhibition Modern Eye at Centre Pompidou in Paris and Tate Modern in London, the exhibition L’univers d’Edvard Munch at Musee des Beaux-arts in Caen, and the exhibition Edvard Munch – Mystery behind the Canvas at Kunsthalle Bremen.

Other museums that have borrowed works from the collection include Louisiana in Denmark, Villa Manin in Italy and the Van Gogh Museum in Amsterdam.

The scream of Bergen
The collection in Bergen consists of more than 100 paper works and 50 paintings. Most of the works are part of the collection of Rasmus Meyer, whom acquired a number of major works by Norwegian artists towards the end of the 19th century and the beginning of the 20th century. Several of the paper works have not been available for the public in 20 years. One of the works is a unique version of Scream, which Munch drew with pen and ink. This smaller scale version of Scream is one of the jewels in the new Munch museum, which opened for the public on May 4 this year.

The rest of the Rasmus Meyer Collection consists of a rich collection of art from Norway's "Golden Age", as well as historical interiors and furniture. The building has been extensively renovated over the last year, and has now emerged in new splendor.

-
The KODE museum has a long and solid history. From the time that a handful of Bergen citizens started thinking that the city ought to have a museum for the visual arts (in 1825) and artisanal handcraft (in 1887), the museum has grown in volume. Today it encompasses four large buildings by the Bergen City Park and 'Lille Lungegårds' lake, and comprises a grand total of 43,000 works of art. Since its beginning, the museum has had a range of names, ownerships, locations, and gone through various expansions. The last great change came in 2006 when Bergen Art Museum, the West Norway Museum of Decorative Art and the composers’ homes of Edvard Grieg, Ole Bull and Harald Sæverud were consolidated into one museum unity under the lead of one director, and given the name 'The Art Museums of Bergen'.

Bergen Art Museum had three buildings in Rasmus Meyers allé: Stenersen, the Rasmus Meyer Collections and Lysverket. At that point the West Norway Museum of Decorative Art, located in the building Permanenten, had kept its name and location ever since the beautifully tiled edifice by the park was constructed in 1897. The name Bergen Art Museum was launched in 1999 – before that, the museum went under the name the Bergen Gallery of Visual Arts. During the course of the museum’s extensive history, the Stenersen Collection and the Rasmus Meyer Collections were also added – buildings as well as art collections. The Lysverket structure is the newest addition to the museum, and was finished in 2003.
The 17th of April 2013 heralds a new era for the museum. We made the jump to the short and simple name of KODE that will be easy to remember and easy to communicate. The use of KODE 1, 2, 3 or 4 on the banners adorning the buildings in the Bergen city centre is motivated by the hope and desire that this will help guests from both Bergen and afar to find their way to the art treasures that we’re so immensely proud of! The composers’ homes are part of KODE, but will all keep their own unique names; Edvard Grieg Museum Troldhaugen, Harald Sæverud Museum Siljustøl and Ole Bull Museum Lysøen.
KODE can boast a wide-ranging history, but independent of both old names and locations, a unified goal of collecting, preserving, documenting, researching and displaying art and art objects is still the core of the museum operation.



fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura é o único antídoto que existe contra a ausência de amor.


Vamos compartilhar.



--br via tradutor do google
Edvard Munch
KODE Art Musems de Bergen exibe uma apresentação permanente excepcional de sua exclusiva coleção Edvard Munch em KODE 3.
KODE Museus de arte de Bergen apresenta a segunda maior coleção de pinturas Munch no mundo fora de Oslo. Do ponto de vista da história da arte, a coleção é único porque ele exibe obras de todos os grandes paradigmas na carreira artística de Edvard Munch.
Entre outros, temos muitas das pinturas importantes da "Frieze of Life" - uma série de pinturas onde Munch retrata a psique do ser humano moderno. Munch mesmo descreveu o "Friso da Vida" como a maior obra de sua obra. Ciúmes, Melancolia, Mulheres em três etapas, à noite sobre Karl Johan e pela morte Bed são todos da "Frieze of Life", e todos eles são exibidos juntos na Coleção Meyer Rasmus em KODE 3.
Coleção Popular
Coleção Munch de Bergen tem sido representado em exposições Munch em todo o mundo por muitos anos. A coleta constituíram a maioria da grande exposição Edvard Munch - Angst / Ansiedade, no Museu de Arte ARoS. Principais obras da coleção também estiveram presentes na grande exposição moderno Olho no Centro Pompidou, em Paris e Tate Modern em Londres, a exposição L'univers d'Edvard Munch no Musee des Beaux-Arts em Caen, ea exposição Edvard Munch - Mystery por trás da lona em Kunsthalle Bremen.
Outros museus que têm emprestado obras da coleção incluem Louisiana na Dinamarca, Villa Manin na Itália e do Museu Van Gogh, em Amsterdã.
O grito de Bergen
A coleção consiste em Bergen de mais de 100 obras de papel e 50 pinturas. A maioria dos trabalhos são parte da coleção de Rasmus Meyer, quem adquiriu uma série de grandes obras de artistas noruegueses no final do século 19 e início do século 20. Várias das obras de papel não estão disponíveis para o público em 20 anos. Uma das obras é uma versão única de Scream, que Munch empatou com pena e tinta. Esta versão menor escala de grito é uma das jóias do museu Munch novo, que abriu para o público no dia 4 de maio deste ano.
O resto da coleção Meyer Rasmus é composto por uma rica coleção de arte de "Idade de Ouro" da Noruega, bem como interiores históricos e mobiliário. O edifício foi renovado no ano passado, e surgiu agora um novo esplendor.
O museu KODE tem uma história longa e sólida. A partir do momento que um punhado de cidadãos Bergen comecei a pensar que a cidade deveria ter um museu para as artes visuais (em 1825) e artesanato artesanal (em 1887), o museu tem crescido em volume. Hoje ela engloba quatro grandes edifícios pelo City Park Bergen e do lago 'Lille Lungegårds', e conta com um total de 43.000 obras de arte. Desde o seu início, o museu tem tido uma série de nomes, posses, locais, e passou por várias expansões. A última grande mudança veio em 2006, quando Bergen Art Museum, o Museu Noruega ocidental de arte decorativa e casas dos compositores de Edvard Grieg, Ole Bull and Harald Sæverud foram consolidadas em uma unidade museu sob a liderança de um diretor, e recebeu o nome 'The Art of Bergen Museus'.
Museu de Arte de Bergen tinha três edifícios em Rasmus Meyers allé: Stenersen, The Rasmus Meyer Coleções e Lysverket. Nesse ponto, a Noruega Museu de Arte Decorativa Oeste, localizado no edifício Permanenten, tinha mantido seu nome e local desde o edifício maravilhosamente frio pelo parque foi construído em 1897. O nome do Museu de Arte de Bergen foi lançado em 1999 - antes disso, o museu foi sob o nome da Galeria de Artes Visuais Bergen. Durante o curso da extensa história do museu, a coleção Stenersen e os Rasmus Meyer coleções foram também adicionados - edifícios, bem como colecções de arte. A estrutura Lysverket é a mais nova adição ao museu, e foi concluída em 2003.
A 17 de abril, 2013 anuncia uma nova era para o museu. Nós fizemos o salto para o nome curto e simples de KODE que vai ser fácil de lembrar e fácil de se comunicar. O uso de KODE 1, 2, 3 ou 4 nos banners que decoram os edifícios no centro da cidade de Bergen é motivado pela esperança e desejo que isso vai ajudar os hóspedes de ambos Bergen e de longe para encontrar seu caminho para os tesouros de arte que nós ' re tão imensamente orgulhoso de! As casas dos compositores fazem parte de KODE, mas todos irão manter os seus próprios nomes exclusivos; Edvard Grieg Museum Troldhaugen, Harald Sæverud Museu Siljustol e Ole Touro Museu Lysøen.
KODE pode gabar-se uma história abrangente, mas independente de ambos os nomes e os locais antigos, uma meta unificada de colecionar, preservar, documentar, pesquisar e exibir arte e objetos de arte ainda é o núcleo da operação museu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário