Google+ Followers

sábado, 22 de outubro de 2016

chateau ramezay museum CHÂTEAU RAMEZAY. --- chateau Ramezay museu CHÂTEAU Ramezay. ---

The Château Ramezay, hub of Montreal life and development for over 300 years, has been a museum dedicated to conserving and conveying that heritage since 1895. It now beckons all generations of Montrealers and travelers alike to step back in time through a venerable portal to the past.


One of the few vestiges of New France open to the public, the Château invites you to relive history through its various permanent and temporary exhibitions, its multimedia portrayals of historic figures (in six languages) and its replica of a French colonial garden. Its many community-based educational and cultural activities link the life of today to that of the past.

This website gives an overview of our programming, but is no substitute for an onsite visit. The importance of our historic site, the richness of our collections and the expertise of our guides offer an experience unique in Montreal.

We hope you enjoy this virtual tour of our landmark property and look forward to meeting you at the Château.

-
Our historic site began in 1705 when Claude de Ramezay, then Governor of Montréal, decided to build a residence surrounded by a vast 41,880 ft² garden and fruit tree orchard. Over the years, the owner and function of the Château Ramezay changed several times. It was witness to major historical events and many historical figures came through its doors, including the Intendant Hocquart, the poet Émile Nelligan, Governor Lord Elgin and Benjamin Franklin.

In the spring of 1893, the Québec Government no longer had use for this old building and decided to abandon it. The date of the auction was set for October 24. Faced with the threat of losing the Château Ramezay to axes of demolition workers, the Antiquarian and Numismatic Society of Montreal (ANSM) mobilized public opinion and put pressure on authorities. Founded in 1862, this society brought together Montrealers who were concerned about preserving their heritage. ANSM succeeded in convincing the City of Montréal to purchase the Château and, in exchange, it agreed to set up a museum, a national portrait gallery and a public library. Their museum opened its doors on May 1, 1895.

From the inception of the society, the collection was primarily formed through donations of citizens who wanted to preserve the vestiges of our past and, in particular, to help educate the next generation. This collection is characterized by the richness, rarity and diversity of its pieces. Estimated at nearly 30,000 objects, it can be subdivided into several categories: ethnology, manuscripts, printed material, prints, paintings, furniture, etc

The Château Ramezay has been presenting historical exhibitions and organizing cultural, scientific and museological activities for more than 120 years. Its mission is to preserve, highlight and provide access to a building, which is classified as an historical monument, and a collection mainly focused on the history of Montréal and Québec. To do so, it implements educational activities and hosts events closely connected with Montréal’s cultural life.

From 1997-2010, through a Montréal cultural development agreement between the City of Montréal and the Québec Ministry of Culture and Communications, the Château underwent an extensive interior and exterior restoration. In June 2000, its landscaping was redeveloped in order to create the Governor’s Garden. This garden is a typical example of an 18th century urban garden in New France and is a rare vestige from a bygone era. In addition to its garden, the Château Ramezay presents its collections through a variety of permanent and temporary exhibitions, which reveal the culture, heritage and daily life of Québec’s inhabitants over the centuries.

In recent years, the Château Ramezay has won several awards and recognitions, including:

Selected by a team of experts, in collaboration with UNESCO, as one of the 1001 Historic Sites You Must See Before You Die. Out of 1001 historic sites, only 14 Canadian sites were selected (2010)
Awarded a recognition certificate by the Daughters of the American Revolution (DAR) attesting to the historical significance of the Château Ramezay in Canadian-American history (2010)
Award of Excellence from the Société des musées québécois for its temporary exhibition Let’s Eat! The Traditional Food of Québec (2010)
Award of Excellence from the Association québécoise d’interprétation du patrimoine for its francization educational program (2009)
Special Attractions Prize – Edition Nationale de Collectivité en fleurs (2009)
Geotourism Certificate of Excellence awarded by National Geographic (2009)
Prize from the Société des Attractions Touristiques du Québec for its brochure (2002) and promotional strategy (2008)
National Award of Excellence from the Landscape Architects of Canada (2003)
Ulysses Prize awarded by Tourism Montréal as “Attraction of the Year” in its category (2006 and 2008)
Orange Prize awarded by Heritage Montréal for the creation of the Governor’s Garden (2000)
Today, having greeted millions of visitors, the Château Ramezay continues its mission of conservation and education. Through its architecture, history and various activities, it has become a major heritage attraction in the very heart of the historic district of Old Montréal. Three centuries after its construction, and despite its storied past, the Château Ramezay is still dynamic and alive, honouring our history while remaining solidly anchored in present-day reality. Thanks to its volunteers, partners and staff, this unique institution continues to develop and maintain its essential role in our society.


The Château Ramezay is a private, non-profit organization. It was the first building proclaimed an historical monument in Québec and is the province’s oldest private history museum. It is accredited by the Québec Ministry of Culture and Communications and its partners include the City of Montréal, the Arts Council of Montréal, Heritage Canada, and the Archives nationales du Québec.






Cultura e conhecimento são ingredientes essenciais para a sociedade.

A cultura e o amor devem estar juntos.

Vamos compartilhar.

O tempo voa, obras de arte são para a eternidade, sem rugas!








--br via tradutor do google
chateau Ramezay museu CHÂTEAU Ramezay

O Château Ramezay, centro da vida e do desenvolvimento de Montreal por mais de 300 anos, tem sido um museu dedicado à conservação e transmitir essa herança desde 1895. Ele agora atrai todas as gerações de Montrealers e viajantes de voltar no tempo através de um portal venerável à passado.

Um dos poucos vestígios da Nova França abertos ao público, o Château convida você a reviver a história através de suas diversas exposições permanentes e temporárias, as suas representações multimídia de figuras históricas (em seis idiomas) e sua réplica de um jardim colonial francês. Suas muitas atividades educacionais e culturais baseadas na comunidade vincular a vida de hoje para o do passado.

Este site dá uma visão geral da nossa programação, mas não é substituto para uma visita no local. A importância do nosso sítio histórico, a riqueza das nossas colecções e os conhecimentos dos nossos guias oferecem uma experiência única em Montreal.

Esperamos que você goste desta visita virtual de nossa propriedade marco e estamos ansiosos para conhecê-lo no Château.

-
O nosso sítio histórico começou em 1705 quando Claude de Ramezay, então governador de Montréal, decidiu construir uma residência cercada por uma vasta 41.880 ft² jardim e frutas do pomar árvore. Ao longo dos anos, o proprietário e função do Château Ramezay mudou várias vezes. Ele foi testemunha de importantes acontecimentos históricos e muitas figuras históricas veio através de suas portas, incluindo o Intendente Hocquart, o poeta Émile Nelligan, o governador Lord Elgin e Benjamin Franklin.

Na primavera de 1893, o Governo do Quebec não tinham mais uso para este edifício antigo e decidiu abandoná-la. A data do leilão foi marcado para 24 de outubro Diante da ameaça de perder o Château Ramezay aos eixos de trabalhadores de demolição, o Antiquarian e Numismatic Society of Montreal (ANSM) mobilizaram a opinião pública e exercer pressão sobre as autoridades. Fundada em 1862, esta sociedade reuniu Montrealers que estavam preocupados com a preservação do seu património. ANSM conseguiu convencer a cidade de Montreal para comprar o castelo e, em troca, ele concordou em criar um museu, uma galeria de retratos nacional e uma biblioteca pública. Seu museu abriu as suas portas em 1 de Maio de 1895.

Desde o início da sociedade, a coleção foi formada principalmente por meio de doações de cidadãos que queriam preservar os vestígios de nosso passado e, em particular, para ajudar a educar a próxima geração. Esta coleção é caracterizada pela riqueza, raridade e diversidade das suas peças. Estimado em cerca de 30.000 objetos, pode ser subdividido em várias categorias: etnologia, manuscritos, impressos, gravuras, pinturas, móveis, etc

O Château Ramezay vem apresentando exposições históricas e organização de actividades culturais, científicas e museológicas há mais de 120 anos. Sua missão é preservar, destacar e dar acesso a um edifício, que é classificado como um monumento histórico, e uma coleção focada principalmente na história de Montreal e Québec. Para fazer isso, ele implementa atividades educacionais e organiza eventos intimamente ligados com a vida cultural de Montreal.

A partir de 1997-2010, através de um acordo de desenvolvimento cultural Montréal entre a cidade de Montreal e do Ministério da Cultura e Comunicações Québec, o Château foi submetido a uma extensa restauração interior e exterior. Em Junho de 2000, o seu paisagismo foi remodelado de forma a criar Jardim do Governador. Este jardim é um exemplo típico de um jardim urbano do século 18 na Nova França e é um vestígio raro de uma época passada. Além de seu jardim, o Château Ramezay apresenta suas coleções através de uma variedade de exposições permanentes e temporárias, que revelam a cultura, do património e da vida quotidiana dos habitantes de Québec ao longo dos séculos.

Nos últimos anos, o Château Ramezay ganhou vários prêmios e reconhecimentos, incluindo:

Seleccionados por uma equipa de peritos, em colaboração com a UNESCO, como um dos 1001 Locais históricos que você deve ver antes de morrer. Out de 1001 locais históricos, apenas 14 locais canadenses foram selecionados (2010)
Premiado com um certificado de reconhecimento pelas Filhas da Revolução Americana (DAR) atestando a importância histórica do Château Ramezay na história canadense-americano (2010)
Prêmio de Excelência do Société des Musées Quebequense para a sua exposição temporária Vamos comer! A comida tradicional do Québec (2010)
Prêmio de Excelência da Associação Québécoise d'interprétation du Patrimoine para o seu programa educacional francization (2009)
Atrações especiais Prize - Edição Nationale de Collectivité en fleurs (2009)
Geoturismo Certificado de Excelência atribuído pela National Geographic (2009)
Prêmio da Société des Atrações touristiques du Québec para a sua brochura (2002) e estratégia promocional (2008)
Prêmio Nacional de Excelência dos Arquitectos Paisagistas do Canadá (2003)
Prémio Ulysses concedido pelo turismo Montréal como "atração do Ano" em sua categoria (2006 e 2008)
Orange Prize concedido pela Heritage Montreal para a criação do Jardim do Governador (2000)
Hoje em dia, ter milhões cumprimentou de visitantes, o Château Ramezay continua sua missão de conservação e educação. Através de sua arquitetura, história e diversas atividades, tornou-se uma grande atração património no coração do bairro histórico de Old Montréal. Três séculos após sua construção, e apesar do seu passado histórico, o Château Ramezay ainda é dinâmico e vivo, honrar a nossa história, permanecendo firmemente ancoradas na realidade atual. Graças aos seus voluntários, parceiros e funcionários, esta instituição única continua a desenvolver e manter o seu papel essencial na nossa sociedade.


O Château Ramezay é uma organização privada, sem fins lucrativos. Foi o primeiro edifício proclamado um monumento histórico em Québec e é a província mais antigo museu de história privada. É credenciada pelo Ministério da Cultura e Comunicações e seus parceiros Québec incluem a cidade de Montreal, o Arts Council of Montréal, Heritage Canada, e os Arquivos nationales du Québec.

Nenhum comentário:

Postar um comentário