Google+ Followers

sábado, 3 de setembro de 2016

'The Knight In The Panther's Skin' is a Georgian medieval epic poem, written in the 12th century by Georgia's national poet Shota Rustaveli.. --- 'O cavaleiro na pele do Panther "é um poema épico medieval da Geórgia, escrito no século 12 pelo poeta nacional da Geórgia Shota Rustaveli.

Georgian treasure added to UNESCO Memory of the World Register


Considered Georgia’s epic poem, Knight in the Panther’s Skin by Shota Rustaveli dates from the late twelfth century when the country reached the peak of its medieval social, economic, cultural and political development. The masterpiece is remarkable for the striking harmony and beauty of its poetry and the elegance of its language which makes it complicated to render in any foreign language. Probably the greatest attempt to introduce the English speaking communities to the Knight in the Panther’s Skin was undertaken by Marjory Wardrop and her brother Oliver, who was the first Chief British Commissioner of Transcaucasus in the early twentieth century.




The Bodleian’s Georgian poetry collection includes many rare books and manuscripts, including two richly illuminated seventeenth-century manuscripts of Rustaveli’s epic, as well as English prose translations undertaken by the Wardrops. The Bodleian Library’s Wardrop collection of books and manuscripts remains one of the finest collections of Kartvelain material outside Georgia, and includes many letters, travel notes and examples of Georgian music.

Dr Gillian Evison, Head of the Bodleian Libraries’ Oriental Section and Indian Institute Librarian said: ‘The Knight in the Panther’s Skin deserves a special place in the study of medieval epic tradition, both European and Oriental. The inscription of this remarkable epic poem in the UNESCO Memory of the World Register should raise awareness of this gem of the Georgian culture and promote interest in medieval Georgian culture in British and European academia and also among general public.’

Established in 1992, the UK Memory of the World Programme is part of a worldwide initiative to protect, preserve and promote access to the world’s documentary heritage.

The Knight in the Panther’s Skin is the third treasure from the Bodleian’s collection to be added to the register. It joins the Libraries’ ninth century Cura Pastorali of Gregory the Great, the first surviving book written entirely in English, and the fourteenth century Gough Map, the earliest surviving route map of the Britain, which were both added in 2011.

About the UNESCO UK/World Memory of the World Register

United Nations Educational Scientific and Cultural Organization (UNESCO) is the ‘intellectual’ agency of the United Nations and was established in 1945.

The UNESCO Memory of the World Programme aims to facilitate preservation of the world's documentary heritage, to assist universal access and to increase awareness worldwide of the existence and significance of this documentary heritage through both an international Register and individual country Registers. This globally-recognised status celebrates some of the UK’s most exceptional archive riches.

To learn more about the programme visit the MoW website. 

--
'The Knight In The Panther's Skin' is a Georgian medieval epic poem, written in the 12th century by Georgia's national poet Shota Rustaveli.

A definitive work of the Georgian Golden Age, the poem consists of over 1600 Rustavelian Quatrains and is considered to be the 'masterpiece of the Georgian literature'. Until the early 20th century, a copy of this poem was part of the dowry of any bride 

In 2016 celebrated the 850th anniversary of the famous Georgian poet and public figure of the XII century, the author of the epic poem "The Knight in the Panther's Skin" by Shota Rustaveli (1160-1166-1216). Humanity will celebrate the anniversary of the poet's activities around the world.

---
Little, if anything, is known about Rustaveli from contemporary sources. His poem itself, namely the prologue, provides a clue to his identity: the poet identifies himself as "a certain Rustveli." "Rustveli" is not a surname, but a territorial epithet which can be interpreted as "of/from/holder of Rustavi". Later Georgian authors from the 15th through 18th centuries are more informative: they are almost unanimous in identifying him as Shota Rustaveli, a name which is preserved on a fresco and a document from the formerly Georgian Monastery of the Holy Cross at Jerusalem. The fresco was described by the Georgian pilgrim Timote Gabashvili in 1757/58, and rediscovered by a team of Georgian scholars in 1960. 

The same Jerusalem document speaks of Shota as a sponsor of the monastery and a "high treasurer", thus echoing a popular legend that Rustaveli was a minister at Queen Tamar’s court and retired to the monastery at an advanced age. Both a folk tradition and the 17th-century royal poet Archil identify Rustaveli as a native of the southern Georgian region of Meskheti, where his home village Rustavi was located (not to be confused with the modern-day city of Rustavi near Tbilisi). He is assumed to have been born between 1160 and 1165. A legend states that Rustaveli was educated at the medieval Georgian academies of Gelati and Ikalto, and then in "Greece" (i.e., the Byzantine Empire). He must have produced his major work no earlier than the 1180s and no later than the first decade of the 13th century, most probably 1205-1207.

The Knight in the Panther's Skin has been translated into many languages. It was first printed in 1712 in the Georgian capital Tbilisi. The manuscripts of The Knight in the Panther's Skin occupy an important place among the works produced in Georgia.

Two folios of this text, dating from the 16th century, are located in the Institute of Manuscripts of Georgia in Tbilisi, and some lines of the poem from the 14th century are also held there. All other copies of the poem date from the 17th century.

The highest Georgian state prize in the fields of art and literature is the Shota Rustaveli State Prize. Tbilisi's main thoroughfare is Rustaveli Avenue. In Tbilisi, one can also find the Rustaveli Theatre, the Shota Rustaveli Institute of Georgian Literature of the Georgian Academy of Sciences, and the Rustaveli (Tbilisi Metro), among many other landmarks bearing his name.

Vandalism of Rustaveli fresco in Israel

The fresco representing the legendary Georgian poet Shota Rustaveli was vandalized in June 2004 in the 11th-century Georgian-built Monastery of the Holy Cross. An unknown vandal scratched out the face of Shota Rustaveli and part of the accompanying Georgian inscription with his name on the south-west pier. Georgia officially complained to Israel after the priceless fresco was defaced in Jerusalem.

Legacy

On September 3, 2001, Israel and Georgia jointly issued postage stamps to honor Shota Rustaveli. Designed by Yitzhak Granot, the Israeli stamp (3.40 NIS) showed the author with Hebrew text in the background.

Mihály Zichy

Mihály Zichy, a 19th-century Hungarian painter, rose to the rank of "national painter" in Georgia as he produced the classic illustrations that have been frequently used in editions of Rustaveli's poetry. A sculpture and a street commemorate Zichy's work in Tbilisi.









Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti

colaboração: Irma Arevadze


http://www.bodleian.ox.ac.uk/news/2014/jun-19
https://en.wikipedia.org/wiki/Shota_Rustaveli

Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.









--br via tradutor do google
'O cavaleiro na pele do Panther "é um poema épico medieval da Geórgia, escrito no século 12 pelo poeta nacional da Geórgia Shota Rustaveli.

tesouro georgiano adicionado à memória UNESCO of the World Register

poema épico ponderada da Geórgia, Knight na pele do Panther por Shota Rustaveli data do final do século XII, quando o país atingiu o auge de seu desenvolvimento social, económico, cultural e política medieval. A obra-prima é notável para a harmonia impressionante e beleza de sua poesia e a elegância da sua linguagem que torna complicado para processar em qualquer língua estrangeira. Provavelmente, a maior tentativa de introduzir o Inglês falando comunidades ao cavaleiro na pele do Panther foi realizada por Marjory Wardrop e seu irmão Oliver, que foi o primeiro Chefe britânico Comissário da Transcaucásia no início do século XX.

coleção de poesia georgiana da Bodleian inclui muitos livros raros e manuscritos, incluindo dois manuscritos ricamente iluminados do século XVII de épico de Rustaveli, bem como traduções inglesas prosa empreendidas pelas Wardrops. coleção Wardrop de livros e manuscritos da Biblioteca Bodleian continua a ser uma das melhores colecções de material Kartvelain fora Georgia, e inclui muitas cartas, notas de viagem e exemplos de música georgiano.

Dr Gillian Evison, Chefe do bibliotecas Bodleian «Secção Oriental e de Indian Institute bibliotecário disse:" O cavaleiro na pele do Panther merece um lugar especial no estudo da tradição épica medieval, tanto a nível europeu e oriental. A inscrição do poema épico notável na memória UNESCO of the World Register deve sensibilizar para esta jóia da cultura da Geórgia e promover o interesse pela cultura georgiana medieval na academia britânica e europeia e também entre público em geral ».

Fundada em 1992, a memória do Reino Unido do Programa Mundial é parte de uma iniciativa mundial para proteger, preservar e promover o acesso ao património documental mundial.

O cavaleiro na pele do Pantera é o terceiro tesouro da coleção do Bodleian a ser adicionada ao registo. Ele se junta das Bibliotecas nono século Cura pastorali de Gregório Magno, o primeiro livro sobrevivente escrito inteiramente em Inglês, e do século XIV Gough Mapa, o mais antigo mapa de rotas da sobrevivência da Grã-Bretanha, que foram ambos adicionados em 2011.

Sobre a UNESCO UK / Memória do Mundo do Mundo Register

Científico das Nações Unidas para a Educação ea Cultura (UNESCO) é a agência "intelectual" das Nações Unidas e foi criada em 1945.

A memória UNESCO do Programa Mundial visa facilitar preservação do patrimônio documental mundial, para facilitar o acesso universal e para aumentar a consciência mundial sobre a existência e importância deste patrimônio documental, tanto através de um registo internacional e dos registos em países individuais. Esse status mundialmente reconhecido celebra algumas das riquezas de arquivo mais excepcionais do Reino Unido.

Para saber mais sobre o programa, visite o site da MoW.

-
'O cavaleiro na pele do Panther "é um poema épico medieval da Geórgia, escrito no século 12 pelo poeta nacional da Geórgia Shota Rustaveli.

A obra definitiva da Geórgia Golden Age, o poema é composto por mais de 1600 Rustavelian Quatrains e é considerada a obra-prima da literatura georgiana ". Até o início do século 20, uma cópia deste poema era parte do dote de qualquer noiva

Em 2016 celebrou o 850º aniversário do famoso poeta georgiano e figura pública do século XII, o autor do poema épico "O Cavaleiro na Pele da pantera" por Shota Rustaveli (1160-1166-1216). A humanidade vai comemorar o aniversário de atividades do poeta em todo o mundo.

---
Pouco, ou nada, se sabe sobre Rustaveli a partir de fontes contemporâneas. Seu poema em si, ou seja, o prólogo, fornece uma pista para sua identidade: o poeta se identifica como "uma certa Rustveli." "Rustveli" não é um sobrenome, mas um epíteto territorial que pode ser interpretado como "de / para / titular da Rustavi". Mais tarde, autores da Geórgia a partir do dia 15 através de 18 séculos são mais informativos: eles são quase unânimes em identificá-lo como Shota Rustaveli, um nome que é preservada em um ao ar livre e um documento do Mosteiro anteriormente georgiana da Santa Cruz em Jerusalém. 


O afresco foi descrito pela peregrina georgiano Timote Gabashvili em 1757/58, e redescoberto por uma equipe de estudiosos da Geórgia em 1960. O mesmo documento Jerusalém fala de Shota como um patrocinador do mosteiro e uma "alta tesoureiro", ecoando assim um popular lenda que Rustaveli era um ministro na corte da rainha Tamar e retirou-se para o mosteiro em idade avançada. Tanto a tradição popular eo poeta real do século 17 Archil identificar Rustaveli como um nativo da região georgiana sul do Meskheti, onde a sua aldeia natal Rustavi foi localizado (não deve ser confundida com a cidade moderna de Rustavi perto de Tbilisi). Ele é assumido ter nascido entre 1160 e 1165. Uma lenda afirma que Rustaveli foi educado nas academias georgianas medievais de Gelati e Ikalto, e depois em "Greece" (isto é, o Império Bizantino). Ele deve ter produzido sua obra mais importante, não antes de década de 1180 e o mais tardar na primeira década do século 13, provavelmente 1205-1207.

O cavaleiro na pele do Panther

O cavaleiro na pele do Panther foi traduzido para muitas línguas. Ele foi impresso pela primeira vez em 1712 na capital da Geórgia, Tbilisi. Os manuscritos de O Cavaleiro na Pele da Panther ocupam um lugar importante entre os trabalhos produzidos na Geórgia.

Dois fólios deste texto, que datam do século 16, está localizado no Instituto de Manuscritos da Geórgia em Tbilisi, e algumas linhas do poema do século 14 também são realizadas lá. Todas as outras cópias da data poema do século 17.

O maior prêmio Estado da Geórgia nos campos da arte e da literatura é o Prêmio de Estado Shota Rustaveli. rua principal de Tbilisi é Rustaveli Avenue. Em Tbilisi, também se pode encontrar o Teatro Rustaveli, a Shota Rustaveli Instituto de Georgian Literatura da Academia de Ciências da Geórgia, ea Rustaveli (Tbilisi Metro), entre muitos outros marcos que levam o seu nome.

Vandalismo do fresco Rustaveli em Israel

O afresco representando o poeta georgiano Shota Rustaveli lendário foi vandalizado em Junho de 2004 no Mosteiro do século 11 georgiano-construída da Santa Cruz. Um vândalo desconhecido arranhado o rosto de Shota Rustaveli e parte da inscrição georgiana de acompanhamento com o seu nome no cais sul-oeste. Georgia queixou oficialmente a Israel após o afresco de valor inestimável foi desfigurado em Jerusalém.

Legado

Em 3 de setembro de 2001, Israel e Geórgia, emitido em conjunto selos postais para honrar Shota Rustaveli. Desenhado por Yitzhak Granot, o selo Israeli (3,40 NIS) mostrou o autor com o texto hebraico no fundo.

Mihály Zichy

Mihály Zichy, um pintor húngaro do século 19, subiu para o posto de "pintor nacional" na Geórgia como ele produziu as ilustrações clássicas que têm sido frequentemente usados ​​em edições da poesia de Rustaveli. Uma escultura e uma rua comemorar o trabalho de Zichy em Tbilisi.








Nenhum comentário:

Postar um comentário