Google+ Followers

sábado, 24 de setembro de 2016

The Mysterious Mummies of Chile. --- As múmias Misteriosas de Chile.

In preparation for the opening of “Mummies of the World” at the end of this month (Member preview: Friday, 9/23, public opening at Noon on Saturday, 9/24) we will be posting a series of blogs exploring the science of mummification. Today, the subject will be Chinchorro mummies.






Most people associate mummies with ancient Egypt, but the Egyptians were not the first, nor the most successful artists in that craft. Both of those titles belong to South America. Some of the oldest artificially preserved mummies ever found were made by artisans of the Chinchorro culture in what is now Chile. The Chinchorro culture began mummifying their dead more than 7,000 years ago, 2,000 years before the Egyptians adopted the process.

Although the best preserved mummies produced in South America date to long after the Chinchorro disappeared, more in the range of a thousand years ago, the Chinchorro mummies are still quite complex. There are generally considered to be 3 phases of Chinchorro mummification method:

(Sometimes different phrasing is used, or the periods in which elaborate preservation methods are not used are added)


The earliest method of artificial mummification practiced by the Chinchorro, the black method, is quite interesting. The body of the deceased would be skinned, then the bones cleaned. Once those bones were nice and clean-ish, they would be tied back together with cordage, usually made of plant fiber. The jaw would be lashed to the skull, the joints would be tied together and reinforced with sticks to form kind of a skeletal armature. After that, the skin would go back over the body.




Unfortunately, the skin of Chinchorro mummies was preserved in a rather rudimentary way: by drying, sometimes over hot coals or ash. A side effect of this drying process is shrinkage. In fact, this same method was often used to preserve the famous shrunken heads produced by certain Amazonian cultures. In the Amazon, the shrinkage made for a nice, portable trophy/spiritual symbol, but for the Chinchorro it just made things more complicated. In order to fit back over the body, the skin of some Chinchorro mummies was patched up with the skin of animals like seals and pelicans. The resulting bag of bones would then be stuffed with plant material to look more plump and lively.

Next comes the head. The head would often be cut from the body before the skinning process began, possibly in order to clean the brain out. It was desirable that the ancestors have faces in the afterlife, but a face can be a hard thing to preserve, so a new one would often be shaped out of a grey paste made from ash and some kind of binder, like eggs, or animal blood. These faces are kind of the trade mark of the Chinchorro mummies. They are pretty creepy: they have little, round eyes and a gaping mouth. Some say they look very surprised, or perhaps terrified. I think they look rather childish and innocent. They remind me of the crude figures produced by pre-schoolers I used to present to.

And in a way, they do represent a sort of innocence. The Chinchorro people were hunter-gatherers, who had no social stratification. The mummies belonging to this culture that have been discovered show no signs of social differentiation, they all have the same delicate mother of pearl fish hooks, the same basketry buried with them. Some studies have found that men are more commonly found to be buried with hunting tools, like atlatls, while women are more commonly buried with fishing tools, but this is simply a division of labor based on sex, one job does not seem to hold higher esteem than the other.

Bodies in the sand found at Arica, a major Chinchorro site. Photo courtesy of Wikimedia comons: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Chinchorro_mummy_bodies_Arica.jpg

So in a way you could say that these burials: not beautiful, but executed with a level of difficulty to suggest great love and devotion, do represent a very different, if not innocent, motive for mummification. The Egyptians and the Inca used their most elaborate processes of mummification to preserve their elite, while commoners just did the best they could. Some suggest that this unique, egalitarian practice of mummification in Chile was the result of frequent climate change. In wetter periods, populations of fishing villages would boom, and their toolkits would be refined by the innovation associated with these boom periods. Thanks to the changing climate, villagers would uncover the naturally mummified corpses of their predecessors in the desert, exposed after storms or by the wind, and would assume that this process of preservation is necessary for one to enter the next life. Over time, artificial mummification would become popular, as people sought to ensure that they were preserved for the next world.


It is likely this boom and bust pattern that allowed complex ritual behavior to evolve in a society that was less politically complex than Ancient Egypt, or the Inca Empire. The Egyptian mummification processes, for example, evolved as their political system, with its organization and improved infrastructure, also evolved. Essentially, as their population grew over time, their political and social systems were refined and developed. The Chinchorro were developing their elaborate burial practices without having to also increase their political complexity. Population growth occurred as a result of the environment changing favorably. In their generous environment, there was no pressure to make up complex, hierarchical, political systems in order to survive.


This is the theory that some archaeologist propose, however the Chinchorro people still hold on to some of their mysteries, and researchers are looking forward to discovering more details as the mummies are studied.


If this article has wet your apatite for more mummy knowledge, check out www.mummies of the world.com for information on our upcoming exhibit!





Fonte: @edisonmariotti #edisonmariotti


Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.






--in via tradutor do google
As múmias Misteriosas de Chile

Em preparação para a abertura de "Múmias do Mundo" no final deste mês (preview Membro: Sexta-feira, 9/23, abertura ao público ao meio dia de sábado, 24/09) estaremos postando uma série de blogs explorar a ciência da mumificação. Hoje, o assunto será múmias Chinchorro.



A maioria das pessoas associam múmias com o Egito antigo, mas os egípcios não foram os primeiros, nem os artistas mais bem sucedidos em que a embarcação. Ambos os títulos pertencem a América do Sul. Algumas das mais antigas múmias preservadas artificialmente já encontrados foram feitas por artesãos da cultura Chinchorro no que hoje é o Chile. A cultura Chinchorro começou mummifying seus mortos mais de 7.000 anos atrás, 2.000 anos antes dos egípcios adotaram o processo.

Embora as múmias mais bem preservadas produzidos em data América do Sul a muito tempo após o Chinchorro desapareceu, mais na faixa de mil anos atrás, as múmias Chinchorro ainda são bastante complexas. Não são geralmente considerados como sendo de 3 fases do método de mumificação CHINCHORRO:

-preto
-vermelho
-mud revestido

(Às vezes, diferente fraseado é utilizado, ou os períodos em que os métodos de conservação elaborados não são utilizados são adicionados)

O método mais antigo de mumificação artificial praticada pelo Chinchorro, o método de preto, é bastante interessante. O corpo do falecido seria esfolado, em seguida, os ossos limpos. Uma vez que esses ossos foram agradável e limpo-ish, eles seriam amarrados para trás juntamente com cordas, geralmente feito de fibra vegetal. A mandíbula iria ser fixado ao crânio, as articulações seriam amarrados e reforçado com varas para formar uma espécie de armadura esquelética. Depois disso, a pele voltar ao longo do corpo.



Infelizmente, a pele de múmias Chinchorro foi preservado de forma bastante rudimentar: por secagem, por vezes, sobre brasas ou cinzas. Um efeito colateral do processo de secagem é o encolhimento. Na verdade, este mesmo método foi usado frequentemente para preservar as famosas cabeças encolhidas produzidos por certas culturas amazônicas. Na Amazônia, o encolhimento feita para um, troféu portátil símbolo simpática / espiritual, mas para o Chinchorro ele só fez as coisas mais complicadas. Para montar novamente sobre o corpo, a pele de algumas múmias Chinchorro foi remendado com a pele de animais como focas e pelicanos. O saco resultante de ossos, então, ser recheado com material vegetal para parecer mais gordo e animada.

Em seguida vem a cabeça. O chefe costumava ser cortado do corpo antes de começou o processo de esfola, possivelmente, a fim de limpar o cérebro fora. Era desejável que os antepassados ​​têm rostos em vida após a morte, mas um cara pode ser uma coisa difícil de preservar, de modo que um novo costumava ser em forma de uma pasta cinza feito de cinzas e algum tipo de ligante, como ovos, ou animal sangue. Esses caras são uma espécie de marca das múmias Chinchorro. Eles são bastante assustador: eles têm pouco, os olhos redondos e uma boca aberta. Alguns dizem que eles se parecem muito surpreendido, ou talvez apavorada. Eu acho que eles parecem um pouco infantil e inocente. Eles me lembram os números crus produzidos por pré-escolares que eu usei para apresentar.

E de certa forma, eles representam uma espécie de inocência. O povo Chinchorro eram caçadores-coletores, que não tinham a estratificação social. As múmias pertencentes a esta cultura que foram descobertas não mostram sinais de diferenciação social, todos eles têm a mesma mãe delicada de ganchos pérola peixes, o mesmo cestaria enterrado com eles. Alguns estudos descobriram que os homens são mais comumente encontrados para ser enterrado com instrumentos de caça, como atlatls, enquanto as mulheres são mais comumente enterrado com instrumentos de pesca, mas isso é simplesmente uma divisão de trabalho em função do sexo, um trabalho não parecem ter maior estima do que o outro.


Corpos na areia encontrados em Arica, um site grande Chinchorro. Foto cortesia de comons Wikimedia: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Chinchorro_mummy_bodies_Arica.jpg

Assim, em uma maneira que você poderia dizer que esses enterros: não bonito, mas executado com um nível de dificuldade para sugerir grande amor e devoção, que representam uma forma muito diferente, se não for inocente, motivo de mumificação. Os egípcios e os incas usavam seus processos mais elaborados de mumificação para preservar seus elite, enquanto os plebeus apenas fizeram o melhor que podiam. Alguns sugerem que este exclusivo prática, igualitária da mumificação no Chile foi o resultado da mudança climática frequente. Em períodos mais úmidos, as populações de aldeias de pescadores iria crescer, e seus toolkits seria refinado pela inovação associada a esses períodos de boom. Graças à mudança climática, os moradores iria descobrir os corpos naturalmente mumificados de seus antecessores no deserto, exposta após tempestades ou pelo vento, e diria que este processo de preservação é necessário que um para entrar na próxima vida. Com o tempo, a mumificação artificial se tornaria popular, como pessoas procuraram para garantir que eles foram preservados para o próximo mundo.

atacama
Foto cortesia de Desert Explorando

É provável que este padrão de altos e baixos que permitiu que o comportamento complexo ritual para evoluir em uma sociedade que era politicamente menos complexo do que o Egito antigo, ou o Império Inca. Os processos de mumificação egípcio, por exemplo, evoluiu como seu sistema político, com a sua organização e melhoria da infra-estrutura, também evoluiu. Essencialmente, como sua população cresceu ao longo do tempo, seus sistemas políticos e sociais foram refinadas e desenvolvidas. O Chinchorro estavam desenvolvendo suas práticas de sepultamento elaborados sem a necessidade de também aumentar a sua complexidade política. O crescimento populacional ocorreu como resultado do ambiente em mudança favoravelmente. Em seu ambiente generoso, não havia pressão para compensar sistemas complexos, hierárquicos, políticos, a fim de sobreviver.

Esta é a teoria de que algum arqueólogo propor, no entanto o povo Chinchorro ainda segurar alguns de seus mistérios, e os pesquisadores estão ansiosos para descobrir mais detalhes como as múmias são estudados.

Se este artigo tem molhar o seu apatita para um conhecimento mais múmia, vá para www.mummies do world.com para obter informações sobre a nossa próxima exposição!

Nenhum comentário:

Postar um comentário