Google+ Followers

domingo, 18 de setembro de 2016

Restaurador Hela Djobbi trabalha na restauração do Monumento à Independência, em São Paulo, Brasil. --- Restorer Hela Djobbi working on the restoration of the Monument to Independence, in São Paulo, Brazil.

São Paulo - Um especialista da Tunísia participa na restauração do Monumento à Independência (Monumento à Independência) no parque homónimo, no bairro do Ipiranga, São Paulo. Hela Djobbi é um membro da equipe que está restaurando o slogan gravado "Independência ou Morte" (Independência ou Morte) na fachada do monumento. Ela estudou Artes em Tunis, a capital do país Africano do Norte, antes de tomar estudos de especialização em restauração de esculturas de metal na França. Agora ela está completando um estágio de quatro meses, que é o que a trouxe para São Paulo para executar estes estudos.



"Vamos restaurar a escultura da corrosão e pequenas fissuras. Trazer de volta a sua cor natural, suas características ", disse o restaurador à ANBA na quinta-feira (15). O Monumento à Independência, bem como as fontes e jardins no Parque da Independência, foram restauradas no início de 2000 e agora está na necessidade de uma nova restauração. "É normal para levar a cabo estes reparos de vez em quando, especialmente em esculturas localizados em espaços abertos", disse ela.

Na restauração, a equipe precisa para recuperar a cor original
 e eliminar a corrosão nas esculturas

Esta é a primeira vez de Djobbi em São Paulo. Ela vai ficar na Vila Mariana e tomou seu tempo na cidade para conhecer lugares de arte famosas. "Eu fui a Pinacoteca e Masp e também visitou a Bienal de São Paulo. Eu pensei que era muito bom ", disse ela. Sua impressão da cidade foi além da colecção de arte. "De certa forma, São Paulo é semelhante a Tunis. As pessoas valorizam a proximidade e são muito hospitaleiro. Eu pensei que a cidade a ser mais organizada do que Tunis ", disse ela.

O restaurador foi estudar na École Supérieure des Beaux-Arts em Tours, uma cidade localizada a uma hora da capital Paris. A partir de 2011 e 2014, trabalhou no museu principal da Tunísia, o Museu Nacional de Bardo. O lugar tem uma rica coleção de mosaicos e esculturas da Grécia Antiga. Em março de 2015, no entanto, homens armados invadiram o museu e matou 22 pessoas. O objetivo do 34-year-old restaurador é voltar para a Tunísia no final do seu curso e trabalhar lá com o marido para preparar o terreno para a profissão no país. "A cultura é muito importante e Tunísia tem uma grande e rica cultura. Nós temos que cuidar dela, preservá-lo ", disse ela.


A restauração do Monumento à Independência inclui atualmente o slogan alto-relevo na fachada e no interior do mausoléu, que detém os restos mortais de D. Pedro I e suas duas esposas: Imperatriz Dona Leopoldina e Imperatriz Dona Amélia. O projeto de restauração está sendo feito pelo Departamento de Patrimônio Histórico (DPH), órgão da Secretaria Municipal da Cultura, que é responsável pelos monumentos históricos da cidade.

Marcos Carrieri / ANBA

Monumento: homenagem à Independência do Brasil

O projecto, com um orçamento de R $ 1.090 milhões (USD 330.000), é realizado por uma equipe de sete restauradores de KSA Fundição Artística chefiadas por Antoine Thierry Amarger e Israel Kislansky.

"Os restauradores irá restaurar as esculturas de desgaste da superfície, remover a sujeira e porosidade. A parte estrutural do monumento também vai ser restaurado nesta fase ", disse Kislansky. Esta fase deve ser concluída em dois meses. Outras fases do projecto, tais como a restauração do principal escultura do Monumento à Independência, ainda estão à espera de aprovação da cidade.




Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

Marcos Carrieri
marcos.carrieri@anba.com.br

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.





--in
São Paulo – A Tunisian expert is taking part in the restoration of Monumento à Independência (Monument to the Independence) in the namesake park in the neighborhood of Ipiranga, São Paulo. Hela Djobbi is a member of the team that is restoring the embossed slogan “Independência ou Morte” (Independence or Death) on the monument’s façade. She studied Arts in Tunis, the capital of the North African country, before taking specialization studies on restoration of metal sculptures in France. Now she’s completing a four month internship, which is what brought her to São Paulo to execute these studies.

“We will restore the sculpture from corrosion and small cracks. Bring back its natural color, its features”, said the restorer to ANBA on Thursday (15). The Monument to the Independence, as well as the fountains and gardens in the Independence Park, were restored in the early 2000s and now are in need of a new restoration. “It’s normal to carry out these repairs from time to time, especially in sculptures located in open spaces”, she said.

This is Djobbi’s first time in São Paulo. She’s staying in Vila Mariana and took her time in the city to get to know famous art spots. “I went to Pinacoteca and Masp and also visited the Bienal de São Paulo. I thought it was very good”, she said. Her impression of the city went beyond the art collection. “In some ways, São Paulo is similar to Tunis. People value proximity and are very hospitable. I thought the city to be more organized than Tunis”, she said.

The restorer has been studying at the École Supérieure des Beaux-Arts in Tours, a city located an hour from the capital Paris. From 2011 and 2014, she worked in Tunisia’s main museum, the Bardo National Museum. The place has a rich collection of mosaics and sculptures from Ancient Greece. In March 2015, however, armed men invaded the museum and killed 22 people. The goal of the 34-year-old restorer is to return to Tunisia at the end of her course and work there with her husband to lay the groundwork for the profession in the country. “Culture is very important and Tunisia has a great and rich culture. We have to take care of it, preserve it”, she said.

The restoration of the Monument to the Independence currently includes the embossed slogan in the façade and the inside of the mausoleum, which holds the mortal remains of D. Pedro I and his two wives: empress Dona Leopoldina and empress Dona Amélia. The restoration project is being done by the Historic Heritage Department (DPH), agency of the Municipal Secretariat of Culture, which is responsible for the historic monuments of the city.

The project, with a budget of BRL 1.090 million (USD 330,000), is carried out by a team of seven restorers from KSA Fundição Artística headed by Antoine Amarger and Israel Kislansky.

“The restorers will restore the sculptures from surface wear, remove dirt and porosity. The structural part of the Monument will also be restored in this phase”, said Kislansky. This phase should be finished in two months. Other phases of the project, such as the restoration of the main sculpture of the Monument to the Independence, are still waiting for approval from the city.



Nenhum comentário:

Postar um comentário